Abandono Afetivo - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Abandono Afetivo

Os especialistas falam sobre a Abandono Afetivo

Dou todo amparo que o paciente precisa, ouço-o com atenção, identifico suas crenças limitantes, que são comuns nessa circunstância, direciono-o para resolução de seus problemas, para que o paciente se liberte de sua angústia, seu sofrimento e restabeleça a alegria de viver.
Dr. Dínerson Fiuza
Dr. Dínerson Fiuza Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo, Sexólogo

|

São Paulo

A depressão não aparece de repente, ela não bate na sua porta e se instala. Ela é uma visita chamada tristeza que vem passar uns dias, quando você a percebe estará morando com você. Muitas vezes, permitimos sua chegada, mas não sabemos como mandar ela embora, não conseguimos “dizer não”. Somos acobertados pelo medo de lidar com ela, de dizer chega “cansei de você vou buscar ajuda”. A dor de uma depressão dói muito, porque é uma dor do vazio, é a dor de que “nada tem sentido”. O amor e alegria foram embora, o sorriso quase não se vê e tudo perdeu a sua graça. A raiva vem do sentimento de impotência do “não saber o que fazer”.
Cleunice Paez Borges
Cleunice Paez Borges Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

São Paulo

Abandono afetivo de qualquer natureza, seja dos pais, de um parceiro ou em qualquer setor da sua vida. Reflexão sobre a importância destas pessoas em sua vida, ressignificação e desconstrução de crenças.
Daniela Sarmento
Daniela Sarmento Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

Rio de Janeiro

O abandono afetivo é caracterizado pelo distanciamento afetivo de um ou ambos os pais de uma criança. O abandono deve ser entendido pelo tipo de cuidado que os pais oferecem aos seus filhos. O sentimento de abandono pode deixar marcas profundas no desenvolvimento e na formação da personalidade da criança, podendo se estender para a vida adulta. O abandono pode ser observado por comportamentos e atitudes tais como: Baixo auto- estima, sensação de vulnerabilidade em determinadas situações, abuso de alcool, sentimento de desvalor, depressão, distorções cognitivas etc. Deve-se trabalhar o resgate da auto estima, mudanças de crenças e comportamentos. Em alguns ajuda psiquiátrica pode ser útil.
Luciano Mesquita de Sousa
Luciano Mesquita de Sousa Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo

|

Salvador

ABANDONO AFETIVO, está relacionado à experiências de desamor, de falta de atenção de cuidado, e ao abandono vivido pelo indivíduo em qualquer faixa etária. Costuma surgir na infância, nas relações primárias, tendo como sintoma característico a dependência emocional extrema. O tratamento psicoterápico visa auxiliar o paciente a fazer reflexões sobre si mesmo para que possa se conscientizar e valorizar suas qualidades e potencialidades nos diversos aspectos da sua vida, resgatando sua autoconfiança, autonomia e segurança , restabelecendo seu equilíbrio pessoal.
Lúcia Dornelas Cavalcante
Lúcia Dornelas Cavalcante Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

Recife

Ver mais

Tem perguntas sobre Abandono Afetivo?

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.