Transtornos de déficit de atenção e do comportamento disruptivo - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Transtornos de déficit de atenção e do comportamento disruptivo

Informação sobre Transtornos de déficit de atenção e do comportamento disruptivo

O que é?

Transtorno de déficit de atenção foi uma definição médica criada para descrever crianças sem foco, que quebram as regras e não conseguem direcionar sua vida. Porém, como esse comportamento não é exclusivo das crianças foi criada uma nova classificação internacional para enquadrar, por exemplo, os adultos que cometem crimes e fazem o uso de drogas a partir de transtornos da infância que não foram tratados de forma adequada. Essa disfunção foi nomeada de comportamento disruptivo, que tem suas principais ramificações no transtorno de conduta, transtorno do uso de substâncias e no transtorno desafiador de oposição. Ou seja, as crianças que não se enquadram nos modelos pré-estabelecidos tornam-se adultos que também são incapazes de se encaixar nos comportamentos sociais considerados adequados.

Transtorno do déficit de atenção

É um padrão apresentado por pessoas extremamente distraídas e com um estado de agitação além do comum. Normalmente acontece em crianças com idades entre seis e 12 anos podendo persistir até a vida adulta.

Transtorno de conduta

Por vezes é chamado de delinquência. Caracteriza-se por um padrão repetitivo de conduta social agressiva e desafiadora. Isso deve acontecer por ao menos seis meses para que o quadro possa ser diagnosticado dessa maneira. Trata-se de uma avaliação relativamente difícil, pois é subjetiva. Baseia-se em conceitos de moral e ética.

Transtorno do uso de substâncias

O comportamento agressivo e desafiador leva o paciente à dependência de substâncias químicas.

Transtorno desafiador de oposição

É um transtorno caracterizado pelo padrão de desobediência, desafiador e de comportamento hostil. Os pacientes discutem com todos à sua volta, não aceitam ordens e regras. Perdem facilmente o controle se seus desejos não forem atendidos.

Qual é a causa?

Não existe uma causa apontada como geradora desses comportamentos. Acredita-se que exista um fundo genético e biológico aliado ao fator ambiental.

Quais os sintomas?

Os principais sintomas presentes em todos os transtornos citados acima são a grande frequência de comportamentos agressivos e as violações habituais das regras.

Como fazer o diagnóstico?

Não há qualquer exame laboratorial ou de imagem que auxilie no diagnóstico, que deve ser feito com o exame clínico.

Qual o tratamento?

Psicoterapia e medicamentos são as opções disponíveis. Geralmente devem ser utilizadas em conjunto.

Possui uma dúvida concreta sobre Transtornos de déficit de atenção e do comportamento disruptivo? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Transtornos de déficit de atenção e do comportamento disruptivo

O processo começa com uma entrevista com os responsáveis pela criança/adolescente para verificar a queixa e as principais informações que possam estar influenciando nos problemas. Em seguida, entra-se em contato com a escola para mais informações. Escalas de comportamento são administradas aos responsáveis e professores. A seguir, a avaliação neuropsicológica é realizada por meio de testes e atividades lúdicas. Em seguida redige-se o laudo em que se reúne as informações, se faz o diagnósticos e se elabora um plano de intervenção junto com a família e a escola.

Psicólogo

|

Curitiba

Tem perguntas sobre Transtornos de déficit de atenção e do comportamento disruptivo?

Nossos especialistas responderam 16 perguntas sobre Transtornos de déficit de atenção e do comportamento disruptivo.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

O Transtorno de Deficit de Atenção, muitas vezes, não tratado e diagnosticado na infância, pode ser diagnosticado na fase adolescência/adulta. Aquela questão "sempre fui assim e assado", o professor sempre me dizia isso e aquilo, ia mal nisso e aquilo e, cresceu sem um diagnóstico clinico. Isto é um ponto. Agora aquele adulto que não teve sinais e sintomas quando menor e passou a ter déficit de atenção, pode ser outras sintomatologias, como Stress, Depressão, por exemplo. O diagnóstico é, normalmente, feito entre 7 e 12 anos e , é claro, os casos não tratados serão evidentes ao logo da vida. Espero ter ajudado a elucidar a sua pergunta. Um abraço Marlene Galdino.

  • 58
  • 76
  • 113
Dra. Marlene Galdino Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga

Campinas

Marcar consulta

Nem sempre! Cada ser humano é único e singular, e por isso não há regras rígidas em diagnósticos relacionados ao psicológico, cognitivo ou emocional. Neste caso, pode ser que a criança que vive o estado constitucional intensamente vivia empolgada para ver e conhecer tudo, e portanto, não conseguia se concentrar; pode ser que a capacidade de atenção e concentração ainda não havia amadurecido satisfatoriamente na infância; No entanto, não vale a pena se ater a este fato e colocar a energia no pesar pelo tempo perdido. Coloque seu tempo e energia naquilo que pode ser feito para desenvolver agora sua capacidade de atenção e concentração! Um profissional capacitado poderá te ajudar, e muito, em poucas sessões, Um abraço, Léa

  • 198
  • 119
  • 172
Dra. Léa Michaan Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicanalista, Psicóloga

São Paulo

Marcar consulta

Olá! O TDAH é um transtorno de aprendizagem. Ou seja, ele pode impactar negativamente na vida escolar da criança. Sendo assim, após concluído o diagnóstico é importante avaliar os níveis de prejuízos que a criança apresenta. Sendo esses identificados a criança deve ser acompanhada por uma equipe multidisciplinar, Psiquiatra, Psicólogo, Psicopedagogo, Neuropsicólogo entre outros. A depender da predominância (Hiperativo/Desatento) o médico indicará ou não o uso da medicação. Quando indicado, o objetivo é ter uma melhor resposta na capacidade da atenção e do comportamento e consequentemente uma melhor relação com o processo de ensino x aprendizagem. Espero ter ajudado!

  • 3
  • 5
  • 1
Luciana Dias Nascimento

Psicóloga

Salvador

Se é algo que está te incomodando muito, procure ajuda. Mas um certo grau de desconcentração e oscilação de humor são ocorrências que fazem parte de nosso dia a dia, não se trata necessariamente de algo patológico. Consulte um Psicólogo Clínico: em poucas sessões, ele poderá te orientar se é o caso ou não de um tratamento de mais longo prazo.

  • Obrigado 1
  • 1 especialista está de acordo
  • 628
  • 220
  • 292
Paulo Renato Oliveira Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicanalista, Psicólogo

Rio de Janeiro

Marcar consulta

Ver as 16 perguntas sobre Transtornos de déficit de atenção e do comportamento disruptivo