Transtorno depressivo - Informações, especialistas e perguntas frequentes

O que é?

A depressão é um estado constante de tristeza que leva à falta de prazer na hora de realizar as tarefas do dia a dia. A tristeza é um sentimento natural em alguns acontecimentos de nossas vidas. Porém, sua duração é relativamente curta. A depressão, todavia, é a extensão desse sentimento por longos períodos sem que tenham sido registrados fatos motivadores para a geração desse sentimento.

Qual é a causa?

A ciência não aponta uma causa específica para a depressão. Na realidade, vários são os motivos indicados para o transtorno depressivo, especialmente em relação à genética, alimentação e a condição psicológica. Um dos fatores frequentemente associado à depressão é a hereditariedade. Pessoas que possuem familiares próximos com transtornos depressivos teriam predisposição à doença. Estudos científicos relatam ainda elementos biológicos e físicos como fatores que levam ao desenvolvimento do quadro depressivo. Falta de serotonina, acetilocolina, dopamina, adrenalina e noradrenalina estão entre os elementos biológicos que alteram os neurotransmissores cerebrais e facilitam o desenvolvimento da depressão. Essa falta pode ser causada até pela alimentação. Entre as questões físicas, os acidentes são a principal motivação para o desenvolvimento dos transtornos depressivos. Entretanto, são os problemas psicológicos os fatores dominantes no diagnóstico. Períodos onde a pessoa encontra dificuldades maiores nos relacionamentos ou passa por problemas econômicos gerando situações de estresse seriam o gatilho para disparar o estado de depressão. Existem momentos específicos capazes de gerar transtornos depressivos. O luto é um deles. No caso das mulheres, muitas sofrem distúrbios durante o período pré-menstrual e, eventualmente, após o parto. Fatores climáticos também poderiam disparar o estado de depressão. No outono e no inverno o clima geraria um intenso sentimento de tristeza que desaparece no verão e na primavera.

Quais os sintomas?

A falta de ânimo é o primeiro sintoma associado à depressão. O doente não tem vontade de levantar-se da cama e realizar tarefas simples como a higiene pessoal. Mas a lista de sintomas associados à doença é longa e inclui: sensação de tristeza constante, baixa autoestima, sentimento de culpa, ideias de suicídio, fadiga crônica, diminuição da capacidade de concentração e de tomar decisões, alteração no sono (sono demais ou insônia, dependendo da pessoa), alteração do apetite (perda ou aumento, também variável em cada quadro), diminuição no interesse sexual, crises de choro, isolamento social e agitação ou retardo no sistema psicomotor.

Como fazer o diagnóstico?

O médico precisa fazer uma entrevista com o paciente para descobrir a presença dos sintomas descritos acima. Eles indicarão não apenas a presença do quadro depressivo, mas também sua intensidade. Os transtornos depressivos de menor grau são qualificados como distimia. Já os quadros mais intensos são qualificados como depressão maior.

Qual o tratamento?

O uso de medicamentos antidepressivos é praticamente consenso na comunidade médica para o tratamento de transtornos depressivos. Em alguns casos, a psicoterapia também é indicada para auxiliar no tratamento. Nos transtornos depressivos mais graves, o uso de ansiolíticos e antipsicóticos também podem ser indicados.

Especialistas em transtorno depressivo

Encontre um especialista em Transtorno Depressivo na sua cidade:
Maria Regina de Souza

Maria Regina de Souza

Psicanalista, Psicólogo

Juiz de Fora

Hélius Sironi de Moraes

Hélius Sironi de Moraes

Psicólogo

Caxias Do Sul

Erick Gustavo Almeida Alves

Erick Gustavo Almeida Alves

Psicólogo

Volta Redonda

Marcela Dumbra

Marcela Dumbra

Psicólogo

Bauru

Geane Aparecida Crozeta

Geane Aparecida Crozeta

Psicólogo

Lauro Müller

Ana Paula Bernardes

Ana Paula Bernardes

Psicólogo

Lavras

Perguntas sobre Transtorno depressivo

Nossos especialistas responderam a 95 perguntas sobre Transtorno depressivo

 Creuza M Salvaterra
Creuza M Salvaterra
Psicólogo
Ipatinga
Se a criança apresentar alteração de comportamento que gere esse tipo de suspeita, é interessante buscar ajuda profissional. No primeiro momento pode ser feita avaliação psiquiátrica ou psicológica,…
5 respostas

Os antipsicóticos podem, na verdade, piorar essa condição!
6 respostas

 Fábio Luiz Socreppa da Fonseca
Fábio Luiz Socreppa da Fonseca
Psicólogo, Psicopedagogo
Santo André
Olá! Enquanto um antidepressivo, sim. Ele influencia na produção de dopamina.

