Hipertensão - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Hipertensão

Informação sobre Hipertensão

Hipertensão (pressão arterial aumentada)

O que é pressão arterial?

O coração bombeia o sangue para o cérebro e para o resto do corpo. Este sangue atinge os músculos e órgãos através das artérias. Quando o sangue já foi usado por eles, volta novamente para o coração direito através das veias. De lá, é bombeado para os pulmões, onde o dióxido de carbono (CO2) é trocado por oxigênio. Mais uma vez, o sangue retorna para as câmaras esquerdas do coração para ser bombeado de volta para os tecidos imediatamente.

A pressão arterial depende da força com que o coração bombeia o sangue e o grau de relaxamento das artérias. A hipertensão ocorre quando o sangue é bombeado para as artérias com maior pressão.

Usamos dois números de pressão arterial. Um exemplo disso pode ser "a pressão arterial é 120/80, ou apenas 12/08". O primeiro número representa a pressão sistólica (a pressão do sangue dentro da artéria quando o coração bate e empurra o sangue). O segundo número é a pressão diastólica, ou seja, a pressão arterial dentro da artéria quando o coração está relaxado.

Risco cardiovascular?

Se você acha que pode estar em risco, verifique com o médico

O que é hipertensão?

Há uma tendência natural de aumento da pressão arterial devido à idade. Isto é causado por uma diminuição da elasticidade das artérias com o envelhecimento. A determinação da hipertensão depende, em parte, da idade do paciente.

Por exemplo, em uma paciente de 60 anos de idade, dizemos que é hipertenso quando a pressão arterial é mais 160/90 quando em repouso.

Alguns pacientes com hipertensão têm um limite inferior ao serem diagnosticados com hipertensão, particularmente doentes diabéticos, para quem uma elevação persistente da pressão arterial pode causar sérios problemas.

Qual é a causa da hipertensão?

Em mais de 90% dos casos a causa da hipertensão é desconhecida. Que chamamos de hipertensão primária ou essencial. Numa minoria de casos, não há uma causa conhecida, falamos então de hipertensão secundária.

Algumas das causas de hipertensão secundária são doenças renais crônicas, doenças das artérias que levam sangue para os rins, o abuso crônico de álcool, doenças hormonais e tumores que podem secretar hormônios que elevam a pressão arterial (tais como feocromocitoma).

Como é pressão arterial?

Uma mangueirinha inflável é colocada ao redor do braço. Ela é inflada com ar e o médico ouve os batimentos cardíacos da artéria. Você continua inflanda até parar de escutar o pulso. Neste momento o aparelho é esvaziado, e o médico observa o ponto onde a pressão está quando você retornar ao ouvir os batimentos cardíacos, esse ponto mede a pressão sistólica. O ponto em que o som desaparece novamente mede a pressão diastólica.

A pressão arterial também pode ser medida em casa usando dispositivos de medição automática.

Quando medimos a pressão arterial no consultório médico, por vezes está elevada, devido ao nosso estado de ansiedade. Esta situação é chamada de "hipertensão do avental branco". Nestes casos, o médico espera o paciente estar relaxado para medições.

A pressão arterial também pode ser medida ao longo do dia usando um medidor automático e realizado pelo paciente durante 24 horas por dia, chamado Holter.

Quais são os sintomas da hipertensão?

Pressão alta raramente provoca sintomas . No entanto, algumas manifestações raras, porém graves de hipertensão arterial podem incluir:

  • Dor de cabeça, sonolência, confusão ou coma
  • Dificuldade respiratória grave (dispnéia)
  • Sangramentos nasais

Quais os fatores que aumentam o risco de hipertensão?

  • Tendência familiar a ter pressão arterial alta
  • Obesidade
  • Fumantes
  • Diabetes tipo 2
  • Doença renal
  • Consumo de álcool
  • Aumento da ingestão de sal
  • Falta de exercício
  • Alguns medicamentos como esteróides e pílulas de dieta

O que eu posso fazer?

  • Medir a sua pressão arterial regularmente se você tiver uma história familiar de hipertensão. Inicia-se o tratamento antes das complicações.
  • Mudança de estilo de vida: parar de fumar, reduzir o peso e fazer exercícios regularmente. Menor consumo de álcool, uma dieta variada e tente evitar situações estressantes.
  • Se você tem hipertensão, a pressão arterial deve ser medida regularmente.
  • Se você precisa controlar sua pressão arterial com medicamentos, a sua decisão de parar nunca deve ser feita sem primeiro consultar o seu médico, mesmo que o paciente se sinta bem, pois pode sofrer sérios problemas.

