Cloroquina - Indicações, posologia, efeitos adversos, perguntas frquentes

Tudo sobre Cloroquina

Para que serve Cloroquina

Indicações de Cloroquina
Tratamento da artrite reumatóide, supressão do lúpus eritematoso e porfiria cutânea tardia, em todas as formas de malária (terçã benigna, terçã maligna e quartã). Indicado ainda no tratamento da giardíase e hepatite amebiana.


Contra-Indicações de Cloroquina
Insuficiência hepática avançada e casos de discrasias sangüíneas.


Princípios ativos Cloroquina

Composição
Cada comprimido contém: difosfato de cloroquina250,0 mg; excipientes: estearato de magnésio, lactose supertablete, P.V.P - K30, álcool etílico, amido de milho, goma arábica e talco. Cada ampola contém (3 ml): dicloridrato de cloroquina 150,0 mg; excipientes: citrato de sódio, metabissulfito de sódio e água para injeção.


Considerações Cloroquina

Como Usar (Posologia)
Comprimido: na artrite reumatóide ou no lúpus eritematoso: de ação cumulativa, só patenteia resultados terapêuticos após uso durante 3 a 4 semanas. Dose inicial: 1 a 2 comprimidos, de preferência às refeições durante 1 a 4 meses. Dose de manutenção: 1 comprimido por dia ou em dias alternados a juízo clínico. Na malária: adultos: dose inicial: 4 comprimidos: 6 a 8 horas depois, 2 comprimidos; no segundo e terceiro dias subseqüentes, 2 comprimidos. Crianças: 0 a 1 ano: 1 comprimido seguido de outro 6 horas depois. Total 0,50 g. De 2 a 5 anos: dose inicial: 2 comprimidos, outro comprimido 8 horas mais tarde. Total 0,75 g. De 6 a 10 anos: 2 comprimidos seguidos de 2 doses de 1 comprimido com intervalos de 8 horas. Total 1,0 g. De 11 a 15 anos: 3 comprimidos como dose inicial, seguidos de 1 comprimidos 8 horas depois, e outro mais nas subseqüentes 24 horas. Total: 1,25 g. Como tratamento supressivo: 2 comprimidos 1 vez por semana. Na giardíase: adultos: primeiro dia: 4 comprimidos, 1 de 4 em 4 horas; segundo dia: 3 comprimidos, 1 de 6 em 6 horas. Crianças até 1 ano: 1/2 comprimido durante 3 dias. De 1 a 3 anos: 1 comprimido durante 3 dias. De 3 a 6 anos: 1 1/2 comprimido durante 3 dias; de 6 a 8 anos: 2 comprimidos durante 3 dias; de 8 a 10 anos: 2 1/2 comprimidos durante 3 dias; de 11 em diante: a mesma dose de adultos. Na hepatite amebiana e no abscesso amebiano: adultos: 4 comprimidos nos 3 primeiros dias, seguidos de 2 comprimidos diários durante 2 a 3 semanas. Crianças: doses proporcionais à idade. Nas formas mais atenuadas de hepatite ou quando associado ao Wintodon, 2 comprimidos por via oral diariamente, durante 2 a 3 semanas. Injetável: deve ser administrado via intramuscular, para o tratamento de crises agudas de malária. Adultos: a dose é de 200 mg a cada 6 horas por 3 dias; crianças: 2 a 3 mg/kg inicialmente repetida, se necessário, a intervalos de 6 horas (máximo 5 mg/kg/24 horas). A via intramuscular somente deve ser usada em crianças quando absolutamente necessário; a injeção deve ser diluída e administrada muito lentamente. Esta via deve ser substituída, tanto em adultos quanto em crianças logo que possível pela via oral. - Superdosagem: o estômago deve ser esvaziado por vômito ou por aspiração e lavagem. A respiração pode requerer assistência e líquidos intravenosos e vasopressores podem ser dados para hipotensão. Cloreto de amônio em dose cerca de 12 gramas diariamente pela boca pode ser dado para a insuficiência da excreção renal. Injeção de lactato de sódio tem sido dado intravenosamente para combater o efeito depressor da cloroquina no coração.


Laboratório
Lab. Kinder S.A.


Precauções
Não deve ser usado durante a gravidez, exceto nos casos em que o tratamento justifiqe o risco. Em crianças a superdosagem pode ser fatal. Em tratamento prolongado é aconselhado a realização de minucioso exame de fundo-de-olho a cada 6 meses, evitando-se a instalação de retinopatia grave e irreversível. O uso em idosos (acima de 65 anos) requer rigoroso acompanhamento médico. - Interações medicamentosas: pode causar trombocitopenia aos tratados com heparina; álcool ou medicamentos hepatotóxicos podem aumentar a incidência de hepatotoxicidade; antiácidos à base de trissilicato de magnésio e produtos contendo caulim + pectina podem reduzir sua absorção; fenilbutazona ou ouro podem causar dermatite; penicilina pode aumentar o potencial para graves reações adversas hematológicas, renais ou epidérmicas.


Efeitos adversos Cloroquina

Efeitos Colaterais de Cloroquina
As reações adversas incluem cefaléia, vômitos, prurido, diarréia, urticária, erupções purpúricas na pele. Efeitos mais severos incluem raros episódios psicóticos, convulsões, hipertensão e colapso cardiovascular, depressão, arritmias, choque, distúrbios visuais, mudanças no ECG, visão dupla.


Apresentações de Cloroquina

  • Cloroquina Apresentação
    Caixa com 60 e 200 comprimidos. Caixa contendo 50 ampolas de 3 ml.


Tem perguntas sobre Cloroquina?

Nossos especialistas responderam 110 perguntas sobre Cloroquina.

Olá. A cloroquina não tem verrugas como efeito adverso. Procure um dermatologista para avaliação.

  • 70
  • 39
  • 109
Dr. Thiago Ferreira Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Reumatologista

São Paulo

Marcar consulta

Nada pode substituir a avaliação médica presencial. É imprescindível, para segurança de sua mãe, que ela seja avaliada o quanto antes por um médico clínico. Esses efeitos citados não são habituais com uso de cloroquina.

  • Obrigado 0
  • 1 especialista está de acordo
  • 299
  • 146
  • 261
Otávio Gomes da Paz Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Internista, Reumatologista

Belém

Marcar consulta

Mesmo pacientes com lúpus podem ter alopecia (queda de cabelos) por diferentes razões e fatores nutricionais e metabólicos devem sempre ser também avaliados, os antimaláricos (incluindo a cloroquina) servem para tratar o lúpus e em geral diminuem a alopecia ao diminuir a inflamação causada pela doença, mas raramente em alguns casos podem provocar piora na alopecia. Importante que seu reumatologista avalie se o lúpus está em atividade para entender se a cloroquina está sendo terapêutica, se está com a dose correta ou se (mais incomum) estaria provocando como paraefeito uma piora na alopecia.

  • 48
  • 20
  • 51
Prof. Ricardo Azêdo de Luca Montes Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Reumatologista

Rio de Janeiro

Olá, acho que como a senhora teve efeitos colaterais com esse medicamento , existem. Outras opções para tratar! Procure um dermatologista e reumatologista para seu tratamento em conjunto! Um abraço

  • 88
  • 13
  • 36
Dra. Danielle Medeiros Rossato Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Dermatologista

Rio de Janeiro

Marcar consulta

Ver as 110 perguntas sobre Cloroquina