Meu marido me proíbe de falar com qualquer pessoa que tem ligação com...

Na verdade, nenhum relacionamento está bem onde um dos parceiros vive acuado, com medo e sob imposições de regras. O casamento, como qualquer tipo de relacionamento, deve ser pautado no respeito e confiança. Se esta não é a realidade que vocês vivem, oriento a procurarem auxílio profissional de um psicólogo, a fim de resolverem estas formas inaceitáveis de convivência.
O casamento deve pressupor o mútuo caminhar rumo a um objetivo, Se não há sincronicidade, é tempo de rever os comportamentos e sentimentos.
Boa sorte e forte abarço

Para que haja uma relação equilibrada, e necessário que o casal respeite um ao outro, que saiba, a princípio o que cada um quer, para si e para o outro.
Que cada um promova seu próprio crescimento pessoal e emocional.
O diálogo é um caminho de possibilidade para trazer as dificuldades apontadas no dia a dia, em relação aos diferentes pontos de vista, valores etc.
Parece inadequada esta forma de convivência.
Cada um deve ser responsável por sua felicidade.
E se não for possível sozinhos encontrar o caminho do equilibrio, do respeito, da compreensão, sugiro procurar a ajuda de um profissional.

Em todo relacionamento sadio existe uma troca, existe uma parceria, respeito e confiança! A pergunta que voe deve fazer a si mesma é: Eu estou fazendo algo errado? Eu me sinto fazendo algo errado? E acho válido uma terapia de casal para que vocês possam falar e se escutar!

Olá, concordando com meus colegas que ressaltaram a importância da convivência com base na CONFIANÇA E NO RESPEITO, como também a excelente sugestão de procurarem psicoterapia, quero ressaltar e sinalizar a necessidade de levar o assunto seriamente no que diz respeito à agressividade do mesmo quando contrariado. Que relacionamento subsiste sem algum grau de discordância?.

Conviver com alguma dissidência em algum momento da história de um relacionamento é necessário, e sem o direito de, nenhuma das partes, apelar para a agressividade (física, verbal, psicológica, etc), o que implicitamente é traduz ameaça.

A relação de casal deve florescer entre iguais, pessoas dispostas a se amarem, se protegerem e se respeitarem, com confiança de que o convívio não se dará sob ameaça ou algum tipo de coerção.

Bom dia! Se esta atitude do seu marido a esta incomodando, oriento que busque o apoio de psicoterapeuta para que possam, como casal, refletir e questionar sobre as premissas deste relacionamento.
Sucesso!

O ato de proibir é muito complicado por ser uma imposição não algo acordado, como simplesmente dizer a você que não gosta, mas não proíbe, pois uma relação não deve se basear em normas e proibições para fluir bem. Tolerando uma ordem e se submetendo você acaba dando abertura para se submeter a outras coisas e deve deixar claro a ele que não tem mais interesse no ex, por isso é ex. Seria interessante a terapia de casal para vocês pensarem a origem desse ciúme, inseguranças, o porque se uniram, e com isso possam se fortalecer como "nós", o casal.

Não há casamento que se sustente sem respeito e sem confiança , mesmo que tenha amor. Sem diálogo e transparência o relacionamento está fadado a situações estressantes.
Seria ótimo uma terapia conjugal para resolverem essa questão de maneira sadia e equilibrada.
Espero ter contribuido.

Olá. Seu marido parece ser muito ciumento e além disso agressivo (e há várias formas de agressão: física, psicológica, emocional, sexual, moral, etc.). Chama-me a atenção a sua pergunta: "É normal esta atitude?". Creio que você se refere a ele, no entanto, ela pode referir a você também, ao fato de você achar que precisa aceitar os comportamentos dele para que o relacionamento de vocês flua bem. Ou seja, é normal uma mulher se submeter ao seu marido? Creio que há muita coisa aí, ainda que sua pergunta tenha sido sucinta. E creio também que você sabe a resposta e que talvez precise apenas encontrar meios de se valorizar e de se respeitar. Um processo terapêutico ou analítico pode te fazer muito bem.

Não há relacionamento saudável que possa existir com uma das partes do casal se submetendo ao outro, por medo de ameaças ou reações agressivas, já que uma relação precisa ser baseada entre outros fatores em confiança, respeito, cumplicidade, amizade, afeto... Uma relação onde uma das partes precisa deixar de fazer algo porque o outro simplesmente tem uma reação desproporcional não está funcionando bem,,, Em casos como esse, não só a terapia de casal é aconselhada para que o casal possa examinar sua relação e seus problemas em um ambiente seguro e mediado por um terapeuta, como também é muito aconselhável que as partes do casal possam empreender processos individuais de psicanálise, onde possam examinar as possíveis questões envolvidas nas razões que os levam a fazer suas escolhas afetivas e possíveis dificuldades nos processos de estabelecimentos de relações de longo prazo.
espero ter ajudado
abraços

Ver as 73 perguntas sobre Terapia de Casal

Perguntas relacionadas

Outras perguntas respondidas por especialistas da Doctoralia:

Tem perguntas sobre Terapia de Casal?

Nossos especialistas responderam 73 perguntas sobre Terapia de Casal.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.