O que pode o médico fazer?

  • Redução dos fatores de risco e mudança de estilo de vida.
  • Se necessário, prescrever medicamentos para baixar a pressão arterial.

Complicações possíveis

  • Arteriosclerose (endurecimento das artérias)
  • Acidente vascular cerebral (hemorragia cerebral ou trombose cerebral)
  • Aneurismas da aorta torácica (alargamento da artéria principal que sai do coração e distribui o sangue por todo o corpo)
  • Aneurismas da aorta abdominal (aorta torácica continuação)
  • Infarto agudo do miocárdio e angina
  • Insuficiência cardíaca (redução da capacidade para bombear o sangue do coração)
  • Renal
  • Lesões oculares (retinopatia hipertensiva)

Possíveis desenvolvimentos

Com o tratamento adequado da hipertensão, as complicações podem ser reduzidos e a expectativa de vida pode ser normal.

Sem tratamento, a expectativa de vida é reduzida, devido ao risco de desenvolvimento de uma das complicações discutidas acima.

Que medicamentos são usados?

Diuréticos:

Eles ajudam os rins a excretar água e sal e, por vezes relaxam as artérias e, assim, reduzem a pressão. Diuréticos podem atuar em diferentes partes do rim. Diurese, eliminando potássio, você deve consultar com seu médico para saber se você toma suplementos dietéticos.

Beta-bloqueadores:

Bloqueiam o efeito da adrenalina  do sistema nervoso simpático. O coração relaxa e bate lentamente, o que causa a pressão arterial baixa.

Alfa-bloqueadores e combinação de alfa e beta-bloqueadores.

Bloqueadores, dos canais de cálcio:

Reduz a tensão da camada muscular da artéria, aumentando o volume de água, e reduz a pressão arterial.

Inibidores da enzima conversora da angiotensina (ECA):

Funciona interrompendo a formação de um hormônio (angiotensina II), que provoca constrição dos vasos sanguíneos. Como resultado, a pressão arterial diminui. Eles são medicamentos muito úteis para controlar a pressão arterial.

Antagonistas dos receptores de angiotensina II:

Prevenir atos em seu receptor de angiotensina, e mantém os vasos sanguíneos em um estado de relaxamento.

Os seguintes medicamentos são usados ??com menor freqüência:

  • Indapamida: uma propriedade diurética fraca para relaxar as artérias.
  • Hidralazina: relaxa as paredes da artéria.
  • Metildopa: estimula o cérebro alpha para alcançar um relaxamento das artérias.

Possui uma dúvida concreta sobre Hipertensão? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Hipertensão

Avaliação de fatores de risco cardiovasculares associados, modificação dos fatores de risco como obesidade, colesterol alto, diabetes, avaliação medicamentosa e orientações sobre o comprometimento de órgãos alvos.
Dr. Rodrigo Caetano Pimentel
Dr. Rodrigo Caetano Pimentel Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cardiologista, Médico clínico geral

|

Rio de Janeiro

A hipertensão arterial é uma doença muito frequente, atingindo um em cada quatro indivíduos adultos, chegando a maior ocorrência entre os idosos, onde a metade ou mesmo ¾ desses são hipertensos. É uma condição silenciosa, talvez, uma forte dor de cabeça na região posterior possa ser atribuída a ela, contudo, não espere sintomas para procurar ajuda e usar corretamente os medicamentos. Sendo silenciosa muitos pacientes rejeitam o uso das drogas antihipertensivas, o que é um erro crucial. Tratada, as complicações praticamente desaparecem ou ficam num patamar semelhante ao das pessoas normotensas. Se não tratada, a doença evolui silenciosamente. Mesmo se for beber, não deixe os comprimidos.
Dr. Joel Alves Pinho Filho
Dr. Joel Alves Pinho Filho Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cardiologista, Médico clínico geral

|

Salvador

Hipertensão arterial tem uma prevalência mundial de cerca de 20-30% e representa 40% das mortes por derrames cérebro vasculares e 25% por doença arterial coronária. Registros brasileiros mostram que apenas 50% dos pacientes sabiam ter doença hipertensiva. Destes, apenas 40% faziam algum tipo de tratamento e dos que usavam alguma medicação apenas 10% estavam com a pressão normal.A normalização da pressão arterial reduz mortalidade e aumenta sobrevida. Os alvos de tratamento devem atingir valores inferiores a 140x90 mmHg e o acompanhamento médico e adesão ao tratamento são fundamentais.
Jairo Maia
Jairo Maia Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cardiologista, Médico clínico geral

