Transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (tdah) - Informações, especialistas e perguntas frequentes

O que é TDAH?

O transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (ADHD), também conhecido como transtorno hipercinético e transtorno de déficit de atenção (ADD) é uma doença de crianças e consiste de uma série de problemas de comportamento caracterizado por um padrão persistente de perda cuidados e / ou hiperatividade. Junto com hiperatividade, também pode incluir uma alta impulsividade, agitação, além da falta de atenção e muitas vezes impedem as crianças de aprender e interagir adequadamente com outras crianças ou adultos.

Quem é afetado pelo TDAH?

Estima-se que 1-5% de crianças em idade escolar sofrem de TDAH, Transtorno hipercinético ou ADD, com 3 a 5 vezes mais comum em meninos que em meninas.

Quais são os sintomas de TDAH?

Segundo a Organização Mundial de Saúde, os critérios para o diagnóstico são agrupadas em três grupos principais de sintomas. Enquanto os dois principais grupos de sintomas são hiperatividade e déficit de atenção, um terceiro grupo de sintomas, a impulsividade, deve ser levado em conta. Os sintomas devem persistir por pelo menos seis meses e não deve ser explicável e normal para a idade ou nível de inteligência da criança.

Às vezes os problemas não estão em casa, mas podem ser muito evidente quando a criança vai à escola. Isso pode acontecer quando os pais não percebem que o comportamento do seu filho sai da norma (talvez porque eles tiveram mais filhos, ou ter outras crianças que se comportam de forma semelhante). Também pode ser porque os problemas são ligeiros ou porque a família lidou com a falta de atenção em casa, então não há nenhuma evidência de que é um problema sério ou porque a criança é muito pequena. Nestes casos, é bastante razoável que os pais pensem que seu filho tem um problema de déficit de atenção.

Hiperatividade

Geralmente é alta, de forma inadequada ou têm dificuldade em integrar as atividades de lazer tranquilo. Mostra um padrão de atividade motora excessiva e persistente que não é substancialmente alterado pelas exigências sociais. Levanta-se na sala de aula ou em outras situações em que permanecer sentado é esperado. Mostram-se muitas vezes preocupados com os movimentos das mãos ou os pés ou se remexem na cadeira.

Déficit de atenção

Muitas vezes incapazes de prestar atenção a detalhes ou cometem erros por descuido em atividades escolares ou outras atividades. Muitas vezes é incapaz de sustentar a atenção em tarefas ou jogar. Muitas vezes parece não ouvir o que você diz. Muitas vezes não consegue acompanhar, através de instruções ou acabar tarefas ou deveres (não devido a comportamento de oposição ou incapacidade de compreender instruções deliberada). Incapacidade de organizar tarefas e atividades. Muitas vezes evita tarefas como lição de casa que exijam esforço mental. Com freqüência perde coisas necessárias para tarefas ou atividades, tais como lápis, livros ou brinquedos. Muito facilmente distraídos. Eles são freqüentemente esquecidos de suas atividades diárias.

Impulsividade

Eles muitas vezes choram ou respondem antes de fazer a pergunta. Muitas vezes são incapazes de manter sua vez nas filas, ou em situações de outro grupo. Freqüentemente interrompem ou se intrometem em outros assuntos (por exemplo, interferir em outras conversas ou jogos dos outros). Geralmente falam demais sem restrição de considerações de ordem social.

Que outras doenças devem ser excluídas?

Primeiro você tem que ter em mente que muitas crianças podem ser muito ativas e facilmente distraídas ou têm dificuldade de concentração. Se esses comportamentos são relativamente menores, não deve ser considerado como uma alteração.

Antes de diagnosticar o TDAH, transtorno hipercinético ADD deve ser descartada que a criança tenha qualquer uma das situações abaixo:

  • Convulsões que podem causar sonolencia e afetam seus cuidados. A epilepsia também pode causar um comportamento incomum e levar à percepção anormal.
  • Problemas de audição, tais como surdez ou audição infecções repetidas que podem tornar a criança incapaz de seguir as indicações e parecem desatentos.
  • Lendo os problemas que tornam difícil para completar tarefas ou seguir as instruções.
  • Transtorno obsessivo-compulsivo que levam a estranhos rituais- manter as pessoas ocupadas, seus pensamentos e distrair sua atenção.
  • Doença de Gilles de la Tourette - movimentos espasmódicos repetitivos involuntários do corpo, juntamente com ruídos repentinos ou palavrões.
  • Autismo e síndrome de Asperger, pois isso dá origem a dificuldades na compreensão e uso de linguagem, juntamente com o funcionamento social prejudicado.
  • Períodos prolongados de sono insuficiente, causando falta de concentração.
  • Episódios depressivos.

Que outras dificuldades podem surgir com TDAH?

TDAH costuma aparecer para acompanhar outros problemas e não é a única causa de conduta anormal e comportamento. Crianças podem apresentar crises de birra, distúrbios do sono e falta de jeito. Outros problemas de comportamento que ocorrem com TDAH são:

  • Comportamento de oposição deliberada. A criança perde a calma, argumenta e se recusa a obedecer a adultos e deliberadamente irrita outros.
  • Mudanças comportamentais que ocorrem pelo menos 25% das crianças. A criança pode ser destrutiva ou demonstrar comportamento errado, como mentir repetidamente, quebrando as regras ou roubar.
  • Dificuldades de aprendizagem específicas, como dislexia, ocorrendo em 25 a 30% das crianças.
  • Depressão clínica grave.
  • Transtornos de ansiedade.

Quais são as causas do TDAH?

Ninguém sabe as causas do TDAH, ADD ou transtorno hipercinético. Geralmente surge de uma combinação de fatores psicológicos, biológicos e ambientais.

Fatores Biológicos

  • Temperamento da criança, pois isso influencia a sua atitude e personalidade.
  • Estudos de gêmeos sugerem uma ligação genética para TDAH. 80 a 90% de gêmeos idênticos, onde a pessoa tem TDAH apresenta também o outro. Pesquisas recentes sugerem que há uma boa chance de herdar de parentes do sexo masculino, como avós e tios.
  • Lesão cerebral por trauma de nascimento ou problemas de pré-natal. As estruturas do cérebro que foram pensados ?podem estar ligadas ao desenvolvimento do TDAH e são vulneráveis ??a lesões hipóxico durante o parto. A lesão é causada por oxigênio insuficiente atingindo partes do cérebro, reduzindo o fluxo sanguíneo.

