Depressão - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Depressão

Informação sobre Depressão

Depressão e relacionamento

A depressão provoca efeitos prejudiciais em diferentes áreas da vida da pessoa. Seus sintomas (incluindo tristeza, falta de interesse nas coisas, fadiga e irritabilidade) logicamente afetam o relacionamento. Em muitos casos, essa relação é crucial para o curso de depressão. Um bom relacionamento com o seu parceiro é essencial para uma pessoa deprimida, porque quando o nosso humor está ruim, precisamos de mais apoio, amor e compreensão do que nunca, embora nem sempre percebam isso.

Pessoas com depressão tendem a se retirar em si mesmos. Além disso, se sentem impotentes para realizar o seu trabalho ou tarefas diárias e não querem interagir com as pessoas. O casal pode começar a pensar que é chato ou não está indo bem no relacionamento. Muitas vezes, a pessoa deprimida se frustra porque acha que o  seu parceiro está de mau humor, esquece a sua aparência, tem problemas com  abuso de drogas ou álcool ou come demais. Isso torna difícil passar pelo dia. A estrada é difícil para ambos.

Assim, mesmo se você está prestes a ir embora, porque a pessoa que você ama não é mais capaz de se concentrar para ouvir o que você está dizendo, ou sorrir, ou desfrutar os bons momentos da vida, tente aceitar tudo como sendo apenas uma parte da doença. Tente lembrar-se, também, que é pouco provável que a depressão do seu parceiro não tem nada a ver com você.

Sexo

A alteração de sexo ocorre em muitas doenças e depressão entre elas. 75% dos deprimidos reconhecem problemas sexuais. Pacientes com depressão apresentam uma diminuição no humor de modo que não quer falar sobre o tema sexual. Um sintoma da depressão é anedonia (incapacidade ou dificuldade em apreciar as coisas e do prazer) e isso inclui, em geral, perda de interesse sexual. De fato, alguns ficam deprimidos mas sua vida sexual continua normal, mesmo algumas pessoas acham que o sexo pode alivia-los e conforta-los.

No homem, a desaceleração geral da atividade do cérebro provoca uma sensação de cansaço e desesperança, que pode ser acompanhada pela diminuição da libido (desejo sexual) e dificuldades com a ereção. Nas mulheres, esta diminuição na atividade cerebral tende a ser acompanhada pela falta de interesse em sexo e dificuldade ou incapacidade de atingir o orgasmo. Estes problemas vão desaparecer quando a depressão melhorar. Na verdade, quando um paciente torna-se interessado em sexo como nós identificamos como um sinal de recuperação.

Influência dos antidepressivos sobre a sexualidade

Estudos mostram que as drogas mais comumente usadas como ??antidepressivos (tricíclicos e inibidores da recaptação de serotonina) causam alterações na função sexual, como diminuição da libido e dificuldade em atingir o orgasmo (atrasado ou não ocorrer) . Para resolver esses problemas, podemos fazer o seguinte:

  • Esperar por soluções para si.
  • Reduzir a dose de antidepressivo.
  • Suprimir temporariamente a medicação (um fim de semana, por exemplo).
  • Adicionar medicamentos para melhorar a situação (como Viagra).
  • Mudança de antidepressivo.

Provavelmente a melhor coisa é, desde o início do tratamento, escolher um antidepressivo que é eficaz e não prejudicial a atividade sexual (como mirtazapina).

O que podem aqueles com depressão fazer para ajudar a si mesmos e melhorar o seu relacionamento?

  • Tente dar uma caminhada todos os dias, de preferência com seu parceiro. Andar a pé não só tomar o ar, o que elevará o seu espírito, mas, como qualquer forma de exercício, libera endorfinas no cérebro. As endorfinas são substâncias químicas "felicidade" que produzem bem-estar. Um passeio é um bom momento para se comunicar.
  • Alguns dias parecem melhores do que outros. Em seu dia bom, tente fazer um esforço para mostrar seus amor e interesse para o seu parceiro.
  • Você pode ter dificuldade de concentração, mas tente assistir a um programa de entretenimento na TV, junto com seu parceiro, pelo menos meia hora por dia. Qualquer coisa que quebra a melancolia e possa proporcionar alívio para a depressão.
  • Ouça a música que você gosta.
  • Acredite que a depressão não vai acontecer de novo e aproveite a vida.

