Síndrome De Fadiga Crônica - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Síndrome De Fadiga Crônica

Informação sobre Síndrome De Fadiga Crônica

O que é síndrome da fadiga crônica?

É um conjunto de sintomas entre os quais fadiga, sensação de cansaço ou exaustão, que não é aliviada pelo repouso, causa desconhecida, e pode eventualmente levar à incapacidade.

Embora também seja chamado de encefalomielite miálgica, o uso desse termo é muito comprometido, já que a significativa inflamação do cérebro não foi estabelecida.

Esta não é uma doença nova, porque há mais de um século falava-se da neurastenia, uma doença que compartilha muitas características com fadiga crônica.

Esta é uma doença relativamente comum em suas formas mais leves, que podem afetar até 25% da população, enquanto as formas graves pode causar deficiência apenas 1%. Parece ter uma presença especial em pessoas de classe média, entre 30 e 50 anos, e principalmente do sexo feminino.

Como é que isso produz?

A causa não é conhecida, apesar de terem identificado uma série de fatores ou doenças que parecem contribuir para o desenvolvimento da síndrome. Entre os fatores mais citados são: depressão, ansiedade, stress, problemas de doenças alérgicas / imunes reumáticas, infecções como a mononucleose ou herpesvirus humano 6, anemia grave, doenças metabólicas e hormonais (diabetes, hipotireoidismo) e medicamentos (ansiolíticos, antidepressivos, anti-hipertensivos).

Parece haver alguma susceptibilidade genética, para que as pessoas que já sofreram de depressão e têm um risco aumentado para a osteoporose. Em muitos casos, os sintomas começam depois dos sintomas da gripe, mas vários estudos têm sido incapazes de detectar uma causa infecciosa, embora pareça que isso podessa desencadear a doença.

Ao longo do tempo há uma melhora gradual, de modo que após 2 anos do início, a grande maioria dos casos experimenta uma recuperação completa sem tratamento específico, e só em alguns casos, eventualmente, desenvolvem deficiência crônica.

Quais são os sintomas?

O principal sintoma é a fadiga, cansaço anormal, física e psíquica, o que piora com a atividade e diminui a capacidade de exercício (físico e mental). Há muitos outros possíveis sintomas, como dores musculares mais freqüentes, diminuição da concentração, distúrbios do sono (por exemplo, insônia, apesar de fadiga), dores de cabeça, alterações emocionais (como ansiedade, frustração, etc), febre (febre duradoura), alterações de peso e apetite.

Como é diagnosticado?

Para estabelecer o diagnóstico é necessário que a fadiga seja grave (interferindo com a atividade normal) e prolongada no tempo (alguns autores falam de pelo menos 6 meses).

Muitas doenças podem causar sintomas semelhantes, de modo que o médico deve orientar por meio de perguntas e exame físico. Além disso, terá análise de sangue e de urina para descartar a infecção primária, distúrbios metabólicos, hormonais ou imunológicas, anemia, e tumores. Isto é importante porque a maioria deles tem um tratamento específico que atinge alívio rápido.

Há evidências de que exames sofisticados e abrangentes e consultas com especialistas não melhoram o diagnóstico e o curso da doença, mas não devem ser poupados em caso de suspeita de um processo diferente.

O que pode o seu médico?

Primeiro e mais importante ainda, excluir causas tratáveis ??de fadiga.

Embora muitos tratamentos têm sido propostas farmacológicas, dietéticas, ervas, etc., Nenhum deles tem-se revelado particularmente eficaz. Curas milagrosas geralmente não ajudam. Em alguns casos, antidepressivos fornecem alguma ajuda, especialmente em pessoas com tons depressivos, mas não podem ser recomendados para uso generalizado.

Da mesma forma, o seu médico pode encaminhá-lo para um centro de reabilitação ou programa, como a terapia cognitivo-comportamental e isso ajuda a combater os sintomas da doença, tanto física como psicológica.

Por outro lado, o médico pode prescrever um tratamento para os sintomas mais visíveis, tais como dores de cabeça ou dores musculares.

O que pode o paciente fazer?

O paciente pode fazer muito para conseguir a recuperação. O resto é apenas parcialmente útil nas primeiras semanas, mas não a longo prazo, por isso é muito importante programar períodos de atividade como parte da reabilitação. Essa atividade deve ser aumentada gradualmente.

Para lidar com a síndrome da fadiga crônica tem que se encontrar um equilíbrio entre atividade e repouso, que eventualmente acabam ajudando a conseguir uma melhora acentuada.

Às vezes você tem que recorrer a mudanças no trabalho, como redução da jornada de trabalho, as mudanças no local de trabalho, e até mesmo mudanças na atividade de trabalho.

Igualmente importantes são uma série de mudanças de hábitos, como o agendamento de atividades de lazer fora de casa, não fumar, beber muito líquido não-alcoólico, partilhar de experiências com grupos de apoio, reduzir o consumo de álcool e café, etc.

Possui uma dúvida concreta sobre Síndrome De Fadiga Crônica? Pergunte aos nossos especialistas.

Tem perguntas sobre Síndrome De Fadiga Crônica?

Nossos especialistas responderam 5 perguntas sobre Síndrome De Fadiga Crônica.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Um bom clínico geral é um bom começo, todavia a maioria dos médicos não conhece esta síndrome de maneira satisfatória. Assim, sugiro procurar médicos que anunciem que abordam esta desordem, com muito cuidado.

  • 7
  • 0
  • 26
Dr. Francismar Prestes Leal

Hematologista

Maringá

as causas mais frequentes deverão ser investigadas inicialmente por clínico geral atualisado

  • 256
  • 33
  • 324
Dr. Julio Gallani da Cunha Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Neurologista

Santos

Marcar consulta

É preciso diferenciar de outras apresentações como fibromialgia, distúrbios do sono, carências vitamínicas, alterações hormonais e até infecções crônicas. Cada apresentação exige tratamento diferente. Fadiga crônica é mesmo difícil de tratar mas existem outras opções sim.

  • 139
  • 45
  • 314
Dra. Christina Morotomi Funatsu Coelho

Neurofisiologista, Neurologista

São Paulo

Neurologista.

  • 88
  • 18
  • 163
Dra. Tânia Martins do Carmo

Neurologista, Neurologista pediátrica

Goiânia

Ver as 5 perguntas sobre Síndrome De Fadiga Crônica