Pedras nos rins (cólica renal) - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Pedras nos rins (cólica renal)

Informação sobre Pedras nos rins (cólica renal)

O que são pedras nos rins?

Pedras ou cálculos renais são o resultado de precipitação de qualquer uma das várias substâncias que são eliminadas pelos rins na urina. Substâncias como o cascalho precipitado  acabam formando pedras. Os mais comuns são aqueles formados por sais de cálcio como oxalato de cálcio (70%) e fosfato de cálcio, ácido úrico (12%), cistina (2%) e estruvita (fonte de infecção).

O pico de incidência desta doença está entre as terceira e quinta décadas de vida, e na maioria das vezes afeta os homens (2-3/1), embora em crianças a incidência é semelhante em ambos os sexos.

Quais são os sintomas de pedras nos rins?

Os cálculos do sistema urinário se manifestam de várias maneiras dependendo de sua origem, tamanho e localização, e  na maioria das vezes cólicas  ocorrem quando a pedra provoca uma obstrução à passagem de urina em qualquer parte do ureter. Isso faz uma sobrepressão e distensão do trato urinário e  assim, causa dor grave.

Cólica renal é uma dor de início súbito que está localizado na região lombar do lado afetado, e pode irradiar para o abdômen, virilha e testículo ou vulva. Pode ser acompanhada de sudorese, palidez, náuseas e vômitos. Se você estiver perto da bexiga, o paciente pode ter um desejo constante de urinar e coceira intensa.

Outros problemas que podem causar a produção de pedras são a hematúria e infecção da urina.

Um aspecto importante que deve ser levado em consideração é o tamanho da pedra, normalmente apenas os menores (com menos de 1 polegada) podem passar para o ureter e causam cólicas. As pedras maiores podem continuar a crescer  se não for tratada a função renal se seriamente comprometida.

O que deve ser feito com uma cólica renal?

Se você tiver uma cólica renal, você tem que ir ao médico (muitas vezes uma questão de urgência, dada a intensidade da dor), de modo que, inicialmente, ele trata a dor, que muitas vezes requer medicação intravenosa ou intramuscular,  em um ambulatório ou hospital. Se o cálculo for menor que uma polegada, geralmente pode ser expulso sem dificuldade, embora o processo possa demorar vários dias. Quando a pedra dá acesso ao ureter e da bexiga, ocorre a cessação da dor e ela será excluído com a micção.

Que testes são realizados?

Geralmente na forma inicial, exames de sangue e urina, especialmente para avaliar a função renal e excluir infecção do trato urinário. Além disso, serão praticados radiografia simples (sem contraste) para avaliar o tamanho e a posição do cálculo (exceto para os casos onde a pedra é apenas o ácido úrico, as pedras de ácido úrico não são visíveis na radiografia).

Ultra-som nos dá informações sobre a posição das pedras, em muitos casos e, sobretudo, o grau de obstrução que tem o rim afetado. Se o tratamento for necessário, será aconselhável obter uma radiografia com contraste para avaliar mais detalhadamente a posição e o tamanho da pedra e seu impacto funcional. Alguns centros realizam uma varredura nestes casos, mas acrescenta logo que o processo não fornece qualquer informação adicionada ao teste anterior.

Devemos ir a um especialista?

É aconselhável visitar o seu urologista, que irá:

  • Verificar a passagem de pedra.
  • Estudar a composição do cálculo, identificar uma doença metabólica que pode causar pedras e tratamentos  que tentam impedir a formação de um novo.
  • No caso em que não tenha sido expulso ou ter um tamanho que impede a sua remoção, é necessário realizar procedimentos que permitem  avaliar o estado das pedras, bem como a estrutura e funcionalidade do trato urinário.

Atualmente a maior parte do tempo se pode quebrar as pedras em pequenos fragmentos (deportável) pelo uso de litotripsia extracorpórea por ondas de choque, embora possa ser necessário o uso de cirurgia endoscópica (através de um tubo inserido no ureter através da uretra ou no rim através da pele) ou cirurgia aberta (que requer incisão). Durante este processo podem ser  necessários usar dispositivos como cateteres (tubos de plástico colocado dentro do ureter) ou tubo de nefrostomia (hospedado pela pele da parte interna traseira da pelve renal) para aliviar a obstrução que possam existir em os rins afetados.

Que é litotripsia?

Litotripsia é uma técnica não invasiva que é a fragmentação do cálculo, gerando ondas de choque. O número de ondas e intensidade delas, depende da posição do cálculo, seu tamanho e dureza do mesmo. A litotripsia requer apenas uma pequena sedação. Na maioria dos casos, é realizado em internamento hospitalar por algumas horas para monitorar a ocorrência de complicações, embora em alguns casos pode ser realizado mesmo em regime de ambulatório (sem renda).

Possui uma dúvida concreta sobre Pedras nos rins (cólica renal)? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Pedras nos rins (cólica renal)