Fatores ambientais

  • Estresse familiar
  • Dificuldades educativas

Como é diagnosticado o TDAH?

TDAH exige um diagnóstico médico, geralmente um psiquiatra ou um pediatra. Muitas vezes não é apropriado a outros profissionais, como psicólogos, fonoaudiólogos e professores a contribuir com suas observações para a avaliação de crianças com TDAH possível.

Não há nenhum teste de diagnóstico para o TDAH, por isso você deve coletar todos os tipos de informações como as seguintes:

  • História de sintomas: a natureza exata das dificuldades, quando notou pela primeira vez, em que situação ocorreu, fatores que agravam ou aliviar.
  • História médica: fatores de risco que podem predispor uma criança com TDAH incluem dificuldades e riscos durante a gravidez e o parto, por exemplo, se a mãe tinha tido a saúde debilitada, era muito jovem ou bebia álcool e fumava. Isto é importante porque há sérias condições médicas associadas com TDAH, como a síndrome do X frágil, síndrome alcoólica fetal, fenilcetonúria ou alterações de hormônio da tireóide. Devem ser considerados: acidentes, operações e condições médicas crônicas, como asma, epilepsia e problemas cardíacos, fígado e rins. Também pode ser relevante qualquer medicação que toma a criança, bem como reações adversas a medicamentos que tiveram no passado.
  • História psiquiátrica passada: perguntar sobre problemas de saúde mental do seu filho pode ajudar a descartar depressão ou ansiedade após os sintomas.
  • História da Educação: Isso indica que o nível de capacidade e as dificuldades que eles têm, como eles funcionam no seu grupo, como eles se dão bem com os professores, e as dificuldades comportamentais, tais como suspensões ou exclusões. Você precisa de uma avaliação mais detalhada da aprendizagem das crianças por um psicólogo.
  • Avaliação do temperamento e da personalidade da criança pode ser necessário para avaliar o temperamento da criança e personalidade, os outros membros da família e da natureza de suas relações dentro da família. Isto irá incluir a discussão dos métodos utilizados pelos pais para controlar o comportamento das crianças e sucesso. Embora isto pareça invasivo, o consultor irá manter-se neutro e os pais não devem sentir que a doença é "culpa".
  • História da família: saúde física e mental dos pais da criança e outros membros da família podem ser importantes, especialmente em relação à incidência de TDAH ou depressão.
  • Avaliação social: as condições sociais da família, como suporte à casa, pobreza, problemas sociais podem ter um impacto sobre o comportamento da criança.

Qual é o tratamento para esses transtornos?

O tratamento depende do diagnóstico preciso da criança e quais os sintomas são proeminentes. Deve levar em conta as dificuldades específicas e essas podem ajudar a melhorar. Medicação sozinha muitas vezes não é suficiente para atender todas as necessidades com ADHD, ADD ou distúrbio hipercinético, muitas vezes é necessário combiná-lo com tratamentos psicológicos para ajudar a modificar o comportamento da criança, para apoiar os pais e melhorar a desempenho escolar.

Técnicas de gestão para pais e professores:

Enquanto a criança é a que sofre, não é fácil viver com uma criança com este distúrbio. Pais e professores são elementos-chave no tratamento e deve estabelecer estratégias para a modificação de comportamento, com um sistema estruturado de recompensas e castigos, sempre com o apoio e aconselhamento de um especialista, seja um psiquiatra, psicólogo ou terapeuta infantil. É essencial que os pais compreendam que a permissividade excessiva não vai ajudar seu filho e em qualquer caso, irá impedi-lo aprender a ser responsável por suas próprias ações. Portanto, não é benéfico isentar completamente destas crianças as tarefas, responsabilidades e regras que se aplicam a outras crianças.

Algumas das seguintes estratégias podem ser úteis:

  • Crie uma rotina diária para a criança, por exemplo, programas de lição de casa, rotinas, hora de ir para a cama e comer.
  • Dê instruções específicas e concretas para a criança e peça as coisas claras e razoável, por exemplo, em vez de dizer a criança a comportar-se, diga calmamente: sugiro você jogar com um determinado brinquedo nos próximos 10 minutos.
  • Estabelecer regras claras e fáceis de entender, por exemplo, o quanto você pode ver TV, e que certos comportamentos são inaceitáveis.
  • Seja consistente no tratamento e manejo da criança.
  • Retire do seu ambiente os elementos que podem distraí-lo de sua rotina diária. Por exemplo, remover brinquedos ao fazer lição de casa ou desligar a TV.
  • Planeje, com a ajuda de um profissional, programas estruturados para aumentar gradualmente o grau de concentração das crianças e sua capacidade de se concentrar em tarefas.
  • Se houver mais de uma criança em casa, comunique-se com cada um delas de cada vez e evite entrar em contato com várias crianças ao mesmo tempo.
  • Use recompensas (como doces, vouchers ou até mesmo dinheiro) de forma consistente e com freqüência para reforçar o comportamento adequado como ouvir os adultos, fazer lição de casa, terminar a refeição sem se levantar, etc.
  • Ignorar completamente a criança ou usar uma série de sanções (como não jogar com a consola de jogos, enviado para seu quarto, assistindo TV ou não) quando seu comportamento é inaceitável ou que tenha ultrapassado os limites. O objetivo é que as crianças gradualmente aprendem a reconhecer qual dos seus comportamentos não são apenas aceitáveis, mas você também vai ficar em apuros. Sob nenhuma circunstância deve recorrer ao castigo físico.
  • É essencial para manter uma boa comunicação e colaboração com a escola ou creche.

Medicação

Embora, como mencionado acima, a medicação muitas vezes não é suficiente em muitos casos é necessário no tratamento desses transtornos. Quando tiver que tomar medicação deve esclarecer que é simplesmente uma ajuda adicional para fazê-los funcionar e se encaixam melhor na escola com outras crianças e adultos. Deve ser tratada rapidamente e eliminar o estigma e preconceitos (por exemplo, se eu tomar essas pílulas é porque eu sou louco).

As drogas mais comumente usadas no tratamento do TDAH são estimulantes do sistema nervoso central, como alguns derivados da anfetamina, sendo o mais amplamente usado drogas metilfenidato (Rubifen). Estes medicamentos são eficazes na redução da hiperactividade e impulsividade e ajuda a melhorar o foco e a concentração da criança. Estas drogas não devem ser utilizadas em crianças menores de 6 anos, pois tem alguns efeitos secundários significativos e devem ser administrados sob rigorosa supervisão médica.

Outras drogas que têm sido utilizados com sucesso no tratamento desses distúrbios são antidepressivos como a fluoxetina, imipramina ou outras drogas que inibem a recaptação da serotonina, ou bupropiona.

Tratamentos psicológicos

As técnicas de modificação de comportamento, tais como as mencionadas acima são essenciais no tratamento do TDAH, TDAH ou transtorno hipercinético e déficit de atenção leves. Outras formas de tratamento psicológico podem ser úteis para terapias específicas que incluem diminuição da ansiedade, terapias melhoradas e terapia de grupo em certas habilidades sociais. Além disso, também precisamos do apoio de aprendizado individual e grupal, visando a melhoria do desempenho escolar e integração.

Qual é o prognóstico?

O curso e progressão dos sintomas é muito variável. Os sintomas podem persistir na adolescência e idade adulta, desaparecer durante a puberdade, ou podem ter uma remissão parcial, de modo a desaparecer, mas persistem hiperatividade de déficit de atenção e problemas de controle de impulsos. Cerca de metade das pessoas afetadas têm uma remissão completa dos sintomas na puberdade, e isso é muito raro antes dos 12 anos. No entanto, um número significativo de pacientes terão problemas que persistem na vida adulta. De facto, 15-20% dos casos os sintomas persistem na adolescência e idade adulta. Neste caso, é muitas vezes acompanhada de outros distúrbios, tais como sintomas depressivos, transtornos de ansiedade, álcool ou outras drogas ou comportamento anti-social.

Especialistas em transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (tdah)

Encontre um especialista em Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) na sua cidade:
Raíssa Paschoalin Palmieri

Raíssa Paschoalin Palmieri

Psicólogo

Maringá

Dayhara Barros

Dayhara Barros

Psicólogo

João Pessoa

Renata Camargo

Renata Camargo

Psicólogo

Camaquã

Luis Falivene Roberto Alves

Luis Falivene Roberto Alves

Psiquiatra

Campinas

Ana Larissa Marques Perissini

Ana Larissa Marques Perissini

Psicólogo, Sexólogo

São José do Rio Preto

Tiago Lenz De Brum

Tiago Lenz De Brum

Psiquiatra

Concórdia

Perguntas sobre Transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (tdah)

Nossos especialistas responderam a 225 perguntas sobre Transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (tdah)

Olá, primeiramente como foi o processo de diagnóstico de TDAH?! Porque em geral, o procedimento correto para o diagnóstico seria o acompanhamento psicológico com finalidade de hipótese diagnóstica,…
1 respostas

Olá !!! Seria fundamental procurar um psiquiatra ou neurologista especializado em TDHA pra saber qual medicação utilizar. A medicação é uma etapa e a psicoterapia é muito importante pro desenvolvimento…
8 respostas

Sim é possível uma criança só apresentar TDA, sem sintomas de hiperatividade. Muitas vezes não se faz necessário a medicação, só com acompanhamento psicoterápico a grandes melhoras. É importante…
4 respostas

Especialistas falam sobre Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH)

Já existem estudos que mostraram diferenças no cérebro de crianças e adolescentes com déficit de atenção. Essa condição faz com que o cérebro não consiga filtrar os estímulos o que acaba fazendo com que não se consiga focar sua atenção no que é importante. Procrastinação ( viver adiando as coisas) , desorganização e impulsividade são alguns dos sintomas do TDAH. Na vida adulta, frenquentemente os pacientes reclamam de não conseguir render no trabalho e se sentem ansiosos, frustrados. Além dos remédios, técnicas de organização, métodos diferentes de estudo e tratamento psicológico ajudam a conviver com o transtorno e melhorar seu rendimento nos estudos e vida em geral.

Denise Leal

Neurologista

Florianópolis


Todos nós temos, em certa medida,desatenções e esquecimentos. Mas a pessoa portadora do TDAH sofre com sintomas que dificultam muito sua vida cotidiana. Normalmente não conseguem se organizar, estabelecer prioridades e focar em suas atividades. O insucesso, pela falta de disciplina e perseverança, faz com que a pessoa se sinta incapaz e tenha uma baixa auto estima. Além do tratamento com medicamentos que melhoram a atenção e a hiperatividade, a análise é fundamental; perceber seus sentimentos,as marcas deixadas pelos fracassos causados pelo transtorno e o lugar psíquico em que a pessoa está aprisionada, são essenciais para uma real mudança e melhora na qualidade de vida.

Deborah Mantovani Machado

Psicanalista, Psicólogo

Belo Horizonte

Agendar uma visita

Com as novas medicações disponiveis para tratamento do TDAH e os novos métodos não farmacológicos os pacientes conseguemter uma vida plena e com qualidade.

Claudio Oppenheimer

Especialista em dor, Neurologista

Brasília

Agendar uma visita

Só quem tem esse transtorno sabe dos prejuízos que vivencia e como tem que "lutar com um leão por dia", como disse alguém. Pessoas com TDAH geralmente são rotuladas como preguiçosas, bagunceiras, desorganizadas, etc. Com certeza, se o cérebro dessas pessoas colaborasse, elas não teriam esses prejuízos. Portanto, é importante fazer uma investigação acurada, até porque os sintomas desse transtorno são encontrados também em outros quadros e, por isso, muitas pessoas ainda fazem tratamento errôneo. Após avaliação, é importante a reabilitação neuropsicológica para ampliação da memória, melhorar no planejamento e organização, etc. A TCC também ajuda bastante e é recomendada (terapia).

Creuza M Salvaterra

Psicólogo

Ipatinga


O TDAH é uma enfermidade crônica que inclui dificuldade de atenção, hiperatividade e impulsividade. Muitas vezes, não diagnosticada de forma precoce pode trazer prejuízos no desenvolvimento escolar, na vida social e no trabalho. Por isso é importante o diagnóstico precoce para iniciar o tratamento que deve ser multidisciplinar.

Tânia Martins Do Carmo

Neurologista, Neurologista pediátrico

Goiânia


No Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade devemos de início identificar os pontos principais que influencia o paciente. A partir disso, trabalhar sua falta de atenção e hiperatividade, de forma separada para não haver confusão. Em uma conclusão, ambos estarão mais equilibrados e mais fáceis de serem controlados; ou seja; tratados. É fundamental que o paciente colabore e se esforce o seu máximo para que junto ao terapeuta, possam ter sucessos com as sessões.

Karime Pinto Rocha Marconcini

Psicólogo

Vitória


O transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) é pouco reconhecido entre adultos, porém é um quadro frequente que leva a prejuízos em diversas áreas, incluindo a acadêmica (colégio, faculdade ou pós-graduação), o trabalho ou as relações pessoais. Sintomas comuns incluem falta de organização, dificuldade em manter a atenção em atividades entediantes, procrastinação (sempre adiar as coisas que precisa fazer), iniciar várias atividades, mas não concluí-las, impulsividade e inquietação. O tratamento envolve o uso de psicoestimulantes e terapia cognitivo comportamental.

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e freqüentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade. Ele é chamado às vezes de DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção). Em inglês, também é chamado de ADD, ADHD ou de AD/HD.

Rodrigo Koroviski

Psicólogo, Psicopedagogo

Ponta Grossa


É preciso distinguir déficit de atenção de outros transtornos na infância, muitas vezes estão envolvidos em dificuldades de aprendizagem, instabilidade emocional, impulsividade e passam desapercebido na escola ou supervalorizados com excesso de medicação. O diagnóstico bem feito e a terapêutica bem seguida pode complementa.r o suporte psicopedagógico

O TDAH vêm sendo amplamente discutido pelo aumento da taxa de diagnósticos realizados. Muitas vezes sem necessidade de um rótulo ou medicação, um profissional preparado estará atento aos casos em que pode ser realizado um trabalho diferenciado.

Mayara Souza

Psicanalista, Psicólogo

Curitiba

Agendar uma visita

O TDAH é um transtorno que descreve comportamentos de impulsividade e desatenção. Embora seja um transtorno onde se procura em primeiro lugar a medicalização como forma de tratamento, a psicoterapia tem se confirmado como a melhor alternativa a longo prazo, pois não se abordam apenas os sintomas do TDAH, mas as causas. O paciente aprende ao longo do tempo a desenvolver estratégias eficientes para lidar com situações onde frequentemente agiria com impulsividade ou a desatenção se manifestaria. Em terapia comportamental se abordam várias atividades práticas de exercício e um trabalho sobre pensamentos e emoções que estão relacionadas a esse transtorno.

TDAH ou Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade é caracterizado por vários problemas relacionados à falta de atenção, hiperatividade e impulsividade. Estes problemas são causados por alterações no desenvolvimento de algumas áreas cerebrais que funcionam mais lentamente, causando a dificuldade.

Andeli Della Aversana

Psicólogo

Barueri


Este sintoma é sinal evidente que somos dominados por pensamentos que invadem nossa mente. Esquecemos que a mente é um orgão que esta a nosso serviço, e não nós a serviço dela. Precisamos desenvolver a capacidade de observar o que se passa na mente e escolher o que pensar, o que é lixo, o que é para agora e o que é para depois. Anotar o que precisa ser pensado mais tarde, e descartar o que é fútil. Nossa mente é análoga ao carro. Imagine que você quer ir para a praia e o carro te leva ao bar! Da mesma forma, ao sermos invadidos por pensamentos somos arrastados a lugares e situações que não desejamos; como se o motorista fosse dirigido pelo carro ao invés de dirigi-lo.

Léa Michaan

Psicanalista, Psicólogo

São Paulo

Agendar uma visita

A Ansiedade é uma angustia. Faz parte de uma estrutura neurótica. Pelo referencial teórico de Lacan. Compromete a concentração. Ansiedade significa medo. O sujeito torna-se refém do objeto desejante. O sujeito vai fazendo muitas coisas sem pensar. Angustias somáticas, sudoreses dores de cabeça e dores nas articulações são sintomas da ansiedade, que leva o sujeito ao nível muito alto de estresse. Na Clinica TDAH de crianças tenho priorizado a escuta dos pais.Os resultados tem sido gratificantes. Ansiedade se trata pelo redimensionamento da relação do sujeito com o desejo, na contemporaneidade, reduzindo a captação desse desejo cada vez mais. Também aparecem sentimentos de culpa.

Sonia Maria Leite Quezada

Psicanalista, Psicólogo

Fortaleza

Agendar uma visita

Pessoas com TDAH o cérebro não produz certas substancias químicas necessárias para garantir um funcionamento eficaz no desempenho das funções executivas, da própria autonomia e rotina, gerando sofrimento para a pessoa e para o ambiente onde está inserido. ter informações sobre o TDAH será um diferencial, contudo, investir no tratamento é essencial para compreender suas dificuldades e com isso elaborar estratégias para uma vida mais saudável. 1. Acompanhamento Psiquiátrico associado ao Psicólogo; 2. Avaliação Neuropsicológica para identificação completa do diagnóstico e da necessidade de outros profissionais; 3. Treino de Habilidades Sociais/reabilitação; 4. Reavaliação do processo.

Rosangela Fatori

Psicólogo

Ribeirão Preto


O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e freqüentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade. Para se obter um diagnostico preciso é fundamental uma Avaliação Neuropsicológica, para investigar todas as funções cognitivas envolvidas,considerando as questões comportamentais como critérios para diagnóstico e manejo do tratamento a ser proposto para proporcionar ao paciente melhor qualidade de vida.

