Dr. Alexandre Meluzzi

Dr. Alexandre Meluzzi

Neurocirurgião

Competência em: Cirurgia da Coluna Cervical, Cirurgia da Coluna Lombar, Cirurgia Endoscópica, Cirurgia Oncológica do SNC, Cirurgia não Oncológica do SNC

Número de Identificação Profissional: CRM 91.543

Consultório

1

Opiniões para Dr. Alexandre Meluzzi

4,7

Baseado em 3 opiniões

Pontualidade

Atenção

Instalações

Você foi atendido/a por Dr. Alexandre Meluzzi?

Opinar

O melhor: "Fiz minha cirurgia do crânio e a atenção, atendimento humano, me trouxe segurança. O doutor foi um anjo em minha vida. Gratidão"

Poderia melhorar: "Nadinha."

Suzana S. marcou consulta com Dr. Alexandre Meluzzi em Av. Paulista, 1636 - conjunto 302

O melhor: "Atencioso,passa segurança ao paciente,tem grande comprometimento com seu trabalho,visando o bem estar do ser humano como um todo."

Paciente que marcou consulta com Dr. Alexandre Meluzzi em Av. Paulista, 1636 - conjunto 302

O melhor: "Do atendimento em geral"

Paciente que marcou consulta com Dr. Alexandre Meluzzi em Av. Paulista, 1636 - conjunto 302

Experiência

Formação

  • MEDICINAFACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO1997
  • RESIDENCIA MÉDICA EM NEUROLOGIA E NEUROCIRURGIAHOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, INÍCIO EM 19982002
  • TÍTULO DE ESPECIALISTA EM NEUROCIRURGIAASSOCIAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA E SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEUROCIRURGIA2002
  • FELLOWINSTITUTO DE CIÊNCIAS NEUROLÓGICAS, LABORATÓRIO DE MICROCIRURGIA DA RBSP DE BENEFICÊNCIA SP, 20032004
  • ESPECIALIZAÇÃO EM CIRURGIA DA COLUNA VERTEBRALHOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, 20052006
  • MEMBRO TITULARSOCIEDADE BRASILEIRA DE NEUROCIRURGIA2012
  • POS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA LEGAL E PERÍCIAS MÉDICASFACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO PAULO, 20132014
  • MEDICO ASSISTENTEGRUPO DE CIRURGIA DA COLUNA VERTEBRAL DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DA USP, 20072017
  • PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHOCENTRO BRASILEIRO DE PÓS-GRADUAÇÕES - FUNORTE/ICS2017

Sobre mim

Número de Identificação Profissional: CRM 91.543

Médico com sólida formação acadêmica e prática nas melhores instituições de ensino superior do país, anos dedicados a especialização e pesquisa clínica em sub-especialidades na área de Neurocirurgia, ampla experiência profissional nas melhores instituições e serviços de Neurocirurgia do país atuando ao lado de grandes nomes da Neurocirurgia, consolidando um excelente preparo técnico para sua atuação profissional, e atuando não somente com a melhor técnica profissional, mas também com total comprometimento com a ética e a humanização do ato médico.
Foco na utilização tratamentos diferenciados e individualizados para cada paciente, seja por utilização de técnicas modernas e diferenciadas, como as técnicas minimamente invasivas (endoscópicas, percutâneas, mini-open, laser) e técnicas convencionais visando os melhores resultados com o mínimo de efeitos adversos. Foco na humanização dos tratamentos médicos.     

Experiência em

Idiomas

  • Português
  • Inglês

Webs

Serviços

  • Preço
    Preços aproximados para pacientes particulares (sem plano de saúde).
    Dados fornecidos em: agosto 2017

Respostas de Dr. Alexandre Meluzzi

31 Respostas

17 Especialistas de acordo

46 Pacientes agradecidos

Dr. Alexandre Meluzzi está respondendo perguntas que os usuários enviam à Doctoralia.
Descubra mais

As perguntas se enviam das páginas sobre doenças, exames médicos ou medicamentos.

Todos os especialistas da Doctoralia podem responder as perguntas que enviam os usuários.

Não é possível fazer uma pergunta a um médico em concreto.

O zumbido é um sintoma cujo significado clínico é uma disfunção no sistema auditivo (periférico) ou no sistema nervoso (central). São muitas as causas que podem levar ao desenvolvimento do zumbido, algumas muito simples como acúmulo de cerúmen, uma inflamação, pela exposição ao ruído intermitente ou constante, perda induzida pela idade, até outras muito complexas como tumores no nervo vestibular (comprimindo o auditivo), a Doença de Menière, e compressões neurovasculares causando disfunção do nervo auditivo. Assim uma alça vascular em íntimo contato com os nervos VII (facial) e VIII (vestíbulo-coclear) poder sim levar a quadro de zumbido, porém outras causas devem ser investigadas e descartadas. Uma vez confirmada a compressão neurovascular como a causa mais provável do zumbido, por exclusão de outras patologias, a descompressão neurovascular cirúrgica pode ser utilizada como a forma mais eficaz de tratamento da patologia com melhora de 81 a 89% na literatura e recidiva de 6 a 10%.

Dr. Alexandre Meluzzi

Dr. Alexandre Meluzzi

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Neurocirurgião

São Paulo

A Carbamazepina é considerada uma droga de primeira escolha no tratamento da neuralgia do trigêmeo, apresenta altas taxas de controle da dor, com pouco tempo de uso, em doses não tóxicas, porém nem todos os pacientes irão apresentar resposta a ele e mesmo paciente com bom controle inicial podem evoluir para falha no tratamento, necessitando de aumento nas doses diárias até desenvolverem quadro de intoxicação medicamentosa com efeitos colaterais que obriguem a sua descontinuidade. Porém este fato não é comum. Assim é uma droga relativamente segura para uso crônico e eficaz no tratamento da dor na neuralgia trigeminal. Em caso em que a terapia com medicamentos não é possível ou necessita de descontinuação por efeitos tóxicos, alergia ou outros, existem tratamentos cirúrgicos também muito eficazes e seguros, novamente dizendo que destinados aos quadros onde a terapia medicamentosa não é possível ou eficaz, o que é uma massiva minoria dos casos.

Dr. Alexandre Meluzzi

Dr. Alexandre Meluzzi

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Neurocirurgião

São Paulo

É como um círculo vicioso. A anemia pode ser consequência ao quadro consumptivo de origem infecciosa que consome células sanguíneas para defesa e reduz a produção (na medula óssea) de células de linhagem vermelha e privilegia a produção de células brancas destinadas a defesa celular. Assim quanto mais ativa a infecção , mais anemia, maior consumo, menor defesa. Mais anemia, menor oxigenação celular, menor nutrição, menor defesa. Existe um limite para isso tudo, que é frequentemente avaliado pelo médico assistente e quando o quadro clínico e os exames laboratoriais indicam este quadro deve ser tratado a tempo e revertido. Em geral sempre ocorre consumo em quadro infecciosos e haverá anemia, que pode ser tratada com reposição de ferro e acido fólico ou em casos extremos com transfusão de células sanguíneas doadas ou ferro biodisponível intravenoso.

Dr. Alexandre Meluzzi

Dr. Alexandre Meluzzi

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Neurocirurgião

São Paulo

Ver as 31 perguntas respondidas por Dr. Alexandre Meluzzi

Fotos

{0}{1}