Caso tenha mais dúvidas, fico à sua disposição.
5 respostas

Especialistas falam sobre Transtorno Depressivo

É muito comum chamarmos de depressão a um sentimento de tristeza. Nos sentimos triste sempre em resposta a uma perda, a um desapontamento ou fracasso. Pessoas deprimidas se sentem como se estivessem “sem energia”. Queixam-se sempre de cansaço, desânimo, insônia, tem dificuldades de concentração, sentimento de culpa, são pessimistas, irritadas, desinteressadas, o que quase sempre leva a seu isolamento dentro da rede de relacionamentos, vontade de morrer e idéias de suicídio. A depressão não é um problema de caráter, falta de vontade ou indolência. A depressão é uma doença que necessita ser identificada, diagnosticada e tratada.

Valdir Campos

Psiquiatra

Belo Horizonte

Agendar uma visita

O transtorno depressivo atinge cerca de 121 Milhões de pessoas no mundo. No Brasil cerca de 18 % da população sofre de depressão. Trata-se de uma doença em que, apesar de acometer muitas pessoas, ainda tem uma série de estigmas que para tratar precisamos esclarecer: Depressão é diferente de tristeza. É normal sentir tristeza e isso é muito saudável, mas na depressão a tristeza ela é acompanhada de diversos sintomas como pessimismo, lentificação do pensamento, alterações de sono e apetite, fadiga, diminuição atividades prazerosas, dores emocionais e físicas, etc O tratamento vai além da medicação, é preciso entender o que o paciente sente e orientá-lo como modificar hábitos para melhorar.

Douglas Motta Calderoni

Psiquiatra

São Paulo


A depressão atinge milhões em todo o mundo. Destrói a qualidade de vida e do envelhecimento e é caracterizada por tristeza diária, falta de animo para realizar o que gostava, apatia, isolamento social, aumenta a dor e o risco de problemas na memoria. A avaliação clinica adequada auxilia no diagnóstico precoce e seu devido tratamento.

A depressão tem sido um dos transtornos que mais afetará as pessoas nos próximos 20 anos. Se caracteriza por humor triste, ausência de prazer, falta de entusiasmo em atividades que normalmente eram apreciadas pelo mesmo, pensamentos negativos, como pessimismo e desespero e redução da energia. Segundo estudos, substancias neurológicas, que nos levam sentir prazer e alegria na vida, são reduzidas. O que a psicoterapia busca é identificar as relações e o ambiente que o cliente está inserido, bem como a sua história de vida, que possam ter levado a essa condição psicológica. E a partir daí analisar possibilidades e alternativas que levem a uma melhor qualidade de vida e à alegria de viver.

Nos episódios típicos de cada um dos três graus de depressão (leve, moderado ou grave), o paciente apresenta um rebaixamento do humor, redução da energia e diminuição da atividade. Existe alteração da capacidade de experimentar o prazer, perda de interesse, diminuição da capacidade de concentração associadas em geral à fadiga, mesmo após um esforço mínimo. O humor depressivo varia pouco diariamente ou segundo as circunstâncias.

Betânia Tassis

Psicanalista, Psicólogo

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

O Transtorno Depressivo Maior, é que chamamos de depressão. De acordo com o DSM-5, suas características principais são o humor triste, vazio ou irritável, acompanhado de mudanças somáticas e cognitivas que afetam significativamente a capacidade da pessoa de funcionar. Embora possa ocorrer apenas um episódio, geralmente é uma condição recorrente. É muito importante distinguir o que é uma tristeza ou luto normais de um transtorno depressivo. Alguns de seus sintomas: humor deprimido, perda de prazer nas atividades diárias, perda ou ganho de peso, insônia ou sono excessivo, falta de líbido... e muitos outros. Tratamento: Psicoterapia

Renata Toribio Nunes

Psicólogo

Porto Alegre


A depressão tem elevada incidência entre idosos.Os sintomas muitas vezes passam desapercebidos pela família e pelo próprio paciente, sendo justificados como parte do envelhecimento. A depressão pode manifestar-se como dores pelo corpo, falta de apetite e insônia, perda de energia para realizar as tarefas do dia-dia, tendência ao isolamento, apatia. Em um primeiro momento, muitas vezes não há a exteriorização de sintomas depressivos mais clássicos, como tristeza, angústia, crises de choro, e quando estes ocorrem são menos exuberantes. Todavia, é de extrema importância o diagnóstico e tratamento adequado a fim de melhorar qualidade de vida e controle de condições clínicas associadas.

