Obesidade - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Obesidade

Informação sobre Obesidade

O que é obesidade?

A obesidade é um acúmulo excessivo de gordura corporal, aumentando o risco de algumas doenças e o risco de morte. Esta gordura pode acumular-se preferencialmente no abdómen, como no masculino (em forma de maçã obesidade), ou nos quadris e nádegas (obesidade em forma de pêra).

A melhor maneira de dizer se uma pessoa é obesa e a gravidade da obesidade é calcular o índice de massa corporal (IMC) relacionar o peso e a altura de cada indivíduo através da fórmula: peso (em quilogramas) / altura ² (m ). Considera-se que um sujeito tem um peso normal quando o IMC está entre 18,5 e 25. Se você tem entre 25 e 30 é considerado uma pessoa está acima do peso e se for maior que 30 é considerado obeso. Um IMC maior que 40 indica obesidade grave, caso em que o paciente deve receber tratamento médico, pois o risco de diabetes mellitus, doença cardíaca e pedras na vesícula biliar aumenta desproporcionalmente.

Qual é a freqüência da obesidade?

A obesidade é mais comum em homens que em mulheres. A prevalência da obesidade está aumentando na maioria dos países desenvolvidos e em desenvolvimento.

Que doenças são produzidas ou agravadas pela obesidade?

A obesidade é uma causa de rejeição social e pode levar a problemas psicológicos, como baixa auto-estima e sentimentos de inferioridade, por vezes motivadas por discriminação reais enfrentados por pessoas obesas.

Além dos problemas com excesso de peso muitas causas físicas, como a perda de agilidade,  fadiga, dificuldades com a higiene pessoal infecções da pele, dor nos joelhos, tornozelos e costas. No entanto, os efeitos mais perigosos da obesidade são devido à facilidade com que os pacientes obesos desenvolvem diabetes insulino-dependente, hipertensão, trombose coronária e infarto do miocárdio e trombose cerebral. Outros problemas relacionados à obesidade são pedras na vesícula biliar e alguns tipos de câncer.

Qual é a causa da obesidade?

Hereditariedade e genética influenciam o desenvolvimento da obesidade, mas ela se desenvolve, necessariamente, com a ingestão de mais calorias do que vocêconsome-  come mais alimentos com poucas atividade diária e exercícios. Portanto, há dois outros componentes: comer demais e se exercitar pouco.

Muitas pessoas superestimam a importância da constituição genética, e é um fato provado repetidamente que os obesos tendem a subestimar o que comem. É um fato que nos países em desenvolvimento, onde eles realizam muita atividade física e alimentação saudável e menos abundantes, a obesidade é um problema comum. A constituição genética dos habitantes da Europa não mudou desde a segunda guerra mundial, mas se a freqüência de obesidade aumentou em paralelo com as mudanças no estilo de vida e aumento da disponibilidade de alimentos.

Atividade física em uma base regular também ajuda a manter um peso saudável, queimar calorias com o exercício. Não pode ser excluída a possibilidade de outros fatores ainda não identificados, também podem influenciar o ganho de peso.

Quando é que a obesidade é perigoso?

Um IMC maior que 25 carrega um maior risco de desenvolver as doenças acima referidas e, especialmente, se o seu IMC está acima de 30, é importante perder peso. Quando a gordura se acumula no abdômen, aumentando o diâmetro da cintura, o risco é maior quando a gordura se acumula nas nádegas e extremidades. Quando o tamanho da cintura excede 94 cm. um homem ou 80 cm. uma mulher não deve ganhar mais peso, porque quando estas medidas atingem 102 cm. em homens ou 88 cm. nas mulheres aumenta o risco de todas as doenças associadas à obesidade.

Qual é o tratamento da obesidade?

Para muitas pessoas obesas é muito difícil alcançar o peso adequado para um IMC de 25, porém uma perda de 5 ou 10 libras já implica um efeito saudável para o coração. Perda de peso reduz os requisitos de colesterol no sangue, pressão ou insulina em diabéticos medicação e diminuir os riscos associados com a obesidade.

A ajuda do médico e seguir uma dieta de 1500-2000 Kcal. obter uma perda de peso em dia a maioria dos pacientes. Ele também pode ser eficaz para evitar os alimentos ricos em gordura. Após a perda de peso é essencial para continuar com uma vida de manutenção da dieta baixo teor de gordura no seu conjunto evitar recuperar o peso. Também é muito importante para aumentar a atividade física um regime de exercício regular.