A famosa cólica renal é caracterizada por dor lombar intensa, de início súbito, geralmente descrita pelos pacientes como a "pior dor da vida", podendo estar associada a náuseas, vômitos e palidez cutânea. É provocada na grande maioria dos casos pela migração de um cálculo do rim para a bexiga. Ao obstruir parcialmente o fluxo de urina do rim para a bexiga, o cálculo provoca dilatação do sistema urinário, consequentemente provocando dor. As chances de eliminação espontânea variam dependendo do tamanho do cálculo, posição em que ficou impactado e características próprias do paciente. O melhor exame para diagnóstico adequado é a tomografia de abdome. Alguns casos necessitam cirurgia.
Dr. Gabriel Barbosa Franco
Dr. Gabriel Barbosa Franco Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Urologista

|

São Paulo

Medidas dietéticas que ajudam a diminuir a formação dos cálculos renais. 1. Aumentar a ingestão de líquidos : 2 litros em dias normais e 3 litros em dias quentes ( pode ser água, sucos ou chá de ervas ou de frutas ) .. 2. Tomar limonada 120ml ao longo do dia. 3. Diminuir a ingesta a alimentos ricos em oxalato ( espinafre, chá verde e preto,amêndoas, amendoim, chocolate e bebidas achocolatadas. 4. Aumentar a ingesta de alimentos ricos em fibras. 5. Diminuir o consumo de sal de cozinha . 6. Evitar o consumo excessivo de alimentos a base de proteínas( miudo e carne vermelha, frutos do mar,,aspargo.enlatados).
Dr. Michel Salim Khouri
Dr. Michel Salim Khouri Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Urologista

|

Viçosa

A cólica nefrética é uma das piores dores que o ser humano pode sentir. Além da dor na altura dos rins que pode se irradiar para os órgãos genitais também podemos citar outros sinais e sintomas: náuseas e vômitos, hematúria (sangramento ao urinar), ardência ao urinar. A dor da cólica nefrética geralmente requer uso de medicamentos endovenosos para aliviar a dor e é decorrente na maioria das vezes da impactação de cálculos (pedras) no ureter (canal que une o rim à bexiga). Dependendo do tamanho e localização o tratamento endoscópico consiste numa das melhores opções terapêuticas visto se tratar de um procedimento minimamente invasivo, com alta precoce e resolução na maioria dos casos.
Dr. Eudes Pinheiro
Dr. Eudes Pinheiro Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Urologista

|

Fortaleza

A cólica renal acontece durante a passagem de um cálculo (pedra) através do ureter. Essa passagem do cálculo dificulta a drenagem de urina do rim para a bexiga o que determina a dor intensa nas costas que pode irradiar para a virilha. O tratamento da cólica renal envolve a utilização de medicamentos e o tratamento cirúrgico para os casos em que as medicações não conseguem ser suficientes ou em que há sinais de complicações, como febre/ infecção. Atualmente, dispomos de aparelhos que permitem a pulverização do cálculo com laser, o que diminui o tempo de internação e riscos de complicações. Somos especialistas no tratamento de cálculos renais em Brasília e atendemos nos principais hospitais.
Dr. Carlos Hirokatsu Watanabe Silva
Dr. Carlos Hirokatsu Watanabe Silva Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Urologista

|

Brasília

O tratamento consiste em quebra e retirada de pedras de qualquer parte das vias urinárias. Hoje existem tratamentos endoscópicos, que são realizados por aparelhos com câmeras pequenas que possibilitam quebrar as pedras com laser e retirá-las, sem que seja necessário cortes no paciente. O procedimento é realizado no centro cirúrgico com anestesia. Cada paciente apresenta pedra no rins de um jeito, são vários tamanhos e quantidade de pedras, localização variada, além de que cada paciente pode apresentar uma anatomia diferente das vias urinárias. Sendo assim agende uma consulta e discuta com seu médico qual a melhor opção para o seu caso.
Fábio Augusto Vasilceac
Fábio Augusto Vasilceac Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Urologista

|

São Carlos

Ver mais

Tem perguntas sobre Pedras nos rins (cólica renal)?

Nossos especialistas responderam 67 perguntas sobre Pedras nos rins (cólica renal).

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

A doxazosina realmente tem um efeito hipotensor grande, o melhor é suspender o uso. Existem outras medicações com as mesma finalidade com menos efeitos colaterais. Procure seu urologista para orienta-lo. Atenciosamente,

  • Obrigado 2
  • 1 especialista está de acordo
  • 344
  • 109
  • 250
Dr. Raphael Barroso Kato Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Urologista

São Paulo

Marcar consulta

Sim. Existe uma maneira de se calcular a probabilidade de eliminação espontânea de cálculos ureterais. Publicação do "Journal of Urology" (10.1016/j.juro.2017.02.077) de 2017: Nomograma: Pontos são atribuídos à situação: tamanho, posição eliminação prévia ou não de pedras, contagem de leucócitos. A partir daí estima-se qual a porcentagem de chance da pedra sair. Costumo mostrar aos pacientes tais contas, e em comum acordo discutimos cada caso em particular, se é conveniente ou não esperar, ou se é caso de realizar a cirurgia ( retirada da pedra pelo canal à Laser ).

  • 57
  • 3
  • 110
Dr. Gunther Luis Rodrigues Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião geral, Urologista

Jales

Marcar consulta

O custo de uma cirurgia envolve vários aspectos como complexidade do tratamento, uso de materiais e tempo de internação. O custo hospitalar também é variado em cada instituição. Sendo assim, é necessária uma avaliação completa do seu caso. É importante você discutir todos esses aspecto com o médico Urologista que você escolher para tratá-lo, discutir todas as suas dúvidas e qual a melhor opção de tratamento para você.

  • 44
  • 7
  • 13
Dr. Alexandre Oliveira Rodrigues Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Urologista

Santo André

Marcar consulta

Há possibilidade de modificação dos resultados verificados em uma radiografia após alguns meses de intervalo entre um exame e outro - considerando que ambos sejam de boa qualidade técnica. Como afirmastes em teu depoimento, os exames foram solicitados por um especialista (presumo que um urologista). Sendo assim, recomendo seguir a orientação médica especializada.

  • 33
  • 7
  • 18
João Pedro Bueno Telles Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Urologista

Porto Alegre

Marcar consulta

Ver as 67 perguntas sobre Pedras nos rins (cólica renal)