Escoliose - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Escoliose

Informação sobre Escoliose

O que é?

Escoliose é o encurvamento da coluna vertebral. Ela pode ser desenvolvida em indivíduos de qualquer idade, inclusive em bebês. A coluna vertebral tem duas curvaturas quando olhada lateralmente: lordose e cifose. Elas são consideradas normais quando não possuem curvatura acentuada. Todavia, quando surgem desvios laterais ou rotacionais, também conhecidos como corcunda, a deformação recebe o nome de escoliose.

Qual é a causa?

Por muitas vezes não é possível detectar as causas da escoliose. Todavia, quando é possível apontar o causador, os principais são: - Escoliose postural: curvas leves que desaparecem por completo com a flexão da coluna vertebral. Muito comuns em adolescentes. - Escoliose secundária e dimetria: surge a partir da pélvis. Desaparece quando o paciente se senta. - Escoliose ciática: tem como origem uma hérnia de disco. - Escoliose inflamatória: desenvolve-se depois de crises de apendicite ou surgimento de abscessos. - Escoliose idioprática: normalmente hereditária. - Escoliose congênita: acredita-se não ser hereditária, mas fruto de alguma alteração ocorrida no período da gestação. Quais os sintomas? A escoliose não costuma apresentar quaisquer sintomas. Em algumas ocasiões pode surgir um leve incômodo nas costas após um período muito longo em determinada posição (seja sentado ou em pé) seguido por pequena dor e, por fim, dor intensa.

Como fazer o diagnóstico?

Um exame físico é capaz de detectar a escoliose. Para determinar o grau da condição é necessário realizar exames. O raio-X da coluna vertebral é o mais solicitado. Em alguns casos pode ser pedida a ressonância magnética.

Qual o tratamento?

Há diversas formas de tratamento da escoliose. Nos casos mais leves, causados pela postura, a fisioterapia é capaz de ajudar. A colocação de coletes ou até mesmo a cirurgia não podem ser descartados em situações mais graves.

Possui uma dúvida concreta sobre Escoliose? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Escoliose

Escoliose é o desvio para os lados com rotação de vértebras na coluna. Existem vários tipos de escoliose, com tipos de tratamento também diferentes. O tratamento depende basicamente da idade do paciente e da angulação da escoliose, desde exercícios, uso de coletes ou até cirurgias. Existem ainda outras deformidades da coluna vertebral, que também devem ser corretamente avaliadas pelo especialista e tratadas
Dr. Carlos Eduardo Narciso Sakai
Dr. Carlos Eduardo Narciso Sakai Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ortopedista - Traumatologista

|

São Paulo

O encurvamento da coluna vertebral é característico da escoliose. A coluna chega a se torcer para os lados, para frente e para trás e em volta do seu próprio eixo. Dependendo do grau de torção, a escoliose pode ser classificada com menor ou maior gravidade.
Dr. Paulo Souto Maior

Neurocirurgião

|

Niterói

Escoliose é a curvatura anormal da coluna mais comum, com desvio no plano frontal, ou seja, vendo o paciente de frente. É mais frequente em meninas adolescentes. As escolioses não apresentam uma causa identificada em cerca de 80-90% dos pacientes, sendo chamadas de “idiopáticas”. Curvas pequenas normalmente não causam problemas ou dor. A curva mais comum é na região mais alta das costa (coluna torácica ou dorsal). Em curvas maiores, o paciente pode apresentar desvios no quadril e ombros, que podem ficar desnivelados. Independente do tipo de escoliose apresentada e a idade de seu surgimento, é importante a avaliação com um especialista em coluna, para definir se há necessidade de tratar.
Dr. Breno Frota Siqueira
Dr. Breno Frota Siqueira Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ortopedista - Traumatologista

|

Brasília

Escoliose idiopática E o tipo mais comum de escoliose representa cerca de 80% dos casos e mais comum em adolescentes entre a idade de 10-16 anos . O termo idiopática e utilizado na medicina quando ha causa não e conhecida , ou seja , ainda não temos certeza o que causa a escoliose . A uma pesquisa continua sobre a causa da escoliose idiopática e de conhecimento que ha uma fator genético . A escoliose idiopática pode ou não progredir os fatores mais importantes para determina a progressão e o tamanho da curva e a fase de crescimento que se encontra o paciente . quanto maior a curva e mais novo paciente maior a probabilidade de evoluir com uma deformidade importante.
Dr. Paulo Rogerio Cortez
Dr. Paulo Rogerio Cortez Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Neurocirurgião

|

Niterói

A escoliose idiopática do adolescente corresponde aproximadamente a 80% dos casos de escoliose idiopática. O risco de progressão da curva é maior durante a puberdade, quando a taxa de crescimento do corpo é mais rápida. A Escoliose, nessa faixa etária, é muito mais prevalente em meninas do que em meninos e meninas são oito vezes mais propensas a precisar de tratamento para escoliose. Ainda assim, a maioria dos casos de escoliose são leves e não requerem tratamento. É importante observar que a escoliose idiopática pode determinar deformidade da coluna vertebral e das costelas, porém a dor nas costas é rara. Em crianças e adolescentes, a escoliose muitas vezes não têm nenhum sintoma visível.
Dr. Andre Luiz Pagotto Vieira

Ortopedista - Traumatologista

|

Imperatriz

Ver mais

Tem perguntas sobre Escoliose?

Nossos especialistas responderam 276 perguntas sobre Escoliose.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Os pacientes com escoliose idiopática do adolescente com baixo valor angular tentem a ter estabilização das curvas quando atingem a maturidade esquelética, porem em alguns casos poderemos encontrar progressao mesmo na fase adulta. Paciente com 31 ° é aconselhado manter o acompanhamento regular com radiografias e exame fisico para ter certeza que não haverá evolução.

  • 9
  • 1
  • 10
Dr. Adriano Passaglia Esperidião Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ortopedista - Traumatologista

Goiânia

Marcar consulta

Sim, ainda é possível realizar a cirurgia. Porem necessitamos de novos exames para saber o grau de escoliose que ele apresenta no momento. Grande Abraço

  • 52
  • 34
  • 218
Dr. Carlos Eduardo Gonçales Barsotti Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ortopedista - Traumatologista

São Paulo

Marcar consulta

É muito importante você saber o que é um resultado positivo com o uso do colete de Milwaukee. Ele é utilizado em pacientes com escoliose entre 20 e 40 graus, com esqueleto imaturo, normalmente até 2 anos após a menstruação, para que o adolescente, enquanto em fase de estirão de crescimento mantenha a curva da escoliose no mesmo grau. Ou seja, o colete, teoricamente, não corrige a escoliose, nem diminui o grau. Ele a mantem estável com o intuito de evitar a cirurgia, que é indicada quando a curva é superior a 40 - 50 graus. Converse melhor com seu médico para mais esclarecimentos.

  • 115
  • 15
  • 42
Samuel Ximenes Feijão Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ortopedista - Traumatologista

Fortaleza

Marcar consulta

Antes de mais nada é preciso uma avaliação completa com um ortopedista para analisar o equilíbrio do tronco assim como novos exames de imagem, assim como comparar com os antigos se ainda os tiver.

  • 19
  • 4
  • 15
Dr. Luciano Temporal Borges Cabral Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ortopedista - Traumatologista

Recife

Ver as 276 perguntas sobre Escoliose