Primidona - Indicações, posologia, efeitos adversos, perguntas frquentes

Tudo sobre Primidona

Para que serve Primidona

Indicações de Primidona
Epilepsia. A primidona, utilizada isolada ou com outros anticonvulsivantes, é indicada no controle do grande mal e nas crises epiléticas psicomotoras e focais. A primidona pode controlar as convulsões do grande mal, refratárias à terapia com outros anticonvulsivantes. Tremor essencial (particularmente em idosos).


Contra-Indicações de Primidona
Porfiria aguda intermitente diversificada ou história pregressa. Hipersensibilidade à droga ou seus metabólitos (fenobarbital e feniletilmalonamida).


Princípios ativos Primidona

Composição
Cada comprimido contém: 100 mg de primidona.Excipientes (celulose microcristalina, lactose, amidoglicolato de sódio, estearato de magnésio, fosfato tricálcico, corante amarelo FD&C) q.s.p. 1 comprimido.


Considerações Primidona

Como Usar (Posologia)
Adultos e crianças acima de 8 anos (dose máxima diária 2 g): anticonvulsivo: 100 a 125 mg/dia, v.o., ao deitar, durante os 3 primeiros dias; aumentar para 100 ou 125 mg, 2 vezes/dia, no 4º, 5º e 6º dias; aumentar para 100 ou 125 mg, 3 vezes/dia, no 7º, 8º e 9º dia; no 10º dia passar para 250 mg, 3 vezes/dia. Ajustar de acordo com as necessidades e tolerância do paciente. Manutenção: 250 mg. v.o., 3 ou 4 vezes/dia. Se necessário, a dose pode ser aumentada até 1500 mg ao dia, em doses divididas. A dose total diária não deve exceder 2 g. Para obter-se o máximo de eficácia, a dose deve ser individualizada. Em alguns casos, deve-se efetuar determinações do nível sérico de primidona, para ajuste de dose. O nível sérico clinicamente eficaz de primidona está entre 5 a 12 mcg/ ml. Tremor essencial dos idosos: nos pacientes com idade avançada pode-se utilizar a primidona em doses até menores do que as utilizadas como anticonvulsivante (10 mg/kg/dia). Para pacientes em tratamento com outros anticonvulsivantes: deve-se iniciar com 100 mg a 125 mg de primidona ao deitar, aumentando gradualmente a posologia até o nível de manutenção, ao mesmo tempo em que se diminui a outra droga. Este esquema posológico deve ser seguido até que se obtenha um nível satisfatório de dose para a combinação, ou até que a outra droga seja retirada. Quando o objetivo for o tratamento somente com primidona, a transição não deve ser feita em menos de duas semanas. Superdosagem: a ingestão de doses elevadas do produto requer imediata hospitalização e controle do paciente. A hidratação vigorosa, com ou sem diurese alcalina forçada é recomendada para facilitar a eliminação, principalmente nos pacientes com risco de desenvolver toxicidade renal.


Laboratório
Apsen Farmacêutica
Remédios da mesma Classe Terapêutica Epelin, Furosix, Gardenal, Hidantal, Lamictal
Remédios que contém o mesmo Princípio Ativo Mysoline