O que podem parceiros das pessoas deprimidas fazer para ajudar a si mesmos e melhorar o seu relacionamento?

  • Pare de dizer o seu parceiro que você não entende o que está acontecendo. Tente se colocar no lugar dele para entender e passar você quer ajudar e que você está lá.
  • Deixe que ela saiba que você quer  tentar identificar as coisas que levantam o seu espírito para incentivá-los.
  • Seja paciente, ouça e eleve sua auto-estima. Fale sobre isso.
  • Saiba mais sobre a depressão. Sabendo o que você sabe sobre esta doença, o seu parceiro possa entender e fazer as coisas melhor orientação.
  • Não se desespere. Alguns dias vão pensar que seu parceiro lhe dá exatamente como você quer ou não. Mas deve continuar a insistir. Seu amor e apoio constantes têm uma grande influência.
  • Encorage o seu parceiro a obter ajuda profissional e tratamento e siga as instruções dadas.
  • Lembre-se: é como se o seu parceiro estava se recuperando de uma grave doença física ou operação. Dar todo seu amor e carinho, e encorajá-lo a descansar e se recuperar. Não espere que a melhoria seja rápido.
  • Passe algum tempo do seu dia fazendo o que você gosta. Tenha em mãos uma pessoa deprimida é desgastante, por isso é importante também cuidar de si mesmo. Passe algum tempo sozinho, vá ao cabeleireiro ou assista filmes ou saia com amigos. As pessoas deprimidas tendem a querer ficar em casa sem fazer nada, mas se você fizer o mesmo, eventualmente, não ajudará. Se necessário, procurar ajuda de amigos ou associações profissionais.
  • Lembre-se que esta fase da sua vida passará, e o seu parceiro, basicamente, continua a mesma pessoa.

Possui uma dúvida concreta sobre Depressão? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Depressão

Mais que tristeza, a Depressão é um transtorno psiquiátrico que se bem tratado evita prejuízo ao paciente e sua família. Não só com o uso de medicação mas com práticas complementares como psicoterapia , atividade física os resultados são muito bons. Apesar do sintoma ser de alteração do humor, modificações do sono, ansiedade e do apetite sempre acompanham
Jose Juarez De Oliveira Junior
Jose Juarez De Oliveira Junior Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

|

Embu das Artes

Tristeza é uma das várias emoções humanas. É natural ficarmos tristes por um tempo quando nos deparamos com certas situações comuns da vida. Porém, quando a tristeza persiste por muitos dias, quando ela é intensa, quando a pessoa não sente mais tanto prazer nas coisas que gostava de fazer, quando também se sente sem energia, com fadiga, sem esperança na vida, dificultando a realização de suas atividades diárias, neste caso é possível que não se trate apenas de uma tristeza, mas de um transtorno psiquiátrico. A depressão é causada por uma combinação de vários fatores, em maior ou menor proporção a depender de cada indivíduo. Herança genética + fatores psicológicos + situações estressoras.
Dr. Cleberson Galdino
Dr. Cleberson Galdino Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

|

Recife

Depressão não é tristeza. É uma doença que precisa de tratamento. Cerca de 18% das pessoas vão apresentar depressão em algum período da vida. A Gestalt-Terapia é uma escola de psicoterapia que tem o propósito de investigar e trabalhar com o ser humano em situações de impedimentos das possibilidades de crescimento e transformação criativa na sua relação com o mundo. O indivíduo com depressão encontra-se só, fragmentado, sem referência, geralmente rejeitado pela família e pelo mundo, sem amigos e sem perspectiva de trabalho, devido às condições sociais e culturais envolvidas na trama da vida por ela vivida, esses fatores repercutiram e repercutem em seu processo de subjetivação.
Dra. Monica Araujo Rodrigues Elisiario
Dra. Monica Araujo Rodrigues Elisiario Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

