Dr. Ivan Barenboim

Dr. Ivan Barenboim

Psiquiatra

Número de Identificação Profissional: CRM155.444 RQE 53559

Marcação de consultas

Endereço do consultório

Clínica Ohr Psiquiatria

Que dia e hora estão bem para você?

Consultório

1

Opiniões para Dr. Ivan Barenboim

5

Baseado em 45 opiniões

Pontualidade

Atenção

Instalações

Você foi atendido/a por Dr. Ivan Barenboim?

Opinar

O melhor: "Demonstra excelente competência técnica e atenção aos pacientes!"

Poderia melhorar: "Nada digno de nota."

Motivo da visita: Diagnostico

Patricia L. marcou consulta com Dr. Ivan Barenboim em Clínica Ohr Psiquiatria

Marcou consulta na Doctoralia

O melhor: "da simplicidade e clareza como trata o assunto!"

Motivo da visita: Tratamento de alcoolismo

Gisela . marcou consulta com Dr. Ivan Barenboim em Clínica Ohr Psiquiatria

Marcou consulta na Doctoralia

O melhor: "Atendimento gentil, claro em suas explanações, e que inspira muita confiança ."

Motivo da visita: Depressão

Paciente que marcou consulta com Dr. Ivan Barenboim em Clínica Ohr Psiquiatria

O melhor: "Profissionalismo e respeito as diferentes linhas de tratamento. Sua objetividade e assertividade também considero como pontos fortes."

Poderia melhorar: "Até o momento não tenho algum item que considero como oportunidade de melhora."

Motivo da visita: Muito Stress e Ansieda

Glauco P. marcou consulta com Dr. Ivan Barenboim em Clínica Ohr Psiquiatria

Ver as 45 opiniões sobre Dr. Ivan Barenboim

Experiência

Formação

  • Médico Universidade Federal do Rio de Janeiro2008
  • Psiquiatra Escola de Saúde Mental do Rio de Janeiro2012
  • Terapeuta Cognitivo Comportamental Centro de Psicologia Aplicado e Formação2012
  • Certificado em Suporte Avançado de Vida American Heart Association2015

Sobre mim

Número de Identificação Profissional: CRM155.444 RQE 53559


Os Sete Pilares que fundamentam a minha atuação profissional:

1. Avaliação diagnóstica minuciosa. Afinal, antes de resolver quaisquer problemas, é necessário saber o que são, quais são, como são e quantos são. Sendo assim, um detalhe diagnóstico pode fazer uma grande diferença. Dessa maneira, pode ser necessário solicitar alguns exames que muitas vezes são ignorados.

2. Utilização adequada de toda a gama de tratamentos convencionais sejam eles medicamentos, suplementos ou psicoterapias. Temos muitas opções de tratamento à disposição, desde os medicamentos e métodos mais antigos até os mais novos. Para decidir por quais optar e como fazê-lo é necessário saber aplicar os dados científicos a um caso em particular.

3. Abertura para aprender e interesse em aplicar quaisquer técnicas que, embasadas cientificamente, possam beneficiar o paciente. Com isso, o Dr. Ivan passou a usar novos métodos de tratamento comprovados cientificamente que, por diversas razões, ainda são pouco difundidos. Destacam-se os seguintes: tratamento da depressão maior e bipolar com infusões de cetamina, o tratamento do alcoolismo e da dependência química com o método Sinclair e o tratamento de traumas psicológicos e o tratamento da Doença de Alzheimer em estágios iniciais e do declínio cognitivo utilizando o protocolo RECODE

Estas alternativas são muito importantes, uma vez que cerca de 60% das pessoas com depressão não melhoram satisfatoriamente com o tratamento convencional; apenas 15% dos alcoolistas conseguem ficar longos períodos sem beber mesmo quando se submetem a tratamentos complexos, envolvendo internação e alcoólicos anônimos; até agora não havia tratamento eficaz para a Doença de Alzheimer

Por outro lado, as infusões com cetamina ajudam cerca de 70% das pessoas que não melhoram com o tratamento padrão;  o método Sinclair é capaz de recuperar 80% dos alcoolistas e o protocolo RECODE tem taxa de melhora ou reversão de casos de Alzheimer em estágios iniciais de 85%.

