Biopsia da tireóide - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Biopsia da tireóide

Informação sobre Biopsia da tireóide

A biópsia da tireóide ou biópsia incisional aberta é realizada para diagnóstico de câncer. A biópsia da tireóide é realizada sob anestesia geral na sala de cirurgia. Antes do exame é importante informar ao médico sobre alergias, medicamentos, sangramentos ou gravidez. Para a biópsia da tireóide recomenda-se jejum por 8 a 12 horas antes. O paciente recebe anestesia cerca de uma hora antes do procedimento. Normalmente coloca-se um cateter intravenoso (IV) no braço. Administra-se uma mistura de gases anestésicos e oxigênio durante todo o procedimento por meio de um tubo inserido na boca e nas vias respiratórias, que levam ao pulmão. Há dois procedimentos para a biópsia da tireóide. O procedimento com PAAF (punção aspirativa com agulha fina) faz-se com anestesia local. São feito várias laminas que são encaminhadas para diagnostico. Nos últimos anos a biópsia aspirativa de agulha fina vem sendo considerado a mais importante forma de investigação de tumores. É um método minimamente invasivo e de baixo custo. O procedimento com retirada das glândulas por processo cirúrgico, realiza-se também sob anestesia geral. Faz-se uma incisão na base do pescoço e retira-se a glândula tireoidiana para análise. Enquanto o paciente permanece na mesa de cirurgia, envia-se a amostra ao laboratório para ser examinada. Se for constatado um câncer, a tireóide é inteiramente removida. Depois o local da incisão é suturado. Após a biópsia da tireóide o paciente fica sonolento por várias horas. Pode apresentar uma leve dor de garganta devida ao tubo de oxigênio. Também pode haver algum desconforto no local da biópsia.

Possui uma dúvida concreta sobre Biopsia da tireóide? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Biopsia da tireóide

A biópsia da tireóide, termo leigo para a punção aspirativa por agulha fina de um nódulo tireoidiano, é o procedimento que visa elucidar a natureza de uma alteração da tireóide descoberta pelo ultrassom. O procedimento consiste da retirada de células da tireóide por uma agulha, guiado por ultrassom, e posterior avaliação pelo patologista, que irá definir se há ou não malignidade (ou suspeita) na lesão. A PAAF é procedimento seguro, rápido e prático, e de baixo risco, normalmente com pouca dor, e que pode ser realizado em regime ambulatorial.
Dr. Francisco Bomfim
Dr. Francisco Bomfim Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião de cabeça e pescoço

|

Fortaleza

Tem perguntas sobre Biopsia da tireóide?

Nossos especialistas responderam 91 perguntas sobre Biopsia da tireóide.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Ola. A presença de nódulo na tireóide com uma PAAF com Bethesta VI produz uma elevada suspeita de neoplasia maligna da tireoide. Este diagnóstico será confirmado apenas com a retirada da lesão pela remoção cirurgica da tireoide. A realização de uma nova PAAF não anula o achado de uma punção prévia com Bethesda VI. Então, ainda que se realize uma nova punção e mesmo que esta punção não venha sugerindo um tumor de tireoide, habitualmente não se modifica a conduta, pois pode ser que não venha um material adequado. A ausência de linfonodos e os exames de sangue normais não excluem esta possibilidade diagnóstica, mas ajudam em pensar que a cirurgia pode ser muito eficaz para resolver o problema. Sugiro que consulte com um médico endocrinologista e um cirurgiao de cabeça e pescoço para analisar seu quadro e avalie a indicação do tratamento cirúrgico. Melhoras!

  • 138
  • 119
  • 126
Marcos Vinicius da Silva Franca Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Oncologista

Taguatinga

Marcar consulta

Olá, Não é esperado crescimento rápido em nódulos tiroidianos benignos. É necessário melhor caraterização do nódulo bem como detalhes ultrassonograficos.

  • 28
  • 6
  • 13
Dra. Rafaela Fontenele

Endocrinologista

São Paulo

Nódulos tireoidianas devem ser avaliados pelo tamanho e outras características ao ultra-som realizado por um radiologista que seja especialista em tireoide.Alem disso devem ser realizados exames de sangue para avaliar se função da tireoide está normal ou não e se há doença autoimune da tireoide. De acordo com estas características o endocrinologista irá avaliar se será necessário pedir uma punção ou cintilografia da tireoide ou apenas acompanhamento com ultra-som. E além disso abaloara se há necessidade de cirurgia ou não.

  • Obrigado 0
  • 1 especialista está de acordo
  • 30
  • 4
  • 12
Dra. Aline Moreira Nabuco de Oliveira Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Endocrinologista, Médica clínica geral

Rio de Janeiro

O nódulo Bethesda II tem ainda 5% de chance de ser maligno pois as células do nodulo maligno são heterogêneas, podendo algumas ter menos características de malignidade que outras. Provavelmente na segunda punção, foram coletadas células com características de serem provavelmente malignas (Bethesda V), aumentando muito a chance desse nódulo ser de fato maligno. Sendo assim, há indicação de realizar cirurgia para diagnosticar e avaliar risco de recidiva ou de progressao. Converse com seu endocrinologista. Espero ter ajudado. À disposição.

  • 24
  • 19
  • 18
Dra. Marcela Vaisberg Cohen Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Endocrinologista

Rio de Janeiro

Marcar consulta

Ver as 91 perguntas sobre Biopsia da tireóide