Câncer de próstata - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Câncer de próstata

Informação sobre Câncer de próstata

O que é câncer de próstata?

O câncer de próstata é uma doença que afeta homens de meia-idade e de idade avançada (cerca de 45 anos). É a formação de um tumor maligno da próstata, uma glândula do tamanho de uma noz que está localizada abaixo da bexiga e é responsável pela produção de esperma.

A próstata passa a uretra, uma espécie de canal ou tubo que transporta a urina da bexiga. Uma das consequências do alargamento da próstata é a redução do calibre do tubo, causando retenção urinária em alguns pacientes.

O câncer de próstata é um dos mais comuns no mundo, mesmo em nosso país (quarto em incidência após pulmão, colorretal, e bexiga).

Quais são os fatores de risco e como ele se desenvolve?

Não são muito claras quais são as razões por que alguns homens desenvolvem este câncer e outros não, isto é, os fatores que causam o câncer de próstata não são conhecidos com certeza. No entanto, sabemos que ambos os fatores genéticos e ambientais podem influenciar sua ocorrência.

Fatores genéticos

Eles se relacionam com a existência desse câncer na família como pais ou irmãos. Este fato é tido em conta como fator de risco. Estima-se que aproximadamente 4,5% dos casos são hereditários.

Fatores ambientais

São dieta e estilo de vida. Parece que os vegetarianos têm metade da probabilidade de desenvolver câncer. Há também diferenças geográficas: maior incidência em negros, e menor em Africano-asiáticos (China e Japão tem incidência muito baixa).

Pesquisa e estudo apontam fatores dietéticos; que podem ajudar a prevenir este tipo de câncer, tais como o selênio e uma substância derivada do tomate (licopeno). Alguns estudos levam a crer que estes dois agentes diminuem o risco de câncer de próstata.

É importante saber que não é adquirido por relações sexuais, nem está relacionado ao desenvolvimento de câncer de próstata, num primeiro momento considerou-se que a vasectomia poderia predispor a este tumor, mas depois vimos que não é.

A progressão do câncer de próstata é geralmente lenta e, em alguns homens pode levar até 10 anos antes de ser detectado. Entretanto, em alguns pacientes podem ocorrer formas mais rápidas e mais agressivas em que o câncer cresce e se espalha mais rapidamente. O crescimento do câncer pode quebrar a cápsula ao redor da glândula e difundir no exterior, tanto nas áreas mais próximas (spread local) como para outros órgãos do corpo (distante). Os órgãos mais frequentemente invadidos são os ossos, principalmente quadris, coluna lombar e costelas.

Quais são os sintomas do câncer de próstata?

Muitos homens, especialmente onde a doença ainda está numa fase precoce ou fase inicial, não apresentam quaisquer sintomas.

Se a glândula cresce de forma importante por alguma razão (e não apenas como o câncer), você pode pressionar a uretra e causar retenção de urina, que pode manifestar os seguintes sintomas:

  • Aumento da frequência de vezes que você tem que ir para urinar (freqüência urinária).
  • Várias vezes à noite para urinar (noctúria).
  • Sentindo uma necessidade urgente de ir ao banheiro.
  • Sensação de mal estar depois de urinar, sensação de que não está terminado o esvaziamento da bexiga.

Outros sintomas menos comuns:

  • Dor enquanto o paciente urina (disúria), presente em aproximadamente 45% dos pacientes.
  • Sangramento na urina (hematúria), que ocorre em 5%.
  • Impotência (não é capaz de estabelecer ou manter uma ereção).
  • Dor óssea, geralmente nas costas ou nos quadris, que muitas vezes indicam metástase ou propagação da doença para essas áreas.

É importante notar que estes sintomas não são exclusivos do câncer de próstata. Pode haver igualmente em outras doenças benignas ou malignas da próstata, ou outros órgãos vizinhos (reto, bexiga, ...). Portanto, é importante consultar um médico quando o paciente começar com algum destes sintomas, pois isso irá orientá-lo sobre a doença e, se necessário, irá se referir a um urologista para estudos mais completos ou tratamento.

Como é diagnosticado o câncer de próstata?

Existem dois exames simples que podem ajudar no diagnóstico de câncer de próstata: o teste ou exame de toque retal e o teste PSA.