O primeiro passo é ter certeza de que os sintomas de desatenção e hiperatividade estejam presentes desde a infância, que atrapalhem muitas áreas de vida diferentes e que não decorram de um problema emocional como ansiedade e depressão. A medicação pode melhorar bastante os sintomas, mas pode não ser suficiente para desfazer estratégias que a pessoa usou a vida inteira para compensar os sintomas. É importante ajudar a lidar com a procrastinação (deixar tudo pra depois), com a dificuldade de organizar tarefas e cumprir uma agenda. Técnicas comportamentais ajudam a quebrar tarefas em pedaços pequenos, a priorizar e gerenciar estudo e trabalho. O Auto-Conceito Negativo precisa ser questionado.

Fábio Fonseca

Psiquiatra

Campinas


É na infância que os sintomas podem ser identificados, muitas vezes são as escolas que percebem os primeiros sinais, a falta de interesse é identificada por profissionais da educação junto com a falta de atenção nas atividades desenvolvidas, inquietude e impulsividade. Para um diagnóstico preciso é aconselhável que a criança passe por um especialista para que esse possa pensar nos próximos passos rumo a um tratamento mais adequado.

Daniel Rodrigues Da Silva

Psicanalista, Psicólogo

Araraquara

Agendar uma visita

O TDAH caracteriza-se pela presença de sintomas de hiperatividade, impulsividade e desatenção em diferentes contextos e ao longo da vida. A hiperatividade e impulsividade são percebidas naquelas crianças que quase sempre estão "a mil", não conseguem ficar paradas ou esperar sua vez e sentem necessidade de estar constantemente se movimentando. Vivem correndo, escalando objetos e fazendo muito barulho. A desatenção se reflete na dificuldade em prestar atenção nas coisas, com problemas na aprendizagem, erros por descuido e esquecimentos rotineiros. Parecem estar no mundo da lua". Há necessidade de tratamento quando os sintomas trazem prejuízos ou sofrimento.

Dennison Carreiro Monteiro

Psiquiatra

Recife


Caracteriza-se por sintomas de desatenção, hiperatividade e impulsividade, que ocorre pelo menos seis meses e que geram prejuízos significativos em pelo menos dois ambientes (casa, escola).

Táila Menegate

Psicólogo

São Gonçalo

Agendar uma visita

Trata-se de um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância, podendo acompanhar o indivíduo por toda a sua vida, inclusive, na fase adulta. Este transtorno é caracterizado por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade, manifestando-se na vida pessoal, acadêmica e social do paciente, por isso, o diagnóstico realizado com a ajuda de profissionais ligados à área (psicopedagogo, psicólogo e neurologista) pode auxiliá-lo na descoberta de diferentes formas de conviver com este transtorno, possibilitando ao paciente uma considerável mudança na qualidade de vida.* Fazemos orientação aos pais para os devidos encaminhamentos ,tratamento e acompanhamento psicológico.

Monica Campelo

Psicólogo, Psicopedagogo

São Paulo

Agendar uma visita

Transtorno mental geralmente iniciado na infância. O indivíduo apresenta dificuldade para manter a concentração em tarefas difíceis, ou monótonas (fazer tarefas escolares, prestar atenção à aula), além de se mostrar inquieto, (escala, corre, não permanece sentado), impulsivo para falar e agir. Tais sintomas podem provocar problemas na escola, em casa, ou no trabalho, uma vez que 40% dos pacientes mantém os sintomas na vida adulta.

Luiz Márcio Alves De Ávila

Psiquiatra

Florianópolis


O transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH),é uma doença neuropsiquiátrica crônica que em geral se caracteriza por 18 sintomas sendo 9 deles relacionados à desatenção; 6 à hiperatividade; e 3 à impulsividade.Sendo classificados em 3 sub-tipos; predominantemente desatento; predominantemente hiperativo, e o mais comum é o combinado desatento mais hiperatividade. As causas do TDAH não são completamente conhecidas, entretanto os estudos apontam para a necessidade de uma combinação de fatores ambientais, genéticos e biológicos. Seu diagnóstico é predominante clinico e requer tratamento medicamentoso e psicoterápico.

Iara Maria Alves Pereira

Psicólogo

Osasco


Por mais incrível que pareça, o TDAH pode estar presente em uma significativa parcela de pessoas que sofrem de outros transtornos psiquiátricos, fato que contribui para piorar ainda mais o sofrimento destes pacientes. Muitos grupos influentes na Sociedade são contrários ao uso de medicamentos para o TDAH. No entanto, ao contrário do que diz a opinião e ideologia destes, há comprovação científica de que o tratamento por remédios é eficaz e de extrema importância. É claro que, em conjunto com o uso do medicamento, é de igual importância um tratamento multidisciplinar que leve em consideração os estresses a que são submetidas estas pessoas.

Pedro Henrique Costa Meneses

Psiquiatra

Vitória


Faco entrevista com os solicitantes, anamnese, testes adequados qualitativos, identificação de comorbidades, tal como TOD e intervenções em consultório, junto à escola e à família, buscando a promoção do equilíbrio e adaptação de ambos junto à pessoa que tem TDA com ou sem Hiperatividade. O sigilo psicoterapeuta/paciente é respeitado em todos os atendimentos.

Marcia Kelen Moscatelli

Psicólogo, Psicopedagogo

Sorocaba


Avaliação neuropsicológica para transtorno de déficit de atenção. Atendimento psicológico de apoio a criança, pais e escola. Atendimento psicológico as dificuldades de aprendizagem decorrentes da falha na memorização e atenção. Reabilitação Neuropsicológica para funções de atenção e memória.

Leidiane Rosa Da Silva

Psicólogo, Psicopedagogo

Goiânia

Agendar uma visita

(TDAH), é um transtorno de ordem neurológica, que aparece na infância, e acompanha o indivíduo até a fase adulta. Principais sintomas são adesatenção, a hiperatividade e a impulsividade, que comprometem o desempenho acadêmico devido a dificuldade de concentração, o relacionamento familiar e social do indivíduo. O tratamento psicoterápico busca estruturar e orientar o indivíduo, de forma objetiva, a melhorar a desorganização, a auto-estima, a autopercepção e o sentimento de inadequação e incapacidade, melhorando a qualidade de vida do paciente.

