Dra. Rosana Ramos de Freitas

Dra. Rosana Ramos de Freitas

Psiquiatra

Competência em: Emergências Psiquiátricas, Neurociências, Psiquiatria Ambulatorial, Psiquiatria Hospitalar

Número de Identificação Profissional: 127864

Marcação de consultas

Endereço do consultório

Rua Oliveira Dias, 38 01433-030 Jardim Paulista São Paulo

Que dia e hora estão bem para você?

Consultório

1

Opiniões para Dra. Rosana Ramos de Freitas

Não há comentários ainda. Seja o primeiro a avaliar Dra. Rosana Ramos de Freitas

Experiência

Formação

  • Graduação em MedicinaUniversidade Federal do Estado do Rio de Janeiro2005
  • Residência em PsiquiatriaUniversidade Estadual de Campinas - UNICAMP2010
  • Mestre em PsiquiatriaUniversidade de São Paulo (USP)2018

Sobre mim

Número de Identificação Profissional: 127864

Procurar um psiquiatra ainda em 2018 é uma decisão difícil, ainda há muito estigma envolvido, apesar de estar mais do que comprovado o componente também químico dos transtornos mentais.
Com é um transtorno que afeta os pensamentos e comportamentos, o paciente busca primeiro atribuir a eventos de vida que possa ter desencadeado as mudanças observadas, iniciar tratamentos alternativos, até finalmente procurar um psiquiatra. Isso retarda a realização de um diagnóstico e tratamento precoces (essencial para um bom prognóstico). Para família, também é difícil aceitar que a alteração comportamental é devido uma transtorno da mente, muitos ainda pensam ser uma falha moral, ignorando ou com descrédito às queixas do paciente.
Acolher o paciente e sua família (se for necessário) neste momento difícil é de suma importância, empoderá-los com psicoeducação, explicando a hipótese diagnóstica e os passos do tratamento.
Como psiquiatra, meu papel é também entender a individualidade de cada paciente, sua biografia, seu contexto social para promover o um cuidado personalizado.
É possível ter uma vida de qualidade com tratamento adequado, por isso, além do tratamento psiquiátrico, é fundamental fornecer orientações baseadas no que há de mais moderno na ciência sobre melhora de hábitos de vida, tratamentos não medicamentosos associados, incluindo a psicoterapia, que é fundamental.
Os conhecimentos na área evoluíram muito nas últimas décadas e o objetivo é unir a pesquisa médica com a prática clínica, fornecendo assim um tratamento moderno e de qualidade.

Experiência em

Idiomas

  • Português
  • Inglês

Webs

Serviços

  • Preço
    Preços aproximados para pacientes particulares (sem plano de saúde).
    Dados fornecidos em: novembro 2018

Respostas de Dra. Rosana Ramos de Freitas

71 Respostas

38 Especialistas de acordo

49 Pacientes agradecidos

Dra. Rosana Ramos de Freitas está respondendo perguntas que os usuários enviam à Doctoralia.
Descubra mais

As perguntas se enviam das páginas sobre doenças, exames médicos ou medicamentos.

Todos os especialistas da Doctoralia podem responder as perguntas que enviam os usuários.

Não é possível fazer uma pergunta a um médico em concreto.

Boa tarde, um bom começo seria procurar uma avaliação psiquiátrica, um bom profissional conseguirá avaliar se há necessidade de introdução de alguma medicação que te auxilie nos sintomas depressivos, ou não.
Além disso, poderá indicar o tipo de psicoterapia que possa ser mais adequada no seu caso e no momento pelo qual está passando.
Existem vácuos tipos de psicoterapia e diferentes abordagens de profissionais, conseguir uma boa indicação para o seu caso já ajudará a não se sentir confusa.
Estimo melhoras!

Dra. Rosana Ramos de Freitas

Dra. Rosana Ramos de Freitas

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

São Paulo

Olá, boa noite!
Infelizmente as medicações antipsicóticas tem eficácia reduzida nos sintomas negativos da esquizofrenia. Medidas psicossociais como exercícios físicos, psicoterapia, terapia ocupacional podem ajudar bastante o paciente!
Incentive-o a realizar estas atividades!
Um abraço!

Dra. Rosana Ramos de Freitas

Dra. Rosana Ramos de Freitas

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

São Paulo

Olá, boa noite! concordo com o colega acima, os antidepressivos de forma geral demoram em média duas semanas para ter o efeito terapêutico necessário.
No caso especial do transtorno obcessivo compulsivo, podem ser necessárias doses maiores de 60 até 80 mg.
Isso dependerá da avaliação por parte do seu médico.
Há muitas evidências científicas de que a medicação aliada a psicoterapia (os estudos focam na terapia cognitivo comportamental - TCC). Mostram uma melhora clínica maior e mais rápida.
Um abraço!

Dra. Rosana Ramos de Freitas

Dra. Rosana Ramos de Freitas

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

São Paulo

Ver as 71 perguntas respondidas por Dra. Rosana Ramos de Freitas

Fotos

{0}{1}