Perguntas sobre Síndrome de Down

Tem perguntas sobre Síndrome de Down?

Nossos especialistas responderam 24 perguntas sobre Síndrome de Down.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Perguntas sobre Síndrome de Down

24Perguntas

138Respostas

179Especialistas de acordo

126Pacientes agradecidos

Olá Importante procurar ajuda completa (médico, fonoaudiólogo, psicólogo). Desta forma seu irmão estrá bem assistido e com possibilidades de superar suas dificuldades. O mais importante ele já tem que é o amor e o cuidado da família. Procure se na sua cidade há associação ou clínicas especializadas, facilitará sua busca no tratamento. Parabéns pelo cuidado com seu irmão e boa sorte nesta busca. Abraços Anelise Mira

  • 33
  • 45
  • 32
Anelise Mira

Psicóloga

Curitiba

Ver as 18 respostas

Ola! A Psicologia auxilia no desenvolvimento da pessoa com Sindrome de Down e familiares. Atua como facilitador entre o vinculo familiar e compreensão de ambos diante da síndrome e de suas necessidades, pois cada historia e singular. A intervenção multiprofissional, propicia os profissionais a elaborarem juntos, estratégias em torno de tarefas motoras, perceptivas e cognitivas para estimular o portador em sua complexidade.

  • 37
  • 27
  • 25
Patricia Souza

Psicóloga

São Paulo

Ver as 11 respostas

Síndrome de Down não é uma doença e sim uma síndrome que vem devido a uma alteração genética. Desta maneira, não tem cura e sim tratamento adequados como estimulação fonoaudiológico, fisioterápico e outros que o pediatra solicitar. Estimular para seu desenvolvimento biopsicossocial dentro de sua possibilidades e limitações. Para que possa, desde criança, estar inserido na sociedade mais natural.

  • 55
  • 32
  • 28
Julia Sereicikas Loyola

Psicóloga

São Bernardo do Campo

Ver as 11 respostas

Olá! Existem várias instituições que trabalham com pessoas com síndrome de Down, mas é necessário saber qual a sua cidade e qual foco você está procurando: Um atendimento psicológico? Uma escola com educação especial? Procure o CAPS ou o CREAS da sua cidade para se informar melhor sobre que tipo de ajuda você terá a sua disposição. Desejo Sorte!

  • 26
  • 44
  • 49
Tibério Régis Mendonça Gurgel

Psicólogo

Fortaleza

Ver as 9 respostas

Neste caso, o acompanhamento multidisciplinar é muito importante, um profissional psicopedagogo pode ajudar no desempenho cognitivo. Abraços

  • 24
  • 25
  • 16
Rosângela Dagostin

Psicopedagoga

Criciúma

Ver as 9 respostas

Sugiro uma avaliação psicopedagógica e com neuropediatra, já que está sendo atendido por Psicólogo e Fono. É interessante solicitar um relatório dos profissionais que o acompanham e entregar à coordenação da Escola que ele estuda, para que esta, juntamente com os professores, possam oferecer um melhor acompanhamento no âmbito escolar. Bem como, solicitar à Escola um relatório sobre o seu filho, para que possa ser encaminhado para os referidos profissionais e para que estes saibam como está sendo o desenvolvimento do seu filho na instituição. É de suma importância a parceria entre Escola-Família-Profissionais externos.

Ver as 7 respostas

O Síndrome de Down (SD) é um acidente genético no processo da fecundação e ocorre numa frequência de 1 a cada 800 nascidos vivos. A grosso modo, esta é a probabilidade de que numa próxima gestação também ocorra a SD, no entanto, este índice varia em função de outros fatores. O senso comum aponta a idade dos pais com um dos principais, mas aspectos de maior relevância devem ser observados. O melhor é buscar um aconselhamento genético principalmente pelo histórico de vocês que já tiveram um filho com SD. Há casos em que adultos com SD não apresentem o fenótipo (menos de 5%), então um exame genético poderá ajustar melhor esta probabilidade. Até o momento não existe um tratamento que possa prevenir esta ocorrência e os fatores que desencadeiam a SD não estão claramente definidas na comunidade científica.

  • 77
  • 108
  • 68
José Luiz Nauiack Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo

Curitiba

Marcar consulta

Ver as 6 respostas

Você pode incentivar a busca por um psicólogo, não forçar, descrever a importância e levar seu irmão. Claro que caso ele não goste, deve-se experienciar outros terapeutas até que ele se sinta seguro e confortável com o profissional. Este poderá trabalhar as questões vinculadas as relações sociais e ir mais a fundo nas questões de possível medo ou insegurança e até autonomia se for o caso.

  • 8
  • 15
  • 9
Jaylson Dantas

Psicólogo

Fortaleza

Ver as 6 respostas

Pergunta bem interessante, mas leva a imaginar que a SD é uma doença que pode ser tratada e curada. Em primeiro lugar, "Síndrome" é termo médico que encerra um conjunto de características, neste caso fala-se em estigmas que na SD pode ou não precisar de tratamento. Por exemplo, uma única prega palmar, implantação das orelhas mais baixa, cabelos mais finos entre outras não terão tratamento. No entanto, algumas características exigirão cuidado e até mesmo tratamento, como por exemplo a estimulação precoce pode auxiliar quando há hipotonia; sopro cardíaco pode ser resolvido com cirurgia; palato ogivóide e correções na mordia corrigidos com tratamento odontológico, entre outras. Nem todas as pessoas com SD terão as mesmas características, nem precisarão dos mesmos tratamentos ou responderão da mesma forma. Apenas os especialistas de cada área poderão orientar como e se necessário tratar, recomendo o Ambulatório de SD no HC/UFPr em Curitiba (3360-7986).

  • 77
  • 108
  • 68
José Luiz Nauiack Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo

Curitiba

Marcar consulta

Ver as 6 respostas

Idealmente, os cuidados com pessoas com Síndrome de Down devem ser feitos por uma equipe multiprofissional. Dependendo da faixa etária da criança/adolescente, cuidados diferentes são necessários. É preciso ter acompanhamento médico e odontológico periódico. O trabalho de um fonoaudiólogo é importante para a expressão e fala adequadas, sendo melhor seu início ainda na fase infantil. Em algum momento deverá ser necessário o acompanhamento de um psicólogo para atuar sobre questões comportamentais (aprendizagem, socialização, questões emocionais e afetivas, compulsões, TOCs, entre outras situações comuns). Em fase escolar é indispensável que a escola suporte a inclusão da criança e adolescente junto ao ensino regular, contando com apoio pedagógico específico. Em termos gerais, esses profissionais seriam muito adequados para atendimento à SD.

  • 90
  • 173
  • 127
Rodrigo Puppi Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo

Curitiba

Marcar consulta

Ver as 6 respostas

Perguntas relacionadas

Outras perguntas respondidas por especialistas da Doctoralia: