Refluxo Gastroesofágico - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Refluxo Gastroesofágico

Informação sobre Refluxo Gastroesofágico

O que é?

O refluxo gastroesofágico é uma condição em que o conteúdo do estômago, normalmente ácido, retorna para o esôfago. Ele é comum em todas as pessoas e ocorre algumas vezes ao dia. Porém, o ácido é eliminado rapidamente sanando essa situação. Em alguns casos, a mucosa do esôfago pode ter sua resistência diminuída e o ácido refluir mais vezes ou por tempo mais longo. Nesse caso, o refluxo gastroesofágico é considerado uma doença.

Qual é a causa?

A medicina não aponta uma causa especifica para o refluxo gastroesofágico. Um dos fatores que poderia gerar a doença seria a presença de uma hérnia de hiato. Normalmente, o esôfago tem seu final pouco abaixo do hiato diafragmático. Com o desenvolvimento da hérnia, uma pequena abertura do diafragma, o estômago é submetido à pressão do diafragma e não do esôfago. Como o diafragma é fino e o estômago tem paredes mais espessas, ele não cede à pressão do diafragma deixando espaço para que o ácido reflua para o esôfago. Parte das hérnias de hiato é congênita, porém, a maioria delas se desenvolve ao longo da vida. Outras condições que aumentam a pressão intra-abdominal são indicadas como motivadoras do refluxo gastroesofágico. Obesidade, gravidez e uma carga muito intensa de exercícios estão entre elas.

Quais os sintomas?

Os sintomas mais comuns são a queimação na região e regurgitação. A dor após engolir quando o alimento faz seu caminho pelo esôfago também ocorre assim como tosse crônica, entre outros.

Como fazer o diagnóstico?

Uma entrevista com o médico relatando os sintomas pode indicar a necessidade de fazer exames na região. O mais utilizado é a endoscopia digestiva alta. Esse exame permite avaliar a mucosa do esôfago, mas não é capaz de descartar totalmente a doença quando aponta resultado normal. Parte dos pacientes obtém resultado normal na endoscopia, mas, ainda assim, possuem quadro de refluxo. Só que a mucosa do esôfago não sofre qualquer erosão. Nesse caso, é recomendada a phmetria de 24 horas. O teste irá mostrar quantas vezes por dia o ácido permanece em contato com o esôfago facilitando que o médico complete seu diagnóstico. Outras opções de exames são: raios-X com contraste, teste de Bernstein & Baker, cintilografia e manometria.

Qual o tratamento?

O refluxo gastroesofágico não tem cura. Trata-se de uma doença crônica. O médico só pode diminuir a intensidade dos sintomas durante a crise com medicamentos. Para evitar as crises ou diminuir o seu número, é essencial mudar a dieta e o comportamento. São recomendadas medidas como: -elevação da cabeceira da cama em 15 a 20 cm -não se deitar por duas horas após as refeições-parar de fumar -evitar alimentos ácidos e que favoreçam o refluxo (frituras, gorduras, doces, chocolates, entre outros) -evitar consumir bebidas alcoólicas -evitar medicamentos que facilitam o refluxo (teofilina, anticolinérgicos, betabloqueadores, nitratos e bloqueadores do canal de cálcio) -evitar medicamentos que agridem a mucosa do esôfago (quinidina, doxiciclina, anti-inflamatórios)

Possui uma dúvida concreta sobre Refluxo Gastroesofágico? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Refluxo Gastroesofágico

A endoscopia digestiva alta é o exame mais indicado para a avaliação do esôfago, estômago e duodeno. Sintomas como dor abdominal, queimação, refluxo, náuseas e vômitos, sangramentos, etc podem ser indicações de realizar esse exame para elucidação diagnóstica. A endoscopia é fundamental para diagnosticar lesões malignas nesses órgãos, assim como para detecção da bactéria H. pylori, relacionada a várias patologias gástricas.
Dr. João Paulo Aguiar Ribeiro
Dr. João Paulo Aguiar Ribeiro Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Endoscopista

|

Fortaleza

O refluxo gastroesofágico, ou simplesmente refluxo, é o responsável pelos sintomas de azia e queimação atrás do peito, que ocorrem principalmente após as refeições. Pode também causar tosse crônica, crises de asma, sinusites, rouquidão e engasgos noturnos Uma das principais consequências do refluxo gastroesofágico é a esofagite (inflamação do esôfago). A esofagite, quando não tratada adequadamente, pode evoluir a longo prazo para neoplasia (câncer) de esôfago O tratamento inicial é com medidas clínicas, como mudança de hábitos alimentares, quantidade e frequência das refeições, e prescrição de medicamentos que ajudam na digestão e na diminuição da acidez gástrica.
Dr. Daniel Kruglensky
Dr. Daniel Kruglensky Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