Aline Ferreira Bandeira De Melo Rocha

Médico clínico geral, Geriatra

Goiânia


É um transtorno de humor, que apresenta como características mais comuns a evidência dos sentimentos de tristeza, irritabilidade, apatia, ausência de prazer, bem como, alterações cognitivas, psicomotoras, do sono , e ideações suicidas, podendo levar o indivíduo ao suicídio nos casos mais severos. Ocorre alterações neuroquímicas no cérebro do paciente.O tratamento psicoterápico envolve técnicas para auxiliar o paciente a melhorar sua qualidade de vida , por meio de investigação para elucidar conflitos precoces, de identificação dos agentes perturbadores, para ajudar o paciente a dessensibilizar e reprocessar as cognições negativas bloqueadas no cérebro.

Lúcia Dornelas Cavalcante

Psicólogo

Recife


Os transtornos depressivos caracterizam-se por sintomas como tristeza, perda de interesse pelas atividades, fadiga, alteração de sono, redução ou aumento de apetite, entre outros, com sofrimento significativo e/ou prejuízo funcional para o indivíduo. É um estado que se diferencia da tristeza tão somente, que é uma emoção normal, diante de situações mais exigentes e difíceis para a pessoa. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, ao longo da vida , 29,9% da população terão pelo menos 1 episódio depressivo. Ainda é um problema pouco diagnosticado, sendo que a maioria não passa por um atendimento com profissional de saúde. O tratamento envolve acompanhamento psiquiátrico e psicológico.

Depressão hoje é comorbidade (doença) que mais afeta as pessoas no mundo, em crescente diagnosticos e tratamentos, doença que pode ser incapacitante, é necessario um trabalho integrativo para melhor resultado nos tratamentos da depressão, gosto de trabalhar com cuidado integrado, olhar integral ao paciente, conheça mais sobre mim.

Ítalo Moreira

Psiquiatra

João Monlevade

Agendar uma visita

A Depressão se apresenta em diferentes contextos em nosso dia-a-dia, inclusive modelando o nosso comportamento e pensamentos sobre os momentos e situações que vivenciamos. Sentir-se triste não é nada demais, desde que essa tristeza não passe a nos impedir de realizar algumas atividades corriqueiras, ou até mesmo, desde de que não nos sobrevenham prejuízos, principalmente em nossos relacionamentos interpessoais e atividades diárias. Características: rebaixamento do humor, redução da energia e diminuição das atividades, passa maior parte do tempo deitado, diminuição da capacidade de experimentar o prazer, perda de interesse em suas atividades antes importantes.

Gracy Ramos Da Silva Nakakura

Psicólogo

Taguatinga


A pessoa que em um estado de depressão é necessário uma atenção e escuta diferencia. Hoje a depressão está em crescimento constante. Na psicoterapia você tem um espaço para poder falar de seus anseio e angustia, sem ser julgado. Podendo refletir sobre aspectos importante da depressão. Dependendo do quadro clinico, as sessões podem acontecer mais de uma vez na semana. Também me coloco a disposiçao para qualquer tipo de crise.

Filipe Torelli

Psicólogo

Sorocaba


Depressão é um transtorno de humor caracterizado por tristeza profunda e duradoura (muitas vezes sem motivo/causa aparente), perda de prazer geral (coisas que antes eram legais passam a não ter mais graça), sentimento de culpa, problemas de concentração e memória, vontade de sumir e/ou morrer, alteração no sono, apetite e libido. Esses sintomas duram mais do que um mês e causam impactos na vida, sentido como se fosse muito difícil fazer coisas que antes eram simples. O tratamento psicoterapêutico com terapia cognitiva traz respostas eficientes de melhora, geralmente percebidas em poucos meses. A falta de tratamento pode agravar o quadro e impossibilitar vários aspectos da vida do indivíduo.

Sandra Mara Comper

Psicólogo

Porto Alegre


Quando a tristeza não passa e deixa o sentimento de desesperança e a ausência da vontade tomar conta do seu dia a dia. A terapia cognitivo comportamental te proporciona melhoras significativas através da sua fala e de exercícios de dessensibilização para regulação do humor.

Michelle Pires

Psicólogo

Rio de Janeiro

Agendar uma visita

Um transtorno depressivo é uma doença que envolve o corpo, o humor e os pensamentos. Ele afeta a maneira da pessoa se alimentar e dormir, como ela se sente em relação a si própria e como se pensa sobre as coisas. Um transtorno depressivo não é o mesmo que uma tristeza passageira. As pessoas com uma doença depressiva não podem simplesmente “se acalmar” e melhorar. Sem tratamento os sintomas podem durar semanas, meses ou anos. Um tratamento apropriado, porém, pode ajudar muitas pessoas que sofrem de depressão.

