Insuficiência Renal - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Insuficiência Renal

Informação sobre Insuficiência Renal

Insuficiência renal (uremia ou azotemia)

O que é insuficiência renal?

A função dos rins é, entre outras coisas, eliminar os resíduos resultantes do metabolismo. Um desses produtos, derivados do metabolismo da proteína é a uréia.

Quando  a função dos rins diminui, começam a se acumular no corpo produtos de nitrogênio derivados deste metabolismo de proteínas. Esse acúmulo é chamado de azotemia (nitrogênio: nitrogênio). Esta azotemia inicialmente é assintomática, mas se o declínio da função renal progredir, chega um momento em que os sintomas clínicos aparecem. Que é quando falamos de uremia ( o que se chama em clínica paciente urêmico ou urêmica), porque a maioria dos sintomas são decorrentes do aumento da uréia no sangue.

Qual é a causa de insuficiência renal?

Insuficiência renal pode ser aguda (definida em dias, semanas ou meses) ou crônica (desenvolve lentamente ao longo de vários anos).

Insuficiência renal aguda

Há três possibilidades:

  • Que a origem está em um distúrbio renal antes, em suma, que a quantidade de sangue que chega aos rins diminui. Isto pode ser devido a várias causas: hemorragia intensa, desidratação, diminuição significativa da pressão arterial, etc. Se o problema é suficientemente prolongado no tempo pode levar a danos permanentes nos rins.
  • Que a origem está em um distúrbio renal depois, como uma obstrução súbita dos dutos de urinar. As causas mais freqüentes de problemas da próstata e cálculo (pedras nos rins).
  • A origem está no próprio rim, por exemplo- efeitos de algumas drogas que podem causar insuficiência renal aguda, e o aparecimento de algumas doenças raras.

Insuficiência renal crônica

Existem muitas causas que podem causar insuficiência renal crônica, entre os quais incluem doenças inflamatórias que afetam o tecido renal, complicações a longo prazo do diabetes mellitus, obstrução crônica nas vias urinárias e certas doenças hereditárias. Em muitos casos, a causa pode ter ocorrido há muitos anos e não ter sido identificada.

Quais são os sintomas?

Insuficiência renal aguda

Os sintomas são em grande parte derivados da insuficiência renal causando desordem, tais como:

  • Sangramento maior, com queda súbita da pressão arterial.
  • Vômito e diarréia que provoca desidratação.
  • Lesões causadas por golpes, produzindo destruição maciça do músculo e acumulação de substâncias tóxicas no tecido renal.
  • Obstrução súbita dos dutos de urinar.

Insuficiência renal crônica

Geralmente não produz sintomas em seus estágios iniciais. É muitas vezes descoberta por acaso, fazendo um exame de sangue ou urina por qualquer outro motivo. Pressão arterial elevada é uma causa muito comum. Não produz sintomas até que o problema renal esteja bem avançado. Estes sintomas são:

  • Fadiga
  • Prurido
  • Falta de apetite
  • Náuseas e vômitos
  • Fraqueza
  • Inchaço retenção de líquidos nos tornozelos (edema)
  • Falta de ar

Como é insuficiência renal?

Insuficiência renal aguda

A maioria das causas de insuficiência renal aguda pode ser tratada, de modo que a função renal pode voltar ao normal depois de um tempo. Às vezes é necessário submeter o paciente a uma sessão de diálise ("rim artificial") até que o rim começa a funcionar normalmente.

Insuficiência renal crônica

Insuficiência renal crônica é uma situação irreversível que deve ser controlada estritamente a partir do momento do diagnóstico, a fim de retardar a progressão de uma  possível doença renal terminal. Nesta situação, os rins param de funcionar completamente, e o tratamento deve ser iniciado para substituir o rim do paciente (diálise ou transplante renal).

Como observado anteriormente, insuficiência renal crônica é assintomática até fases avançadas da mesma. Na fase inicial, o mais importante será o controle rigoroso da pressão arterial para evitar a falência renal progressiva.

As causas, por vezes, podem ser identificados, mas na maioria das vezes a sua identificação não será possível e o tratamento vai ser inespecíficos.

