Rodrigo Puppi

Rodrigo Puppi

Psicólogo

Experiência em: Analista do Comportamento, Terapia Comportamental, Psicologia Clínica, Depressão, Transtornos de Ansiedade

Número de Identificação Profissional: 08/19702

Marcação de consultas

Endereço do consultório

Rua Padre Anchieta, 2540 (Sala 1713) 80730000 Bigorrilho Curitiba

Que dia e hora estão bem para você?

Consultório

1

Opiniões para Rodrigo Puppi

5

Baseado em 3 opiniões

Pontualidade

Atenção

Instalações

Você foi atendido/a por Rodrigo Puppi?

Opinar

O melhor: "Atencioso, interessado e pontual."

Amanda . marcou consulta com Rodrigo Puppi em Rua Padre Anchieta, 2540 (Sala 1713)

Marcou consulta na Doctoralia

O melhor: "Profissional muito capacitado"

Flavia S. marcou consulta com Rodrigo Puppi em Rua Padre Anchieta, 2540 (Sala 1713)

Marcou consulta na Doctoralia

Rodrigo Puppi respondeu a esta opinião

Muito obrigado pelo feedback! Fico contente em poder contribuir pelo meu trabalho!

O melhor: "Pontual, atencioso e muito profissional"

Motivo da visita: Sono ruim

Brunno Z. marcou consulta com Rodrigo Puppi em Rua Padre Anchieta, 2540 (Sala 1713)

Marcou consulta na Doctoralia

Rodrigo Puppi respondeu a esta opinião

Muito obrigado pelo feedback!

Experiência

Formação

  • Graduação em PsicologiaUniversidade Positivo2013

Sobre mim

Número de Identificação Profissional: 08/19702

Psicólogo formado pela Universidade Positivo. Atualmente também estou vinculado como professor no Curso Técnico em Enfermagem da Universidade Positivo, onde leciono disciplinas relacionadas à psicologia geral e aplicada.

Em consultório trabalho com psicoterapia comportamental atendendo crianças, adolescentes e adultos. Os métodos do meu trabalho são fortemente baseados em princípios éticos, científicos e humanos, orientado para um atendimento bastante acolhedor, personalizado, e ao mesmo tempo tecnicamente preciso. Busco constantemente os recursos terapêuticos mais eficazes para auxiliar cada paciente a caminhar em direção a uma vida gratificante de acordo com seus próprios valores e objetivos.

Tenho trabalhado com grande frequência em casos relacionados a depressão, transtorno bipolar, ansiedade, estresse, dificuldades de aprendizagem, desenvolvimento de habilidades sociais, dificuldades de relacionamentos pessoais e profissionais. Além dessas demandas mais frequentes, os benefícios da terapia comportamental não se limitam a uma lista enxuta e podem ser direcionados a inúmeras outras necessidades.

Fique à vontade para entrar em contato para tirar suas dúvidas e conferir a minha disponibilidade de horários para seu atendimento. Até em breve!

Observação: realizo apenas atendimentos particulares, mas com a possibilidade de reembolso por plano de saúde. Essa possibilidade depende das normas especificadas no contrato do seu plano.

Experiência em

Idiomas

  • Português
  • Inglês

Webs

Serviços

  • Preço
    Preços aproximados para pacientes particulares (sem plano de saúde).

Artigos escritos por Rodrigo Puppi

Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH)

O TDAH é um transtorno que descreve comportamentos de impulsividade e desatenção. Embora seja um transtorno onde se procura em primeiro lugar a medicalização como forma de tratamento, a psicoterapia tem se confirmado como a melhor alternativa a longo prazo, pois não se abordam apenas os sintomas do TDAH, mas as causas. O paciente aprende ao longo do tempo a desenvolver estratégias eficientes para lidar com situações onde frequentemente agiria com impulsividade ou a desatenção se manifestaria. Em terapia comportamental se abordam várias atividades práticas de exercício e um trabalho sobre pensamentos e emoções que estão relacionadas a esse transtorno.