Precauções
Recomenda-se criteriosa avaliação clínica e laboratorial semestralmente, pois geralmente o tratamento se realiza por períodos prolongados. A suspensão da primidona deve ser realizada com a redução gradual da dose a fim de evitar a precipitação do estado epilético. Os pacientes devem ser informados de que a tolerância ao álcool e a outros depressores do SNC pode estar diminuída. Pacientes submetidos à terapia anticonvulsiva prolongada podem necessitar de suplemento de ácido fólico e vitamina D para evitar a osteomalacia. O fenobarbital, um dos metabólitos ativos da primidona, tem grande influência na programação plasmática, nas reações adversas, nas interações e no efeito terapêutico da primidona. O risco/benefício deve ser avaliado em situações clínicas como comprometimento das funções hepáticas e renal, hipercinesia, doenças respiratórias como asma, enfisema ou que envolvem dispnéia ou obstrução. - Gravidez e lactação: evitar na gravidez e durante a lactação. Os efeitos da primidona na gravidez e nos lactentes são desconhecidos. Relatos recentes sugerem uma associação entre o uso de anticonvulsivantes por mulheres com epilepsia e a elevada incidência de má formação em crianças geradas por essas mulheres. Entretanto, uma relação causa/efeito não foi definitivamente estabelecida, pois existe a possibilidade de que outros fatores (como genéticos ou a própria epilepsia) possam ser importantes na gênese da má formação fetal. A situação deve ser cuidadosamente avaliada pelo médico, pois a suspensão da medicação pode precipitar o estado epilético, provocando risco de vida na mãe e no feto. O médico deve ponderar as possíveis situações ao tratar uma mulher epilética em idade reprodutiva. Hemorragia neonatal, com problemas na coagulação, lembrando deficiência de vitamina K, foi descrita em recém-nascidos cujas mães estavam sob tratamento com primidona ou com outros anticonvulsivantes. Gestantes sob tratamento com anticonvulsivantes devem receber como profilaxia, vitamina K1 durante o mês anterior e durante o parto. Há evidências de que a primidona é excretada no leite materno em quantidades substanciais. Recomenda-se a descontinuidade da amamentação nos casos em que a lactante persistir no tratamento com a primidona. - Pediatria: o uso da primidona em crianças pode causar excitação paradoxal. - Atenção e vigilância: evitar funções onde a falta de atenção pode aumentar o risco de acidentes (operar máquinas, dirigir automóveis, etc.). - Interações medicamentosas: o uso com adrenocorticóides (glico e mineralocorticóides), cumarínicos e indandiônicos, contraceptivos orais contendo estrógenos e corticotrofina, pode causar diminuição dos efeitos desses medicamentos, devido ao aumento da biotransformação por indução enzimática da primidona e do metabólito fenobarbital; com álcool e medicamentos depressores centrais: potencializa a depressão central e respiratória; com carbamazepina: diminui o efeito devido ao deslocamento protéico e inibição enzimática; com inibidores da MAO, incluindo furazolidona, procarbazina e selegilina há prolongamento do efeito da primidona devido à sua inibição.


Efeitos adversos Primidona

Efeitos Colaterais de Primidona
Reações mais freqüentes, ataxia e vertigem, que tendem a desaparecer com a continuação da terapia ou com a redução da dose inicial. Reações ocasionais: anorexia, sonolência, reação paradoxal (excitação), náuseas ou vômitos, fadiga, impotência, tonturas, alterações do humor, diplopia, nistagmo e erupções cutâneas morbiliformes. Em alguns casos reações adversas intensas e persistentes podem requerer a interrupção da droga. Reações raras: hipoplasia da série vermelha, aplasia e agranulocitose, que podem obrigar a interrupção do tratamento se forem persistentes ou severas. Foi observada anemia megaloblástica, que responde à administração de ácido fólico, sem a necessidade de descontinuar a medicação. Casos de reações psicóticas agudas têm sido raramente descritos em pacientes utilizando anticonvulsivantes.


Apresentações de Primidona

  • Primidona Apresentação
    Caixas com 100 comprimidos de 100 mg.


Tem perguntas sobre Primidona?

Nossos especialistas responderam 10 perguntas sobre Primidona. Estas são as mais populares:

Meu pai utiliza Primidona, para tremor essencial. Eu não consigo comprar, pois ligo para as farmácias e dizem que não tem . O que posso fazer?

Resposta de Dr. Igor Silvestre Bruscky: Pergunte pelo nome Primid, que é o nome comercial da primidona.

A receita de Primidona é feita na receita azul?

Resposta de Dr. Avelino Missialdes Dutra Junior: Receituário carbonado de controle especial. Só inicie o uso se houver indicação por especialista. como qualquer medicação pode trazer riscos sem indicação precisa!!!

Faço uso da medicação hidantal se por ventura minha medica mudar para primidona haverá alguma mudança brusca no organismo? será que vai suprir a necessidade com a mesma eficácia do hidantal?

Resposta de Willian Rezende do Carmo: Ambos são anticonvulsivantes e ambos dão muitos efeitos colaterais. A Fenitoína (Hidantal) tem uma boa eficácia para crises convulsivas, já a primidona é de baixa eficácia para controles de crises convulsivas. A mudança só será brusca se a troca for feita de maneira brusca. O...

Tenho 38 anos sou cardiopata e tomo anticoagulante também tenho tremor essencial, sabe se eu posso tomar primidona?

Resposta de Dr. Gilmar de Oliveira Dornelas Junior: Recomendo uma avaliação com neurologista para elucidação diagnóstica, ou seja, se o tremor é realmente do tipo essencial, para o correto tratamento. Existem outras opções terapêuticas que podem controlar os sintomas com menos efeitos colaterais.

Ver as 10 perguntas sobre Primidona

  • Pergunte gratuitamente a milhares de especialistas registrados em Doctoralia.
  • Os especialistas recibirão a sua pergunta e responderão.

A sua pergunta se publicará de forma anônima.

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Especialistas relacionados: Neurologistas, Neurocirurgiões