Distrofia Endotelial De Fuchs - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Distrofia Endotelial De Fuchs

Tem perguntas sobre Distrofia Endotelial De Fuchs?

Nossos especialistas responderam 6 perguntas sobre Distrofia Endotelial De Fuchs.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Não há uma época certa nem um padrão para a indicação do transplante !! Depende da necessidades cada paciente !! Em alguns casos esta queixa pode ser inicialmente minimizada com uso de colírios específicos !! Estes colírios não são a solução definitiva mas podem ajudar a postergar o transplante mantendo a visão melhor por um período !!

  • 3
  • 3
  • 1
Dra. Roberta Ventura Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Oftalmologista

Recife

Marcar consulta

Baixa de acuidade visual progressiva podendo no casos graves levar a cegueira (reversível com transplante) sensação de areia e inflamação crônica nos casos mais avançados

  • 5
  • 1
  • 22
Dr. Marcus Emmanuel Teixeira Maia Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Oftalmologista

Fortaleza

Marcar consulta

A Distrofia de Fuchs se caracteriza pela perda de células endoteliais e edema ( inchaço ) da córnea. O edema na fase inicial normalmente é pouco sintomático e responde aos colírios hiperosmolares ( colírios que fazem a córnea desinchar ), mas a medida que a doença vai evoluindo, o tratamento com colírios passa a não ser responsivo e se tornar necessário um transplante de córnea. No caso de Distrofia de Fuchs o ideal é um transplante lamelar, técnica que usa apenas a camada de células endoteliais.

  • 5
  • 0
  • 1
Cristian Santa Cruz

Oftalmologista

Salvador

A indicação de transplante não é tão teórica, levando em conta números de endotélio, e depende na verdade de múltiplos fatores subjetivos, como a visão do paciente, aspecto da córnea (se está fazendo edema, se responde a medicações para diminuir o edema) e outros fatores, como a idade. Podemos dividir o transplante corneano em penetrante (onde toda a córnea é transplantada) ou DSAEK/DMEK (onde apenas o endotélio, a camada da córnea danificada é trocado). Essa última opção apresenta resultados melhores, com visão melhor, e transplante com menor índice de rejeição, mas cada caso têm que ser avaliado de forma isolada. Diante disso, o acompanhamento regular é fundamental, pois se o edema persistir por muito tempo, ou se provocar o aumento importante da espessura da córnea, pode se perder o período para realizar o transplante somente endotelial.

  • Obrigado 0
  • 1 especialista está de acordo
  • 19
  • 14
  • 20
Dr. Daniel Cezar de Andrade Gomes da Silva Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Oftalmologista

Rio de Janeiro

Marcar consulta

Ver as 6 perguntas sobre Distrofia Endotelial De Fuchs