|

Santo André

O tratamento da Hipertensão Arterial depende de diversos fatores, sendo necessária uma consulta com anamnese (entrevista) detalhada e solicitação de exames (entre eles diversos exames funcionais como MAPA, Ecocardiograma e Teste de Esforço). Usualmente os pacientes passam por avaliações com nutricionista e exercícios físicos visando mudanças no estilo de vida adotado, e possivelmente uso de medicamentos para o controle dos níveis pressóricos.
Dr. Gabriel Luan Queiroz Alves da Cunha
Dr. Gabriel Luan Queiroz Alves da Cunha Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Especialista em Medicina Preventiva, Médico clínico geral

|

Brasilia

Você sabia que 1 em cada 4 brasileiros sofre de hipertensão arterial? A hipertensão arterial é ainda responsável por metade dos casos de infarto, 80% (OITENTA por cento) dos casos de AVC (ou "derrame cerebral") e 25% dos casos de insuficiência renal. Ou seja, é uma doença que pode trazer complicações graves à saúde! Além disso, é silenciosa, podendo se manifestar apenas já com as complicações instaladas. Por isso é necessário se prevenir. Consulte seu médico regularmente! Faça a medida da pressão arterial sempre que possível. A boa notícia é que podemos evitar todas essas complicações praticando bons hábitos de vida e usando as medicações corretamente! Cuide da sua saúde!
Dr. Diogo Kalil
Dr. Diogo Kalil Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cardiologista

|

Brasilia

Ver mais

Tem perguntas sobre Hipertensão?

Nossos especialistas responderam 76 perguntas sobre Hipertensão.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Procure um medico para melhor elucidação do caso.

  • Obrigado 5
  • 1 especialista está de acordo
  • 9
  • 3
  • 25
Dra. Bianca Borges Butterby

Médica clínica geral

Goiânia

Assim como a hipotensão (pressão baixa) associada a taquicardia pode cursar com um quadro de extremo mal estar e necessita de tratamento médico hospitalar de emergência. Não deixe de procurar ajuda médica imediata em ambas as situações, hipertensão com taquicardia e hipotensão com taquicardia. Espero ter ajudado.

  • 8
  • 0
  • 7
Dr. Roberto Schuray Benjamin Filho Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Médico clínico geral

Aguas de Lindoia

Marcar consulta

Depende. Com certeza a redução de sal ajudaria o controle da hipertensão, uma vez que uma dieta rica em sódio prejudica o controle pressórico, sobretudo em idosos e pacientes com disfunção renal , que apresentam uma hipertensão denominada "sal sensível ".Entretanto a hipertensão primária é multifatorial, com vários mecanismos genéticos e ambientais envolvidos. Desta forma, com certeza ajudaria no controle pressórico, mas não necessariamente "curaria" a hipertensão , uma vez que há outros mecanismos envolvidos na gênese da mesma.

  • Obrigado 2
  • 1 especialista está de acordo
  • 81
  • 45
  • 153
Fabio Humberto Ribeiro Paes Ferraz Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Nefrologista

Brasilia

Os medicamentos para hipertensão ( também denominados anti-hipertensivos) são drogas, e toda droga tem efeitos colaterais. Comumente os caso de edema - sobretudo membros inferiores - são comuns com a classe dos bloqueadores de cálcio, sobretudo anlodipina, sendo muitas vezes necessário a suspensão do mesmo. Outras classes - como os IECA ( inibidores da enzima conversora de angiotensina) podem dar tosse ou mesmo quadros alérgicos, enquanto diuréticos comumente podem dar cãimbras e betabloqueadores desencadear quadros de bronscoespasmo ( chiado ). Neste contexto, a melhor resposta a sua pergunta seria : procure um médico, e agende uma consulta. Pode ser um remédio, uma interação medicamentosa, mas pode ser algum sintoma relacionado a uma outra coisa ( como uma disfunção renal , por exemplo ). Boa sorte : )

  • 81
  • 45
  • 153
Fabio Humberto Ribeiro Paes Ferraz Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Nefrologista

Brasilia

Ver as 76 perguntas sobre Hipertensão