Abuso de substâncias - Informações, especialistas e perguntas frequentes

Especialistas em abuso de substâncias

Encontre um especialista em Abuso De Substâncias na sua cidade:
Monica Borges Da Costa

Monica Borges Da Costa

Psicólogo

Rio de Janeiro

Ananda Nossa Mendonça

Ananda Nossa Mendonça

Psicólogo

Fernandópolis

Wilson Campos Junior

Wilson Campos Junior

Psicólogo

São José

Ernando Santos de Lucena

Ernando Santos de Lucena

Psicólogo

São Bernardo do Campo

Renata Camargo

Renata Camargo

Psicólogo

Camaquã

Luis Falivene Roberto Alves

Luis Falivene Roberto Alves

Psiquiatra

Campinas

Perguntas sobre Abuso de substâncias

Nossos especialistas responderam a 13 perguntas sobre Abuso de substâncias

 Clarice Lopes Gentilli
Clarice Lopes Gentilli
Psicanalista, Psicólogo
São Paulo
O maior desafio na dependência de benzodiazepinicos é quando a pessoa simplismente não deseja mudar. Não é o seu caso. O ideal é procurar um psiquiatra que te oriente a retirada gradual. A ansiedade…
12 respostas

Boa tarde.
O dependente químico de cocaína não tem essa facilidade de controlar o momento que para o uso de drogas e volta a usar as drogas. Quem tem dependência não consegue…
4 respostas

Olá! A dependência química é uma doença onde deve ser tratada e seguir o tratamento de forma eficaz. Como os colegas acima já mencionaram que a dependência existe uma pré disposição genética…
3 respostas

Especialistas falam sobre Abuso De Substâncias

Para o tratamento de abuso de substâncias, seja álcool, drogas ou cigarro, as sessões são realizadas com base nas experiências de vida do indivíduo que o levaram a tal abuso, realizando uma releitura das situações, acompanhando todo o seu histórico e utilizando a reflexão para auxiliá-lo neste momento. Das práticas que auxiliam esse tratamento há a hipnose, que se mostra muito eficiente no controle do consumo das substâncias.

Tratamento para dependentes de alcool, cocaina, craque dentre outras drogas.

Renato Mota

Psicólogo

Montes Claros


Os transtornos de uso de substâncias se caracterizam pelo uso continuado de uma substância (álcool, tabaco, maconha, cocaína, tranquilizantes, alucinógenos, anfetaminas), apesar de problemas recorrentes devidos ao seu uso. A gravidade do transtorno é variável e é errado acreditar que só tem problema de "vício" quem nunca consegue parar de usar ou quem tem graves prejuízos devido ao uso. A maioria das pessoas consegue parar de usar por períodos mais ou menos longos e a maioria delas continua a desempenhar suas atividades razoavelmente bem - a piora é gradual e as primeiras queixas frequentemente vem de amigos e familiares, incomodados por comportamentos que associam ao uso de drogas.

Recentemente participei do curso do Instituto Fraternal de Laborterapia cujo o tema principal foi sobre o abuso das substancias e a prevenção e orientação sobre o alcoolismo e outras drogas. Enfatizo que atualmente já é comprovado que a utilização de substancias químicas alteram o estado mental dos usuários e para garantir uma melhor qualidade de vida é indispensável o acompanhamento de uma equipe multidisciplinar, com psicólogos, psiquiatras, nutricionistas, entre outros. Estou á disposição caso esteja passando por este sofrimento.

Valéria Medeiros Da Silva

Psicólogo

São Bernardo do Campo

Agendar uma visita

O objetivo do acompanhamento psicológico é prestar assistência preventiva, curativa e de reabilitação, por meio da psicoterapia individual. A intenção é que, a partir do uso de técnicas de prevenção e de recaída, a pessoa consiga atingir a abstinência e, com isso, seja capaz de readaptar-se socialmente, elaborando as suas dificuldades pessoais e tendo consciência das questões relacionadas ao seu vício e a possibilidade de recaída.

Carolina Marins

Psicólogo

São José dos Campos

Agendar uma visita

A dependência química é uma doença que deve ser tratada com a seriedade necessária e seu conhecimento especifico sobre o assunto, já que se deve olhar para aquele adicto da forma mais compreensiva e empática para que juntos possamos encontrar todos os pensamentos que o faz buscar e manter o uso de e substâncias. Para enfim cessar a busca do uso. Transformando assim sua vida e trazendo novas metas para ela.

O tratamento inicial para abuso de substâncias deve ser feito de modo mais intensivo, com consultas semanais para maior suporte por se tratar de um período de vulnerabilidade. Avaliando com mais proximidade, o paciente se sente mais seguro e tem chances muito maiores de sucesso.

