Arthur Regis Dubrule

Arthur Regis Dubrule

Psicólogo, Terapeuta alternativo

Experiência em: Psicanálise, Psicoterapia Breve, Dependências, Transtornos de Ansiedade, Perturbação de Relacionamentos Conjugais ou Sexuais, Psicoterapia Corporal

Número de Identificação Profissional: 06 / 132300

Consultório

1

Opiniões para Arthur Regis Dubrule

4,9

Baseado em 7 opiniões

Pontualidade

Atenção

Instalações

Você foi atendido/a por Arthur Regis Dubrule?

Opinar

O melhor: "Profissional capacitado e que enxerga mto mais que os problemas ele busca entender o ser humano !"

Poderia melhorar: "Acho que deveria ter mais disponibilidade de horários"

Motivo da visita: Processo de cura

Charles B. marcou consulta com Arthur Regis Dubrule em Rua Purpurina 155, conjunto 126

O melhor: "Muito atencioso, recomendo."

Motivo da visita: Avaliação Psicológica

Paciente que marcou consulta com Arthur Regis Dubrule em Rua Purpurina 155, conjunto 126

Arthur Regis Dubrule respondeu a esta opinião

Agradeço o feedback positivo

O melhor: "Análise criteriosa e aprofundada."

Motivo da visita: Psicologia formativa.

Paciente que marcou consulta com Arthur Regis Dubrule em Rua Purpurina 155, conjunto 126

Arthur Regis Dubrule respondeu a esta opinião

Esperemos que os critérios se adequem a sua subjetividade

O melhor: "Profissional muito atencioso."

Paciente que marcou consulta com Arthur Regis Dubrule em Rua Purpurina 155, conjunto 126

Ver as 7 opiniões sobre Arthur Regis Dubrule

Experiência

Formação

  • Curso de Filosofia Sorbonne Paris2010
  • PsicologiaUniversidade presbiteriana mackenzie 2014
  • Curso de terapia Reichianainstituto Sedes Sapientae2014
  • • Experiência em Acompanhamento Terapêutico com crianças em escola e em casa. Psicologia2015
  • Formando em psicologia formativa com Leila CohnCentro de psicologia formativa2016
  • Participante do grupo de estudos Diálogos formativos Com Denise Passos2016
  • Participante do movimento Guerreiros do CoraçāoCriado pelo psiquiatra Mauro Pozatti2016
  • Curso dos Transtornos do ImpulsoHospital das Clínicas, Ambulatório Integrado dos Transtornos do Impulso 2016
  • Cursando Conflito e SintomaSedes Sapientae2017
  • Psicólogo colaboradorHospital das Clínicas de São Paulo2017

Sobre mim

Número de Identificação Profissional: 06 / 132300

Formado em psicologia pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, estudei e estudo atualmente psicanálise e psicologia formativa como aprofundamentos. Trabalho como colaborador no ambulatório dos Transtornos do Impulso no Hospital das Clinicas. Experiência com casos de dependência comportamentais, como jogo, internet, comida, etc. e uso de drogas. Sou membro do Ambulatório de amor patológico e ciúmes excessivo no Hospital das Clínicas.

Dentro de minha concepção, a análise é a base de qualquer terapia, por contemplar a transferência como nenhuma outra linha, o que permite o acolhimento qualificado do sofrimento na relação analista-paciente.
A linha corporal que uso tem como base filosófica a fenomenologia, onde o corpo somático é inseparável da realidade subjetiva do sujeito. A sua metodologia apoia-se no uso do esforço muscular voluntário para permitir ao paciente organizar e influenciar os seus padrões de organização somático-emocional, o seu estado interno e por consequência, o seu senso de identidade. ​


Falo francês e inglês fluente e entendo espanhol. 

