Transtorno Depressivo Maior - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Transtorno Depressivo Maior

Os especialistas falam sobre a Transtorno Depressivo Maior

A depressão é uma síndrome, que existe em várias formas, mais e menos graves, mais e menos duradouras: Transtorno Depressivo Maior, Distimia, Depressão Menor, entre outras. Pouco mais de uma em dez pessoas terá depressão durante a vida. A depressão reduz a qualidade de vida, leva a faltas ao trabalho, dificuldades nos relacionamentos e piora de doenças pré-existentes. Apesar de ocorrer em quase todas as idades, idosos são especialmente susceptíveis. Hoje, há sólido conhecimento sobre a doença e como tratá-la, sendo medicamentos e psicoterapia as principais modalidades. Isto é fundamental para reduzir o sofrimento, e principalmente, prevenir recaídas ou cronificação da doença.
Dr. Helton Cavalcanti
Dr. Helton Cavalcanti Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

|

Recife

Tem perguntas sobre Transtorno Depressivo Maior?

Nossos especialistas responderam 27 perguntas sobre Transtorno Depressivo Maior.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Olá só se pensa em internação quando há risco de vida para outrem ou para a própria pessoa. No caso descrito por você parece haver risco de vida por desidratação ou inanição. Portanto, internação parece ser a única solução no momento. Mas é caso para vc conversar com um médico psiquiatra que saberá discernir a gravidade do quadro quando examinar a pessoa. Talvez o médico tenha de fazer a consulta na casa da pessoa.

  • 3
  • 7
  • 4
Vera Da Ros Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

São Caetano do Sul

Marcar consulta

Imagino o quanto seja difícil ver sua mãe nesta condição... Mas aqui cabem algumas importantes considerações: primeiramente, se houve um fato que tenha desencadeado esta reação, se este comportamento é algo inédito em sua história... também, outra questão importante, é sobre a autonomia e independência de sua mãe, se ela tem uma saúde mental e é apta a ter suas próprias decisões, pois neste ponto, se ela estiver responsável por seus atos, o que te cabe é tentar convencê-la do quão pernicioso é este comportamento de não sair de casa, de isolar-se das pessoas, e que uma ajuda profissional seria bastante conveniente nessa ocasião, mas a decisão final é dela, pois, se ela não quiser e for obrigada a qualquer lugar, o insucesso do processo é quase que garantido... Boa sorte!!!

  • 13
  • 17
  • 4
Kelly Belotti Moretti Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicanalista, Psicóloga

Mogi das Cruzes

Todo início de tratamento com medicação causa efeitos colaterais que vão diminuindo e coincidindo com o aparecimento dos efeitos. É natural que isso ocorra em algum nível, porém, seria necessário você contatar seu médico para explicar sobre esses efeitos e ele lhe indicará o que fazer de acordo com o seu quadro clínico. O importante é não parar a medicação sem a recomendação dele. Espero ter ajudado. Um abraço!

  • 21
  • 6
  • 2
Luciane Simonetti Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

São Paulo

Ainda não está completamente definida a eficácia da Agomelatina no tratamento da depressão. Novos estudos científicos são necessários para esclarecer essa situação. Atualmente ela vem sendo utilizada quando o tratamento com outros antidepressivos mais bem estabelecidos falha ou se existe intolerância a eles. Porém, por apresentar um mecanismo de ação único entre os antidepressivos disponíveis, atuando sobre os receptores de melatonina e restabelecendo o ritmo circadiano (ciclo sono/vigília), sua ação pode ser muito útil para alguns pacientes deprimidos. Converse com seu médico e ouça o que ele tem a dizer sobre o assunto. Boa sorte!

  • Obrigado 1
  • 1 especialista está de acordo
  • 21
  • 22
  • 18
Fernando Toledo Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

Belo Horizonte

Marcar consulta

Ver as 27 perguntas sobre Transtorno Depressivo Maior