Lúcia Dornelas Cavalcante

Psicólogo

Recife


Esse transtorno é conhecido pelo senso comum “criança agitada” que não “para quieta” dentre outros adjetivos. O TDAH tem como característica essencial um padrão persistente de desatenção e/ou hiperatividade. Porém os sintomas não são claros e de fácil identificação. Sendo o TDAH o mais comum dos transtornos emocionais, cognitivos e de comportamento na infância, trata-se de um transtorno multifatorial e pode acometer tanto meninas como meninos. Mas tem prevalência maior nos meninos. Nem sempre a hiperatividade e a desatenção estão presentes, podendo estar apenas à desatenção presente em alguns casos. Procure ajuda psicológica.

A criança diagnostica com TDAH, necessita de acompanhamento psicoterápico. É comum apresentar baixa estima, ansiedade, dificuldades de cumprir regras e normas. O curso do transtorno é percebido ainda na infância, na fase pré escolar, as intervenções devem ser o mais precoce possível para minimizar perdas sócio educativas.

O TDAH se inicia na infância mas passa muitas vezes despercebido, gerando intenso sofrimento na vida adulta. Dificuldade para manter atenção principalmente em questões que não trazem recompensa imediata,desorganização, começar e não terminar projetos, inquietação, dificuldade de esperar sua vez, impulsividade (querer tudo na mesma hora) podem ser sintomas do TDAH Importante a avaliação por predispor a redução da auto estima, menor grau de escolaridade, episódios depressivos, aumento do risco de dependência de drogas psicotrópicas dentre outros prejuizos. Tratamento correto tende a reduzir de forma drástica estes sintomas e prejuízos.

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e freqüentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, hiperatividade e impulsividade. Na fase adulta pode costumam ter dificuldade de organizar e planejar suas atividades do dia a dia. O Tratamento do TDAH deve ser uma combinação de medicamentos, orientação aos pais e professores, além de técnicas específicas que são ensinadas ao portador. A psicoterapia que é indicada para o tratamento do TDAH chama-se Terapia Cognitivo Comportamental.

O TDAH é um dos problemas neuropsiquiátricos mais comuns. A doença começa na infância, mas 1/3 das crianças mantém os sintomas quando adultos. É em grande parte genético, encontrado em cerca de um em cada 25 adultos. O TDAH leva à prejuízo no desempenho e nos relacionamentos. Alguns sintomas são: esquecimentos frequentes, dificuldade em finalizar tarefas demoradas e complexas, impulsividade, impaciência, flutuações de humor, distraibilidade, procrastinação, entre outros. Alguns estudos mostraram que adultos com TDAH não tratado têm mais acidentes de trânsito, mais desemprego, menor desempenho acadêmico e maior risco de abuso de drogas. O tratamento é efetivo e principalmente medicamentoso.

Helton Cavalcanti

Psiquiatra

Recife


O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico que aparece na infância e que na maioria dos casos acompanha o indivíduo por toda a vida. O TDAH se caracteriza pela combinação de sintomas de desatenção, hiperatividade (inquietude motora) e impulsividade sendo a apresentação predominantemente desatenta conhecida por muitos como DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção).

Para o TDAH - Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade além, do diagnóstico é necessário para melhor tratamento a realização de avaliação neuropsicológica. Na avaliação confirma-se ou descarta-se a hipótese do transtorno (]TDAH). Caso, haja a confirmação é quantificado os déficits cognitivos relacionados (atenção, memória operacional, função executiva, velocidade de processamento) para que o médico que solicitou possa ter um tratamento mais assertivo. Mesmo com estes déficits cognitivos que aparecem no TDAH a maior parte dos pacientes tem um QI preservado. A avaliação neuropsicológica é um valioso exame que examina todas as funções cerebrais (o cérebro) de forma mais completa.

Julia Sereicikas Loyola

Psicólogo

São Bernardo do Campo


O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico que aparece na infância e que na maioria dos casos acompanha o indivíduo por toda a vida. Caracteriza-se pela combinação de sintomas de desatenção, hiperatividade (inquietude motora) e impulsividade sendo a apresentação predominantemente desatenta conhecida por muitos como DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção). O tratamento pode ser feito com a combinação de medicamento e a terapia cognitiva comportamental onde o terapeuta associa varias técnicas comportamentais para o individuo lidar melhor com o sintoma.

O TDAH é uma condição que reduz de forma significativa o alcance dos objetivos de uma pessoa. Embora haja o potencial, o resultado muitas vezes fica distante devido à dificuldade na fixação das informações (principalmente adultos), bem como nas queixas escolares (crianças). O tratamento é focado na medicação, mas também na orientação dos familiares e professores, para que pouco a pouco o paciente possa direcionar-se aos ganhos de uma vida cognitiva saudável.

Maria Alice Ferragut

Psiquiatra, Radioterapeuta

Vinhedo


É um transtorno neurobiológico que surge na infância e que pode acompanhar o indivíduo pela vida toda. De cinco a oito por cento das pessoas possuem os sintomas. A inquietude, dificuldade de concentração, notas baixas na escola e algumas formas de esquecimentos são fatores bastantes presentes. Ela acomete mais de 330 milhões de pessoas do mundo, mas que ainda é pouco conhecida. Um profissional com experiência na área pode ajudá-lo com um tratamento interdisciplinar e medicamentoso.

Albert Louis Rocha Bicalho

Neurologista

Belo Horizonte


Para avaliar se o individuo tem de fato TDA/TDAH é mais que necessário realizar uma Avaliação Neuropsicológica para entendimento global de suas capacidades e dificuldades cognitiva, encaminhando esse paciente para o profissional adequado para tratamento destas dificuldades e usar melhor suas qualidades. É possível ressaltar que no tratamento do TDA/TDAH a Terapia Cognitivo Comportamental tem um papel fundamental na psicoeducação acerca do transtorno, no manejo dos sintomas e na adesão ao tratamento medicamentoso.