Em relação ao tratamento geral de insuficiência renal crônica, a ênfase deve ser em quatro áreas principais:

  • Dieta: restringir a ingestão de sal, potássio, proteínas e fosfato.
  • A anemia que acompanha pacientes com insuficiência renal crônica tratados com injeções do hormônio eritropoietina, que estimula a produção de glóbulos vermelhos.
  • Para evitar doenças ósseas que ocorrem nestes pacientes que utilizaram suplementos de vitamina D (comprimidos).
  • Prevenção de certas drogas (principalmente anti-inflamatórios) que podem piorar a função renal.

Diálise

Existem basicamente dois tipos de diálise: hemodiálise e diálise peritoneal.

Diálise peritoneal

O peritônio é a membrana que reveste os órgãos internos do abdomem. Para realizar a diálise, um cateter (tubo plástico) dentro do abdômen é conectado diretamente ao exterior através da pele. Através desse cateter  um fluido especial (dialisante) no abdômen entra e sai por várias horas (3-5 horas), após o qual o fluido é removido, contendo produtos do corpo de resíduos. Esta técnica é repetido por 4-5 vezes ao dia.

Esta forma de tratamento é muito bem sucedida e depois de um período de aprendizagem são os próprios pacientes (principalmente) que realizam a técnica em casa, utilizando a equipe de nefrologia.

Hemodiálise

Necessário em pacientes com insuficiência renal grave. É realizada através de um acesso permanente vascular (fístula artério-venosa ou juntar uma artéria a uma veia por cirurgia sob anestesia local). No caso em que o paciente não tem fístula arteriovenosa, o início de hemodiálise é feita pela colocação de um cateter em uma veia central no corpo (maiores). A técnica envolve a passagem de sangue do paciente através de um "rim artificial" ou "máquina de diálise", que limpa o sangue e retorna ao paciente.

Este processo leva cerca de 4 horas e é repetido a cada dois dias. É feito em unidades de diálise em hospitais ou centros de diálise.

Pacientes com insuficiência renal aguda  requerendo hemodiálise utilizam a técnica de cateter descrito acima.

Possui uma dúvida concreta sobre Insuficiência Renal? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Insuficiência Renal

Insuficiência renal é a perda da capacidade de seus rins filtrarem resíduos, sais e líquidos do sangue. As principais causas de insuficiência renal são hipertensão e diabetes mal controlados. Na maioria das vezes, as doenças renais são assintomáticas, isto é, não causam sintomas. Os principais sinais de insuficiência renal são: pressão alta, inchaço ao redor dos olhos e nas pernas, fraqueza constante, náuseas e vômitos frequentes, dificuldade de urinar, urina com aspecto sanguinolento, urina com muita espuma. Toda pessoa que apresentar estes sintomas e/ou alteração da ureia e/ou creatinina e/ou exame de urina deve procurar um nefrologista.
Luis Gustavo Trindade
Luis Gustavo Trindade Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Médico clínico geral, Nefrologista

|

Belo Horizonte

A insuficiência renal é resultado de diversas doenças que agridem os rins. Essa perda da função dos rins em eliminar parte da "sujeira"do corpo e do líquido em excesso no organismo pode ser reversível ou não a depender da causa e do tempo que demora para o paciente iniciar o tratamento correto. Os sintomas são variados e inespecíficos como inchaço nas pernas, náuseas e vômitos sem causa aparente com falta de apetite, pressão alta ou alteração na urina que pode estar avermelhada ou espumosa. É importante avaliação de exames como ureia, creatinina, potássio ou alteração no exame de urina I. O tratamento depende da causa e em muitos casos tenta evitar que a função dos rins piore.
Dra. Patricia Taschner Goldenstein
Dra. Patricia Taschner Goldenstein Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Médica clínica geral , Nefrologista

