Dr. Gustavo Medeiros

Dr. Gustavo Medeiros

Neurologista

Número de Identificação Profissional: 52.81706-6

Consultório

1

Opiniões para Dr. Gustavo Medeiros

5

Baseado em 69 opiniões

Pontualidade

Atenção

Instalações

Você foi atendido/a por Dr. Gustavo Medeiros?

Opinar

O melhor: "Um médico perfeito!!!! Super atencioso e dedicado!!! O melhor médico que já fui em todos esses anos!!"

Poderia melhorar: "NADA. Tudo perfeito!"

Samyr P. marcou consulta com Dr. Gustavo Medeiros em Av. Ayrton Senna, 3.000, Salas 110/111 Bloco 1, Via Parque Offices

O melhor: "Melhor médico da vida, super atencioso o único que vou todos os meus exames 1 a 1 e realmente se preocupou em me dar um diagnóstico real. Vou começar o tratamento hoje mesmo."

Poderia melhorar: "Nada, ele é maravilhoso, instalações excelente e a secretária gente, que amorzinho 😍"

Paciente que marcou consulta com Dr. Gustavo Medeiros em Av. Ayrton Senna, 3.000, Salas 110/111 Bloco 1, Via Parque Offices

O melhor: "Dr Gustavo é extremamente competente, certamente o melhor profissional de saúde que conheçi. Sua precisão nos diagnósticos e seu lado humano são incríveis."

Poderia melhorar: "Nada, simplesmente perfeito."

Motivo da visita: CK alterado e dores nas perna

Paciente que marcou consulta com Dr. Gustavo Medeiros em Av. Ayrton Senna, 3.000, Salas 110/111 Bloco 1, Via Parque Offices

O melhor: "Viajei 15 horas p/ chegar ao Rio, só p/ essa consulta! Ele permitiu que todos entrassem na consulta. Encontrei de fato um MÉDICO de verdade, igual aos de antigamente, que não tem pressa, examina, pergunta, toca no paciente,faz exame,explica tudo. Só de olhar ele já sabia o que eu tinha!! FANTÁSTICO!"

Poderia melhorar: "Foi fácil encontrar o lugar, tem acesso pra cadeira de rodas, cafezinho, taxi na porta. Não tem o que melhorar não. O Brasil precisava era de mais médicos como esse, que sabe respeitar o direito da família de acompanhar a consulta, que foi muito sincero com a gente em tudo, e não ficou de enrolação."

Motivo da visita: doença grave demais, ninguém descobria.

Paciente que marcou consulta com Dr. Gustavo Medeiros em Av. Ayrton Senna, 3.000, Salas 110/111 Bloco 1, Via Parque Offices

Ver as 69 opiniões sobre Dr. Gustavo Medeiros

Experiência

Formação

  • MedicinaUniversidade Gama Filho2006
  • Pós-Graduação em NeurologiaHospital Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro2010

Sobre mim

Número de Identificação Profissional: 52.81706-6

Médico Neurologista, Pós-Graduado pelo Serviço de Neurologia do Hospital Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro, com tradição e excelência.

Ampla experiência em diversas áreas da especialidade, como distúrbios de sono, epilepsias, cefaléias (dores de cabeça), déficits de memória, doenças genéticas do sistema nervoso, doenças dos nervos periféricos, entre outras.

 

Experiência em

Idiomas

  • Português
  • Inglês

Webs

Serviços

  • Primeira consulta Neurologia
  • Tratamento clínico para Enxaqueca
  • Tratamento da doença de Alzheimer
  • Tratamento da epilepsia
  • Tratamento da insônia
  • Tratamento do AVC (Acidente Vascular Cerebral)
  • Tratamento do TDAH
  • Tratamento para cefaléia tipo tensional
  • Tratamento para distúrbios da memória
  • Tratamento para polineuropatias periféricas

Respostas de Dr. Gustavo Medeiros

34 Respostas

52 Especialistas de acordo

794 Pacientes agradecidos

Dr. Gustavo Medeiros está respondendo perguntas que os usuários enviam à Doctoralia.
Descubra mais

As perguntas se enviam das páginas sobre doenças, exames médicos ou medicamentos.

Todos os especialistas da Doctoralia podem responder as perguntas que enviam os usuários.

Não é possível fazer uma pergunta a um médico em concreto.

A Doença de Parkinson na maioria dos seus casos é considerada idiopática (de causa desconhecida), mas já são conhecidos vários genes que predispõem à manifestação da doença.

Doenças poligeneticas (que dependem de defeitos de mais de um gene) não estarão necessariamente presentes nos descendentes diretos (apenas 15% dos portadores têm parentes de primeiro grau também portadores da doença), não sendo preocupação que exija aconselhamento genético ou outros cuidados especiais do gênero.

Espero ter ajudado!

  • Obrigado 118
  • 33 especialistas de acordo
Dr. Gustavo Medeiros

Dr. Gustavo Medeiros

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Neurologista

Rio de Janeiro

Apesar de ainda não haver terapias que modifiquem o curso natural da doença aprovados para comercialização, há uma série de estratégias em testes in vitro (com células humanas em laboratório) e em modelos animais (ratos) in vivo para corrigir os defeitos metabólicos (a falta da proteína frataxina e o acúmulo de ferro dentro das mitocrôndrias gerado por essa falta), o que poderia sim modificar o curso natural da doença.

O melhor apanhado informativo traduzido com todas estas informações pode ser encontrado no site da Associação Brasileira de Ataxias Hereditárias e Adquiridas (ABAHE), abaixo:

www.abahe.org.br/sobre_ataxia/coluna.php?ta=2#ata3

Vale a pena conversar com o neurologista ou a equipe do ambulatório de genética responsável para maiores informações.

Espero ter ajudado!

Dr. Gustavo Medeiros

Dr. Gustavo Medeiros

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Neurologista

Rio de Janeiro

Imagino que sua dúvida seja o que é usado para diferenciar essas duas doenças, e isso encompassa:

- Os sintomas (D. Parkinson tem tremores de repouso, lentidão dos movimentos, rigidez e desequilíbrios, enquanto Esclerose Múltipla tem déficits focais, o que significa perda de alguma atividade neurológica - visão, equilíbrio, força de um braço ou perna, etc),
- A evolução (D. Parkinson é lentamente progressiva, enquanto a maioria das formas de esclerose múltipla ocorre como "surto-remissão", o que significa que são episódios de instalação rápida de um déficit - perda súbita de força, de coordenação motora, etc - retornando depois, talvez não por completo,
- Os exames (excetuando cintilografia com trodat-1 - exame novo no nosso meio, dispendioso e nem sempre necessário - não existem exames específicos para D. Parkinson, e o diagnóstico é clínico. Na Esclerose Múltipla, há lesões cerebrais e/ou medulares na ressonância, alterações no líquor, etc).

Um abraço!

Dr. Gustavo Medeiros

Dr. Gustavo Medeiros

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Neurologista

Rio de Janeiro

Ver as 34 perguntas respondidas por Dr. Gustavo Medeiros

Fotos

{0}{1}