Pacientes que não conseguem dieta da perda satisfatória de peso podem ainda fazer tratamento médico ou cirúrgico.

Quando você precisa de tratamento médico?

Nem todas as pessoas obesas precisam de tratamento médico. Se um paciente perde peso, mudando sua dieta e atividade física não é necessário um consultório médico. No entanto, nas seguintes circunstâncias você deve consultar o seu médico:

  • Pessoas com um IMC maior que 30 que perderam peso com mudanças na dieta e atividade física.
  • Pessoas com um IMC de 30 ou menos e que também têm fatores de risco como colesterol elevado (hipercolesterolemia), diabetes, artrite, etc ... ou outras complicações relacionadas ao excesso de peso.
  • Pessoas com um IMC de 30 ou inferior têm aumentado o seu peso rapidamente.

Alguns medicamentos usados ??para tratar a obesidade podem levar a sérias complicações, nunca deve ser o pilar do tratamento e nunca deve ser utilizado em crianças e adolescentes.

Como você manter a perda de peso?

Regimes mais eficazes para perda de peso foram relatados por especialistas, mas a principal dificuldade reside na obtenção de uma mudança no estilo de vida (dieta e exercício físico), para evitar ganho de peso perdido.

Ganho de peso e desenvolvimento da obesidade é um processo lento, não se pode esperar alcançar o peso adequado em algumas semanas ou meses. A obesidade não pode ser curada, o tratamento é, portanto, muito longo, mesmo para a vida se eles procuram evitar os riscos da doença. O medicamento pode jogar em qualquer caso, um papel de transição ou de apoio.

Conhecimento sobre os efeitos do uso prolongado (vários anos) de medicamentos no tratamento da obesidade e compatibilidade com outros medicamentos são muito limitados. Até que mais informações se tornarem disponíveis ou novas drogas, ou medicação use dietas extremas devem ser reservados para pacientes com complicações que são muito importantes para perda de peso.

Quais os medicamentos que podem ser usados ??no tratamento da obesidade?

Alguns medicamentos podem aumentar a perda de peso ou ajudar a evitar recuperar o peso.

Drogas que reduzem o apetite facilitam a adaptação à dieta. Eles podem até fazer você perder peso sem fazer dieta, mas são mais eficazes quando combinados. Isto é provavelmente devido a uma maior sensação de saciedade durante as refeições e crise de bulimia (vontade de comer). Alguns destes medicamentos podem aumentar o seu corpo queima calorias.

Outras drogas inibem a absorção de gordura no intestino delgado. Eles têm efeitos colaterais nas drogas que suprimem o apetite, mas podem causar diarréia ou perda de gordura com as fezes. Estes medicamentos podem aumentar a perda de peso, especialmente quando o paciente tenha se estabilizado após uma dieta. Em qualquer caso, as drogas são cada vez mais e mais importantes para um programa que inclui dieta e exercício.

Possui uma dúvida concreta sobre Obesidade? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Obesidade

A obesidade é uma doença que envolve todo o organismo. Necessita de estratégias direcionadas a causa do ganho de peso, que são diferentes para cada um. Ás vezes mutações genéticas, outras hábitos nocivos, disbiose, ansiedade e assim por diante. Procuro a causa da disfunção, e trato a partir daí, sempre procurando estratégias menos nocivas possíveis.
Dra. Andrea Baumgarten Rezende
Dra. Andrea Baumgarten Rezende Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Internista, Médica clínica geral

|

Florianópolis

É considerada uma doença pela Organizaçao Mundial de Saúde de alta complexidade e gravidade porque está associada a outras patologias: diabetes, hipotiroidismo, queda dos hormônios sexuais, aumento na incidência de alguns tipos de câncer, infarto, acidente vascular cerebral, aumento dos casos de depressão, ansiedade, compulsão alimentar, etc. Por isso, requer tratamento e acompanhamento à longo prazo com equipe multidisciplinar e de forma holística, ou seja, tratar corpo e mente para termos resultados positivos e mais duradouros.
Dra. Lanna Cristina Gomes Leite
Dra. Lanna Cristina Gomes Leite Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Endocrinologista

|

Goiânia

Acompanhamento terapêutico no tratamento da obesidade, visando o auxílio na superação das dificuldades do processo de emagrecimento, oferecendo ferramentas para a realização das mudanças necessárias para a perda e manutenção do peso, respeitando as características e limites individuais.
Gisele Gasparetto
Gisele Gasparetto Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