|

São Paulo

Inúmeras doenças acometem o rim levando a insuficiência renal crônica que no seu estágio avançado pode levar a necessidade de hemodiálise. As principais causas de doença renal no Brasil são diabetes e hipertensão arterial. Mas outras causas estão ligadas como a presença de hepatite B ou C, sorologia positiva para HIV, o Lupus Eritematoso Sistêmico. Algumas doenças são do rim como algumas glomerulonefrites, estas por sua vez relacionadas a história familiar de doença renal. Infecção urinária de repetição, obesidade, tabagismo, calculo renal, distúrbios prostáticos, neoplasia uterina também estão relacionados a perda da função renal. Cabe ao nefrologista identificar a causa e tratar.
Dra. Cristina Lupatini Pinto
Dra. Cristina Lupatini Pinto Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Médica clínica geral , Nefrologista

|

Belém

As principais causas de insuficiência renal crônica no Brasil e no mundo são o Diabetes e a Hipertensão, especialmente quando mal controlados. A insuficiência renal crônica é uma doença silenciosa, assintomática até as fases mais avançadas, quando mais de 85% da função já se perdeu. Por isso, é de extrema importância a realização de exame de creatinina e de urina de forma rotineira na população de portadores de diabetes e hipertensão, nos indivíduos com história familiar de alguma doença renal e nos indivíduos acima de 40 anos. Na grande maioria das vezes, a progressão para necessidade de hemodiálise pode ser evitada, caso seja diagnosticado em fases precoces.
Dra. Mariana Meneguso Nogueira
Dra. Mariana Meneguso Nogueira Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Nefrologista

|

São Paulo

Ver mais

Tem perguntas sobre Insuficiência Renal?

Nossos especialistas responderam 31 perguntas sobre Insuficiência Renal.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Os pacientes em diálise peritoneal e que possuem um cateter podem sim manter relações sexuais normalmente. Os cuidados com o cateter devem ser mantidos conforme orientação do centro dialítico responsável pela condução do paciente. Contudo, é importante lembrar que pacientes com insuficiência renal crônica podem apresentar disfunção sexual tais como redução da libido e disfunção erétil não só pela uremia mas em decorrência também de problemas vasculares, neuroendócrinos, psicológicos e por efeitos colaterais de medicamentos.

  • 3
  • 2
  • 3
Guilherme de Resende Raposo Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Nefrologista

Belo Horizonte

Marcar consulta

Existe uma estreita relação entre a gota e a doença renal crônica. Os pacientes que tem gota, especialmente aqueles sem controle, podem desenvolver uma forma de nefropatia (doença renal), chamada nefrite túbulointersticial cronica, que pode levar a disfunção renal, se nao for tratada. De outra forma, pacientes que já tem insuficiência renal cronica, freqüentemente tem aumento do acido úrico e podem piorar a gota. Desta forma, em qualquer situação, existem medidas dietéticas e medicamentos que sao capazes de controlar a situação presente. Procure seu medico e nao deixe de seguir todas as orientacoes.

  • 37
  • 20
  • 104
Dr. Egivaldo Fontes

Nefrologista

Rio de Janeiro

Boa tarde! O omeprazol pode raramente levar a um quadro de inflamação nos rins chamado de nefrite intersticial. Entretanto, é preciso avaliar a necessidade de uso do omeprazol e pesar risco benefício especialmente se a insuficiência renal for aguda (ou seja, insuficiência renal há bem pouco tempo e com possibilidade de melhorar). Portanto sugiro que converse com o nefrologista que o acompanha antes de iniciar esse ou qualquer outro medicamento que possa influenciar na função dos rins.

  • 9
  • 6
  • 4
Dra. Patricia Taschner Goldenstein Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Médica clínica geral , Nefrologista

São Paulo

Marcar consulta

Os seus exames estão dentro da normalidade, no entanto deve-se ter uma atençao especial quanto a ingestão de proteinas que podem levar a uma sobrecarga renal. O ideal é ter uma alimentaçao equilibrada, nutricionalmente adequada. Como nefrologista, sou contrária ao uso de suplementaçao proteica.

  • 27
  • 2
  • 7
Dra. Céres Felski Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Nefrologista

Balneário Camboriú

Marcar consulta

Ver as 31 perguntas sobre Insuficiência Renal