Otosclerose - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Otosclerose

Os especialistas falam sobre a Otosclerose

A otosclerose é resultado do crescimento ósseo anormal ao redor de um ossículo da audição chamado estribo, o que causa redução na sua mobilidade e consequentemente diminuição da transmissão sonora. Mais raramente, essa desordem óssea pode se estender para o ouvido interno. Tem predisposição genética e inicia geralmente na idade adulta. Acomete 10% da população branca e 2x mais mulheres que homens. O diagnóstico provável é realizado pelo exame de audiometria. Algumas vezes exames de imagem como uma tomografia computadorizada pode ser solicitada. Sintomas: Perda auditiva uni ou bilateral. Em alguns casos zumbidos e tontura.
Dr. Paulo Sergio Trabuco Dorea
Dr. Paulo Sergio Trabuco Dorea Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Otorrino

|

Salvador

A otosclerose (ou otospongiose) fenestral é uma doença caracterizada pelo desenvolvimento de um foco de osso anormal junto à platina do estribo (ossículo da audição; menor osso do corpo humano), tornando-o imóvel. Como o movimento deste osso é fundamental para transferir a energia sonora para a cóclea, quando isso acontece o indivíduo evolui com uma perda condutiva da audição. A substituição de parte do estribo por uma prótese, cirurgia chamada Estapedotomia, pode restabelecer este mecanismo de condução, melhorando a audição. Alguns tratamentos clínicos (com Alendronato e Fluoreto de Sódio) são descrito com eficácia em alguns casos específicos. Aparelhos auditivos também podem ser úteis.
Dr. Édio Cavallaro
Dr. Édio Cavallaro Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Otorrino

|

Rio de Janeiro

A otosclerose ou otospongiose é uma doença que possui caráter genético/hereditário, porém, de causa indeterminada. Originada através da remodelação e neoformação óssea, dentro do ouvido médio, principalmente na região do estribo, impedindo a vibração normal da cadeia ossicular, levando à perda auditiva progressiva que pode ser unilateral ou bilateral, ou seja, em um ou nos dois ouvidos. A perda auditiva causada pela doença pode ser tratada com uma microcirurgia para retirada do estribo calcificado e colocação de uma pequena prótese dentro do ouvido, fazendo com que o paciente volte a ouvir novamente. Procure um otorrino especializado em cirurgia otológica para mais informações.
Luiz Patrial Netto Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Otorrino

|

Curitiba

Ver mais

Tem perguntas sobre Otosclerose?

Nossos especialistas responderam 45 perguntas sobre Otosclerose.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

A Otosclerose ainda é uma doença com causa e mecanismo não muito bem estabelecidos. Sabe-se que tem relação com a idade, é mais comum em mulheres e há alguns pesquisadores que defendem a idéia de que seja influenciada por hormônios, o que poderia levar a uma piora na gestação, mas a causa não seria a gravidez em si.

  • 66
  • 52
  • 370
Dra. Carolina Brotto de Azevedo

Otorrino

Ribeirão Preto

Tudo depende muito de analisar seu caso mais aprofundadamente. Dependendo dos achados, acredito que ainda pode-se considerar a cirurgia de Estapedotomia / Estapedectomia. Não estou em posição de discordar nem concordar com seu médico e certamente ele deve ter os motivos dele para chegar a esta conclusão, mas , repito, tudo depende de uma análise mais profunda do seu caso, ou seja, uma segunda opinião.

  • 180
  • 67
  • 390
Dr. Sandro Sérgio Muniz da Silva Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Otorrino

Mogi das Cruzes

Marcar consulta

Olá! Algumas pessoas apresentam piora da audição após a gravidez, mas isso não é uma regra. Você deve pensar se está disposta correr o risco de ouvir menos após a gravidez. A maioria das mulheres acha que vale a pena correr o risco para ter um bebê. Você deve decidir. atenciosamente

  • 83
  • 13
  • 186
Juliana Alves de Sousa Caixeta Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Otorrino

Anápolis

Marcar consulta

Boa tarde Uma curva Ar na Timpanometria com alteração na Audiometria ,pode sugerir uma patologia chamada Otosclerose. Sugiro que faça uma confirmação diagnóstica já que existe a possibilidade de correção cirúrgica. Um abraço

  • 5
  • 0
  • 1
Dra. Branca Cristina Simões Duarte

Otorrino

Rio de Janeiro

Ver as 45 perguntas sobre Otosclerose