Transtorno bipolar - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Transtorno bipolar

Informação sobre Transtorno bipolar

A pessoa com transtorno bipolar é caracterizada por sofrer muitas mudanças de humor e de níveis de atividade. Especificamente, são produzidas oscilações exagerada e periódicas de três estados de espírito: deprimido, eufórico e maníaco (aceleração). Estudos indicam que o transtorno bipolar pode ser congênito pela falta de estabilidade na transmissão dos impulsos nervosos no cérebro. A alteração cerebral alterada traz mais vulnerabilidade quando confrontada com eventos de vida estressantes que desencadeiam episódios maníaco-depressivos.

Possui uma dúvida concreta sobre Transtorno bipolar? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Transtorno bipolar

Não é uma variação de humor em um dia que vai definir o diagnóstico de bipolar, muitas vezes precipitadamente rotula-se uma pessoa com uma classificação e se impede o verdadeiro tratamento É necessário que sejam claramente definidos os ciclos e fases de oscilação de humor e que com medicação e psicoterapia se trate com boa melhora da qualidade de vida
Jose Juarez De Oliveira Junior

Psiquiatra

|

Barueri

O transtorno bipolar do humor é um distúrbio mental em que a pessoa alterna entre períodos de depressão e períodos agitação e energia intensa (período de mania, ou hipomania). Durante o período de mania a pessoa comporta-se ou sente-se anormalmente energética, contente ou irritável, tomandod ecisões impulsivas e não sendo capaz de avaliar consequencias de seus atos. Durante as fases depressivas a pessoa pode ficar apática, chorar, encarar a vida de forma negativa e até mesmo cometer suicídio. A doença está relacionada com uma disfunção cerebral associada a fatores genéticos e ambientais. O tratamento tem por base a psicoterapia e medicamentos como estabilizadores de humor e antipsicóticos.
Natália Goulart Alves de Mello
Natália Goulart Alves de Mello Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Médica clínica geral , Psiquiatra

|

Brasilia

O paciente apresenta períodos de euforia (mania) alternados com depressão. A euforia deve durar ao menos 1 semana - geralmente tem duração maior – com sintomas como irritabilidade, diminuição de sono, gastos excessivos, aumento da pressão por falar, agitação, autoestima exacerbada, pensamento acelerado. O tratamento consiste em uso de medicações estabilizadoras do humor e antipsicóticos – ainda não possui cura mas pode ter controle e é importante que o paciente, mesmo estável, não abandone o tratamento. Durante a consulta é feito uma investigação do histórico pessoal e familiar, exames para diagnósticos diferenciais. O objetivo do tratamento é que o paciente tenha uma vida normal
Dra. Vivian Machado
Dra. Vivian Machado Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

|

Rio de Janeiro

Provavelmente você já ouviu falar sobre o Transtorno Bipolar, ou até já foi chamado de bipolar. A verdade é que muitos desconhecem as reais definições do que se é, como funciona e se tem tratamento. É um dos transtornos, mais estigmatizados e julgados socialmente. O quadro se apresenta por fases bem definidas de euforia, ao que chamamos de fase de mania, hipomania (euforia mais leve) alternando para o quadro de depressão. O que os terapeutas e a medicina avaliam são os graus de intensidade que se apresentam em cada paciente, pois podem ocorrer alterações de humor por meses ou até diariamente (ciclotímico). A problematização não acerca apenas o paciente, mas toda a sua família.
Cleunice Paez Borges
Cleunice Paez Borges Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

São Paulo

É caracterizado pelas alterações de humor exageradas ou uma instabilidade emocional ( são períodos de muito bom humor e períodos de depressão ou irritabilidade). Os ciclos desse transtorno podem prejudicar o trabalho e as relações sociais da pessoa. A psicoterapia pode ajudar no trabalho cognitivo trabalhando nos pensamentos disfuncionais tanto na depressão quanto na euforia e oferecendo o máximo possível de equilíbrio para essa pessoa.
Cátia Cilene Torres Castilho
Cátia Cilene Torres Castilho Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

|

Nova Iguaçu

Ver mais

Tem perguntas sobre Transtorno bipolar?

Nossos especialistas responderam 344 perguntas sobre Transtorno bipolar.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

O apoio da família ao paciente portador de Transtorno Bipolar é de extrema relevância. Tendo em vista que as alterações de humor constantes dificultam no convívio. No entanto a família deve levar em consideração que essas mudanças constantes de humor são de ordem neuroquímica e que o paciente necessita de cuidados especiais. Sendo necessário o acompanhamento psicoterapêutico e, dependendo do grau do transtorno, da mesma forma o tratamento com psicotrópicos. Uma boa dose de paciência, principalmente no ínicio do tratamento vai motivar o paciente a continuar lutando para vencer a psicopatologia. A psicoterapia que utiliza métodos catárticos vai possibilitar o aprendizado do paciente em lidar com seus próprios impulsos. A família pode auxiliar na escuta, fazendo com que o paciente se sinta acolhido e amparado. Um alerta: esses pacientes tem risco de suicídio, por conta do sentimento de culpa. O transtorno bipolar tem cura, desde que haja interesse e apoio da família.

  • 4
  • 5
  • 18
Ciliane Lucia Petranski Do Prado

Psicóloga

Curitiba

O que pode fazer um paciente ficar impedido de dirigir um carro não é especificamente o transtorno bipolar em si, mas sim o uso de algumas medicações que podem ter um efeito sedativo e diminuir os reflexos do paciente (durante o tratamento), aumentando também a sonolência, por exemplo. Outro fator que pode prejudicar a capacidade de direção e coloca-lo em risco é o período de crise dentro do transtorno, tanto um episódio de mania/hipomania, onde o paciente acaba assumindo uma atitude com mais perigosa e destemida, tem aumento da agressividade, pode aumentar a irritabilidade no trânsito, etc, ou então um episódio depressivo, que pode também prejudicar a sua capacidade funcional da direção. Mas é importante destacar que, caso o paciente esteja sendo adequadamente tratado,esteja sendo corretamente medicado, esteja em acompanhamento com um psicólogo em conjunto com o psiquiatra e não esteja em nenhum episódio de crise, a vida dele vai ser bastante normal, com uma ótima qualidade de vida!

  • Obrigado 16
  • 11 especialistas de acordo
  • 173
  • 775
  • 2376
Dr. Luiz Henrique Junqueira Dieckmann Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

São Paulo

Marcar consulta

É mais provável que se trate de uma piora dos sintomas do próprio Transtorno Afetivo Bipolar (início de um episódio de mania) do que de um efeito colateral da medicação. Outras causam também são possíveis, por isso, agende um retorno com seu médico para que ele possa orientá-lo(a) adequadamente. Boa sorte!

  • Obrigado 0
  • 1 especialista está de acordo
  • 36
  • 32
  • 29
Fernando Toledo Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

Belo Horizonte

Marcar consulta

Não existe um tempo definido para esse tipo de efeito-colateral desaparecer, podendo permanecer de dias a meses. Se o efeito permanecer por mais tempo que o tolerado pode ser que uso de outra medicação possa necessário para revertê-lo.

  • 10
  • 2
  • 3
Emerson Rodrigues Barbosa Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

Curitiba

Ver as 344 perguntas sobre Transtorno bipolar