Transtornos de Ansiedade - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Transtornos de Ansiedade

Informação sobre Transtornos de Ansiedade

O que é?

A ansiedade é uma característica normal do ser humano. Trata-se de um sentimento bastante vago de medo do que possa acontecer no futuro. Uma ameaça externa faz o organismo aumentar o seu ritmo para reagir a ela. Ela se torna patológica quando a reação do corpo torna-se excessiva e passa a ocorrer sem que exista um acontecimento real capaz de dispará-la.

Há vários tipos de transtornos de ansiedade. Entre os mais comuns estão:

- Síndrome do pânico: a pessoa sofre crises súbitas, muito parecidas com ataques cardíacos, sem justificativa. Essas crises ocorrem esporadicamente em diferentes situações gerando insegurança.

- Fobia social: medo de interagir com outras pessoas.

- Agorafobia: medo de lugares abertos ou de lugares públicos com a presença de multidões.

- Transtorno obsessivo compulsivo (TOC): manias ou rituais criados em diversas situações.

- Transtorno de estresse pós-traumático: depois de um acidente ou quando a pessoa é vítima de uma violência, reage como aquilo fosse se repetir a cada momento.

- Transtorno de ansiedade generalizada: é um quadro de ansiedade crônica sem qualquer fundamento para o nervosismo.

- Transtorno de ansiedade de separação: medo de perder alguém que ama. Mais comum em crianças.

Qual é a causa?

Não se sabe exatamente a causa que transforma a ansiedade normal do ser humano em patológica. Acredita-se que dois fatores sejam os responsáveis pela modificação do quadro. O primeiro deles seria genético. Pessoas com familiares próximos vítimas de transtornos de ansiedade teriam maior possibilidade de desenvolver a doença. O segundo responsável para o desenvolvimento de quadro patológico de ansiedade seria o estresse.

Quais os sintomas?

O sintoma principal que caracteriza o transtorno de ansiedade é a constante preocupação ou tensão sem que existam motivos para isso. Há muitos outros sintomas que variam de pessoa para pessoa. Entre eles estão: dificuldade de concentração, fadiga crônica, irritabilidade constante, dificuldade para adormecer e quando o sono chega não é satisfatório, inquietação, tensão muscular, tremedeira, dores de cabeça, dores de estômago, náusea, diarreia, palpitações, sudorese, vômitos e dificuldade respiratória. Os transtornos de ansiedade atingem adultos e também crianças. São mais comuns em mulheres que em homens. Nelas, podem gerar alterações, inclusive, hormonais chegando a suspender os períodos menstruais.

Como fazer o diagnóstico?

Os diagnósticos dos transtornos de ansiedade normalmente ocorrem por exclusão. Com a extensa gama de sintomas, o médico pode realizar exames para descartar outras causas para eles. No entanto, o mais importante é a entrevista realizada pelo profissional de saúde. Ele deve obter do paciente um relato detalhado dos sintomas para não apenas diagnosticar um transtorno de ansiedade, mas também classificá-lo de acordo com a categoria e intensidade.

Qual o tratamento?

De acordo com a classificação do transtorno de ansiedade e de sua intensidade, os médicos podem enveredar por três caminhos no tratamento. Os transtornos mais leves podem ser solucionados com mudanças de hábito na vida das pessoas com o aumento de atividades capazes de ajudar na diminuição do estresse. Iniciar uma rotina diária de exercícios e ampliação os horários destinados ao lazer podem ajudar a reduzir o quadro de ansiedade. A psicoterapia também é utilizada no auxílio ao combate da doença. O uso de medicamentos é outra opção. Antidepressivos e calmantes podem ser utilizados quando necessário. Nada impede que o médico utilize até mesmo as três opções conjuntamente.

Possui uma dúvida concreta sobre Transtornos de Ansiedade? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Transtornos de Ansiedade

Ansiedade é uma emoção complexa, exclusiva do ser humano. Trata-se de uma vivência de apreensão, medo, preocupações e sensações físicas como falta de ar, palpitações, tensão muscular etc. A ansiedade, a princípio, é uma experiência normal e até mesmo saudável! Quando ocorre em intensidade leve, ela é capaz de nos motivar para a ação, de nos energizar e aumentar nossa capacidade de concentração e raciocínio! Por outro lado, a ansiedade pode ser patológica, quando causa grande sofrimento, prejudica o indivíduo em suas atividades ou quando a pessoa deixa de fazer as coisas que gostaria para fugir da ansiedade. Essas características estão presentes nos chamados transtornos de ansiedade.
Dr. Cleberson Galdino
Dr. Cleberson Galdino Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

|

Recife

A ansiedade é uma reação normal do ser humano diante de situações que podem provocar medo, dúvida ou expectativa. No entanto, quando esse sentimento persiste por longos períodos de tempo e passa a interferir nas atividades do dia a dia, a ansiedade deixa de ser natural e passa a ser motivo de preocupação.
Ellen Martins Peiter
Ellen Martins Peiter Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