Experiência em

Idiomas

  • Português
  • Inglês
  • Espanhol
  • Francês

Webs


Serviços

  • Preço
    Preços aproximados para pacientes particulares (sem plano de saúde).
    Dados fornecidos em: setembro 2017

Artigos escritos por Arthur Regis Dubrule

Ansiedade

A ansiedade, juntamente com a depressão, é sem dúvida o mal do século. A ansiedade tem inúmeras formas e causas, por isso é importante fazer uma terapia para investigar a função, a causa e a manifestação sintomática dessa ansiedade.
Seguem alguns tipos de Transtornos ansiosos
-ansiedade generalizada: o mais abrangente, nesses casos a resposta a maioria dos eventos rotineiros é ansiosa.
-ansiedade social: relativa ao medo de eventos sociais. O contato com estranhos geralmente é mais temido.
-fobia específica: medo de uma situação em particular, como andar de avião por exemplo.
-ataque de pânico: crise intensa e recorrente de ansiedade que pode durar até 30min.

Angústia

Em sua etimologia, a palavra “angústia” vem do grego “ANGOR”, ou, 'estreitamento'. No latim, encontramos o verbo “ANGERE”, que imprime a ideia de aperto e constrição e também utiliza o prefixo 'ang' – estreitar, oprimir, apertar a garganta. A angústia é exatamente isso, uma constrição no peito e/ou na garganta que nos deixa sem ar e sem perspectiva de melhora. Uma sensação de pânico, medo ou desespero pode acompanhar e agravar a sensação, podendo gerar até uma crise de pânico. A angústia é um sintoma, revela que algo está disfuncional em nosso funcionamento e precisa ser observado e acolhido. A angústia é primitiva no desenvolvimento do ser humano e remete a primeira infância.

Veja os 9 artigos escritos por Arthur Regis Dubrule

Respostas de Arthur Regis Dubrule

3 Respostas

0 Especialistas de acordo

0 Pacientes agradecidos

Arthur Regis Dubrule está respondendo perguntas que os usuários enviam à Doctoralia.
Descubra mais

As perguntas se enviam das páginas sobre doenças, exames médicos ou medicamentos.

Todos os especialistas da Doctoralia podem responder as perguntas que enviam os usuários.

Não é possível fazer uma pergunta a um médico em concreto.

A paralisia do sono é meramente um sintoma de algo que está ocorrendo com o seu corpo a nível inconsciente. Procure fazer uma terapia para investigar que função esse sintoma está cumprindo na sua vida e o que ele está tentando te comunicar. Muito provavelmente o sintoma pode ser novo, mas aquilo que o está causando talvez seja um velho conhecido.

Arthur Regis Dubrule

Arthur Regis Dubrule

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo, Terapeuta alternativo

São Paulo

A dor de cabeça pode estar relacionada com muitos fatores. Porém a dor crônica tende a ser um sintoma que evidencia uma questão subjacente de ordem psicológica, isso caso forem descarta das possíveis complicações de ordem neurológica. Às vezes colocamos toda a nossa energia no pensamento e fazemos uma pressão extrema em nosso corpo, jogando o nosso pulso todo para a área da cabeça. Isso pode gerar uma pressão demasiada na cabeça e causar dores crônicas.

Arthur Regis Dubrule

Arthur Regis Dubrule

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo, Terapeuta alternativo

São Paulo

Interessa-me ante tudo o fato de que tenha escolhido falar da sua vertigem e de seus problemas emocionais em uma só pergunta, até um leigo poderia se perguntar se ambos não estariam conectados.
Interessante seria realizar uma primeira consulta com um psicólogo para fazer uma anamnese detalhada para conectar os pontos entre seus sintomas de vertigem e as suas possíveis causas emocionais. Ou ainda, se for o caso, permitir-lhe ter uma percepção mais apurada de si mesmo, para poder diferenciar possíveis desconfortos de ordem física, de questões emocionais.

Arthur Regis Dubrule

Arthur Regis Dubrule

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo, Terapeuta alternativo

São Paulo

Fotos

{0}{1}