O transtorno depressivo é uma condição médica séria caracterizada por um humor patológico (deprimido) , a maior parte do tempo. Sem diagnóstico e tratamento adequado causa sofrimento importante e incapacita para o trabalho, vida social e vida familiar. O tratamento consiste no uso do(s) antidepressivo(s) mais indicado(s) para cada caso e , quando necessário, no acompanhamento psicoterápico. A duração do tratamento varia para cada paciente, ou seja, depende da melhora clínica observada individualmente. Normalmente as consultas médicas são mensais e a alta programada para um ano a partir da remissão dos sintomas.

Ana Lúcia Takata Pontes Garcia

Psiquiatra

Santo André


Trata-se de patologia de alta prevalência na população idosa, onde os sintomas psíquicos podem ser mascarados com manifestações somáticas, como tonteiras, vertigens, déficits de atenção, tremores, taquicardia, alterações urinárias ou fecais, onde o correto diagnóstico permite a realização de tratamentos muito eficazes, baseados em medicamentos e terapias auxiliares, como psicoterapia e terapia ocupacional.

Depressão é um transtorno que são percebidos por falta de prazer nas relações familiares, sociais e trabalho. Os sintomas são: tristeza, sentimento de melancolia, choro fácil e/ ou frequente, apatia (indiferença afetiva), sentimento de falta sentimento, sentimento de tédio, de aborrecimento crônico, irritabilidade aumentada, angustia ou ansiedade, desespero e desesperança. Algumas pessoas com formas de depressão mais leves podem fazer apenas psicoterapia, enquanto que outras com depressão moderada a grave na maioria das vezes beneficiam mais se fizerem um tratamento combinado: medicação para alívio dos sintomas e psicoterapia para aprender maneiras emocionais mais assertivas e funcionais.

A depressão é um estado de adoecimento psíquico que leva a uma alteração do estado de humor e tem alto impacto na vida do paciente e de seus familiares, pois o mesmo apresenta significativo comprometimento nos aspectos sociais, ocupacionais e adaptativos, podendo se manifestar como episódios depressivos isolados ou recorrentes e seu diagnóstico e seu tratamento devem ser realizados por psiquiatra e psicólogo. Para prevenir é indicado observar a presença de pelo menos quatro sintomas recorrentes, como redução do humor, redução de prazer e interesse, redução da concentração, fadiga excessiva e diminuição das atividades, insônia ou hipersonia, redução do apetite e perda de peso, entre outros.

Priscilla Gianneschi Navarro

Psicólogo

São Paulo


A depressão é uma doença relacional, ligada a problemas com a culpa e com a destrutividade, cujo diagnóstico precisa ser realizado à luz da linha do amadurecimento pessoal, como forma de caracterizar a doença de acordo com as falhas ambientais, observar as defesas organizadas e estabelecer a forma de tratamento.O mal estar e desconforto decorrem da dificuldade de aceitar os sentimentos de seu mundo interno. Embora os reconheça, não os tolera. A terapia psicanalítica busca junto com paciente fortalecer seu ego, a psicanálise convida o sujeito a falar, fazendo vigorar a falta ou a culpa.

Gabriela Hostalácio

Psicanalista, Psicólogo

Campinas

Agendar uma visita

O transtorno depressivo se caracteriza por sintomas como: Humor deprimido; diminuição do interesse ou prazer em todas ou quase todas as atividades; perda ou ganho significativo de peso sem estar fazendo dieta; insônia ou hipersonia; agitação ou retardo psicomotor; fadiga ou perda de energia; sentimentos de inutilidade ou culpa excessiva; capacidade diminuída para pensar ou se concentrar, indecisão; ideações suicidas. De acordo com a TCC, há uma tendência aumentada nos depressivos de aplicar interpretações negativas aos fatos. Essas interpretações negativas resultam em uma queda de humor, que por sua vez conduz a interpretações ainda mais negativas, e assim por diante.

A Depressão tem sido uma das perturbações psicológica mais discutida e avaliadas devido à enorme quantidade de pessoas que afetou e afeta. É importante perceber que para além de tristeza prolongada e desinteresse, a pessoa deprimida fica sem vontade ou prazer em levar a cabo atividades que, anteriormente, considerava como agradáveis e sente-se sem energia ou com cansaço persistente. Existem casos em que a depressão ocorre devido a fatores genéticos, mas ainda há outras causas orgânicas e psicológicas para que o problema se manifeste. A depressão precisa de acompanhamento psiquiátrico e psicológico, além de tratamento medicamentoso.