Dificuldades no relacionamento

Um dos desafios sempre presentes ao conviver com outras pessoas: frequentemente surgem dificuldades em se relacionar com o outro, seja um cônjuge, um colega de trabalho, um amigo ou familiar. A psicoterapia comportamental pode auxiliar a descobrir como se dão as suas relações em diversos níveis, observando como o paciente se coloca diante do outro, como se sente, como pensa, como o outro reage, quais são os limites de cada um dentro de uma relação. O paciente passa a se conhecer melhor e pode agir com maior assertividade, se adequando com maior flexibilidade às necessidades de cada relação que vive, sempre respeitando seus valores, necessidades e individualidade.

Veja os 4 artigos escritos por Rodrigo Puppi

Respostas de Rodrigo Puppi

87 Respostas

165 Especialistas de acordo

58 Pacientes agradecidos

Rodrigo Puppi está respondendo perguntas que os usuários enviam à Doctoralia.
Descubra mais

As perguntas se enviam das páginas sobre doenças, exames médicos ou medicamentos.

Todos os especialistas da Doctoralia podem responder as perguntas que enviam os usuários.

Não é possível fazer uma pergunta a um médico em concreto.

Em função de estudos (controversos) nos EUA que mencionavam a necessidade de, em média, 12 sessões para resolução de problemas psicológicos, esse passou a ser um número adotado por planos de saúde em geral. Atualmente se questiona muito esse número predeterminado para um trabalho de psicoterapia, em especial em abordagens bem estruturadas como as terapias comportamentais. Cada caso exige uma frequência e duração diferentes, levando em conta as demandas clínicas e também as capacidades e perfil do cliente ao trabalhar essas demandas dentro e fora de psicoterapia. Os números são bastante flexíveis e pode ser que uma pessoa possa ter melhora efetiva em três ou quatro sessões. Já outros casos demandam algumas dezenas de atendimentos para se concluir a alta clínica. Há ainda casos bem específicos que exigem acompanhamento contínuo.

Rodrigo Puppi

Rodrigo Puppi

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo

Curitiba

Existem alguns transtorno que oferecem maiores riscos do que outros, com maior incidência de óbitos. Observe apenas que é preciso distinguir se o óbito foi provocado pelo transtorno em si ou por comportamentos que estejam indiretamente associados a ele. Ex. muitos óbitos são provocados por suicídios relacionados aos transtornos mentais, mas esses transtornos isoladamente não levariam o indivíduo a óbito. Entre os transtornos mentais e comportamentais, dependendo da gravidade, pode-se citar os mais frequentes: depressão, transtorno bipolar (tanto em episódio depressivo ou maníaco/hipomaníaco), transtornos psicóticos (esquizofrenia, tr. esquizoafetivo), transtornos dissociativos (tr. dissociativo de personalidade, tr. de despersonalização/desrealização), anorexia nervosa, bulimia nervosa, transtornos por uso de substâncias (álcool, cocaína, crack, etc.). Os transtornos com riscos não se limitam a esses, mas são os mais frequentes.

Rodrigo Puppi

Rodrigo Puppi

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo

Curitiba

Olá. Há dois profissionais a buscar para um trabalho conjunto nesse caso: o psicólogo e o psiquiatra. Um psicólogo poderá auxiliar você a compreender as causas desses comportamentos compulsivos, bem como compreender esse episódio crítico que você descreve. O papel desse profissional é o de ajudar você não só a compreender os fatores que provocam e elevam a ocorrência desses problemas, mas essencialmente a desenvolver habilidades para efetivamente lidar com esses comportamentos e com as emoções decorrentes deles, sendo um processo com resultados que se mantém a longo prazo. Já o psiquiatra poderá intervir com a medicação necessária para estabilizar seu quadro clínico a curto e médio prazo, ajudando a aliviar os sintomas e permitindo que a própria psicoterapia se beneficie com sua melhor condição inicial. Ambos tratamentos devem ter objetivo de uma alta clínica, onde você idealmente se encontrará com autonomia para lidar com esses mesmos problemas.

Rodrigo Puppi

Rodrigo Puppi

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo

Curitiba

Ver as 87 perguntas respondidas por Rodrigo Puppi

{0}{1}