Belo Horizonte

A depressão causa muito sofrimento na pessoa, pois a sensação de tristeza constante, muitas vezes tira a vontade de realizar as atividades do cotidiano. Abandona-se as relações familiares e afetivas, pois parece que não se tem energia vital para isso. Com isso, sofre a pessoa deprimida e sofrem os familiares que estão ao redor. O tratamento psicanalítico possibilita que a pessoa que sofre com isso tenha melhoras consideráveis para retomar suas atividades cotidianas e reate seus vínculos afetivos.
Nadir Lara Junior
Nadir Lara Junior Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicanalista, Psicólogo

|

Curitiba

A Depressão ocorre através da redução da comunicação dos neurotransmissores de Serotonina, Noradrenalina, e em menor proporção Dopamina, substancias estas, que transmitem impulsos nervosos entre as células. Os principais sintomas são:Humor depressivo ou irritabilidade, ansiedade e angústia, isolamento social, desânimo, cansaço e diminuição da capacidade de sentir alegria ou satisfação. Se você estiver se sentindo dessa forma, procure ajuda de um profissional especializado, como Psiquiatra e Psicólogo. Será necessário acompanhamento com os dois profissionais, o Psiquiatra fará um tratamento medicamentoso e o Psicólogo ajudará na reestruturação Psicológica do indivíduo.
Danielle Venda

Psicóloga

|

São Paulo

Ver mais

Tem perguntas sobre Depressão?

Nossos especialistas responderam 239 perguntas sobre Depressão.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Olá! Minha sugestão é que, em paralelo, procure por atendimento psiquiátrico e psicológico, se possível que ambos os profissionais trabalhem em conjunto para que neste primeiro momento você possa receber um tratamento e acompanhamento assertivo.

  • 50
  • 44
  • 35
Bárbara Adele de Moraes Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

Sorocaba

Marcar consulta

Sem dúvida é muito importante trabalhar essa questão. Compreender-se, antes de tudo, leva à autoconfiança e autoaceitação. Só assim se torna possível lidar com as demandas do ambiente sem descompensar o emocional. Procure um psicólogo para tratar dessas questões relacionadas à autoimagem. Você vai descobrir muitas nuances sobre você mesmo, até então desconhecidas. Boa sorte e grande abraço

  • Obrigado 5
  • 1 especialista está de acordo
  • 201
  • 267
  • 165
Rita K. A.Costa Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

São Paulo

Marcar consulta

É uma prescrição perfeitamente viável, ainda que não seja tão utilizada quanto benzodiazepínicos ( como clonazepam, diazepam, alprazolam, etc). A quetiapina tem como vantagens não provocar dependência química, é uma medicação que potencializa a ação do antidepressivo e que não costuma provocar sensação de ressaca ou de estar dopado no outro dia.

  • 88
  • 106
  • 40
Tomás Rotelli de Olivieira Ferreira Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

Uberaba

Olá. Os sintomas provocados pelo quadro depressivo são exatamente esses que você relata, transtornos do humor, falta de vontade, desanimo, cansaço, etc, alternando os períodos de intensidade. Importante salientar que o tratamento da depressão compreende não somente um acompanhamento psiquiátrico mas também terapêutico. A medicação prescrita auxilia no controle dos sintomas, mas a terapia pode ajuda-lo a se perceber, controlar seus pensamentos e adquirir comportamentos mais saudáveis que permitam aumentar os períodos de estabilidade. Imprescindível que seja desta forma, para um tratamento mais eficaz. Tente e seja feliz.

  • 138
  • 158
  • 98
Augusto Amaral Dutra Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo

São Paulo

Marcar consulta

Ver as 239 perguntas sobre Depressão