Adriana M. Corrêa

Psicólogo

Niterói


O Transtorno Depressivo é um distúrbio afetivo, que atinge cada vez mais o homem da era moderna. Os sintomas principais são: baixo autoestima; tristeza; pessimismo; ansiedade; angustia; falta de interesse social; desanimo; medo; indecisão, entre outros. Estes podem se apresentar concomitantemente e cada vez mais com maior frequência. As causas da depressão podem ser bioquímicas(através de neurotransmissores), pré disposições genéticas, ambientais e factuais (perdas irreparáveis e mal elaboradas como a morte de um ente querido, status social, etc). A psicoterapia aliada ao tratamento psiquiátrico , é indicada para eliminar as causas da patologia bem como aliviar seus sintomas e vestígios.

A depressão é uma doença que produz a alteração do humor e pode limitar a capacidade da pessoa acometida na execução de atividades diárias. Essa patologia pode surgir em qualquer fase da vida e geralmente apresenta-se com os seguintes sintomas: tristeza, sentimentos de medo, insegurança e desespero, ansiedade, falta de vontade de executar atividades da rotina, irritabilidade e apatia. O reconhecimento dos sintomas e o diagnóstico devem ser feitos com acompanhamento médico e o tratamento da doença acontece através de orientação psiquiátrica e psicológica.

Na minha prática com clientes com sintomas de transtorno depressivo, parto do que o cliente traz (seus sintomas e sua história de vida) para entendê-lo em seu momento presente e, a partir disso, trabalho com as três dimensões humanas: emoção, motor e pensamento por meio da fala, do trabalho corporal e criativo para que o/a cliente percebe suas necessidades, reveja e reflita sobre seus conceitos, crenças, verdades e amplie seus recursos e seu auto-suporte, tornando-se capaz de fazer escolhas diferentes, assumindo uma atitude mais autônoma e integrativa no mundo.

Ana Paula Carlucci De Cunto

Psicólogo

Brasília


Os transtornos depressivos tem sido frequentes, chegando a ser um problema de saúde pública. Caracteriza-se pelo desânimo, apatia e desesperança. Um dos fatores que tenho trabalhado é a perda do sentido no cotidiano. É muito comum o problema se associar a uma culpabilização excessiva do sujeito e de um alto grau de exigência consigo mesmo e com os outros que se mostra impossível de ser realizado. Geralmente estabeleço parceria com um psiquiatra que vai prescrever a medicação, a dose correta e vai fazer os ajustes conforme a evolução do processo analítico. O processo envolve o resgate a melhora do humor e a (re)invenção da capacidade de desejar.

Depressão é a doença que mais atinge as pessoas emocionalmente na atualidade. Geralmente, a família e os amigos tem dificuldade de lidar e não sabem mais o que fazer para ajudar o indivíduo a melhorar. A Psicoterapia é de grande valia na ajuda para que o paciente melhore dos sintomas, podendo compreender melhor sua história e seus motivadores.

Jamille Façanha

Psicólogo

Fortaleza


A depressão e a melancolia estão cada vez mais presentes na vida atual, no entanto, muitos sofrem sozinhos e não buscam ajuda. Por outro lado, para começar a fazer efeito, os medicamentos antidepressivos precisam de cerca de 20 a 30 dias, e quem sofre não pode ficar esperando tanto tempo. É preciso ter um espaço para se falar sobre isso, e se sentir acolhido.

Céres Felski

Nefrologista, Internista

Balneário Camboriú

Agendar uma visita

Há uma grande diferença entre tristeza e depressão. Enquanto a primeira acontece por alguns fatos do cotidiano e situações da vida, durando algumas horas e até alguns dias, o que vem até a ser saudável em determinadas situações, a depressão se instala e pode ser classificada de leve, a moderada e grave. Ela sempre deve ser tratada com cuidado e atenção, pois traz prejuízos consideráveis para a vida pessoal e profissional da pessoa uma vez que ela manifesta sintomas comportamentais e físicos também. Durante o meu trabalho, realizo a avaliação do nível da depressão, alem de outros sintomas como a ansiedade, para assim direcionar o processo ao melhor estado, de encontro com a qualidade de vida.

A depressão precisa ser identificada, diagnosticada e tratada de forma certa. Existem vários tipos e subtipos de depressão, tornando este transtorno mental um pouco mais complexo do que parece. Os tratamentos de igual forma são variados dependendo do grau, frequência e estado clínico do paciente. O acompanhamento terapêutico é sem dúvida, essencial para o controle e tratamento da doença.

Daniel Strucchi

Rio de Janeiro

Quais profissionais tratam Transtorno depressivo?


Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.