O TDAH é real. E não é uma condição que afeta apenas as crianças. Agora sabemos, por estudos minuciosos, que até dois terços das crianças que têm TDAH ainda o terão quando crescerem. Isto significa que 4 a 5% de todos os adultos têm TDAH. Isso significa mais de 11 milhões de adultos somente nos Estados Unidos. O TDAH está provavelmente entre os transtornos mais extensivamente estudados de todos os transtornos mentais ou emocionais. O melhor de tudo é que temos tratamentos que são tão eficazes que muitos adultos terminam se sentindo como se, pela primeira vez, seu campo de ação tenha sido nivelado. O TDAH é um dos transtornos psicológicos mais tratáveis.

TDAH é a sigla de Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade, um tipo de transtorno neurológico. Devido as alterações nas funções executivas, principalmente déficits atencionais e de controle inibitório, os escolares com TDAH podem apresentar dificuldades de linguagem. As dificuldades de atenção e de hiperatividade apresentadas por esses escolares, associado ao prejuízo na linguagem oral podem comprometer o desempenho acadêmico. O emprego tratamento fonoaudiológico visa aprimorar as habilidades comunicativas, como a organização do discurso e a ampliação do repertório linguístico, o processamento auditivo, com atividades para aperfeiçoar as várias habilidades de auditiva.

Muitas pessoas se queixam de dificuldade de prestar atenção, cometendo alguns erros por descuido. Lembrar de um filme que estava assistindo, recordar um texto que acabou de ler, saber o que estava conversando com uma pessoa e o que ela estava falando são funções da nossa atenção, entre outras funções cerebrais. . Além disso, podem aparecer sintomas como irritação, agitação excessiva e impulsividade. A pessoa sente como se estivesse "ligada na tomada". Quando a pessoa tem essas dificuldades, é importante realizar uma avaliação. Nesse processo, são realizadas atividades para identificar como as funções cerebrais estão.

Amanda Barroso De Lima

Psicólogo

Fortaleza


Esse diagnóstico foi construido no final da segunda metade do século passado. Algo recente na história da medicina e psiquiatria. Muitas controvérsias existem em relação a ele. Algumas pessoas alegam a sua inexistência e uma tentativa de super medicar as crianças, enquanto outras apontam estudos científicos para sustentar a existência No entanto, mais do que discutir sobre a existência ou não, é importante entender que não há eficácia diagnóstica em nenhum transtorno psiquiátrico. Todos foram construídos por consenso em grupos de psiquiatras. Enfim, perceber-se com TDAH ou achar que algém tem TDAH indica a necessidade de uma avaliação neurocognitiva para entender o melhor tratamento.

Walter Sena

Psiquiatra

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

TDAH significa Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, e é um diagnóstico psiquiátrico. Os comportamentos apresentados geralmente são desatenção, agitação e impulsividade. Esse transtorno pode levar a problemas emocionais, de relacionamentos, tanto familiar, quanto social, e a pessoa pode apresentar baixo desempenho escolar. Nos casos em que o TDAH pode ser um possível diagnóstico, o ideal é procurar os profissionais que poderão lhe auxiliar, como psicólogos e neurologistas, lembrando que cada caso é único e sempre respeitando a individualidade da pessoa, e lembrando que nem sempre o baixo desempenho escolar se deve ao TDAH.

Ananda Lima

Psicanalista, Psicólogo

Curitiba

Agendar uma visita

O TDAH apresenta início dos sintomas antes dos 12 anos, que podem persistir pela idade adulta. Apresenta dificuldade em: manter atenção em atividades escolares, concluir tarefas, envolver-se em atividades que exijam esforço intelectual, lembrar onde guardou objetos, brincar silenciosamente, esperar que terceiros terminem suas falas, esperar sua vez, manter-se sentado, calmo ou quieto e em seguir instruções e ordens. Pode haver impulsividade e agressividade. Na idade adulta, em geral, pode cursar com uso de substâncias, ansiedade e depressão. O tratamento adequado pelo médico Psiquiatra possibilita um melhor rendimento acadêmico, em qualquer idade, no trabalho e controle da impulsividade.

Demétrius De Luna Lopes Benevides

Psiquiatra

São João del Rei


O TDAH é um transtorno neurobiológico, com grande participação genética (isto é, existem chances maiores de ele ser herdado), que tem início na infância e que pode persistir na vida adulta, comprometendo o funcionamento da pessoa em vários setores de sua vida, e se caracteriza por três grupos de alterações: hiperatividade, impulsividade e desatenção.

O TDAH tem como características um deficit persistente de atenção e hiperatividade, além de impulsividade, que prejudica o desenvolvimento e aprendizado da criança. Os sintomas iniciam na infância , muitas vezes quando a hiperatividade não é predominante, os pais percebem a desatenção quando inicia a vida escolar. Há tratamentos para esse transtorno, e também é necessário uma investigação adequada, na qual envolve vários contextos. O tratamento consiste em um pilar no qual envolve família, escola,equipe multidisciplinar e em alguns casos medicação.

Ana Carolina Tristão Silva

Neurologista pediátrico

Uberaba


No caso de TDAH, observar se realmente é TDAH ou se não existe algum outro fator envolvido. Caso não haja, ajudar o paciente a se organizar e controlar sua hiperatividade, ajudar a terminar os projetos que começaram e tentar realizar uma coisa de cada vez.

O TDAH apresenta dois tipos distintos, com um detalhe importante: o TDAH combinado é aquele em que a criança apresenta a hiperatividade, a impulsividade e o déficit de atenção. Já o TDAH desatento é caracterizado quando a criança demonstra apenas a falta de atenção.

Camila Lourenço

Psicólogo

Curitiba


O TDAH é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e freqüentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade. O TDAH na infância em geral se associa a dificuldades na escola e no relacionamento com demais crianças, pais e professores. As crianças são tidas como "avoadas", "vivendo no mundo da lua" e geralmente "estabanadas" e com "bicho carpinteiro" ou “ligados por um motor” (isto é, não param quietas por muito tempo). Os meninos tendem a ter mais sintomas de hiperatividade e impulsividade que as meninas, mas todos são desatentos.