  • Exame retal: é aquele que o médico insere um dedo no reto para sentir a próstata. A diferença no tamanho, consistência ou forma, guia sobre se patológico ou não. Este teste não é doloroso, embora irritante.
  • O PSA (Prostate Specific Antigen) é uma proteína produzida na próstata e lançada em uma parte muito pequena para o sangue. Na circulação de sangue uma quantidade de cerca de 4 ng / ml, é considerada normal. Nos distúrbios da próstata este número pode subir para valores de 3000 ou até mais.

Estes dois testes podem ser realizados rotineiramente pelo médico, especialmente em homens com mais de 50 anos.

Nenhum teste é 100% certo, mas a avaliação de ambos pode alertar o médico para a possibilidade de câncer de próstata, e continuar com outros exames mais detalhados.

Não podemos esquecer um detalhe, especialmente para não assustar ou amedrontar as nossas famílias: uma níveis elevados de PSA acima do normal não significa necessariamente que o indivíduo tem ou terá câncer de próstata. Este parâmetro é elevado em outras condições da próstata, como o alargamento benigno da glândula (hiperplasia benigna da próstata), e até mesmo um leve subida com a idade.

Como você interpreta exploração?

Se a DRE é uma próstata alargada sente ou espessada, mas mole (consistência pastosa) será geralmente indicativo de hiperplasia benigna da próstata, que, como já dissemos é uma doença que ameaça a vida do paciente, e que pode ser tratada de maneiras diferentes. No entanto, se no toque a consistência é desigual e tem nódulos da próstata, ou um disco rígido, quase como uma rocha de consistência, é mais provável que seja um câncer, e você tem que praticar mais a exploração.

Nós já sabemos que ele pode ser mostrado PSA elevado em homens com hiperplasia prostática benigna ou prostatite (infecção da próstata). Dentro dos valores de PSA, podemos dizer que há uma área "escura" para interpretar os valores entre 4 e 10 ng / ml, que não são indicativos de qualquer anormalidade específica, no entanto, quando os valores excedem o valor de 10 ng / ml, o médico irá realizar testes para descartar de forma mais clara a possibilidade de câncer de próstata.

Um homem que é suspeito de câncer, geralmente é encaminhado para estudos mais abrangentes para o urologista. Nem é de estranhar que este especialista, e outros testes, repita alguns dos testes  já  feitos ao paciente, especialmente os testes de sangue e urina. Um dos testes será um ultra-som, que pode ser abdominal ou transretal (aparelho de ultrassom através do reto). Com esse exame de imagem, você vai apreciar o tamanho da próstata, e se você tem nódulos, para orientá-lo sobre a benignidade ou malignidade do problema apresentado pelo paciente.

O teste final é a biópsia. Isso geralmente é feito com agulhas finas através do reto, e pode ser assistida por ultra-som. O tecido retirado é examinado ao microscópio para um resultado mais claro. Alguns efeitos colaterais que podem ter uma biópsia, especialmente nos dias seguintes, são: febre, infecção urinária, ou uma pequena quantidade de sangue na urina ou removidas do reto. Por isso antibióticos são muitas vezes dados nos dias de hoje para prevenir a infecção após o teste. No entanto, se esses problemas persistirem por vários dias, o paciente deve consultar o seu médico.

Como é tratado o câncer de próstata?

Uma vez diagnosticado o câncer de próstata, o paciente pode ter várias opções de tratamento. Estas opções serão marcadas por vários fatores: idade do paciente, tamanho do tumor, estágio ou grau do tumor, e se estiver contido na próstata ou se se espalhou para outras partes do corpo.

Após análise microscópica da amostra, normalmente atribuída uma pontuação, conhecido como o escore de Gleason. Esta pontuação varia de 1 a 10, enquanto que 2 é um câncer menos agressivo, e que 10 é o mais agressivo. Muitas vezes, tumores de baixo grau (menos agressivos) podem ser deixados para evoluir sem tratamento, porque eles não vão crescer muito significativamente, nem vai se espalhar. Tumores mais agressivos (geralmente superior a 7 Grau) devem ser tratados com cirurgia ou radioterapia.