Tire suas dúvidas sobre estes tratamentos em meu site: clinicaohrpsiquiatria.com

4. Busca constante pelo conhecimento e atualização em psiquiatria.

5. Em consonância com o paradigma da medicina funcional, o estudo de áreas complementares e ligadas a psiquiatria como a clínica medica, a neurologia, a endocrinologia, a nutrologia, a neurociência, a farmacologia, a psicologia com todas as suas vertentes, a antropologia, a filosofia, a religião e a espiritualidade.

Afinal, o cérebro parece ser o ponto de convergência de tudo o que ocorre no corpo e na mente.

Sendo assim, desde a avaliação até o tratamento, todos estes aspectos são considerados e, muitas vezes, intervenções são feitas. Por exemplo, tanto uma orientação dietética e de suplementação alimentar quanto uma sobre meditação e a busca pelo sentido da vida podem ser dadas.

6. Empatia (capacidade de se colocar no lugar do outro).

7. Preocupação genuína com o sofrimento dos seus pacientes.

Por enquanto, minha publicações científicas são as seguintes:

Rapid cycling bipolar disorder is associated with a higher lifetime prevalence of migraine.(https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26031214)

Psychiatric and clinical correlates of rapid cycling bipolar disorder: a cross-sectional study

(https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/?term=Psychiatric+and+clinical+correlates+of+rapid+cycling+bipol...)

                                                   


Experiência em

Idiomas

  • Português
  • Inglês
  • Espanhol
  • Hebraico

Webs


Serviços

  • Preço
    Preços aproximados para pacientes particulares (sem plano de saúde).
    Dados fornecidos em: julho 2017

Artigos escritos por Dr. Ivan Barenboim

Tratamento da doença de Alzheimer

O protocolo RECODE é um tratamento personalizado da Doença de Alzheimer desenvolvido pelo Dr. Dale Bredesen, um dos maiores especialistas no mundo nesta doença. Este tratamento já ajudou centenas de pessoas a reverterem os sintomas da Doença de Alzheimer em estágios iniciais. O tratamento se baseia no conhecimento da fisiopatologia da doença e na medicina funcional. Inicialmente, é feita uma avaliação completa com entrevista e exames complementares. Depois, é proposto um tratamento personalizado de acordo com os resultados dos exames. A ideia é eliminar todos os fatores que favorecem a neurodegeneração e otimizar todos os fatores neuroprotetores.Visite clinicaohrpsiquiatria.com para entender

Alcoolismo

Graças a pesquisa de um cientista finlandês chamado John David Sinclair, hoje temos a possibilidade de curar cerca de 80% dos casos de alcoolismo, utilizando o método desenvolvido por ele chamado Método Sinclair ou de Extinção Farmacológica. Além do alto índice de resolução, este método de tratamento é mais simples, mais barato e mais seguro, pois ele não acarreta sintomas da síndrome de abstinência. O método é baseado em conceitos de farmacologia e psicologia comportamental e foi testado em estudos clínicos de ótimo padrão. É possível que este método também seja eficaz para tratar outros vícios.

Veja os 3 artigos escritos por Dr. Ivan Barenboim

Respostas de Dr. Ivan Barenboim

5 Respostas

2 Especialistas de acordo

1 Pacientes agradecidos

Dr. Ivan Barenboim está respondendo perguntas que os usuários enviam à Doctoralia.
Descubra mais

As perguntas se enviam das páginas sobre doenças, exames médicos ou medicamentos.

Todos os especialistas da Doctoralia podem responder as perguntas que enviam os usuários.

Não é possível fazer uma pergunta a um médico em concreto.

Muito improvável que o neuleptil cause isso. O mais provável é que ele não esteja funcionando. Converse com o médico do seu filho para decidir a melhor alternativa.

Dr. Ivan Barenboim

Dr. Ivan Barenboim

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

São Paulo

Além de a lamotrigina poder ajudar a estabilizar sua ciclotimia, em alguns casos, ela pode ajudar a melhorar a sua ansiedade. Então, pode ser um caminho. No entanto, é provável que seja necessário aumentar mais a dose antes que você note algum benefício.

Dr. Ivan Barenboim

Dr. Ivan Barenboim

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

São Paulo

Na maioria dos casos como o seu, não ocorre o retorno dos efeitos colaterais.

Dr. Ivan Barenboim

Dr. Ivan Barenboim

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

São Paulo

Ver as 5 perguntas respondidas por Dr. Ivan Barenboim

Fotos

{0}{1}