Transtornos de Ansiedade - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Transtornos de Ansiedade

Informação sobre Transtornos de Ansiedade

O que é?

A ansiedade é uma característica normal do ser humano. Trata-se de um sentimento bastante vago de medo do que possa acontecer no futuro. Uma ameaça externa faz o organismo aumentar o seu ritmo para reagir a ela. Ela se torna patológica quando a reação do corpo torna-se excessiva e passa a ocorrer sem que exista um acontecimento real capaz de dispará-la.

Há vários tipos de transtornos de ansiedade. Entre os mais comuns estão:

- Síndrome do pânico: a pessoa sofre crises súbitas, muito parecidas com ataques cardíacos, sem justificativa. Essas crises ocorrem esporadicamente em diferentes situações gerando insegurança.

- Fobia social: medo de interagir com outras pessoas.

- Agorafobia: medo de lugares abertos ou de lugares públicos com a presença de multidões.

- Transtorno obsessivo compulsivo (TOC): manias ou rituais criados em diversas situações.

- Transtorno de estresse pós-traumático: depois de um acidente ou quando a pessoa é vítima de uma violência, reage como aquilo fosse se repetir a cada momento.

- Transtorno de ansiedade generalizada: é um quadro de ansiedade crônica sem qualquer fundamento para o nervosismo.

- Transtorno de ansiedade de separação: medo de perder alguém que ama. Mais comum em crianças.

Qual é a causa?

Não se sabe exatamente a causa que transforma a ansiedade normal do ser humano em patológica. Acredita-se que dois fatores sejam os responsáveis pela modificação do quadro. O primeiro deles seria genético. Pessoas com familiares próximos vítimas de transtornos de ansiedade teriam maior possibilidade de desenvolver a doença. O segundo responsável para o desenvolvimento de quadro patológico de ansiedade seria o estresse.

Quais os sintomas?

O sintoma principal que caracteriza o transtorno de ansiedade é a constante preocupação ou tensão sem que existam motivos para isso. Há muitos outros sintomas que variam de pessoa para pessoa. Entre eles estão: dificuldade de concentração, fadiga crônica, irritabilidade constante, dificuldade para adormecer e quando o sono chega não é satisfatório, inquietação, tensão muscular, tremedeira, dores de cabeça, dores de estômago, náusea, diarreia, palpitações, sudorese, vômitos e dificuldade respiratória. Os transtornos de ansiedade atingem adultos e também crianças. São mais comuns em mulheres que em homens. Nelas, podem gerar alterações, inclusive, hormonais chegando a suspender os períodos menstruais.

Como fazer o diagnóstico?

Os diagnósticos dos transtornos de ansiedade normalmente ocorrem por exclusão. Com a extensa gama de sintomas, o médico pode realizar exames para descartar outras causas para eles. No entanto, o mais importante é a entrevista realizada pelo profissional de saúde. Ele deve obter do paciente um relato detalhado dos sintomas para não apenas diagnosticar um transtorno de ansiedade, mas também classificá-lo de acordo com a categoria e intensidade.

Qual o tratamento?

De acordo com a classificação do transtorno de ansiedade e de sua intensidade, os médicos podem enveredar por três caminhos no tratamento. Os transtornos mais leves podem ser solucionados com mudanças de hábito na vida das pessoas com o aumento de atividades capazes de ajudar na diminuição do estresse. Iniciar uma rotina diária de exercícios e ampliação os horários destinados ao lazer podem ajudar a reduzir o quadro de ansiedade. A psicoterapia também é utilizada no auxílio ao combate da doença. O uso de medicamentos é outra opção. Antidepressivos e calmantes podem ser utilizados quando necessário. Nada impede que o médico utilize até mesmo as três opções conjuntamente.

Possui uma dúvida concreta sobre Transtornos de Ansiedade? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Transtornos de Ansiedade

Ansiedade é uma emoção complexa, exclusiva do ser humano. Trata-se de uma vivência de apreensão, medo, preocupações e sensações físicas como falta de ar, palpitações, tensão muscular etc. A ansiedade, a princípio, é uma experiência normal e até mesmo saudável! Quando ocorre em intensidade leve, ela é capaz de nos motivar para a ação, de nos energizar e aumentar nossa capacidade de concentração e raciocínio! Por outro lado, a ansiedade pode ser patológica, quando causa grande sofrimento, prejudica o indivíduo em suas atividades ou quando a pessoa deixa de fazer as coisas que gostaria para fugir da ansiedade. Essas características estão presentes nos chamados transtornos de ansiedade.
Dr. Cleberson Galdino
Dr. Cleberson Galdino Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

|

Recife

A ansiedade é uma reação normal do ser humano diante de situações que podem provocar medo, dúvida ou expectativa. No entanto, quando esse sentimento persiste por longos períodos de tempo e passa a interferir nas atividades do dia a dia, a ansiedade deixa de ser natural e passa a ser motivo de preocupação.
Ellen Martins Peiter
Ellen Martins Peiter Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

