Turbinectomia - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Turbinectomia

Informação sobre Turbinectomia

O que é?

Turbinectomia ou turbinoplastia é uma cirurgia realizada no nariz. Seu objetivo é melhorar a respiração do paciente. A técnica consiste na remoção de parte da estrutura dos cornetos nasais (ossos e cartilagens) da cavidade. Essas conchas podem ampliar-se e causar uma obstrução capaz de prejudicar a respiração. Os cornetos nasais são responsáveis pela filtração, umidificação e o aquecimento do ar que vai para os pulmões. Seu mau funcionamento causa, principalmente, a rinite alérgica. Com sua remoção parcial ou total, os sintomas da doença são sensivelmente reduzidos. A turbinectomia remove parte ou a totalidade dessas conchas abrindo espaço para a circulação do ar e facilitando a respiração. Como é considerada uma cirurgia exploratória, o médico terá que tomar algumas decisões, sem o conhecimento do paciente, durante a realização do procedimento. A cirurgia pode ser feita com anestesia local ou geral e dura aproximadamente meia hora. O paciente deve ficar internado por um ou dois dias após a realização do procedimento. Às vezes há necessidade de colocar um tampão dentro do nariz para evitar sangramento. Esse tampão é removido em até três dias após a realização da operação. O nariz tem três conchas. Uma vez removidas, as conchas nasais não voltam a crescer. Se forem removidas em excesso, há possibilidades de que os pacientes sofram dores de cabeça, secura, hemorragia e desenvolvam até um quadro de depressão.

Qual é a causa?

Dois são os fatores principais que podem modificar a estrutura dos cornetos nasais causando obstruções: infecções e traumas.

Quais os sintomas?

O principal sintoma da obstrução é a dificuldade para respirar. Essa situação conduz a outros problemas: sinusite, dor de cabeça, cansaço, dificuldade para dormir, roncos e nariz entupido.

Como fazer o diagnóstico?

Um exame físico é suficiente para detectar o problema.

Qual o tratamento?

Inicialmente é recomendada a utilização de medicamentos para controlar os sintomas controlando a situação. Só mesmo quando esses remédios não oferecem resultados significativos e os sintomas tornam-se crônicos é que a cirurgia se torna uma opção.

Possui uma dúvida concreta sobre Turbinectomia? Pergunte aos nossos especialistas.

Tem perguntas sobre Turbinectomia?

Nossos especialistas responderam 57 perguntas sobre Turbinectomia.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

O exame de escolha e a videonasofibroscopia, que e realizado no próprio consultório do otorrinolaringologista. O Exame e fácil e rápido .

  • 3
  • 3
  • 1
Dra. Natalie Piai Ravazzi Rapchan

Otorrinolaringologista

Presidente Prudente

Em média, o edema (inchaço) do septo regride em aproximadamente 15 dias, já o edema e formação de crostas dos cornetos pode demorar até 30 dias para melhora completa.É claro que este tempo pode variar de paciente para paciente bem como depende da realização de um correto pós-operatório, principalmente com o uso de soro fisiológico 0,9 ou a 3% nas narinas.

  • 28
  • 20
  • 32
Dr. Frederico Santos David

Medico do Sono, Otorrinolaringologista

Uberlândia

Caro paciente, Suas queixas são, de fato, plenamente compatíveis com o período pós-procedimento descrito e não apontam, em princípio, para nenhum tipo de complicação. Siga as orientações do seu otorrino e não deixe de comparecer às avaliações pós-operatórias. Forte abraço!

  • 477
  • 144
  • 220
Dr. Gustavo Guagliardi Pacheco Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Medico do Sono, Otorrinolaringologista

Rio de Janeiro

Sim, existe. Trata-se, é verdade, de tema de não fácil manejo, em que os resultados nem sempre são dramáticos, seja com o tratamento clínico ou cirúrgico. Convém ter uma avaliação com um experiente e bem versado otorrinolaringologista nas técnicas de cirurgia nasossinusal e que, inclusive, tenha boa vivência no campo de atuação das Rinites Ozenosas ou das Síndromes do Nariz Vazio de origem iatrogênica.

  • 477
  • 144
  • 220
Dr. Gustavo Guagliardi Pacheco Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Medico do Sono, Otorrinolaringologista

Rio de Janeiro

Ver as 57 perguntas sobre Turbinectomia