Infecção Hospitalar - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Infecção Hospitalar

Os especialistas falam sobre a Infecção Hospitalar

São aquelas infecções que se iniciam após as 48 hs de internação. O paciente internado possui risco aumentado de se infectar pois está com a imunidade mais baixa, geralmente possui varias portas de entrada para bactérias como acessos venosos, sondas, etc. O hospital é um ambiente com muitas bactérias resistentes a vários antibióticos pois quanto mais antibiótico se usa, maior a seleção de bactérias resistentes, tanto no paciente que recebeu o tratamento quanto em seu entorno. Daí a importância de sempre medir o custo beneficio de cada tratamento antibiótico e sempre que possível, tentar identificar a bactéria culpada a traves de exames de cultura do local infectado.
Dra. Keilla Mara Freitas
Dra. Keilla Mara Freitas Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Infectologista

|

São Paulo

Alguns pacientes que ficaram internados em hospital desenvolvem infecções relacionadas a sua estadia, ou a procedimentos/cirurgias realizadas; o inicio do tratamento se faz na própria internação e posteriormente acompanhadas após alta com infectologista.
Dra. Silvia Regina Julian
Dra. Silvia Regina Julian Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Infectologista

|

São Paulo

Tem perguntas sobre Infecção Hospitalar?

Nossos especialistas responderam 8 perguntas sobre Infecção Hospitalar.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Depende da causa da internação do paciente. Em geral o paciente HIV com doença avançada já em fase AIDS usa antibioticoprofilaxias para prevenção de infecções oportunistas independente de estar internado no hospital ou não. O que leva o paciente em fase AIDS a internação normalmente são doenças oportunistas que precisam de ser tratadas alem do suporte clinico que o paciente precisa em cada caso. Já com relação à prevenção das infecções hospitalares, são tomadas as precauções de isolamentos padrão ou outros indicados em cada paciente colonizado por bactéria resistentes. Isso previne que as bactérias se espalhem o que por fim previne a infecção não só dos pacientes HIV mas de todos os outros pacientes do hospital. Pacientes muito debilitados também podem ficar por sua proteção separadas de outros pacientes como forma de prevenção de novas infeções durante a internação.

  • 1086
  • 235
  • 3231
Dra. Keilla Mara Freitas Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Infectologista

São Paulo

Marcar consulta

Sim, mas precisa-se de um trabalho conjunto entre o Infectologista e o Ortopedista, buscando identificar a Bactéria causadora atraves de coleta de cultutras adequadas para possihilitar um Tratamento antibiótico direcionado e pelo tempo adequado que muda de acordo a gravidade e ao tempo de evolução da Infecção além da Limpeza cirúrgica adequada com a retirada de todo o foco infeccioso

  • 1086
  • 235
  • 3231
Dra. Keilla Mara Freitas Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Infectologista

São Paulo

Marcar consulta

Dependendo do local da infecção esperamos um certo grupo de bactérias. O que torna as chamadas "bactérias hospitalares" mais perigosas é que, como em ambiente hospitalar se usa mais antibióticos, muitas vezes de amplo espectro (mata uma grande variedade de bactérias), Acaba por haver uma seleção de bactérias resistentes a vários antibióticos. Bactérias resistentes tendem a ser menos patogênicas, isso é, menos propensas a causar infecção, elas causam doenças em pessoas com imunidade baixa (pessoas idosas, ou com diabetes, AIDS, Câncer, etc) ou com portas de entrada da bactéria no corpo(sondas, acessos venosos, etc). Por isso que o doente pega uma infecção e o seu acompanhante não. Os médicos tratam cada infecção de acordo com o perfil de sensibilidade das bactérias, por isso que sempre que possível, coletamos culturas para tentar definir a bactéria causadora da infecção. Existem antibióticos específicos para cada tipo de bactéria. O méd

  • 1086
  • 235
  • 3231
Dra. Keilla Mara Freitas Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Infectologista

São Paulo

Marcar consulta

A principal coisa que o paciente e seus visitantes podem fazer é se informar sobre a forma adequada de higienização das mãos e observar se toda a equipe do hospital, desde a equipe de enfermagem até os médicos, estão higienizando as mãos, como água e sabão ou com álcool gel antes de tocar no paciente. Isso evita que a equipe de atendimento leve bactérias de outra áreas do hospital ou outros pacientes, inclusive as bactérias multirresistentes para o paciente. Outras medidas são tomadas pelo serviço de controle de infecção hospitalar.

  • 1086
  • 235
  • 3231
Dra. Keilla Mara Freitas Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Infectologista

São Paulo

Marcar consulta

Ver as 8 perguntas sobre Infecção Hospitalar