Rio de Janeiro

A ansiedade passa a ser doença quando afeta o dia a dia do individuo tanto com sintomas físicos - palpitações, suor excessivo, tremor, insônia – quanto com sintomas emocionais – medo excessivo, angustia, preocupação extrema. Fatores genéticos aumentam a probabilidade de ser portador da doença. O tratamento é a base de antidepressivos e ou psicoterapia. Solicito exames laboratoriais que auxiliam a diferenciar ansiedade de outros diagnósticos clinicos. Evito usar benzodiazepinicos ('tarjas pretas'), que a longo prazo podem causar dependencia e prejuízos à memória. Tem cura e o acompanhamento tem abordagem integral, com o objetivo de que o paciente volte à rotina normal
Dra. Vivian Machado
Dra. Vivian Machado Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

|

Rio de Janeiro

A ansiedade se manifesta de diversas formas. Para algumas pessoas, com o tempo, a ansiedade que antes era considerada um traço de personalidade passa a se manifestar de maneira mais intensa, mais limitante, podendo chegar a desencadear crises mais intensas e até mesmo quadros de pânico. A psicoterapia é fundamental para que o paciente aprenda mais sobre como vive essa ansiedade, como ela se manifesta, com o que de sua história de vida ela se relaciona e possa lidar com essas sensações de formas diferentes.
Flávia Pachiega
Flávia Pachiega Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

Curitiba

É cada vez mais comum pacientes me procurarem se queixando de ansiedade...e mais ainda aqueles que já recorreram ao seu médico de confiança ou ao neuro ou psiquiatra para buscar o alívio através de remédios. A questão é que a causa do problema permanece...às vezes por um fator bastante circunstancial outras por coisas que já vem carregando a muito tempo em sua vida. Falar sobre isso ajuda e muito. Encontrar o significado disso é libertador. Experimente buscar ajuda psicoterápica para se sentir melhor. Ser escutado e falar a respeito é um ótimo meio.
Jane Wulff Altschieler
Jane Wulff Altschieler Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

Porto Alegre

Ver mais

Tem perguntas sobre Transtornos de Ansiedade?

Nossos especialistas responderam 147 perguntas sobre Transtornos de Ansiedade.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

O tratamento deve ser feito preferencialmente com os dois profissionais. Os dois profissionais se complementam.

  • 921
  • 1456
  • 1288
Dr. Hugo Leonardo Rodrigues Soares

Psiquiatra

Via e regra após um certo período de tempo de uso de medicamentos ansiolíticos os médicos reduzem a dosagem para avaliar a resposta favorável ou não para o paciente. Ao que parece, sua intensidade de ansiedade reduziu, e por isso ele resolveu reduzir de 20 para 15 mg. Caso continue a mellhor com a dose reduzida a tendência é reduzir ainda mais até a retirada do medicamento, mas não reduza ou retire o Citalopram sem autorização médica. Mesmo após uma provável retirada da medicação você terá que se submeter a consultas periódicas de manutenção para que o médico avalie se deve manter a ausência do medicamento ou voltar a prescrevê-la. Não desconsidere a importância de unir ao Citalopram a psicoterapia. O objetivo da medicação não é ser utilizada para sempre, apenas para a remissão total dos sintomas ou em caso de recaída.

  • 137
  • 168
  • 151
Dr. Sandro César Silvério da Costa

Psicanalista, Psicólogo

Belo Horizonte

Prezado Paciente, A sua pergunta é bastante pertinente, pois grande parte da população desconhece os malefícios causados pelos "suplementos" ou substâncias comercializadas sob o rótulo de "naturais." Antes de mais nada, discuta com o seu médico-assistente sobre a questão exposta, da forma mais direta e clara possível. Eu contraindico o "Tribulus terrestris" para pacientes com TAG (transtorno de ansiedade generalizada"), uma vez que este suplemento pode deflagrar ou agravar os níveis de ansiedade já existentes. Um abraço da Dra. Andrea Della Fávera.

  • Obrigado 2
  • 1 especialista está de acordo
  • 129
  • 106
  • 432
Dra. Andrea Della Favera Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

São Paulo

Marcar consulta

Olá! A melhor indicação é conversar com sua obstetra, por que mesmo ansiolíticos naturais , às vezes não são indicados durante este período. Se tiver possibilidade, procure um psicólogo cognitivo comportamental, com certeza ele ensinará técnicas que irão ajudar você com sua ansiedade , principalmente neste período. Abraços Anelise Mira

  • 25
  • 27
  • 18
Anelise Mira Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

Curitiba

Marcar consulta

Ver as 147 perguntas sobre Transtornos de Ansiedade