Pondera - Indicações, posologia, efeitos adversos, perguntas frquentes

Tudo sobre Pondera

Para que serve Pondera

Indicações de Pondera
Tratamento da depressão, incluindo as formas graves e as acompanhadas por ansiedade, dos sintomas do transtorno obsessivo compulsivo e para o tratamento dos sintomas da doença do pânico com ou sem agorafobia.


Contra-Indicações de Pondera
Pacientes com conhecida hipersensibilidade à droga ou a qualquer componente do produto. Pondera não deve ser usado concomitantemente com inibidores da MAO.


Princípios ativos Pondera

Composição
Cada comprimido revestido contém: cloridrato deparoxetina 20 mg. Excipiente q.s.p. 1 comprimido. Componentes não ativos: lactose, celulose microcristalina, amido glicolato de sódio, sílica coloidal anidra, estearato de magnésio, hidroxipropilcelulose, dióxido de titânio, polioxietilenoglicol.


Considerações Pondera

Como Usar (Posologia)
Adultos: o tratamento pode ser iniciado com 1/2 comprimido (10 mg) ao dia, ou a critério médico. Se necessário acrescentar 1/2 comprimido (10 mg) ao dia, semanalmente até atingir a dose ideal recomendada, conforme a indicação. Depressão: a dosagem máxima é de 50 mg ao dia. Transtorno obsessivo compulsivo: a dose ideal recomendada é de 40 mg ao dia. A dosagem máxima é de 60 mg ao dia. Doença do pânico: a dose ideal recomendada é de 40 mg ao dia. A dosagem máxima é de 50 mg ao dia. Deve ser administrado em dose única diária, pela manhã, juntamente com alimentação. O tratamento deve ser descontinuado gradativamente. Não é recomendado em crianças e no caso de pacientes idosos, a posologia deve ser iniciada com 1/2 comprimido (10 mg) ao dia, ou a critério médico. Abuso e dependência: até o momento, não existem relatos que evidenciem ser o cloridrato de paroxetina uma droga capaz de causar abuso ou dependência. Superdosagem: uma ampla margem de segurança é evidente a partir dos dados disponíveis. As superdosagem com Pondera demonstraram os seguintes sintomas: náusea, vômito, tremor, pupila dilatada, boca seca, irritabilidade, sudorese e sonolência, mas não coma ou convulsão. Não se conhece um antídoto específico, porém a rápida administração de carvão ativado pode retardar a absorção do cloridrato de paroxetina.


Laboratório
Eurofarma Labs. Ltda.
Remédios da mesma Classe Terapêutica Arotin, Aurorix, Butal Sedin, Cebrilin, Cipramil
Remédios que contém o mesmo Princípio Ativo Arotin, Cebrilin


Precauções
Recomenda-se cautela no tratamento de pacientes com problemas cardíacos, com epilepsia, história de mania ou que estejam em tratamento com anticoagulantes orais. A droga deve ser descontinuada em qualquer paciente que apresente convulsão embora não esteja associada à deterioração das funções cognitiva ou psicomotora. Não deve ser usado durante a gravidez ou em mulheres que estejam amamentando. - Interações medicamentosas: Quando Pondera é co-administrado com uma droga inibidora do metabolismo, o uso da dose mínima deve ser considerado. O uso concomitante de álcool por pacientes deprimidos recebendo Pondera não é aconselhável. A administração de Pondera e lítio deve ser feita com cautela. A co-administração de Pondera e fenitoína não é aconselhada. A co-administração de Pondera com outros anticonvulsivantes também pode ser associada a um aumento da incidência de experiências adversas.


Efeitos adversos Pondera

Efeitos Colaterais de Pondera
Náusea, sonolência, sudorese, tremor, astenia, boca seca, insônia e disfunção sexual (incluindo impotência e distúrbios de ejaculação). vertigem, vômito, diarréia, inquietação, alucinações e hipomania, erupção cutânea, hipotensão postural, movimentos distônicos da face, língua e olhos, boca seca, constipação e sonolência, agitação, tremor, sudorese e confusão foram relatados após descontinuação abrupta do tratamento.


Apresentações de Pondera

  • Pondera Apresentação
    Embalagens com 20 e 30 comprimidos sulcados revestidos.


Tem perguntas sobre Pondera?

Nossos especialistas responderam 161 perguntas sobre Pondera.

Na verdade é indicado para o tratamento da ejaculação precoce. No entanto como inibidor seletivo de recaptação de serotonina pode haver uma queda na libido, ou seja, pode haver perda no interesse sexual. Att.

  • Obrigado 18
  • 1 especialista está de acordo
  • 921
  • 1443
  • 913
Dr. Hugo Leonardo Rodrigues Soares

Psiquiatra

O Pondera é um nome comercial da Paroxetina (Outros nomes comuns são Aropax, Paxil, Praxetina, Cebrilin, Moratus, entre outros) que é uma medicação da família dos ISRS (Inibidores seletivos da receptação de serotonina). É da mesma família que a Fluoxetina, Sertralina, Citalopram, Escitalopram eFluvoxamina. No comprimido, além do sal principal (a medicação em si), existem outros compostos que são utilizados para fabricar o comprimido propriamente dito, mas o efeito químico ativo vem somente da Paroxetina. Um abraço

  • Obrigado 4
  • 1 especialista está de acordo
  • 173
  • 749
  • 1676
Dr. Luiz Henrique Junqueira Dieckmann Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

São Paulo

Alguns estudos mostraram alguns antidepressivos aumentando o risco de suicídio nessa população, principalmente no início do tratamento. Porém, há antidepressivos aprovados e seguros mesmo considerando tudo isso. O Pondera (Paroxetina) é um desses medicamentos recentemente considerados como a ser evitado em crianças e adolescentes pelo FDA (espécie de Anvisa americana). por aumentar o risco de suicídio nessa população, em especial na de adolescentes. Essa foi uma medida publicada há alguns meses. Acredito que a melhor forma seja discutir com o seu psiquiatra a respeito do tratamento e avaliar a real necessidade dessa medicação em relação a outra. Espero ter ajudado. Atenciosamente,

  • Obrigado 1
  • 1 especialista está de acordo
  • 31
  • 24
  • 37
Dr. Luís Guilherme De Oliveira Labinas Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

São José dos Campos

Não, são medicações bem diferentes. O Pondera é um medicamento que possui como princípio ativo a Paroxetina.Trata-se de um antidepressivo da classe dos inibidores da receptação de serotonina. Os antidepressivos são tratamentos para uma séries de patologias como depressão, síndrome do pânico, ansiedade generalizada, TOC, dentre outros. O rivotril por sua vez é a marca padrão do clonazepam, um medicamento da classe dos benzodiazepinicos. Trata-se de um calmante que pode ser utilizado como tratamento auxiliar por um período limitado de tempo, já que seu uso crônico pode levar a dependência, problemas de memória e problemas motores.

  • Obrigado 0
  • 1 especialista está de acordo
  • 12
  • 16
  • 4
Priscila Vilela Silveira Bueno Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

Santo André

Ver as 161 perguntas sobre Pondera