Cirurgia

Nos tumores localizados (contidos na glândula), há a possibilidade de remoção cirúrgica por prostatectomia radical, que remove a próstata, vesículas seminais, e parte do canal deferente. A intervenção é importante e exige experiência do cirurgião, especialmente para evitar cortar os nervos ao redor da próstata que pode deixar efeitos colaterais permanentes, tais como a impotência (aproximadamente até 80%) ou incontinência urinária (5-25%, há pacientes com incontinência urinária grave que  são forçados a usar fraldas por longos períodos de tempo). Há até mesmo um risco de mortalidade operatória de 1,5%.

A radioterapia pode ser aplicada de várias formas

  • Radioterapia externa: tumores tratados com radiação externa ao paciente por uma máquina de tratamento. Esta técnica é muito importante para identificar a área de tratamento, tanto quanto possível para evitar os danos produzidos pela radiação ao tecido saudável ao redor da próstata. Apresenta uma complicação mais baixa: 40% a impotência, incontinência, 2%.
  • Braquiterapia: A radiação é outra técnica que envolve a implantação de pequenas sementes radioativas dentro da glândula. É feito através de agulhas finas que penetram na próstata e deixam grãos  permanentemente. É um procedimento que não necessita de cirurgia e pode ser concluído em um ou dois dias, o paciente pode voltar mais tarde à sua vida normal. Os efeitos secundários desta técnica são muito menores.

"A conduta expectante"

Não deve-se  se surpreender se na ocasião um membro conhecido ou familiar tenha sido diagnosticado com câncer de próstata e os médicos disseram que decidiram não tratá-lo e esperaram para ver como ele evolui. Isto é o que é conhecido como "observar e esperar." Esta prática é feita porque alguns tumores crescem tão lentamente que não é necessário intervenções terapêuticas, pois muitas vezes podem ter piores efeitos colaterais do que o próprio tumor. Geralmente é realizada em homens com mais de 70 anos, com tumores de crescimento lento, menos agressivo, e devemos ter em mente que eles serão continuamente revisados ??pelo médico. Controles regulares irão garantir que, se necessário, em algum momento ele vai exigir um tratamento específico.

Tratamento hormonal

Geralmente realizada em tumores que se espalharam para fora da próstata, no momento do diagnóstico. É bloquear a estimulação hormonal de testosterona para que esses tumores parem de crescer. Isso faz com que  o câncer pare ou se mova muito mais lentamente. Não cura, mas ajuda a controlá-lo, e, sobretudo, melhora os sintomas, como dor óssea ou problemas urinários.

Qual é a vida de pacientes com câncer de próstata?

De fato, o câncer de próstata não causa muitos problemas para o paciente, enquanto o tratamento realmente pode ser feito. Há pessoas que são diagnosticadas incidentalmente por exames médicos de rotina, e não experimentamram nenhum sintoma. As principais questões a serem apresentadas pelo paciente são incontinência e impotência, geralmente derivados dos tratamentos. Estes dois efeitos podem influenciar psicologicamente o indivíduo, levando até mesmo a estados depressivos que devem ser tratados. Pode também tratar a impotência de várias maneiras, mas atualmente, a droga sildenafil (Viagra) pode ser uma ajuda importante para esses pacientes. É importante consultar o seu médico antes de os efeitos do tratamento surgirem, e sua probabilidade de ocorrência, uma vez que o paciente pode escolher um ou outro tipo de ação terapêutica.

A incontinência é um problema mais difícil de tratar, e como mencionado, em muitos casos não há solução, e pode-se usar fraldas para uma temporada longa. Em casos extremos pode haver a possibilidade de cirurgia para diminuir a incontinência.

Possui uma dúvida concreta sobre Câncer de próstata? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Câncer de próstata

O câncer de próstata é o tipo de câncer mais frequente em homens no Brasil (excluindo câncer de pele). Estima-se que um a cada seis homens desenvolverão câncer de próstata ao longo da vida. Normalmente essa doença séria não provoca sintoma algum, sendo seu diagnóstico suspeitado em consultas rotineiras, através de dosagens do PSA e exames de toque retal. Quando descoberto em fases iniciais, as chances de cura com tratamento adequadamente realizado são muito altas. Quando descoberto em fases mais avançadas, existem várias opções de tratamento visando aumento de tempo e qualidade de vida. Importante acompanhamento por Urologista capacitado.
Dr. Gabriel Barbosa Franco
Dr. Gabriel Barbosa Franco Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Urologista

