Autismo - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Autismo

Informação sobre Autismo

O autismo é um transtorno genético do desenvolvimento neurológico que é detectado na infância, quando a criança é incapaz de produzir habilidades sociais: comportamentos verbais e não verbais, interação com os outros, bem como criar emoções e ideias. Especificamente, os especialistas recomendam que tem que se deve estar atento ao progresso da criança entre 18 e 36 meses.

Possui uma dúvida concreta sobre Autismo? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Autismo

A criança com Transtorno do Espectro Autista apresenta dificuldades na interação e comunicação social, padrões de comportamentos restritos e repetitivos, além de prejuízo na comunicação social. Há existência de movimentos motores, falas repetitivas, inflexibilidade quanto a sua rotina, rituais padronizados de linguagem, muita ou pouca resposta a estímulos sensoriais e interesses fixos e anormais em determinados objetos. Também há dificuldade em estabelecer uma conversa normal, iniciar ou continuar uma interação, anormalidades no contato visual, expressões e também de linguagem. Faço a investigação, acompanhamento e tratamento dessa condição visando melhora do comportamento social e pessoal.
Dr. Luís Guilherme De Oliveira Labinas
Dr. Luís Guilherme De Oliveira Labinas Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

|

São José dos Campos

A psicoterapia de adolescentes e adultos com transtorno do espectro autista e que têm capacidade de linguagem verbal se apresenta como um ambiente favorável, onde ele pode simplesmente ser, sem as pressões dos ambientes sociais. Pacientes que apresentam pouco ou nenhum comprometimento cognitivo participam de grupos sociais como escola, faculdade, trabalho, mas devido às suas dificuldades apresentam grande sofrimento. A atitude consistente, sensível e adaptada às necessidades de cada paciente, possibilita que juntos, terapeuta e paciente, encontrem um modo de o paciente poder expressar em psicoterapia seus sofrimentos a fim de obter alívio dos mesmos.
Ana Lucia Villela Moretto
Ana Lucia Villela Moretto Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

Florianópolis

No autismo, o principal comprometimento está nas áreas de habilidade social, linguagem e comportamentos repetitivos. As crianças são, em sua grande maioria, incapazes de reconhecer o pensamento dos outros, de modo que não conseguem prever o que estariam pensando. Em crianças mais novas, é comprometido o “brincar de faz de conta”. O diagnóstico do autismo é clínico, dependente da avaliação do Psiquiatra da Infância e da Adolescência. Não há cura conhecida. Todavia, avanços são encontrados quando há um investimento o mais precoce possível na criança. O uso de medicamentos não é obrigatório, mas pode ser necessário com o objetivo de capacitar a criança a participar da escola e da família.
Dr. Pedro Henrique Costa Meneses
Dr. Pedro Henrique Costa Meneses Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

|

Vitoria

A prevalência do Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) tem aumentado de forma significativa nas últimas décadas, no entanto, este diagnóstico nem sempre é feito precocemente.O apoio de instrumentos padronizados podem auxiliar na decisão diagnóstica, na comunicação entre os profissionais e a monitorar a resposta a intervenções terapêuticas.Para crianças pequenas com suspeita de Autismo, a avaliação é o diferencial para o diagnóstico clínico. Casos tardios ou suspeitas tardias de TEA também são avaliados, satisfazendo os critérios diagnósticos do DSM-5.
Dra. Marlene Galdino
Dra. Marlene Galdino Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

Campinas

O autista, para a psicanálise, não é apenas um indivíduo com déficits orgânicos que precisam ser corrigidos ou reabilitados através de uma forte educação. Para a psicanalise, o psíquico está sempre em jogo, mesmo havendo causas orgânicas em conjunto, visto que mente e corpo não são separados. A ética da psicanálise é apostar que há um sujeito no autista. Há um sujeito com enorme sofrimento psíquico em estar no mundo, e que por isso tem uma maneira tão peculiar de ser e viver. Entendemos que há um tratamento a ser feito nesse avassalador que invade o sujeito e que o atormenta, para que ele possa criar um novo modo de viver que o permita estar em sociedade de modo menos sofrido.
Karina Andrade
Karina Andrade Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicanalista, Psicóloga

|

Rio de Janeiro

Ver mais

Tem perguntas sobre Autismo?

Nossos especialistas responderam 53 perguntas sobre Autismo.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

A criança do espectro autista realmente tem comprometimento na linguagem mas também em outros aspectos. Somente dificuldade na linguagem não necessariamente se configura em autismo. Por isso, para diagnosticar é necessário uma avaliação com psicólogo, médico , fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional para assim fechar o espectro autista. Te oriento a leva-lo primeiramente a um fonoaudiólogo, posteriormente vai levando aos outros profissionais conforme suas condições. Fico a disposição. Boa sorte!

  • 63
  • 39
  • 34
Dra. Idenise Naiara Lima Soares

Psicóloga

Maceió

O ideal é um acompanhamento com psicólogo e neurologista. A homeopatia entraria como tratamento alternativo.

  • 179
  • 42
  • 874
Dr. Carlos Eduardo Baptista de Aguiar

Médico clínico geral

Rio de Janeiro

E muito difícil o diagnóstico de autismo numa criança de cinco anos pra baixo, somente quando tem um grau severo de autismo, a criança nessa faixa etária fantasia e está no seu mundo próprio, somente vai se sociabilizar e interagir a partir dos seus 7 anos, o mais correto agora é observar a criança e ver se ela vai desenvolvento mediante ao seu crescimento

  • 29
  • 9
  • 9
Marina Poli lima dá cunha Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

São Paulo

Marcar consulta

Pelo que pude entender, o grau de dificuldade vem aumentando e seu aluno não está conseguindo dar conta da exigência e, provavelmente por isso, se torna agressivo. Sugiro avaliar a necessidade de um mediador em sala de aula e a elaboração de um material adaptado às aptidões da criança. Uma criança especial deve ter um grau de exigência de acordo com suas capacidades. Obviamente, estou levando em conta que ele seja atendido por uma equipe multiprofissional e sugiro ainda que os profissionais envolvidos sejam convidados a uma reunião na escola. Dessa forma, todos saem ganhando. Boa sorte!

  • 10
  • 22
  • 4
Karla Correia Simão Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Fonoaudióloga

Rio de Janeiro

Marcar consulta

Ver as 53 perguntas sobre Autismo