Especialistas em Gravidez ectópica

O que é uma gravidez ectópica?

Gravidez ectópica é aquela cujo óvulo é implantado fora da cavidade uterina e, portanto, em um lugar que não está pronto para receber o óvulo fecundado e permitir um maior desenvolvimento. Esta é uma gravidez viável porque, na maioria dos casos, o embrião morre cedo na vida e ainda não se desenvolveu. O local mais comum onde se desenvolve uma gravidez ectópica é a trompa de Falópio, em casos raros, o ovo fertilizado pode ser encaixado nos ovários, colo do útero ou outro órgão dentro da pelve.

Uma vez que apenas a cavidade uterina é preparada para o crescimento e desenvolvimento do óvulo fertilizado, fora do local significa que o desenvolvimento do feto não será possível e pode mesmo pôr em perigo a vida da mãe. De fato, o crescimento do óvulo dentro da trompa de Falópio significa, na maioria dos casos, um aumento do mesmo, mas, uma vez que esta estrutura não está preparada para manter uma gravidez, chega um momento em que ele se rompe, causando sangramento interno para a mulher que, se não for rapidamente diagnosticada e tratada, pode causar a morte.

Gravidez ectópica é conhecida pelo menos desde o século XI, que foi descrito por Abucasis e de seu conhecimento até o final do século XIX, ela foi considerada uma complicação da gravidez, invariavelmente, fatal para as mulheres. Foi em 1888, quando Tait foi capaz de desenvolver um tratamento cirúrgico para este problema de saúde.

O que provoca uma gravidez ectópica?

Em uma gravidez normal, o óvulo é fertilizado por um espermatozóide masculino nas trompas de falópio e de lá ele é transportado para dentro da cavidade uterina onde ocorre nidificação ou a implantação. Este "transporte" é possível por estruturas chamadas "cílios" que têm células no revestimento da trompa de Falópio. Cílios são minúsculos pêlos na parte superior da célula que empurram o ovo através do tubo.

Há um número de "fatores de risco" que fazem algumas mulheres mais propensas a sofrer uma gravidez ectópica:

Salpingite ou doença inflamatória pélvica

Mulheres com história de inflamação das trompas de Falópio (salpingite ou doença inflamatória pélvica) ou ligadura cirúrgica. Inflamação ou trauma resultam na destruição dos cílios que causam a dificuldade em transportar o ovo, que será aninhado no tubo.

Contracepção

Existem também alguns tipos de métodos contraceptivos que poderiam favorecer ou melhor, não protegem contra a gravidez ectópica, como o dispositivo intra-uterino (DIU) ou mini-pílula progesterona.

Técnicas de reprodução assistida

Técnicas atuais de reprodução assistida (indução da ovulação ou fertilização in vitro, FIV) também aumentam o risco de gravidez ectópica, possivelmente relacionados com os níveis hormonais elevados que geram.

No entanto, muitas mulheres que sofrem uma gravidez ectópica não têm nenhum desses fatores de risco mencionados.

Como é que se trata uma gravidez ectópica?

Apesar de os tratamentos atuais o risco de morte materna tem diminuído drasticamente, mas a gravidez ectópica continua sendo a principal causa de morte relacionadas à gravidez no primeiro trimestre de seu desenvolvimento. Isto porque, muitas vezes, a gravidez ectópica é apresentada  "mascarada" com sintomas muito diferentes, tornando-se difícil fazer um diagnóstico precoce.

Os sintomas clássicos da gravidez ectópica incluem:

  • Menstruação atrasada, sintomas de gravidez (náuseas sensibilidade mamária, ...) mesmo com um teste de gravidez positivo, seguido por
  • Sangramento vaginal irregular
  • Dor no baixo ventre.

No entanto, como mencionado acima, muitas vezes não apresentam esses sintomas e o problema é diagnosticado quando uma mulher tem uma hemorragia interna e tonturas e até perda de consciência.

Como o médico diagnostica uma gravidez ectópica?

Para diagnosticar uma gravidez ectópica, numa fase inicial, o ginecologista deve sempre "pensar sobre isso." Atualmente, se a paciente vai à consulta antes da gravidez ectópica pode-se fazer o  diagnóstico por dois testes:

  • A determinação do hormônio da gravidez de sangue chamado beta-HCG sigla, Inglês para gonadotrofina coriônica humana.
  • Ultra-som transvaginal, ou seja, que é realizado através da vagina.

Quando a mulher apresenta os valores deste hormônio do que 1000-1500 UI por litro, você pode ver o saco gestacional pela ultra-sonografia transvaginal. Quando a mulher apresenta os valores deste hormônio para os acima mencionados e não é nenhum saco gestacional no útero, provavelmente estamos lidando com uma gravidez ectópica. Às vezes você pode até ver o saco gestacional fora do útero.

Se houver dúvida sobre o diagnóstico e o paciente está bem, espere 48 horas e repita  os testes de sangue para determinar os níveis hormonais e ultra-som transvaginal.

