Câncer de pâncreas - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Câncer de pâncreas

Informação sobre Câncer de pâncreas

O que é o câncer da glândula pâncreas?

O pâncreas é um órgão muito alongado, lanceolado, colocado horizontalmente no abdómen, atrás e abaixo do estômago. Ele tem três partes, cabeça, corpo e cauda. A cabeça é cercada pelo duodeno.

O câncer de pâncreas é definido pelo aparecimento de certas características de malignidade nas células dos tecidos e pode, como em outros cânceres, ficar localmente ou se espalhar para outros órgãos do corpo (metástase), essas células estão localizadas mais freqüentemente na glândula principal.

O que causa o câncer de pâncreas?

A causa exata é desconhecida, mas se têm identificado vários fatores de risco, especialmente fumo e abundância de gordura animal e carne vermelha na dieta. Por outro lado, uma dieta rica em frutas e vegetais pode ter algum efeito protetor. Não há evidências de que o consumo de café aumenta o risco. Há também dados sugerindo que a exposição prolongada a substâncias químicas como petróleo pode aumentar o risco.

Quais são os sintomas do câncer de pâncreas?

Geralmente os sintomas são leves e inespecíficos nos estágios iniciais do desenvolvimento do tumor, por isso, infelizmente, costuma ser detectado quando já está numa fase avançada. Os sintomas iniciais geralmente incluem perda de apetite e até repulsa em relação aos alimentos e perda de peso. Isto pode ser adicionado a sensação de vômito, cansaço e diarréia. Um sinal de que às vezes é relativamente cedo é a icterícia devido à compressão do tumor sobre o ducto biliar, localizado na cabeça do pâncreas. Essa compressão faz com que haja a má drenagem da bile, que contém um pigmento amarelo, bilirrubina, a partir do fígado para o duodeno, eo conseqüente aumento no sangue e na pele.

A dor abdominal é quase constante ao longo da evolução, e é o sintoma de início em 80% dos pacientes. É uma dor profunda, contínua, estendendo-se diretamente à parte posterior e mais intensa à noite, tornando o sono difícil. É dor muito inquietante e embora possa ser devido a outras doenças do pâncreas ou órgãos adjacentes, deve ser sempre um sintoma de alarme.

Finalmente, alguns pacientes desenvolvem diabetes como um sintoma inicial.

Como é diagnosticado?

Geralmente o diagnóstico é obtido com técnicas de imagem, principalmente a ultra-sonografia ou CT, é habitual para executar ambas as técnicas em. Você pode obter uma amostra de tecido para biópsia microscópica utilizando técnicas especiais com agulha CT-dirigido, e até mesmo uma colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE). CPRE em um corante injetado através da rede de canais do pâncreas, a fim de então, ver uma foto de sua distribuição e as alterações anatômicas que podem nos fazer suspeitar da presença de tumor, sua localização e dimensão aproximada. Na verdade há muitas técnicas disponíveis para o diagnóstico, mas só devem ser utilizadas em cada caso, necessário para atingir o mesmo e definir a localização e extensão do tumor.

Previsão

É muito desfavorável ??e praticamente não registou melhorias nos últimos 20 anos, infelizmente. 95% dos pacientes morrem em decorrência do tumor após um ano do diagnóstico. Sobrevida global em cinco anos, chega a 5%. Nos casos em que o diagnóstico é feito precocemente, a cirurgia radical alcançado uma sobrevivência de 20% em 5 anos, no máximo. Portanto, cuidados paliativos são de grande importância em pacientes que sofrem deste tumor.

Possui uma dúvida concreta sobre Câncer de pâncreas? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Câncer de pâncreas

É um tumor maligno de origem no pâncreas, pequeno órgão localizado atrás do estômago. Manifesta-se geralmente quando o quadro está muito avançado, através de perda de peso, icterícia (amarelão na pele), perda do apetite e dor abdominal. Quando diagnosticado precocemente, é possível tratamento cirúrgico. Nos casos avançados, o tratamento é paliativo através da quimioterapia.
Dr. Diogo Stinguel Thomazini
Dr. Diogo Stinguel Thomazini Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

|

Vila Velha

O Pâncreas é um órgão localizado no Retroperitôneo, isso que dizer que fica atras da maioria das vísceras do abdome. Inicialmente o câncer de pâncreas tende a ser assintomático e a presença de sinais e sintomas normalmente já conferem um quadro mais avançado, mas isso não é obrigatório. Por isso, sintomas digestivos inespecíficos, que não melhoram com medicações habituais devem ser investigados com exames de imagem, pois o diagnóstico precoce faz toda a diferença para a vida do paciente. Grande abraço
Francisco Carlos Nascimento Júnior

