Sindrome do Pânico - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Sindrome do Pânico

Os especialistas falam sobre a Sindrome do Pânico

O pânico é definido como um distúrbio psicossomático, cujo principal sintoma é um medo irracional. Se manifesta, em primeiro lugar, quando surgem casos de medo intenso, geralmente breves que começam e terminam sem razão aparente. Aparecem junto com diversos distúrbios físicos, considerados específicos, como se fossem de indigestão ou infarto. O ataque aparece repentinamente, mesmo em pessoas consideradas como sadias e equilibradas.  Uma crise de pânico dura vários minutos e  os sintomas são como uma preparação do corpo para algo perigoso, e elege mecanismos usados para fugir. A maioria das pessoas que tem uma crise pode ter outras, especialmente se não tiver o tratamento adequado e eficaz.
Leila Câmara
Leila Câmara Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga, Sexóloga

|

Rio de Janeiro

Ataque de pânico é um surto abrupto de medo intenso associado aos seguintes sintomas: palpitações, sudorese, falta de ar ou sufocamento, dor no peito, tonturas e sensação de desmaio. Se você tem estes episódios de maneira recorrente, deve ser levantado o diagnóstico de transtorno do pânico.
Carla Felin
Carla Felin Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

|

Lajeado

Perturbações ambíguas entre confusões mentais, sintomas internos de morte e realidade
Eliseth Benedicta Almeida
Eliseth Benedicta Almeida Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicanalista

|

Brasília

A Ansiedade é uma demanda muito comum atualmente e quando não tratada nos sintomas iniciais, ela pode evoluir para o Transtorno de Pânico, causando limitações e experiências de maior sofrimento para o paciente. Através da psicoterapia é possível ir compreendo a personalidade ansiosa e melhorando a resposta comportamental e emocional do paciente às questões do dia a dia.
Jamille Façanha
Jamille Façanha Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

Fortaleza

Síndrome do Pânico Trata-se de uma crise de medo repentina e inesperada — desesperadora para quem a sente. Durante a crise, a pessoa pensa que vai morrer. Ela acredita que está tendo um ataque cardíaco, uma vez que o coração dispara, surge sudorese e falta de ar. Além disso, o medo aumenta a descarga de adrenalina, reforçando o pânico. Uma crise de pânico atinge seu grau máximo em 10 minutos e geralmente os primeiros sinais a serem notados são a respiração acelerada, a frequência cardíaca alta, dor no peito, tremores, tontura, calafrios e sensação de morte. Essas alterações são intensas e podem ser notadas por quem estiver próximo. É muito debilitante, contate um bom psicólogo, reaja.
Adriana Corrêa
Adriana Corrêa Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

Rio de Janeiro

Ver mais

Tem perguntas sobre Sindrome do Pânico?

Nossos especialistas responderam 20 perguntas sobre Sindrome do Pânico.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Para a síndrome do pânico, existe um tratamento padrão, envolvendo medicação psiquiátrica e psicoterapia. Trara-se de um problema de ordem psicológica, relacionado à sua história de vida, às suas experiências, ao modo particular como você lidou e lida com as pessoas, as situações difíceis, as demandas dos outros e com seu próprio desejo, dentre outros fatores. É a medicação é fundamental para evitar que as crises se tornem automáticas. Ou seja, o melhor caminho é procurar um Psicólogo Clínico e iniciar um tratamento e um Psiquiatra que te atenda e responda às suas dúvidas sobre os remédios usados, efeitos colaterais, etc.

  • Obrigado 0
  • 1 especialista está de acordo
  • 727
  • 293
  • 365
Paulo Renato Oliveira Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicanalista, Psicólogo

Rio de Janeiro

Marcar consulta

O trabalho precisa ser algo prazeroso e que goste de fazer. O que fez você trabalhar com crianças? Uma vez que não gosta delas. Precisa redirecionar sua carreira e encontrar um trabalho que traga sentido a sua vida.

  • 28
  • 8
  • 14
Hely Tavares Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

Vitória

Marcar consulta

Sua descrição é muito breve, mas não me parece correto enquadrar os sintomas descritos como transtorno de pânico, visto que há um objeto específico ao qual sua ansiedade está ligada. Além disso, os ataques de pânico, de modo geral, surgem em momentos inesperados e se manifestam intermitentemente, diversamente do quadro mais generalizado que você descreve. Procure um psicólogo de sua confiança e narre os sintomas com mais detalhes. Abraços!

  • Obrigado 1
  • 1 especialista está de acordo
  • 7
  • 6
  • 3
Claudius Viana Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo

Rio de Janeiro

Marcar consulta

Olá. O momento de uma crise de pânico é muito estressante. A Síndrome do Pânico está diretamente relacionada ao aumento excessivo da ansiedade e esse aumento pode causar algum prejuízo da memória. É importante a busca por um psiquiatra que irá avaliar a possibilidade de indicação de um medicamento e um acompanhamento com um(a) psicólogo(a) que vai tratar as causas da Síndrome do Pânico e auxiliar no seu enfrentamento dos sintomas. Boa sorte!

  • 5
  • 3
  • 2
Camila Vasconcelos Reis Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

Belo Horizonte

Marcar consulta

Ver as 20 perguntas sobre Sindrome do Pânico