Para que serve Biofenac

Indicações de Biofenac
Doenças reumáticas inflamatórias e degenerativas: artrite reumatóide, espondilite ancilosante, osteoartroses em geral, síndromes dolorosas da coluna vertebral. Reumatismo extra-articular. Crises agudas de gota. Processos inflamatórios e dolorosos de origem não reumática como inflamações que acompanham infecções do ouvido, nariz e garganta desde que o germe causal seja concomitantemente tratado e edemas pós-traumáticos e pós-operatórios, tais como: cirurgia dental, ortopédica ou ginecológica. Cólica renal e biliar. Dismenorréia primária.


Contra-Indicações de Biofenac
A hipersensibilidade ao componente ativo da fórmula constitui contra-indicação para seu uso. Úlcera péptica. Devido à possibilidade de reações de sensibilidade cruzadas, Biofenac não deverá ser administrado a pacientes nos quais o ácido acetilsalicílico ou outros medicamentos inibidores da atividade da prostaglandina-sintetase induzam síndrome de asma, rinite aguda ou urticária, discrasia sangüínea, trombocitopenias, distúrbios da coagulação sangüínea, insuficiência cardíaca, hepática ou renal graves.


Princípios ativos Biofenac

Composição
Cada comprimido contém: diclofenaco sódico 50mg.


Considerações Biofenac

Como Usar (Posologia)
Adultos: recomenda-se iniciar a terapêutica com a prescrição de 100 a 150 mg ao dia. Em casos menos severos, bem como em terapia a longo prazo, 50 a 100 mg são suficientes. A dose diária deve ser prescrita em 2 a 3 tomadas. Na dismenorréia primária, a dose inicial e de 50 a 100 mg ao dia, podendo, se necessário, ser aumentada no decorrer de vários ciclos menstruais até 200 mg/dia. O tratamento deve ser iniciado aos primeiros sintomas e, dependendo da sintomatologia, pode continuar por alguns dias. Os comprimidos devem ser tomados preferencialmente antes das refeições. Crianças: para um melhor resultado, a dosagem para crianças com um ano ou mais, deverá ser ajustada de acordo com a severidade da afecção ou seja, de 0,5 a 2 mg por kg de peso corpóreo diariamente em 2 a 3 tomadas. No tratamento de artrite reumatóide juvenil, a dose diária pode ser elevada até o máximo de 3 mg/kg em doses fracionadas. - Superdosagem: o tratamento de intoxicação aguda com agentes antiinflamatórios não esteróides consiste essencialmente em medidas sintomáticas e de suporte. Não há quadro clínico típico resultante de superdosagem de diclofenaco. As medidas terapêuticas a serem tomadas em casos de superdosagem são: tratamento sintomático e de suporte e deve ser administrado em caso de complicações, tais como: hipotensão, insuficiência renal, convulsões, irritação gastrintestinal e depressão respiratória. Terapias, tais como, diurese forçada, diálise ou hemoperfusão, não são úteis na eliminação de agentes anti-reumáticos não esteróides em decorrência de seu alto índice de ligação a proteínas e metabolismo extenso. Terapias com anti-histamínicos do grupo H1 e H2 e suporte cardiocirculatório são indicados em casos específicos.


Laboratório
Aché Labs. Farms. S.A.
Remédios da mesma Classe Terapêutica A.a.s., Acetofen, Algifen, Alginac, Analgex
Remédios que contém o mesmo Princípio Ativo Alginac, Biofenac Lp, Diclac, Diclac Sr, Fenburil


