Dr. Luiz Roisman

Dr. Luiz Roisman

Oftalmologista

Competência em: Retina, Cirurgia do Segmento Posterior, Catarata, Cirurgia Oftalmologica, Uveítes

Número de Identificação Profissional: 5282360-0

Marcação de consultas

Endereço do consultório

Clínica de Olhos Roisman

Que dia e hora estão bem para você?

Consultório

1

Opiniões para Dr. Luiz Roisman

5

Baseado em 4 opiniões

Pontualidade

Atenção

Instalações

Você foi atendido/a por Dr. Luiz Roisman?

Opinar

O melhor: "Excelente médico! Competente, atencioso. Recomendo !"

Poderia melhorar: "Ter consultório em SP"

Motivo da visita: Consulta

Paciente que marcou consulta com Dr. Luiz Roisman em Clínica de Olhos Roisman

O melhor: "Atendimento excepcional, desde à confirmação da consulta até o atendimento pelo médico. Tudo excelente!"

Motivo da visita: Edema Macular

Teresa C. marcou consulta com Dr. Luiz Roisman em Clínica de Olhos Roisman

Marcou consulta na Doctoralia

O melhor: "Sempre procurei por um oftamologista atencioso como o Luiz. Excelente médico! Recomendo."

Motivo da visita: Vista cansada.

Paciente que marcou consulta com Dr. Luiz Roisman em Clínica de Olhos Roisman

O melhor: "Tenho "olho vermelho" há anos, nunca ninguém havia me explicado sobre como cuidar. Dr. Luiz, é atencioso, explica tudo com muita paciência e clara! Me senti segura e bem cuidada, obrigada à toda equipe da Clínica."

Motivo da visita: olho vermelho

Lucia J. marcou consulta com Dr. Luiz Roisman em Clínica de Olhos Roisman

Experiência

Formação

  • Graduação em MedicinaUERJ2006
  • Residência Médica em OftalmologiaUNIFESP2010
  • Especialização em Retina Clínica e CirúrgicaUNIFESP2013
  • Post Doctorate AssociateBascom Palmer Eye Institute/ University of Miami2016
  • Doutor em Oftalmologia e Ciências VisuaisUNIFESP2017

Sobre mim

Número de Identificação Profissional: 5282360-0

  • Graduação em Medicina pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ 
  • Residência Médica em Oftalmologia na Escola Paulista de Medicina – UNIFESP
  • Título de Especialista em Oftalmologia pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia – CBO e Associação Médica Brasileira - AMB
  • Especialista em Retina Clínica e Cirúrgica, pela Escola Paulista de Medicina – UNIFESP
  • Membro da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo - SBRV
  • Doutorando em Oftalmologia e Ciências Visuais pela Escola Paulista de Medicina – UNIFESP
  • Ex-Post Doctorate Associate no Setor de Retina do renomado Bascom Palmer Eye Institute/ University of Miami, eleito nos últimos 15 anos consecutivos o melhor centro de oftalmologia dos EUA
  • Membro da American Society of Retina Specialists – ASRS
  • Possui artigos publicados em revistas internacionais de grande impacto na Oftalmologia, além de capítulos de livros relacionados a estudos de imagens diagnósticas em retina e doenças da mácula 
  • Revisor convidado de revistas científicas internacionais como “Retina”, “International Journal of Retina and Vitreous” e “International Journal of Ophthalmology”
  • Colaborador e Pesquisador do Setor de Retina e Vítreo da Escola Paulista de Medicina – UNIFESP
  • Médico Oftalmologista do Setor de Retina e Vítreo do Hospital Federal da Lagoa- RJ

Experiência em

Idiomas

  • Português
  • Inglês

Webs

Serviços

  • Preço
    Preços aproximados para pacientes particulares (sem plano de saúde).
    Dados fornecidos em: dezembro 2016

Artigos escritos por Dr. Luiz Roisman

Oclusão Da Veia Retiniana

Na oclusão venosa retiniana ocorre uma obstrução de uma veia na retina de modo que o sangue que entra na retina não consegue sair. Isto provoca hemorragias, inchaço e isquemia (ausência de oxigenação) da retina. A trombose pode ser de uma veia menor e fora da parte central da retina, sendo menos grave, a até o fechamento da principal veia retiniana, sendo esta de mau prognóstico visual. É fundamental que a trombose seja acompanhada por um especialista em Retina, para que o tratamento com laser e/ou aplicação intraoculares seja realizado e para que complicações relacionadas à trombose sejam prevenidas.

Retinopatia diabética

Retinopatia diabética é a alteração retiniana relacionada a diabetes. Ela acontece principalmente em diabéticos mal controlados e pode levar à cegueira. A melhor forma de impedir que isto aconteça é consultar um especialista em Retina para avaliações no mínimo anuais e controlar a glicemia com um endocrinologista.

Veja os 5 artigos escritos por Dr. Luiz Roisman

Respostas de Dr. Luiz Roisman

30 Respostas

14 Especialistas de acordo

13 Pacientes agradecidos

Dr. Luiz Roisman está respondendo perguntas que os usuários enviam à Doctoralia.
Descubra mais

As perguntas se enviam das páginas sobre doenças, exames médicos ou medicamentos.

Todos os especialistas da Doctoralia podem responder as perguntas que enviam os usuários.

Não é possível fazer uma pergunta a um médico em concreto.

Após 10 dias ainda é cedo para pensar num outro procedimento. Condições pré-operatórias ruins da córnea e/ou cirurgias um pouco mais difíceis podem levar a edema de córnea prolongado, mas normalmente o tratamento clínico é suficiente. Caso o edema persista por mais de 30 dias sugiro consultar um especialista em córnea.

Dr. Luiz Roisman

Dr. Luiz Roisman

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Oftalmologista

Rio de Janeiro

A escavação aumentada como no seu caso é um sinal de glaucoma, mas somente o fato de a escavação estar aumentada não necessariamente significa que você tem a doença. Algumas vezes a escavação é grande pois o noervo também é grande. Assim como a pressão ocular aumentada também é sinal de glaucoma, mas nem sempre quem tem hipertensão ocular tem glaucoma, assim como existe glaucoma com pressão normal no olho. No seu caso vale a pena uma avaliação com um especialista em glaucoma para uma avaliação mais minuciosa com campo visual, OCT de camada de fibras, medida da pressão ocular etc. Ainda assim, muitas vezes a resposta da existência ou não do glaucoma virá com o tempo e não com uma consulta apenas.

Dr. Luiz Roisman

Dr. Luiz Roisman

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Oftalmologista

Rio de Janeiro

Durante a cirurgia usamos um afastador para manter as pálpebras abertas que se chama blefarostato. E cirurgias mais longas, como as de retina, este afastador pode acabar lesionando as fibras musculares da pálpebra, além do edema e inflamação da prórpria cirurgia, levando à ptoses pequenas, mas significativas. Normalmente esta ptose regride espontaneamente em até 6 meses. Caso isto não ocorra, uma cirurgia plástica palpebral, realizada por um oftamologista especialista em plástica ocular, pode resolver o problema.

Dr. Luiz Roisman

Dr. Luiz Roisman

Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Oftalmologista

Rio de Janeiro

Ver as 30 perguntas respondidas por Dr. Luiz Roisman

Fotos

{0}{1}