|

São Paulo

O câncer de próstata pode ser tratado com radioterapia ou cirurgia com finalidade curativa. A minoria dos casos é tratada com cirugia. Em Brasília fazemos a cirugia vídeo laparoscópica e fazemos cirugia assistida por robô em São Paulo. HiFu é outra modalidade de tratamento mas os resultados ainda estão em análise.
Dr. Prof. Ricardo Alexandre Fernandes Ferro
Dr. Prof. Ricardo Alexandre Fernandes Ferro Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Urologista

|

Brasilia

O câncer de próstata é um mal que atinge 1 em cada 7 homens em todo o mundo. É uma doença que não costuma causar sintomas nas fases iniciais. Quando diagnosticada precocemente, tem grande chance de cura. Entender em profundidade as características da doença, assim como minimizar ao máximo os efeitos colaterais do tratamento, através de tratamentos pouco invasivos, são uma meta constante a ser perseguida. A informação de qualidade e a orientação profissional fazem toda a diferença nessa batalha.
Dr. Bruno Benigno
Dr. Bruno Benigno Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Oncologista, Urologista

|

São Paulo

A próstata é um órgão que faz parte do aparelho reprodutor masculino e sua principal função é produzir parte do líquido que forma o sêmen ou “esperma”. Esse líquido é produzido por estruturas glandulares (ácinos) e possui propriedades que ajudam a nutrir e preservar a integridade dos espermatozoides. O câncer da próstata é uma consequência da transformação das células dos ácinos, que passam a se proliferarem de forma anormal e ganham a capacidade de invadir o órgão e até, em alguns casos, circular pelo corpo e produzir tumores em outras partes do corpo (chamado de metástase).
Dr. Moacyr Simas Moreira
Dr. Moacyr Simas Moreira Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Urologista

|

Rio de Janeiro

O tumor maligno da próstata tem a possibilidade de ser diagnosticado logo em sua fase inicial e, portanto, pode ter um alto índice de cura com o tratamento adequado. Uma das maiores taxas de cura da doença tem sido obtida através da opção cirúrgica, onde a glândula doente é completamente extraída e, após análise do patologista, permite obter um estadiamento patológico adequado. As técnicas cirúrgicas minimamente invasivas tem representado um avanço consistente no manejo desta malignidade, com resultados de controle oncológico comparáveis às técnicas tradicionais, porém com as vantagens de ser realizado com incisões mínimas, menor volume de sangramento e menor tempo de internação.
Dr. Marcos Dias Ferreira
Dr. Marcos Dias Ferreira Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Urologista

|

Porto Alegre

Ver mais

Tem perguntas sobre Câncer de próstata?

Nossos especialistas responderam 123 perguntas sobre Câncer de próstata.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

A cirurgia para o tratamento do câncer de próstata é um procedimento de alta complexidade que deve ser realizado por cirurgiões com treinamento específico na área. Tanto urologistas quanto oncologistas cirurgiões estão habilitados para realização do procedimento. A experiência do time cirúrgico, a frequência com que realiza o procedimento, o estágio em que a doença foi diagnosticada, idade, assim como, outros problemas de saúde associados, são os fatores que influenciam diretamente os resultados finais após a cirurgia e a reabilitação. Atenciosamente

  • 131
  • 36
  • 85
Dr. Bruno Benigno Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Oncologista, Urologista

São Paulo

Marcar consulta

Olá, Sim, é um dos tratamentos para câncer de próstata pois quando se retira os testículos, praticamente elimina a produção de testosterona, que alimenta as células cancerígenas. Hoje existem também injeções que "bloqueiam" a testosterona. Portanto, converse com seu médico a respeito. Abraços

  • 59
  • 21
  • 17
Dra. Renata D'Alpino Peixoto Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Oncologista

São Paulo

Marcar consulta

Sim! Você tem que procurar atendimento em rede conveniada pelo SUS.

  • 57
  • 13
  • 27
Dr. Gustavo Inácio de Gomes Marques Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Urologista

Goiânia

Marcar consulta

Existe tratamento sim para incontinência urinária,mas é necessário fazer uma avaliação primeiro da sua musculatura do assoalho pelvico para posteriormente traçar o tratamento. À disposição

  • 13
  • 7
  • 3
Dra. Kelly Rosane Inocencio Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Fisioterapeuta

Rio de Janeiro

Marcar consulta

Ver as 123 perguntas sobre Câncer de próstata