Cirurgião geral, Oncologista

|

São Luís

A cirurgia pode ser curativa para pacientes com tumores benignos ou tumores malignos com baixo grau de malignidade e para aqueles com doença em estágio inicial. A duodenopancreatectomia é também conhecida como Cirurgia de Whipple, por ter sido primeiramente descrita por Allan Whipple. É a cirurgia mais realizada para o tratamento do câncer da cabeça do pâncreas, podendo também ser utilizada para tratamento de outros tipos de câncer que podem se desenvolver na mesma região (de duodeno, por exemplo), os chamados tumores periampulares. Ë necessária a remoção da cabeça do pâncreas, do duodeno (parte do intestino delgado), de parte do ducto biliar e de uma porção do estômago.
Dr. Adriano Pereira Sampaio
Dr. Adriano Pereira Sampaio Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

|

São Paulo

O câncer de pâncreas frequentemente causa dores abdominais de forte intensidade. O que são nervos esplâncnicos? Os nervos esplâncnicos são estruturas responsáveis pela sensibilidade de alguns órgãos abdominais, entre eles o pâncreas. O procedimento é feito em regime ambulatorial (o paciente tem alta no mesmo dia), sem a necessidade de cortes. Emite-se, através de eletrodos específicos, uma corrente de radiofrequência na região dos nervos, inativando-os. O PROCEDIMENTO É EFETIVO? Sim, a radiofrequência dos nervos esplâncnicos é bastante efetiva no tratamento das dores abdominais secundárias ao câncer de pâncreas.
Dr. André Marques Mansano
Dr. André Marques Mansano Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Especialista em Dor

|

São Paulo

O tipo mais comum de câncer neste órgão é o adenocarcinoma. O grande problema é que apenas 20% dos pacientes tem doença passível de cura através da cirurgia. Isto ocorre porque o tumor pode passar despercebido. Os principais sintomas do câncer de pâncreas são dor na barriga (muitas vezes na “boca do estômago” e que pode ser sentida nas costas), perda de peso, icterícia (pele amarela) por obstrução do canal da bile e indigestão. A cirurgia deve ser realizada por um cirurgião especialista e num hospital de excelência. Posteriormente, o paciente deve receber quimioterapia por 6 meses.
Dra. Renata D'Alpino Peixoto
Dra. Renata D'Alpino Peixoto Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Oncologista

|

São Paulo

Ver mais

Tem perguntas sobre Câncer de pâncreas?

Nossos especialistas responderam 37 perguntas sobre Câncer de pâncreas.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Apesar de ser uma lesão agressiva na maioria das vezes, caso esteja em estágio precoce há chance de cura. Procure rapidamente um especialista.

  • Obrigado 1
  • 1 especialista está de acordo
  • 436
  • 133
  • 638
Dr. Diogo Stinguel Thomazini Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

Vila Velha

Marcar consulta

Lesões expansivas, de origem neoplásica, podem inicialmente, não ser diagnosticadas. Isso tem relação direta com o volume da lesão, sua localização e atividade metabólica, mais especificamente para o pet-ct . Particularmente lesões reconhecidamente de origem mucinosas, podem não ser demonstradas no pet. Fundamentalmente, temos aprendido que a história clínica e familiar, hábitos alimentares e consumo de álcool e tabaco, entre os mais comuns, dor abdominal ou lombar, perda do apetite, emagrecimento, surgimento da urina escura, olhos amarelos e aumento do volume do abdome, podem ser indicativos de anormalidades nesse órgão.

  • Obrigado 1
  • 1 especialista está de acordo
  • 43
  • 7
  • 48
Dr. Jose Francisco Mesquita Martins

Cirurgião do aparelho digestivo

Rio de Janeiro

Olá. 1) ressonância magnética de abdome ou tomografia computadorizada de abdome para detectar massas pancreáticas (que depois deverão ser analizadas com biópsia/cpre). 2) os mesmos exames de imagem + exames de sangue (amilase, lipase....). 3) O gastroenterologista é o médico que primeiramente deveria avaliar as lesões no pâncreas. Abraços

  • 589
  • 137
  • 505
Dra. Patricia Moretto Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Internista, Oncologista

Porto Alegre

Marcar consulta

Parte distal do estomago, todo duodeno e porcao da cabeca e processo uncinado do pancreas, parte do coledoco e vesicula biliar, alem dos linfonodos

  • 211
  • 21
  • 117
Dr. Felipe Lima Monteiro Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião geral, Oncologista

Fortaleza

Marcar consulta

Ver as 37 perguntas sobre Câncer de pâncreas