|

São Paulo

A doença do refluxo gastro – esofágico (DRGE) é caracterizada por uma disfunção do esfíncter esofágico inferior (EEI), o qual não se fecha adequadamente, permitindo o retorno de alimentos e secreção do estômago para o esôfago. O diagnóstico é baseado na história clínica do paciente. Alguns exames podem ser solicitados para confirmar o diagnóstico ou para avaliar o grau de lesão causada pelo refluxo. O principal exame é a Endoscopia Digestiva Alta (EDA), através da qual é possível avaliar a presença de lesões na mucosa da esôfago (como a esofagite). Outros exames podem ser necessários para elucidar o diagnóstico, tais como: - Manometria esofágica - PHmetria esofágica.
Ivan Matavelli Santos
Ivan Matavelli Santos Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

|

Vitoria

Refluxo é umas das patologias digestivas mais frequentes da população, porém muitas vezes não valorizada. Além de ser fator de risco para o câncer de esôfago, apresenta influência negativa na qualidade de vida de muitas pessoas. Sempre que possível, alem do gastroenterologista, o paciente deve procurar o cirurgião digestivo para fazer uma avaliação. Apesar de a grande maioria dos casos serem de tratamento clínico, uma pequena parcela necessita de tratamento cirúrgico. O resultado final sempre é melhor quando a cirurgia é realizada mais precocemente.
Dr. Eduardo Larchert Guimarães
Dr. Eduardo Larchert Guimarães Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

|

Salvador

É uma doença caracterizada pelo retorno do conteúdo presente no estômago para o esôfago e em direção à boca, ao invés de seguir o fluxo normal da digestão. Isso acontece porque o esfíncter inferior do esôfago (válvula entre o esôfago e o estômago) torna-se fraca ou se relaxa quando não deveria, permitindo o retorno do alimento para o esôfago. Fatores que contribuem para o refluxo são presença de hérnia de hiato, obesidade, gravidez, tabagismo, ingestão de café em excesso, frituras, chocolate... Os principais sintomas são azia, queimação, regurgitação, pigarro, tosse seca, dor torácica. É importante o acompanhamento com gastro, devido os riscos de evolução desta doença se não tratada.
Dra. Raissa Guimarães Eufrásio Trompieri
Dra. Raissa Guimarães Eufrásio Trompieri Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Endoscopista

|

Fortaleza

Ver mais

Tem perguntas sobre Refluxo Gastroesofágico?

Nossos especialistas responderam 231 perguntas sobre Refluxo Gastroesofágico.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Boa pergunta !! Na verdade a doença do refluxo gastroesofágico está associada a alterações anatômicas e fisiológicas da transição esôfago e estômago permitindo que ácido gástrico retorno para o esôfago e lesione a mucosa deste órgão. Então o exercício físico propriamente dito não piora a lesão mas pode se o treino for pesado ocasionar um desconforto. Mas não se deve parar o exercício muito pelo contrário, orientamos perda de peso, boa alimentação e exercício regular

  • 19
  • 5
  • 16
Jose Walter Feitosa Gomes

Cirurgião do aparelho digestivo

Fortaleza

São três exames que devem ser realizados: esôfagomanometria, phmetria 24hs e endoscopia digestiva. As informações colhidas, tanto funcionais quanto anatômicas, definirão a melhor abordagem, seja clínica ou cirúrgica.

  • 58
  • 11
  • 41
Dr. Marcello Paiva da Fonseca Rodrigues Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião geral

Rio de Janeiro

Na verdade os sintomas se devem ao refluxo do conteúdo gástrico para o esôfago devido hipotonia/ disfunção do esfíncter esofagiano. Não podemos definir exatamente qual substância é mais prejudicial tendo em vista todas estarem presente no conteúdo gástrico. Os ibp ajudam sim na melhora dos sintomas quando tomados adequadamente e na dose correta. A falha do tratamento com medicação pode indicar a necessidade da cirirgia.

  • 598
  • 110
  • 274
Dr. João Bergamasco Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

Manaus

Marcar consulta

As indicações para cirurgia são DRGE c/ falha de tratamento clínico ou má aderência, refluxo de alto volume, esofagite severa à endoscopia, estenose (estreitamento) do esôfago pelo refluxo, esôfago de Barrett (na ausência de displasia de alto grau ou carcinoma, alterações pré-malignas). Pode haver indicação por sintomas laríngeos ou asma de difícil controle. Sempre deve ser discutido com seu cirurgião, pesando riscos e benefícios. Nos casos de estenose e Barrett a cirurgia é altamente recomendada.

  • 134
  • 35
  • 64
Dr. Marcelo Martins Souto Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

Porto Alegre

Marcar consulta

Ver as 231 perguntas sobre Refluxo Gastroesofágico