Precauções
São necessários o diagnóstico preciso e o acompanhamento cuidadoso de pacientes com sintomas indicativos de afecção gastrintestinal, história pregressa de úlcera gástrica ou intestinal, colite ulcerativa, doença de Crohn ou a constatação de distúrbios do sistema hematopoiético ou da coagulação sangüínea assim como portadores de insuficiência das funções renal, hepática ou cardíaca. Se ocorrer eventualmente ulceração péptica ou sangramento gastrintestinal em pacientes sob tratamento, a medicação deverá ser suspensa imediatamente. Recomenda-se cautela no tratamento dos pacientes idosos, levando-se em consideração seu estado geral. Como outros agentes antiinflamatórios não esteróides, durante tratamentos prolongados com Biofenac devem ser realizados, por medida de precaução, exames periódicos do quadro hematológico e das funções hepática e renal. Pacientes que sentirem tonturas ou distúrbios do sistema nervoso central devem ser advertidos para não operarem maquinaria perigosa ou dirigirem veículos motorizados. Biofenac deve ser empregado durante a gravidez quando houver indicação formal, utilizando-se a menor dose eficaz. Pela possibilidade de ocorrer inércia uterina e/ou fechamento prematuro do canal arterial, essa orientação aplica-se, particularmente, aos três últimos meses de gestação. Embora sua substância ativa passe para o leite materno em pequenas quantidades, após dose oral de 50 mg administrada a cada 8 horas, as lactantes sob tratamento não devem amamentar. - Interações medicamentosas: quando administrado concomitantemente com preparações contendo lítio ou digoxina, Biofenac pode elevar a concentração plasmática destes. Alguns agentes antiinflamatórios não esteróides são responsáveis pela inibição da ação de diuréticos da classe furosemida e pela potenciação de diuréticos poupadores de potássio, sendo necessário o controle periódico dos níveis séricos de potássio. A administração concomitante de glucocorticóides e agentes antiinflamatórios não esteróides, pode ocorrer agravamento de reações adversas do sistema gastrintestinal. O tratamento por via oral com dois ou mais antiinflamatórios não esteróides pode acarretar reações secundárias. A biodisponibilidade de Biofenac é reduzida pelo ácido acetilsalicílico e vice-versa quando ambos são administrados concomitantemente. Como precaução, recomenda-se a realização de exames laboratoriais periódicos quando anticoagulantes forem administrados em conjunto para aferir se o efeito anticoagulante desejado está sendo mantido. Ensaios clínicos realizados em pacientes diabéticos mostram que Biofenac não interage com substâncias antidiabéticas de uso oral. Cuidado deve ser tomado quando esta medicação for administrada menos de 24 horas antes ou depois do tratamento com metotrexato, pois a concentração sérica desta droga pode se elevar e sua toxicidade ser aumentada.


Efeitos adversos Biofenac

Efeitos Colaterais de Biofenac
Biofenac é geralmente bem tolerado, ocasionalmente, podem ocorrer epigastralgia, náuseas, vômitos, diarréia, cefaléia, tontura, vertigem, reações exantemáticas, erupções cutâneas. Raros episódios de sangramento gastrintestinal, úlcera péptica, sonolência, distúrbios da função hepática incluindo hepatite com ou sem icterícia, urticária, edema, reações de hipersensibilidade (broncospasmo, reações sistêmicas, anafilactóides e hipotensão). Foram observados casos isolados de úlcera péptica com perfurações, distúrbios colorretais, insuficiência renal aguda, nefrite intersticial, síndrome nefrótica, hepatite grave, distúrbios visuais ou sensoriais, fotossensibilidade, trombocitopenia, leucopenia, agranulocitose, anemia aplástica, anemia hemolítica.


Apresentações de Biofenac

Biofenac Apresentação
Comprimidos laqueados entéricos de 50 mg em blister de 20.


Tem perguntas sobre Biofenac?

  • Pergunte gratuitamente a milhares de especialistas registrados em Doctoralia.
  • Os profissionais especialistas em Biofenac receberão sua pergunta e responderão.

A sua pergunta se publicará de forma anônima.

Nossos especialistas responderam 3 perguntas sobre Biofenac. Estas são as mais populares:

Biofenac és analgésicos?

Resposta de Dr. Gustavo Gomes Resende: Biofenac (diclofenaco) é um anti-inflamatório não...

biofenac afeta os rins?

Resposta de Dr. Dalmo Odilon M. Alves: O uso de anti-inflamatórios por portadores de doen...

Ver as 3 perguntas sobre Biofenac

Últimas mensagens no fórum Biofenac

Não há temas neste fórum. Seja o primeiro!

Gostaria de compartir com outros usuários alguma experiência relacionada com Biofenac? Visite fórum de Biofenac ou inicie um novo tema