Transtorno da personalidade borderline - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Transtorno da personalidade borderline

Informação sobre Transtorno da personalidade borderline

O Transtorno da personalidade Borderline ( Limítrofe) faz parte dos transtornos de personalidade.
Tem como caracteristicas na maioria dos casos um padrões de relacionamentos intensos, confusos e desorganizados.
São muito comuns as variações de humor.
O comportamento impulsivo geralmente é auto-destrutivo e dificuldades com a auto-imagem costumam a ser frequentes.

Possui uma dúvida concreta sobre Transtorno da personalidade borderline? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Transtorno da personalidade borderline

Os afetados por esse transtorno são muito instáveis emocionalmente e reagem de forma muito intensa e impulsiva às adversidades do dia a dia. Sentem uma sensação de "vazio" interior e uma tolerância muito baixa à frustração, o que faz com que elas tenham muitas dificuldades em seus relacionamentos. O sofrimento psíquico é tão intenso que é frequente o pensamento em suicídio, como uma forma de eliminar de uma vez por todas a terrível angústia que acompanha essas pessoas. Outra manifestação comum é o ato de inflingir cortes em si mesmo. O psiquiatra pode ajudar bastante a aliviar o sofrimento desses pacientes, controlando os impulsos e os sintomas ansiosos/depressivos tão comuns nesse quadro.
Dr. Daniel Azevedo Cavalcante
Dr. Daniel Azevedo Cavalcante Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

|

São Paulo

Indivíduos com Transtorno de Personalidade Borderline se caracterizam especialmente por sofrerem grande instabilidade emocional, desregulação afetiva excessiva, sentimentos intensos e polarizados do tipo “tudo ótimo e tudo péssimo” ou “eu te adoro e eu te odeio”, angústia de abandono, percepção de invasão do self, entre outros, que não raro geram comportamentos impulsivos perigosos sendo comum a presença recorrente de atos autolesivos, tentativas de suicídio e sentimentos profundos de vazio e tédio. O início do transtorno pode ocorrer na adolescência ou na idade adulta e o uso dos recursos de saúde e saúde mental é expressivo nesses pacientes.
Maria Teresa Barbosa Lopes Lauar
Maria Teresa Barbosa Lopes Lauar Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

Belo Horizonte

São pessoas conhecidas por comportamentos impulsivos e às vezes agressivos. O borderline tem dificuldades vindas de uma infância desorganizada mentalmente, assim como a inconstância no apego com os pais, este visto como segurança e em outros momentos como ameaçador e medo. Na maioria dos casos de borderline os pais eram punitivos, tiveram alguma experiência traumática ou ouve erro de processamento de pensamento. Estes traumas desencadeiam uma vida cheia de esforços para evitar o abandono seja real ou imaginário. A impulsividade é um dos grandes alertas, pois podem desencadear vícios e até comportamentos perigosos, as perturbações de identidade e de sentimentos.
Cleunice Paez Borges
Cleunice Paez Borges Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

São Paulo

Combinação de psicoterapia individual com treinamento de habilidades, desta forma o paciente aprende habilidades de auto regulação emocional e novas habilidades para influenciar seu ambiente. A terapia não se concentra em manter um ambiente estável e consistente, mas visa ajudar os pacientes a se tornarem confortáveis com as mudanças.
Dra. Monica Pompeu
Dra. Monica Pompeu Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga, Sexóloga

|

Niterói

Este diagnóstico prevalece em jovens com sintomas depressivos e importante dificuldade no processo de estabelecer vínculos afetivos. Trata-se de um estado em geral transitório, na vida de uma pessoa, já que estudos de seguimento indicam melhora espontânea dos sintomas em até 88% dos casos , após dez anos. Entretanto, é um estado grave, com grave sofrimento mental e risco de suicídio.A adolescência é a fase psicológica final de construção de uma identidade e de dar provas da capacidade de ocupar um lugar valorizado na sociedade, e isto se torna problemático para estes jovens. Portanto, é imprescindível que o tratamento não seja apenas medicamentoso, mas também psicoterápico.
Dra. Sheila Hauck Barbosa
Dra. Sheila Hauck Barbosa Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

|

Santo André

Ver mais

Tem perguntas sobre Transtorno da personalidade borderline?

Nossos especialistas responderam 63 perguntas sobre Transtorno da personalidade borderline.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Os transtornos mentais e de personalidade não tem um diagnóstico tão preciso quanto às doenças orgânicas, porque eles são multifatoriais. No entanto, um psicólogo ou um psiquiatra experiente e atualizado tem toda a condição de fazer uma avaliação diagnóstica adequada. Neste campo, trabalhamos com a ideia de hipótese diagnóstica, ou seja, ela não se encerra em si mesma e pode ser reavaliada. Sei que talvez isto te cause mais mais angústia, mas o diagnóstico acertado é o sucesso para um tratamento psicoterápico, com uso ou não de psicofármacos, depende da necessidade.

  • 12
  • 15
  • 14
Thais Vieira

Psicóloga

Porto Alegre

Encaminhe ele para uma avaliação junto a um psicólogo, a criança é sempre um "termômetro" que devemos nos atentar sobre a dinâmica as relações e possíveis conflitos familiares.

  • 73
  • 87
  • 68
Thiago Caltabiano Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo

São Paulo

Marcar consulta

Olá! O Transtorno de Borderline (ou Limítrofe) traz comportamentos específicos sim, em geral ligados a instabilidade e impulsividade de afetos, raiva e irritabilidade frequentes, além de um intenso medo de abandono, que se dá pela -em geral- idealização alternada com a desvalorização das pessoas com quem se envolve.. isso faz com que haja uma alternância entre considerações positivas e grandes frustrações. É importante saber quem te deu este diagnóstico de Borderline.. se foi não foi seu Psiquiatra, recomendo que procure um, para que juntos possam chegar ao melhor tratamento. Pra começar, evite procurar "causas" fora da terapia e procure não se apegar a estigmas. Com o tratamento certo, você poderá viver com qualidade! Espero ter ajudado!

  • Obrigado 2
  • 1 especialista está de acordo
  • 31
  • 19
  • 14
Daniela Sarmento Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

Rio de Janeiro

Marcar consulta

Trabalho com psicanálise, logo só sei falar sobre essa abordagem com propriedade. Contudo creio que o mais importante é que você se sinta bem na terapia, independente da abordagem. Primeiro, quem lhe passou esse diagnóstico? Como isso ecoa dentro de você? Muitos pontos podem ser trabalhados. A psicanálise costuma ter sucesso com o tratamento de pacientes borderline, muitas vezes com acompanhamento de um psiquiatra também.

  • Obrigado 0
  • 1 especialista está de acordo
  • 262
  • 172
  • 119
Mariana Pavani Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicanalista, Psicóloga

Campinas

Marcar consulta

Ver as 63 perguntas sobre Transtorno da personalidade borderline