Qual é o tratamento de uma gravidez ectópica?

Devemos distinguir o caso de uma gravidez ectópica ou não. No caso em que o caso de uma gravidez ectópica, a mulher tem um sangramento interno importante, o tratamento mais comum é a cirurgia aberta, através da realização de uma técnica chamada de laparotomia. Isso envolve fazer uma incisão acima da linha dos pêlos pubianos, remover o tubo que foi danificado e a cavidade pélvica deve ser  limpa do sangue acumulado ali.

Se o diagnóstico é feito a gravidez precoce e gravidez ectópica não está descartada, você pode optar por:

Cirúrgico

Tratamento cirúrgico usando uma técnica chamada laparoscopia, que consiste em fazer uma pequena incisão abaixo do umbigo através do qual introduz um sistema de visão que permite que o interior da cavidade pélvica em uma tela de televisão. Outra pequena incisão é feita acima dos pêlos pubianos, a fim de introduzir os instrumentos necessários para abrir o tubo e para remover a gravidez ectópica.

Tratamento médico

Tratamento médico com um medicamento chamado metotrexato. Esta droga também é usada no tratamento de alguns tumores. Ele funciona impedindo o crescimento de gravidez ectópica que irá diminuir gradualmente de tamanho até desaparecer.

A eficácia de dois tratamentos discutidos é similar. A vantagem da droga é que as mulheres evitam a cirurgia com anestesia.

Qual é o prognóstico de uma mulher que teve uma gravidez ectópica?

O prognóstico para futuras gestações depende de muitos fatores. Geralmente, uma mulher que teve uma gravidez ectópica tem uma chance de 50% de ter uma futura gravidez normal. Mas 20% dessas mulheres novamente tem uma outra gravidez ectópica, e 30% não engravidam novamente, especialmente aquelas cuja trompa foi danificada.

Encontre um especialista em Gravidez Ectópica na sua cidade:

  • João Paulo Mancusi De Carvalho

    João Paulo Mancusi de Carvalho

    Oncologista, Ginecologista
    • Hospital Alber Einstein Morumbi - Avenida Albert Einstein 627 Bloco A1 1°andar Sala 115, São Paulo

      Consultório particular

      Consultório Particular - Rua Oscar Freire 2250 conj 302, São Paulo

      Consultório particular

      Hospital Albert Einstein Perdizes - Rua Apiacás 85 , São Paulo

      Consultório particular

      Centro de Oncologia Hospital Albert Einstein Morumbi - Rua Ruggero Fasano s/n, São Paulo

      Consultório particular

    Medico muito atencioso, dedicado e assertivo e paciente muito satisfeito! Nao poderia ser melhor!!!!
    Disponível em: seg 30 set
    Marcar uma consulta
  • Cristina Moreira Leite Carneiro

    Cristina Moreira Leite Carneiro

    Ginecologista
    • Av Iraí, 300 (cj 1010), São Paulo

      Consultório particular

    Pontos positivos Excelente profissional, já passei por varias ginecologistas e o atendimento da Dra. Cristina é espetacular.
    Disponível em: ter 17 set
    Marcar uma consulta
  • Ana Cecília Gonçalves Job

    Ana Cecília Gonçalves Job

    Ginecologista
    • Alameda Terracota 250 (torre Way Sala 609), São Caetano do Sul

      Clinica Dra. Ana Cecília

      Rua Dr. Alceu de Campos Rodrigues, 229 - Cj 502, São Paulo

      Consultório Particular

    Excelente profissional. Buscava por uma médica no Grande ABC e pela localização e comentários escolhi a Dra. Ana Cecília. Gostei da consulta, das r...
    Disponível em: ter 17 set
    Marcar uma consulta
  • Marcos Renato Dib Andrade

    Marcos Renato Dib Andrade

    Ginecologista
    • CLÍNICA MABELLA. SGAS I 915 N 195/70A SALA 203, Brasília

      Consultório particular

    Muito calmo e atencioso, faz questão de explicar direitinho as dúvidas que temos, super gentil e amigável.
    Disponível em: qua 25 set
    Marcar uma consulta
  • Mara Rubia Ferreira De Santana Moutinho

    Mara Rubia Ferreira de Santana Moutinho

    Ginecologista
    • Av.Jeronimo Monteiro 1690 sl 74- Centro - Shopping da Terra - 2ºandar, Vila Velha

      Consultório particular

    Eu me identifiquei e gostei da dr. Na primeira vez que fui e aí fiquei cliente dela. Eu gosto do tratamento dela!
  • Patricia Carvalho

    Patricia Carvalho

    Ginecologista
    • Rua do Retiro, 605, Jundiaí

      Casa Humanna

    A melhor ginecologista que já fui. Médica diferente, humanizada em todos os sentidos. Chama a atenção o fato de não ter mesa na sala, demonstrando uma...
    Disponível em: qua 18 set
    Marcar uma consulta