Transtornos Psicóticos - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Transtornos Psicóticos

Os especialistas falam sobre a Transtornos Psicóticos

Este é um tratamento bem importante, pois o sofrimento de quem tem este transtorno é muito grande, bem como a família. Escutamos, acolhemos e fazemos uma 'avaliação' de como podemos melhor realizar o tratamento. As vezes é necessário um tratamento conjunto com um médico psiquiátrico, as vezes não. É importante ter uma escuta bem atenta ao paciente e muitas vezes às famílias.
Fernanda Turbat
Fernanda Turbat Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicanalista, Psicóloga

|

Florianópolis

Acompanhamento terapêutico, o que é? Clínica especializada em atendimento a pessoas com dificuldades de manter sua rede de relações com o mundo, sua circulação social e suas atividades cotidianas. Tem como principal característica ocorrer em locais variados podendo ser, serviços públicos, consultas médicas, empresas, bancos, parques, shoppings, supermercados, cinemas e ainda na casa do paciente e/ou familiares e amigos. Indicações de encaminhamento: Abrange todas as idades e gêneros abordando casos como, psicoses, deficiencia física e mental, transtornos de humor, ansiedade, transtornos alimentares, dependência quimica, pacientes pró e pré cirúrgicos, inclusão escolar e outros.
Paulo Magnani
Paulo Magnani Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicanalista, Psicólogo

|

Americana

Tem perguntas sobre Transtornos Psicóticos?

Nossos especialistas responderam 15 perguntas sobre Transtornos Psicóticos.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Bom dia! Ter fantasias e conversar consigo próprio não caracteriza um transtorno psicótico. Conversar consigo mesmo pode até ser muito saudável! :) A partir do momento que você tem clareza do que é fantasiado e do que é real, já não se configura um quadro de psicose - a pessoa que passa por um transtorno psicótico não consegue diferenciar o que é alucinação e delírio daquilo que é real. De qualquer forma, parece que você pode estar um pouco incomodado com algo ligado a essas fantasias e o falar sozinha. Talvez tenha algo te causando um pouco de sofrimento, ou simplesmente você esteja querendo entender quem você é e como você funciona. Uma psicoterapia certamente poderia te ajudar nisso. Um abraço e boa semana!

  • 26
  • 48
  • 26
Diogo Lana Monte-Mór

Psicólogo

Belo Horizonte

O termo psicose tem uma definição muito ampla que abrange diversas doenças mentais. A psicose costuma ser caracterizada por comportamentos antissociais, períodos de agitação e até gravidade. Contumaz ser marcante as idéias fantasiosas ( delirantes) em relação às pessoas ao seu redor. Sim a sua descrição pode ser uma psicose. Na verdade parece fase eufórica ou mista do transtorno bipolar. Obviamente você precisa de uma avaliação médica detalhada e de um tratamento precoce. Quanto mais rápida a remissão dos sintomas melhor o prognóstico e menores são os prejuízos em sua vida. Procure um psiquiatra. Atenciosamente. Dra Camila.

  • 54
  • 93
  • 182
Dra. Camila Passos de Souza Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

Curitiba

Olá! Você não informou a idade de sua neta, mas se for uma criança de tenra idade é compreensível as identificações com personagens em filmes e desenhos. A imaginação infantil não tem limites. Em se tratando de uma questão religiosa, sua fé pode florescer bastante e ela a descreverá como um fato. A princípio com o que informou, não vejo problemas. Precisaria de mais informações se por acaso se tratar de um adulto. Paz e Bem!

  • 255
  • 37
  • 54
Thais Maria Mello Cezar Da Rocha Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

Niterói

Marcar consulta

O melhor nos casos de pacientes com borderline é que sejam companhados principalmente por um psiquiatra e um psicologo. A resistência ao tratamento é algo frequente em pacientes que são diagnosticados com borderline. Uma pessoa que está com borderline normalmente tem uma relação com o seu mundo instável, intensa e tempestuosa, e assim como ele se relaciona com os outros é como ele vai se relacionar com o terapeuta. Além disso, eles também têm uma elevada resistência à mudanças, fazendo assim com que o tratamento seja um desafio tanto para o profissional quanto para o paciente. Tentem conversar quando ele estiver mais "receptivo" e veja se consegue levá-lo pelo menos a uma primeira sessão. No caso disso ser muito difícil, é uma opção ver com os pais dele a possibilidade deles fazerem psicoterapia. Vendo os pais ou alguém muito próximo fazendo terapia, talvez isso faça com que ele fique mais aberto a essa possibilidade, além de ajudar os pais com a situação em que se encontram.

  • 12
  • 15
  • 8
Yasmin Meireles Aragão Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

Fortaleza

Marcar consulta

Ver as 15 perguntas sobre Transtornos Psicóticos