Rio de Janeiro

A ansiedade passa a ser doença quando afeta o dia a dia do individuo tanto com sintomas físicos - palpitações, suor excessivo, tremor, insônia – quanto com sintomas emocionais – medo excessivo, angustia, preocupação extrema. Fatores genéticos aumentam a probabilidade de ser portador da doença. O tratamento é a base de antidepressivos e ou psicoterapia. Solicito exames laboratoriais que auxiliam a diferenciar ansiedade de outros diagnósticos clinicos. Evito usar benzodiazepinicos ('tarjas pretas'), que a longo prazo podem causar dependencia e prejuízos à memória. Tem cura e o acompanhamento tem abordagem integral, com o objetivo de que o paciente volte à rotina normal
Dra. Vivian Machado
Dra. Vivian Machado Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

|

Rio de Janeiro

É cada vez mais comum pacientes me procurarem se queixando de ansiedade...e mais ainda aqueles que já recorreram ao seu médico de confiança ou ao neuro ou psiquiatra para buscar o alívio através de remédios. A questão é que a causa do problema permanece...às vezes por um fator bastante circunstancial outras por coisas que já vem carregando a muito tempo em sua vida. Falar sobre isso ajuda e muito. Encontrar o significado disso é libertador. Experimente buscar ajuda psicoterápica para se sentir melhor. Ser escutado e falar a respeito é um ótimo meio.
Jane Wulff Altschieler
Jane Wulff Altschieler Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

Porto Alegre

A ansiedade se manifesta de diversas formas. Para algumas pessoas, com o tempo, a ansiedade que antes era considerada um traço de personalidade passa a se manifestar de maneira mais intensa, mais limitante, podendo chegar a desencadear crises mais intensas e até mesmo quadros de pânico. A psicoterapia é fundamental para que o paciente aprenda mais sobre como vive essa ansiedade, como ela se manifesta, com o que de sua história de vida ela se relaciona e possa lidar com essas sensações de formas diferentes.
Flávia Pachiega
Flávia Pachiega Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

Curitiba

Ver mais

Tem perguntas sobre Transtornos de Ansiedade?

Nossos especialistas responderam 150 perguntas sobre Transtornos de Ansiedade.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

O tratamento deve ser feito preferencialmente com os dois profissionais. Os dois profissionais se complementam.

  • 921
  • 1460
  • 1399
Dr. Hugo Leonardo Rodrigues Soares

Psiquiatra

Via e regra após um certo período de tempo de uso de medicamentos ansiolíticos os médicos reduzem a dosagem para avaliar a resposta favorável ou não para o paciente. Ao que parece, sua intensidade de ansiedade reduziu, e por isso ele resolveu reduzir de 20 para 15 mg. Caso continue a mellhor com a dose reduzida a tendência é reduzir ainda mais até a retirada do medicamento, mas não reduza ou retire o Citalopram sem autorização médica. Mesmo após uma provável retirada da medicação você terá que se submeter a consultas periódicas de manutenção para que o médico avalie se deve manter a ausência do medicamento ou voltar a prescrevê-la. Não desconsidere a importância de unir ao Citalopram a psicoterapia. O objetivo da medicação não é ser utilizada para sempre, apenas para a remissão total dos sintomas ou em caso de recaída.

  • 137
  • 170
  • 161
Dr. Sandro César Silvério da Costa

Psicanalista, Psicólogo

Belo Horizonte

A medicação correta, prescrito por médico especialista no caso, pode trazer bons resultados. Mas a terapia neste caso especifico também é muito eficaz. Traz bons resultados ao tratamento.

  • 1
  • 2
  • 2
Cristiane Soares da Silva Terra Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

São Gonçalo

Marcar consulta

Olá! O quadro de depressão/ ansiedade pode ser tratado com isrs e um benzodiazepinico, como o diazepam. No entanto, o segundo tipo se faz necessário até o isrs agir plenamente ( 2 semanas) e amenizar a ansiedade. O diazepam, bem como os outros benzodiazepinico, causam tolerância, dependência e deprimem o sistema nervoso central, não devendo ser tomados por longo período de tempo. Agora, os isrs devem ser tomados por no mínimo 6 meses.

Ver as 150 perguntas sobre Transtornos de Ansiedade