São Paulo

O acúmulo de gordura corporal caracteriza a obesidade, que tem como parâmetro mais usado para diagnóstico o indicie de massa corporal (IMC). O IMC deve estar acima de 30 para que o individuo seja considerado obeso. A obesidade pode ter fatores diversos como causa, má alimentação, genética, distúrbios endócrinos,fatores ambientais e emocionais. Os indivíduos obesos estão mais predispostos aos riscos do desenvolvimento de doenças cardiovasculares, diabetes melitus tipo 2, hipertensão, Intolerância à glicose, hipercolesterolemia, hipertrigliceridemia, HDL baixo, hiperuricemia, doença hepática gordurosa não alcoólica, entre outras.
Dra. Vanusa Boim
Dra. Vanusa Boim Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Nutricionista

|

Duque de Caxias

A obesidade é o resultado de diversa interações, nas quais chamam a atenção os aspectos genéticos, ambientais e comportamentais. Assim, filhos com ambos os pais obesos apresentam alto risco de obesidade, bem como determinadas mudanças sociais estimulam o aumento de peso em todo um grupo de pessoas. Independente da importância das diversas causas, o ganho de peso está sempre associado a um aumento da ingesta alimentar e a uma redução do gasto energético. O aumento da ingesta pode ser decorrente da quantidade de alimentos ingeridos ou de modificações de sua qualidade, resultando numa ingesta calórica total aumentada.
Dra. Maria Emilia Machado França
Dra. Maria Emilia Machado França Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Nutricionista

|

Rio de Janeiro

Ver mais

Tem perguntas sobre Obesidade?

Nossos especialistas responderam 30 perguntas sobre Obesidade.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Todo tratamento para obesidade envolve a matemática simples em que você deve gastar mais calorias do que ingere para poder emagrecer. A melhor forma de atingir esse objetivo é se orientando com equipe multidisciplinar, que habitualmente vai preferir tratamento convencional porque é mais seguro e estudado. Sempre lembre que qualquer dieta deverá incluir ingestão mínima de nutrientes essenciais e não há tratamento milagroso.

  • 213
  • 52
  • 103
Dr. Thiago Reis Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

Teresina

Marcar consulta

O acompanhamento da obesidade se dá melhor quando em equipe multiprofissional. Acredito que o acompanhamento por psicólogo conjuntamente seja fundamental. As medicações podem ajudar no controle da ansiedade e fome, e devem ser ajustadas durante o tratamento. Usualmente tem de ser ajustadas e/ou trocadas no decorrer do acompanhamento. É interessante complementar com assistência de nutricionista e educador físico, igualmente. Uma coisa importante: quando se perde peso, a fome AUMENTA! Por isso a importância do ajuste das medicações conforme se emagrece. Fica a questão se o que sente nessa ocasião é "ansiedade por alimentos" ou fome. Att Dr Thiago Napoli

  • 25
  • 16
  • 75
Dr. Thiago Fraga Napoli Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Endocrinologista

São Paulo

Marcar consulta

Boa tarde, O profissional a ser procurado dependerá do seu objetivo. Tente identificar o que mais lhe incomoda, se for só a questão de ter muita gordura abdominal sugiro que procure a princípio um nutricionista. Mas se essa questão estiver trazendo sofrimento emocional à você, procure também um profissional da Psicologia. Atenciosamente, Andressa Fieni

  • 2
  • 1
  • 2
Andressa Fieni Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

Vila Velha

Olá! Você pode procurar um profissional nutricionista para investigar a causa dessa gordura abdominal, como também fazer outras avaliações através da bioimpedância ou antropometria, para verificar como está sua porcentagem de gordura corporal e massa muscular, e também solicitar exames bioquímicos. Cada ser um humano tem um biotipo, ou seja, um corpo com características específicas. Uma quantidade elevada de gordura na região abdominal deve ser investigada pois é um fator de risco para doenças crônicas como diabetes e hipertensão. Se for necessário o próprio nutricionista poderá solicitar o encaminhamento para um profissional médico específico para trabalhar em conjunto se for necessário para um tratamento adequado. Abraços.

  • Obrigado 1
  • 1 especialista está de acordo
  • 11
  • 2
  • 5
Carolina Duarte Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Nutricionista

Osasco

Marcar consulta

Ver as 30 perguntas sobre Obesidade