Para que serve Dopacris

Indicações de Dopacris
Estados de choque de qualquer natureza: choque cardiogênico pós-infarto, choque cirúrgico, choque hipovolêmico ou hemorrágico, choque tóxico-infeccioso, choque anafilático.


Contra-Indicações de Dopacris
O Cloridrato de Dopamina não deve ser administrada em pacientes com feocromocitoma, ou com hipersensibilidade aos componentes da fórmula.


Princípios ativos Dopacris

Composição
Cloridrato de Dopamina (DCB 0448.02 - 8).................... 5 mg Veículo estéril q.s.p. .................... 1 ml (Veículo: edetato de sódio, metabissulfito de sódio, água para injetáveis)


Considerações Dopacris

Como Usar (Posologia)
O DOPACRIS deve ser diluída antes da administração. A infusão pode ser iniciada com doses de 1-2 mcg/kg/min, sendo aumentadas a seguir, com intervalos de 5-10 minutos até obter os efeitos terapêuticos desejados. Normalmente as doses necessárias ficam em 5-10 mcg/kg/min, podendo em alguns casos chegar aos 15-20 ou mais mcg/kg/min. Após alcançar melhora dos valores pressóricos, da diurese e das condições circulatórias gerais, a infusão deve continuar na dose que demonstrou ser mais eficaz ao paciente. O DOPACRIS contém 50 mg de substância ativa em 10 ml; portanto, adicionando-se 1 ampola em 250 ml de soro fisiológico ou soro glicosado obtém-se uma solução onde 1 ml (20 gotas) contém 200 mcg de substância ativa. Cada gota de solução contém 10 mcg de Cloridrato de Dopamina. No caso de medicar um paciente de 70 kg com uma dose de 5 mcg/kg/min., é necessário administrar uma dose total de 350 mcg/min., ou 1,75 ml da solução correspondente a 35 gotas/min.


Cuidados
O DOPACRIS não deverá ser administrada na presença de taquiarritmia ou fibrilação ventricular. Não se deve adicionar DOPAMINA a soluções alcalinas, tipo bicarbonato de sódio, pois a substância ativa será inativada. Pacientes que estejam sendo medicados com IMAO deverão receber dosagens reduzidas de DOPAMINA porque a DOPAMINA é metabolizada pela MAO e a inibição desta enzima prolonga e potencializa o efeito da DOPAMINA. A dose inicial, nestes casos, deverá ser reduzida até a 1/10 da dose normal.


Informação ao Paciente
O DOPACRIS (Cloridrato de Dopamina) está indicado como medicação de escolha em todos os casos de choque circulatório acompanhados de oligúria sendo que no choque cardiogênico (por infarto do miocárdio), no choque traumático (incluindo o pós-operatório) e no choque tóxico-infeccioso, aumenta rapidamente o fluxo cardíaco e a pressão arterial sem modificar significativamente as resistências periféricas. Além disso, aumenta o fluxo das artérias esplênicas, em particular da mesentérica, o fluxo renal, a filtração glomerular, a diurese e a excreção do sódio. Em razão disso o DOPACRIS distingue-se da epinefrina e norepinefrina. Conservar o produto em temperatura ambiente, entre 15 e 30ºC, protegido da luz. O prazo de validade do produto é de 36 meses a partir da data de fabricação. O produto não deve ser utilizado se, por qualquer motivo, tornar-se mais escuro que levemente amarelado. TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS. NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO; PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE.


Informação Técnica
No homem normal, a infusão desta substância diminui a resistência periférica, e causa vasodilatação mesentérica e renal. O fluxo sanguíneo renal, a taxa de filtração glomerular, o fluxo urinário e a excreção de sódio são aumentadas. A Dopamina também tem efeito direto sobre o coração: o débito cardíaco diminui, mas existe frequentemente pequena alteração na pressão arterial ou na freqüência cardíaca. Os maiores efeitos cardiovasculares são resultado da ação desta substância sobre os receptores adrenérgicos alfa e beta e sobre os receptores dopamínicos específicos nos vasos renais e mesentéricos, a vasodilatação renal e mesentérica não é bloqueada por substâncias bloqueadoras alfa e beta.


Laboratório
Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda.


Precauções
Administrar exclusivamente por infusão intravenosa lenta.


Superdosagem
No caso de administração acidental de uma superdose, evidenciada por uma excessiva elevação da pressão sanguínea, deve reduzir a velocidade de administração ou descontinuar temporariamente a dopamina até que as condições do paciente estabilizem-se. como a duração de ação da dopamina é bastante curta, não há necessidade de cuidados adicionais. caso estas medidas não estabilizem as condições do paciente, usar fentolamina, agente bloqueador alfa-adrenérgico de curta duração.


Uso Na Gravidez
Até o momento, estudos em animais não tem evidenciado efeitos teratogênicos. A droga pode ser usada em mulheres grávidas desde que o julgamento do profissional pese os riscos envolvidos contra os benefícios esperados.


Efeitos adversos Dopacris

Reações Adversas / Colaterais
Efeitos desagradáveis incluindo náuseas, vômitos, taquicardia, batimentos ectópicos, dor precordial, dispnéia, cefaléia e vasoconstrição indicada por aumento desproporcional na pressão diastólica. Ocasionalmente podem aparecer hipertensão e azatermia. Uma vez que a dopamina é metabolizada pela MAO, a dose deve ser grandemente reduzida em pacientes recentemente tratados com substâncias que inibem esta enzima.


Apresentações de Dopacris

Dopacris Apresentação
Caixas contendo 50 ampolas de 10 ml


Tem perguntas sobre Dopacris?

  • Pergunte gratuitamente a milhares de especialistas registrados em Doctoralia.
  • Os profissionais especialistas em Dopacris receberão sua pergunta e responderão.

A sua pergunta se publicará de forma anônima.

Últimas mensagens no fórum Dopacris

Não há temas neste fórum. Seja o primeiro!

Gostaria de compartir com outros usuários alguma experiência relacionada com Dopacris? Visite fórum de Dopacris ou inicie um novo tema