Alguns sintomas do TDAH são: dificuldade de prestar atenção a detalhes ou erros por descuido no trabalho ou em atividades escolares; dificuldade em ouvir quando falam com alguém; não seguir instruções nem terminar tarefas escolares, domésticas ou profissionais; dificuldade em organizar atividades ou tarefas; evitar ou relutar em se engajar em atividades que exijam esforço mental constante; perder objetos necessários para a execução de atividades; distrair-se por estímulos alheios à tarefa; ter esquecimentos em atividades diárias.

O TDAH é uma desordem psiquiátrica comum, mas complexa, com ocorrência estimada em 7% das crianças em idade escolar e em uma porcentagem pequena nos adultos. Existem diferentes subtipos de TDAH, com sintomas como desatenção, comportamento impulsivo e hiperatividade. Suas causas ainda são desconhecidas, mas o transtorno tende a permanecer na família e, acredita-se, que seja influenciado pela interação de diversos genes.

Karine Da Silva Figueiredo

Psicólogo

Brasília


O TDAH se tornou muito conhecido recentemente, porém nem todos com agitação ou desatenção possuem este transtorno. Ele é marcado por prejuízos intensos sociais e acadêmicos, provenientes da expressão impulsiva, desatenta ou hiperativa. É importante entender todo o contexto da vida do sujeito e a queixa relacionada aos sintomas, investigando aonde esses ocorrem. Quando diagnosticado TDAH, deve ter o perfil cognitivo para verificar quais as funções alteradas e impactos para a vida, para desenvolver um plano de reabilitação individualizado a cada paciente. Lembrando que TDAH não é uma escolha, mas sim uma condição, onde as dificuldades não são fáceis de serem controladas pelo paciente sozinho.

Afetando a função do neurodesenvolvimento, o TDAH pode afetar pessoas em qualquer fase da vida. Geralmente, em crianças os sintomas mais evidentes são o comportamento inquieto, dificuldades escolares com relação ao desempenho e/ou ao comportamento e falta de filtro na comunicação, podendo falar coisas inapropriadas sem ponderar as possíveis consequências.

O TDAH é uma síndrome que pode ser dividida didaticamente em desatenção, impulsividade e agitação. Ela inicia-se na infância e pode permanecer até na idade adulta. Nas crianças, vemos dificuldade para aprender, dificuldade para permanecer na cadeira sentado, dificuldade para entender e seguir regras, desobediência. Nos adultos, as principais dificuldades estão na concentração para estudar e trabalhar e no relacionamento interpessoal. Geralmente são pessoas inquietas, impacientes, desorganizadas e que tomam decisões prematuras. O diagnóstico deve ser feito pelo neurologista precocemente para evitar danos maiores. Existem vários medicamentos para TDAH, sendo cada um indicado para um perfil.

São os chamados como aqueles que estão "no mundo da lua". O transtorno está relacionado com a desatenção, impulsividade e hiperatividade. Crianças que não conseguem se concentrar, estão em constante movimento, a rapidez é uma característica, fala em excesso, desorganizam-se, distraem-se, esquecem suas atividades, perdem coisas etc. Para as questões escolares é primordial um acompanhamento psicopedagógico, aliado a família e a escola.

Crianças e adolescentes diagnosticados com TDAH precisam de grande atenção dentro do consultório, é necessário ter bastante material lúdico e ser ágil durante a psicoterapia para lidar com eles. Para esse tipo de atendimento disponho de jogos e brinquedos para trabalhar a atenção do paciente ajudando-o buscar cada vez mais o foco para que ele tenha uma boa qualidade de vida.

O transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) é frequentemente encontrada em pacientes nos consultórios de psiquiatria. Essa condição é caracterizada por importantes prejuízos atencionais associados com sintomas de hiperatividade, ou seja, sensação de inquietude, de estar “ligado a mil”, dentre outros. Sua presença está associada com importante impacto na vida de seus portadores, sobretudo na esfera acadêmica e profissional. Uma vez diagnosticada, seu tratamento é essencial, pois possibilita o resgate da funcionalidade desses sujeitos. Em linhas gerais, o TDAH pode ser tratado com uso de medicamentos e com o tratamento psicoterápico. Boa sorte!

Bruno Terra Junho

Psiquiatra

Belo Horizonte

Agendar uma visita

Experiência com crianças e adultos com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade. Diagnóstico, tratamento medicamentoso, orientações comportamentais, diagnóstico diferencial ou concomitante com transtorno de ansiedade.

Fernanda Marques Saraiva

Psiquiatra

São Paulo


Todas as pessoas apresentam algum sintoma de desatenção ou inquietude, porém, cerca de 5% da população apresenta o transtorno que é classificado como problema do neurodesenvolvimento. O tratamento envolve vários aspectos, desde a confirmação diagnóstica com entrevistas aprofundadas e verificação se há existência de outros transtornos associados, uso de medicamentos, orientação aos pais e cuidadores, orientação à escola, psicoterapia até o treino com técnicas de reabilitação cognitiva. O TDAH pode ocasionar além de dificuldades escolares, risco de acidentes, dificuldade de manutenção de amizades, estresse no ambiente familiar e dificuldades de comunicação.

O Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade é um transtorno do neurodesenvolvimento cujos sintomas são déficit atencional (por exemplo, a criança ou adolescente não consegue manter o foco em alguma atividade seja ela escolar ou do lar) e associado ou não à impulsividade e hiperatividade (por exemplo, há dificuldade de ficar parado no mesmo local por muito tempo, não consegue esperar sua vez). Os sintomas aparecem na infância (antes dos 12 anos) podendo se prolongar até a idade adulta. Devem estar presentes há no mínimo 6 meses, além de ocorrer em mais de um ambiente (escola, casa, lazer...), interferindo negativamente no funcionamento e desenvolvimento da criança.

O Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade ou sem tem sido frequentemente associado as crianças com queixas de aprendizagem e dificuldades na escola. A importância em se ter um diagnóstico precoce favorece na melhora da criança e consequentemente no sofrimento gerado. Assim, a importância em ter uma avaliação neuropsicológica adequada pode vir a implementar novos recursos e estratégias para as crianças e adolescentes.

Cristiane Luiza Carvalho Santana

Psicólogo

São Paulo

Quais profissionais tratam Transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (tdah)?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.