Transtorno da personalidade borderline - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Transtorno da personalidade borderline

Informação sobre Transtorno da personalidade borderline

O Transtorno da personalidade Borderline ( Limítrofe) faz parte dos transtornos de personalidade.
Tem como caracteristicas na maioria dos casos um padrões de relacionamentos intensos, confusos e desorganizados.
São muito comuns as variações de humor.
O comportamento impulsivo geralmente é auto-destrutivo e dificuldades com a auto-imagem costumam a ser frequentes.

Possui uma dúvida concreta sobre Transtorno da personalidade borderline? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Transtorno da personalidade borderline

Indivíduos com Transtorno de Personalidade Borderline se caracterizam especialmente por sofrerem grande instabilidade emocional, desregulação afetiva excessiva, sentimentos intensos e polarizados do tipo “tudo ótimo e tudo péssimo” ou “eu te adoro e eu te odeio”, angústia de abandono, percepção de invasão do self, entre outros, que não raro geram comportamentos impulsivos perigosos sendo comum a presença recorrente de atos autolesivos, tentativas de suicídio e sentimentos profundos de vazio e tédio. O início do transtorno pode ocorrer na adolescência ou na idade adulta e o uso dos recursos de saúde e saúde mental é expressivo nesses pacientes.
Maria Teresa Barbosa Lopes Lauar
Maria Teresa Barbosa Lopes Lauar Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

Belo Horizonte

São pessoas conhecidas por comportamentos impulsivos e às vezes agressivos. O borderline tem dificuldades vindas de uma infância desorganizada mentalmente, assim como a inconstância no apego com os pais, este visto como segurança e em outros momentos como ameaçador e medo. Na maioria dos casos de borderline os pais eram punitivos, tiveram alguma experiência traumática ou ouve erro de processamento de pensamento. Estes traumas desencadeiam uma vida cheia de esforços para evitar o abandono seja real ou imaginário. A impulsividade é um dos grandes alertas, pois podem desencadear vícios e até comportamentos perigosos, as perturbações de identidade e de sentimentos.
Cleunice Paez Borges

Psicóloga

|

São Paulo

Os afetados por esse transtorno são muito instáveis emocionalmente e reagem de forma muito intensa e impulsiva às adversidades do dia a dia. Sentem uma sensação de "vazio" interior e uma tolerância muito baixa à frustração, o que faz com que elas tenham muitas dificuldades em seus relacionamentos. O sofrimento psíquico é tão intenso que é frequente o pensamento em suicídio, como uma forma de eliminar de uma vez por todas a terrível angústia que acompanha essas pessoas. Outra manifestação comum é o ato de inflingir cortes em si mesmo. O psiquiatra pode ajudar bastante a aliviar o sofrimento desses pacientes, controlando os impulsos e os sintomas ansiosos/depressivos tão comuns nesse quadro.
Dr. Daniel Azevedo Cavalcante
Dr. Daniel Azevedo Cavalcante Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

|

São Paulo

Combinação de psicoterapia individual com treinamento de habilidades, desta forma o paciente aprende habilidades de auto regulação emocional e novas habilidades para influenciar seu ambiente. A terapia não se concentra em manter um ambiente estável e consistente, mas visa ajudar os pacientes a se tornarem confortáveis com as mudanças.
Dra. Monica Pompeu
Dra. Monica Pompeu Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga, Sexóloga

|

Niterói

O transtorno de personalidade borderline é mais um diagnóstico da moda. Ainda não é possível entender o que levou ao importante aumento da prevalência desse transtorno nos útlimos anos, mas fato é que muitas pessoas, principalmente adolescentes e adultas jovens, estão apresentantdo sintomas de intensa instabilidade emocional, incluindo ataques de irritabilidade, angústia existencial e desejo de sumir ou se machucar. O cuidado é delicado, uma vez que há confusão com depressão, e por isso, na maioria das vezes, recebem prescrição de antidepressivos. No entanto, essas medicações costumam aumentar a impulsividade, podendo piorar a irritabilidade e o descontrole emocional.
Dr. Walter Sena
Dr. Walter Sena Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

|

Rio de Janeiro

Ver mais

Tem perguntas sobre Transtorno da personalidade borderline?

Nossos especialistas responderam 58 perguntas sobre Transtorno da personalidade borderline.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Os transtornos mentais e de personalidade não tem um diagnóstico tão preciso quanto às doenças orgânicas, porque eles são multifatoriais. No entanto, um psicólogo ou um psiquiatra experiente e atualizado tem toda a condição de fazer uma avaliação diagnóstica adequada. Neste campo, trabalhamos com a ideia de hipótese diagnóstica, ou seja, ela não se encerra em si mesma e pode ser reavaliada. Sei que talvez isto te cause mais mais angústia, mas o diagnóstico acertado é o sucesso para um tratamento psicoterápico, com uso ou não de psicofármacos, depende da necessidade.

  • 12
  • 15
  • 14
Thais Vieira

Psicóloga

Porto Alegre

O diagnóstico de transtorno de personalidade antissocial é efeito depois dos 18 anos de idade. Até lá, esses comportamentos não caracterizam uma personalidade estruturada ainda, podendo ser transicionais. Dos sintomas referidos, a agressividade deve ser avaliada com mais profundidade porque pode denotar algum transtorno mental em curso. Os outros sintomas são muito subjetivos para uma conclusão diagnóstica.

  • 70
  • 153
  • 383
Marcos Ferreira Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

Santa Maria

Certamente você precisa de um acompanhamento psicológico para entender as causas dessa sua compulsão e à partir daqui compreender esse seu comportamento e tratá-lo. A avaliação de um psiquiatra também é importante. Quanto ao tempo de tratamento isso é muito relativo e varia de pessoas para pessoa, bem como as respostas ao mesmo. Não deixe de procurar ajuda. Boa sorte!

  • Obrigado 1
  • 1 especialista está de acordo
  • 13
  • 6
  • 4
Patricia Buranello da Silva Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

Santo André

Marcar consulta

Olá, pelo que você relata existe um grau importante de prejuízo nas relações que ela estabelece o que causa sofrimento não apenas para o paciente como também para quem está ao lado. Nestes casos a consulta a um psiquiatra para avaliação de se conciliar medicação a psicoterapia me parece de suma importância. A medicina e os medicamentos tem papel de aplacar a crise e os sintomas que vários transtornos nos causam, porém é só com a psicoterapia que conseguimos analisar as raízes de tais transtornos e aprendermos a lidar com eles no dia-a-dia. Não deixe de procurar a parceria psiquiatra e psicólogo que pode em muito ajudá-las a a atravessar este momento difícil. Boa sorte e contem comigo se necessário.

  • Obrigado 0
  • 1 especialista está de acordo
  • 30
  • 16
  • 12
Daniela Abarca Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicanalista, Psicóloga

São Paulo

Marcar consulta

Ver as 58 perguntas sobre Transtorno da personalidade borderline