Perguntas sobre Doenças Da Córnea

Tem perguntas sobre Doenças Da Córnea?

Nossos especialistas responderam 45 perguntas sobre Doenças Da Córnea.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Perguntas sobre Doenças Da Córnea

45Perguntas

88Respostas

44Especialistas de acordo

76Pacientes agradecidos

No tratamento do ceratocone visamos a estabilização do mesmo. Se o paciente tem uma boa visão com óculos e a doença parada na topografia não precisa realizar nada. Se não tem boa visão com óculos e conseguir usar lentes rígidas com boa visão podemos acompanhar com topografias trimestrais. Se evoluir o cone, idade menor que 40 anos e córnea acima de 400 micras na paquimetria com baixa de visão está indicado o Crosslinking com ou sem implantação de anel intraestromal dependendo do pentacam. Se mesmo assim progredir hoje temos o transplante de córnea lamelar anterior com laser de femto segundo.

  • Obrigado 1
  • 1 especialista está de acordo
  • 17
  • 4
  • 17
Dr. Fabiano Calixto

Oftalmologista

Joinville

Ver as 4 respostas

É possível tentar usar lentes sim. Para isso, deve-se realizar a avaliação da curvatura coreana, para verificar os parâmetros e tipos de lentes melhores para o seu caso e análise de alguns fatores fisiológicos do olho, como ressecamento, por exemplo. Converse com seu médico para uma boa adaptação de lentes.

  • 28
  • 15
  • 24
Dra. Sylvia Portugal Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Oftalmologista

Rio de Janeiro

Marcar consulta

Ver as 4 respostas

O Galilei assim como o Orbscan ,o Pentacam, são exames da córnea que auxiliam o especialista a estadiar, acompanhar e eleger o melhor tratamento para o ceratocone, juntamente com os dados da sua avaliação clínica. Cada clinica ou consultorio escolhe um equipamento para realizar seu trabalho. A escolha do exame depende da disponibilidade e da familiaridade do especialista com ele. Portanto pode haver variacao de escolha de exame de uma clinica para outra.

  • Obrigado 1
  • 1 especialista está de acordo
  • 5
  • 6
  • 9
Dr. Jose Henrique Casemiro

Oftalmologista

Cascavel

Ver as 3 respostas

Não, apenas com o exame na lâmpada de fenda, no consultório, não é possível precisar a espessura da córnea, apenas com um exame específico, chamado paquimetria corneana.

  • Obrigado 2
  • 1 especialista está de acordo
  • 7
  • 3
  • 5
Dra. Fabiana Mahon

Oftalmologista

Recife

Ver as 3 respostas

Apenas nos extremos podemos saber se a córnea é fina (no caso de uma ulcera) ou espessa ( no caso de um edema) sem abrir mão de exames complementares. Nos casos onde não estamos diante de uma doença, a única maneira é medindo com equipamentos apropriados.

  • 221
  • 72
  • 324
Dr. Felipe Galdino Marcondes Campos Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Oftalmologista

Rio de Janeiro

Marcar consulta

Ver as 3 respostas

Há 2 causas mais frequentes: erosão recorrente após traumatismo corneano e uma distrofia corneana (determinada geneticamente) denominada distrofia da membrana basal. Em ambas as doenças, as células superficiais corneanas perdem aderência ao seu leito basal e as feridas "abrem". A prevenção da crise é realizada geralmente com géis lubrificantes, pomadas hiperosmóticas. Para o tratamento da erosão normalmente lançamos mão do uso de uma lente de contato, a qual promove alívio rápido dos sintomas. O tratamento definitivo mais aceito é a ceratectomia fotorrefrativa (cirurgia a laser)

  • 38
  • 11
  • 19
Lucas Shiokawa

Oftalmologista

Curitiba

Ver as 3 respostas

Basicamente sim. Às vezes escolhemos uma ou outra nomenclatura dependendo da extensão da lesão, mas todos querem dizer que há uma lesão epitelial superficial na córnea.

  • 361
  • 167
  • 238
Dra. Aline Andreza Henderson de Castro Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Oftalmologista

Ananindeua

Marcar consulta

Ver as 3 respostas

Olá! Não tenho como dizer quem está certo ou quem está errado nesta história, pois não avaliei sua mãe. Mas posso dizer, como especialista em córnea, que o fato de sua mãe ter córnea gutatta não é uma certeza de fazer transplante no futuro. Mostra um certo "enfraquecimento" do endotélio corneano que tem que ser acompanhado. Pode ser que venha ou não a precisar de transplante no futuro, caso o endotélio piore cada vez mais, chegando ao ponto de descompensar a córnea, resultando em edema ("inchaço") da mesma. Se ainda não tiver ido em um especialista em córnea, sugiro que seja seu próximo passo, para uma avaliação especializada e orientações mais eficazes.

  • 361
  • 167
  • 238
Dra. Aline Andreza Henderson de Castro Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Oftalmologista

Ananindeua

Marcar consulta

Ver as 3 respostas

Sim, corticoide pode ter efeitos colaterais como catarata e glaucoma, assim deve se avaliar se há uma doença de base (autoimune) bem como avaliar frequência das crises e intervalos, pode se usar também outras medicações inmuno moduladoras. também é possível fazer cirurgia que podem ajudar para diminui crises. Você necessita passar com especialista de doenças externas (cornea).

  • 10
  • 0
  • 1
Dr. Fernando Komatsu Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Oftalmologista

Joinville

Ver as 3 respostas

Essa senhora tem provavelmente distrofia endotelial de Fuchs (ou córnea guttata), que induz lesão progressiva nas células da parte interna da córnea (endotélio), responsáveis por manter a córnea transparente. Por mais perfeita q seja a cirurgia de catarata, sempre há algum grau de lesão adicional a essas células, aumentando o risco de opacidade corneana. Porém, se não operar a catarata, esta tende a progredir e causar diminuiçao visual, além de tornar-se mais dura e dificultar a cirurgia, causando ainda mais dano às células endoteliais da córnea. Caso a córnea ainda tenha boa transparência, sugiro realizar somente a cirurgia da catarata (facoemulsificação) e, no pós operatório, avaliar futura necessidade de transplante. Se já houver algum grau de opacidade e edema, recomendo a cirurgia combinada com transplante dessa camada da córnea que está prejudicada (endotélio).

  • 21
  • 10
  • 133
Dr. Daniel Wasilewski Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Oftalmologista

Curitiba

Ver as 2 respostas

Perguntas relacionadas

Outras perguntas respondidas por especialistas da Doctoralia: