Bullying - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Bullying

Informação sobre Bullying

Chamamos de fenômeno de bullying quando há uma intimidação na escola, em que um indivíduo adquire o papel de perseguidor (que executa a ação de bullying) e outro que se torna a vítima (que recebe a perseguição). Primeiro, o valentão que é agressivo, arrogante e sem empatia; desenvolve um comportamento antissocial individual como forma de afirmação do poder interpessoal. Além disso, a vítima que se percebe como frágil, é sistematicamente exposta a uma série de atos agressivos sem uma razão específica e não dispõe de recursos para se prevenir ou defender. Não deve ser confundido com jogos ou brincadeiras entre amigos, mas pode-se facilmente cruzar a linha se a piada produzir sofrimento.

Possui uma dúvida concreta sobre Bullying? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Bullying

Tema que tem repercutido muito na mídia e redes sociais, mas que ja se apresenta há muito tempo no consultório. Trabalho utilizado diversas técnicas para cuidar / tratar os sentimentos negativos gerados pelo bullying, mas principalmente, desenvolver / melhorar a auto estima, aceitação de si e como se cuidar, proteger, defender de forma saudável dessas situações.
Juliana Rezende Ferreira

Psicóloga

|

Belo Horizonte

Uma relação desigual de forças e poder, tendo como objetivo intimidar a outra pessoa sem que esta tenha a possibilidade ou capacidade de se defender. Expressões abusadoras intencionais e repetitivas e agressões físicas ocorrem sem motivação evidente e são exercidas por um ou mais indivíduos, causando dor e angústia em quem é alvo. O bullying é um problema mundial, podendo ocorrer em qualquer contexto no qual as pessoas interajam. O alvo dos agressores geralmente são pessoas pouco sociáveis, com baixa capacidade de reação ou de fazer cessar os atos prejudiciais contra si e possuem forte sentimento de insegurança, o que os impede de solicitar ajuda.
Dra. Betânia Tassis
Dra. Betânia Tassis Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicanalista, Psicóloga

|

Rio de Janeiro

Bullying se refere às atitudes agressivas físicas ou verbais que são repetidas várias vezes sem nenhum motivo aparente, com o objetivo de magoar a pessoas que sofrem esta forma de agressão. Ele pode ser praticado não só nas escolas, mas também no trabalho e até no ambiente familiar. Um dos tipos mais praticados atualmente é o Cyberbullying que consiste em o agressor postar fotos constrangedoras, mensagens maliciosas e agressivas de alguém nas redes sociais. As principais consequências do Bullying são as doenças psicossomáticas, automotilação, depressão e suicídio. Para a prevenção do Bullying é necessário o envolvimento de professores, pais e alunos, conscientizando-os das consequências.
Sueli Cabral Midlej
Sueli Cabral Midlej Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

Salvador

A Lei 13.185, que entrou em vigor em 2016, classifica o bullying como intimidação sistemática, quando há violência física ou psicológica em atos de humilhação ou discriminação. Essa classificação inclui ataques físicos, insultos, ameaças, comentários e apelidos pejorativos, entre outros, diferenciando-se das "brigas comuns", quando se torna algo rotineiro. Os estudos apontam que crianças com um perfil mais retraído costumam ser as maiores vítimas.Geralmente elas apresentam maior dificuldade para se expressar e possuem medo de piorar a situação, já que muitas vezes a chantagem costuma fazer parte das agressões, contribuindo para o silêncio. É preciso ficar atento as mudanças de comportamento
Iara Maria Alves Pereira

Psicóloga

|

Osasco

Esse termo é mais usado em ambiente escolar caracterizando atos depreciativos de violência, física ou verbal, continuada.
Sara Guedes Conceicao
Sara Guedes Conceicao Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

Salvador

Ver mais

Tem perguntas sobre Bullying?

Nossos especialistas responderam 3 perguntas sobre Bullying.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

É uma questão de nomenclatura. Na vida adulta em ambientes de trabalho este mesmo fenômeno costuma ser chamado de Assédio Moral na literatura científica. Claro que o fenômeno no ambiente escolar e no trabalho tem suas peculiaridades, porém estamos falando do mesmo fenômeno.

  • 74
  • 87
  • 74
Dr. Augusto Yumi Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo

Porto Alegre

Marcar consulta

Bom, sei que trata-se de um assunto delicado para você, mas se você está cogitando contar esse fato para a sua psicóloga, é por que de alguma forma você sente que isto neja necessário, que não foi superado. A relação terapêutica deve ser de confiança. É importante que você consiga dividir tudo que achar necessário com o profissional que está lhe atendendo. E lembre-se que o papel do psicólogo não é de julgar ou criticar, apenas de lhe ajudar e fortalece-lo.

  • 1
  • 6
  • 5
Dra. Luana V. Lyra

Psicóloga

Fortaleza

Sua resposta está na sua pergunta. O "afeto desencadeado" foi a vergonha. Não deve ser fácil para você defender alguém (mesmo que seja seu irmão), uma vez que é tímida. Mas vamos olhar para frente: como a situação está agora? Será que no momento você ainda pode fazer alguma coisa para ajudá-lo? Converse com alguém da sua confiança sobre esse sentimento e veja o que é possível. Abs

  • Obrigado 1
  • 1 especialista está de acordo
  • 57
  • 55
  • 61
Tânia Maria Magalhães Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

Contagem

Marcar consulta

Ver as 3 perguntas sobre Bullying