A prevenção de recaída baseada em mindfulness (MBRP) é um protocolo complementar de tratamento das dependências químicas, que integra princípios da Terapia Cognitivo-Comportamental e Prevenção de Recaída com práticas de meditação Mindfulness. O modelo foi desenvolvido no Addictive Behaviors Research Center, na University of Washington, nos Estados Unidos. É ideal para quem já fez o tratamento para a adição (que pode ser em drogas, álcool, tabaco, benzodiazepínicos ou compulsão alimentar) e agora quer prevenir uma recaída. Não substitui os tratamentos convencionais, mas ajuda em prevenir recaídas.

Marcia Epstein

Psicólogo

São Paulo


Experiência com clientes que lidam com dependência química/adicção e suporte na recuperação e abstinência. Curso de Arteterapia a partir dos 12 Passos dos Narcótico Anônimos (NA). Atividades e reflexões com os clientes levando em consideração a proposta dos 12 passos e reuniões de AA e NA e o conhecimento dessas abordagens.

Alcoolismo: Quando uma pessoa perde o controle sobre a ação de beber ela se torna objeto da bebida, que perturba a consciência para além do domínio que a pessoa tem de si mesma. Eis a embriaguez em sua forma mais simples, uma leitura sem preconceitos, mas ao mesmo tempo carregada com tintas muito fortes, porque nem todos os que bebem são dominados pela bebida. Entretanto, quando o álcool não é utilizado para aumentar a espirituosidade, mas para incentivar, encorajar ou consolar amargura, ele se torna um poderoso fator de desorganização do sujeito como ser social, isto é, para além de si como indivíduo e de suas relações com os outros.

Sérgio Alexandre Alves Fernandes

Psicanalista, Psicólogo

Belo Horizonte


O abuso de substâncias está relacionado não somente à dependência química, e sim à questões emocionais, psíquicas e por vezes psiquiátricas. Existem casos em que a pessoa utiliza o abuso de substância como forma de tratar-se (estados depressivos, ansiedade, etc.) sem ter consciência disto. Mas não pode-se generalizar, cada caso é um caso e cada pessoa relaciona-se de forma diferente com sua dependência.

Judy Cavenago

Psicólogo

Belo Horizonte

Agendar uma visita

O abuso de substâncias consiste na autoadministração de qualquer droga de forma não aprovada culturalmente e que cause consequências adversas. A condição requer tratamento, tanto farmacológico quanto psicoterápico, buscando as causas e modificando comportamentos.

Uma doença crônica caracterizada pelo consumo incontrolável de substâncias, condicionado pela dependência. O tratamento envolve terapia ou aconselhamento por um profissional de saúde. Um programa de desintoxicação em um hospital ou clínica médica também pode ser uma opção para aqueles que necessitam de mais assistência. Há medicamentos disponíveis que reduzem a vontade de beber

Victor Rosa

Psicólogo

Niterói


Dependência química é uma doença onde precisa ser tratada, é muito importante que a pessoa a qual está em uso abusivo esteja motivada para o tratamento, caso contrario não ira se beneficiar do mesmo. No momento em que o uso esteja prejudicando a sua vida como um todo é importante que procuro um profissional capacitado para trabalhar com questões de dependência química.

Dependências e Vícios. A dependência a uma droga é caracterizada pelo descontrole do indivíduo no uso da substância, que aos poucos o desintegra da sociedade. Com o objetivo de sentir novamente os sintomas de prazer, ou ainda, para eliminar o mal-estar que se sente quando há a interrupção da droga, o indivíduo tende a repetir o uso daquela substância. Nesses casos, a Hipnose Clínica pode combater o ato de fumar agindo diretamente na causa emocional.

A maconha é a droga ilícita mais utilizada nos países desenvolvidos. Dados da ONU estimam que há no mundo entre 140 e 190 milhões de usuários. É uma das mais antigas plantas cultivadas e tem sido usada com finalidade recreativa, religiosa, medicamentosa e até como matéria prima de tecidos. O THC (tetra-hidrocanabinol) é o responsável pelos efeitos psicoativos da maconha. Relaxamento, alterações da percepção (tempo passando de forma mais rápida), olhos vermelhos, boca seca e taquicardia são efeitos esperados após o uso. O consumo da maconha está associado a piora dos sintomas de ansiedade, crises de pânico (bad trips) e a quadros psicóticos.

Guilherme Figueira

Psiquiatra

Niterói

Quais profissionais tratam Abuso de substâncias?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.