Pondera - Indicações, posologia, efeitos adversos, perguntas frquentes

Tudo sobre Pondera

Para que serve Pondera

Indicações de Pondera
Tratamento da depressão, incluindo as formas graves e as acompanhadas por ansiedade, dos sintomas do transtorno obsessivo compulsivo e para o tratamento dos sintomas da doença do pânico com ou sem agorafobia.


Contra-Indicações de Pondera
Pacientes com conhecida hipersensibilidade à droga ou a qualquer componente do produto. Pondera não deve ser usado concomitantemente com inibidores da MAO.


Princípios ativos Pondera

Composição
Cada comprimido revestido contém: cloridrato deparoxetina 20 mg. Excipiente q.s.p. 1 comprimido. Componentes não ativos: lactose, celulose microcristalina, amido glicolato de sódio, sílica coloidal anidra, estearato de magnésio, hidroxipropilcelulose, dióxido de titânio, polioxietilenoglicol.


Considerações Pondera

Como Usar (Posologia)
Adultos: o tratamento pode ser iniciado com 1/2 comprimido (10 mg) ao dia, ou a critério médico. Se necessário acrescentar 1/2 comprimido (10 mg) ao dia, semanalmente até atingir a dose ideal recomendada, conforme a indicação. Depressão: a dosagem máxima é de 50 mg ao dia. Transtorno obsessivo compulsivo: a dose ideal recomendada é de 40 mg ao dia. A dosagem máxima é de 60 mg ao dia. Doença do pânico: a dose ideal recomendada é de 40 mg ao dia. A dosagem máxima é de 50 mg ao dia. Deve ser administrado em dose única diária, pela manhã, juntamente com alimentação. O tratamento deve ser descontinuado gradativamente. Não é recomendado em crianças e no caso de pacientes idosos, a posologia deve ser iniciada com 1/2 comprimido (10 mg) ao dia, ou a critério médico. Abuso e dependência: até o momento, não existem relatos que evidenciem ser o cloridrato de paroxetina uma droga capaz de causar abuso ou dependência. Superdosagem: uma ampla margem de segurança é evidente a partir dos dados disponíveis. As superdosagem com Pondera demonstraram os seguintes sintomas: náusea, vômito, tremor, pupila dilatada, boca seca, irritabilidade, sudorese e sonolência, mas não coma ou convulsão. Não se conhece um antídoto específico, porém a rápida administração de carvão ativado pode retardar a absorção do cloridrato de paroxetina.


Laboratório
Eurofarma Labs. Ltda.
Remédios da mesma Classe Terapêutica Arotin, Aurorix, Butal Sedin, Cebrilin, Cipramil
Remédios que contém o mesmo Princípio Ativo Arotin, Cebrilin


Precauções
Recomenda-se cautela no tratamento de pacientes com problemas cardíacos, com epilepsia, história de mania ou que estejam em tratamento com anticoagulantes orais. A droga deve ser descontinuada em qualquer paciente que apresente convulsão embora não esteja associada à deterioração das funções cognitiva ou psicomotora. Não deve ser usado durante a gravidez ou em mulheres que estejam amamentando. - Interações medicamentosas: Quando Pondera é co-administrado com uma droga inibidora do metabolismo, o uso da dose mínima deve ser considerado. O uso concomitante de álcool por pacientes deprimidos recebendo Pondera não é aconselhável. A administração de Pondera e lítio deve ser feita com cautela. A co-administração de Pondera e fenitoína não é aconselhada. A co-administração de Pondera com outros anticonvulsivantes também pode ser associada a um aumento da incidência de experiências adversas.


Efeitos adversos Pondera

Efeitos Colaterais de Pondera
Náusea, sonolência, sudorese, tremor, astenia, boca seca, insônia e disfunção sexual (incluindo impotência e distúrbios de ejaculação). vertigem, vômito, diarréia, inquietação, alucinações e hipomania, erupção cutânea, hipotensão postural, movimentos distônicos da face, língua e olhos, boca seca, constipação e sonolência, agitação, tremor, sudorese e confusão foram relatados após descontinuação abrupta do tratamento.


Apresentações de Pondera

  • Pondera Apresentação
    Embalagens com 20 e 30 comprimidos sulcados revestidos.


Tem perguntas sobre Pondera?

Nossos especialistas responderam 178 perguntas sobre Pondera.

Na verdade é indicado para o tratamento da ejaculação precoce. No entanto como inibidor seletivo de recaptação de serotonina pode haver uma queda na libido, ou seja, pode haver perda no interesse sexual. Att.

  • Obrigado 23
  • 1 especialista está de acordo
  • 921
  • 1441
  • 954
Dr. Hugo Leonardo Rodrigues Soares

Psiquiatra

O Pondera é um nome comercial da Paroxetina (Outros nomes comuns são Aropax, Paxil, Praxetina, Cebrilin, Moratus, entre outros) que é uma medicação da família dos ISRS (Inibidores seletivos da receptação de serotonina). É da mesma família que a Fluoxetina, Sertralina, Citalopram, Escitalopram eFluvoxamina. No comprimido, além do sal principal (a medicação em si), existem outros compostos que são utilizados para fabricar o comprimido propriamente dito, mas o efeito químico ativo vem somente da Paroxetina. Um abraço

  • Obrigado 4
  • 1 especialista está de acordo
  • 173
  • 749
  • 1722
Dr. Luiz Henrique Junqueira Dieckmann Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

São Paulo

O Pondera (Paroxetina) é um antidepressivo da classe dos inibidores de recaptação de serotonina. A maioria dos antidepressivos dessa classe tem impacto na libido, na ereção e na ejaculação. Existem também outros efeitos colaterais comuns do Pondera tais quais: náuseas, cefaleia, sonolência, boca seca dentre outros. Os efeitos colaterais são comuns nas primeiras 02 semanas e tendem a melhorar após esse período inicial. Com a suspensão da medicação, o organismo retoma o seu funcionamento normal, não havendo nenhum prejuízo. Atenciosamente, Dra. Daniella M. Medeiros de Sousa

  • 2
  • 0
  • 1
Daniella M. Medeiros de Sousa Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

São Paulo

Caro paciente, a Paroxetina é um remédio da classe dos inibidores da recaptação de serotonina. Todos remédios dessa classe podem alterar a libido, o orgasmo, a ejaculação e disfunção erétil apenas durante o seu uso. A Paroxetina é uma das que mais causa esses efeitos adversos que são mais intenso nas 2 primeiras semanas e tendem a se abrandar e mesmo desaparecer. Também melhora após a sua suspensão Algumas medicações inibidoras de serotonina tendem a causar menos disfunções sexuais, como a Fluvoxamina ou Citalopram, embora também possam causar. Caso essas também lhe causem tais efeitos, há possibilidade do uso da Bupropiona que tem mínima ação na disfunção erétil. Entre em contato com seu psiquiatra para que discutam sobre a possibilidade e necessidade de se trocar o remédio caso os efeitos colaterais estejam deixando inviável o seu uso. Um abraço

  • Obrigado 2
  • 1 especialista está de acordo
  • 35
  • 25
  • 41
Dr. Luís Guilherme De Oliveira Labinas Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

São José dos Campos

Ver as 178 perguntas sobre Pondera