Dr. Sergio Seibel

Dr. Sergio Seibel

Psiquiatra

Número de Identificação Profissional: CRM-SP 26888

Consultório

1

Opiniões para Dr. Sergio Seibel

Não há comentários ainda. Seja o primeiro a avaliar Dr. Sergio Seibel

Experiência

Formação

  • Internato em Medicina GeralFaculdade de Medicina - Universidade de Haifa, Israel1973
  • Residência em PsiquiatriaCollège de Médecine des Hôpitaux de Paris, França1976
  • Especialista em PsiquiatriaAssociação Brasileira de Psiquiatria1978

Sobre mim

Número de Identificação Profissional: CRM-SP 26888

Experiência em

Idiomas

  • Português
  • Espanhol
  • Francês

Serviços

  • Primeira consulta Psiquiatria
  • Retorno de consultas Psiquiatria
  • Consulta domiciliar Psiquiatria
  • Emergência Psiquiátrica
  • Interconsulta Psiquiátrica
  • Laudo de sanidade mental para concurso
  • Parecer psiquiátrico
  • Parecer psiquiátrico para cirurgia bariátrica
  • Psicoeducação
  • Segunda opinião em psiquiatria
  • Tratamento Adicção
  • Tratamento da ansiedade
  • Tratamento da depressão
  • Tratamento da esquizofrenia e outros transtornos psicóticos
  • Tratamento da insônia
  • Tratamento de alcoolismo
  • Tratamento de transtorno afetivo bipolar
  • Tratamento de transtornos alimentares
  • Tratamento Em Psiquiatria Em Hospital Geral
  • Tratamento em Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC)
  • Tratamento para parar de fumar
  • Tratamento Psiquiatrico Em Hospital Especializado - B Nivel I
  • Tratamento Psiquiatrico em Regime de Hospital-Dia

Respostas de Dr. Sergio Seibel

53 Respostas

72 Especialistas de acordo

221 Pacientes agradecidos

Dr. Sergio Seibel está respondendo perguntas que os usuários enviam à Doctoralia.
Descubra mais

As perguntas se enviam das páginas sobre doenças, exames médicos ou medicamentos.

Todos os especialistas da Doctoralia podem responder as perguntas que enviam os usuários.

Não é possível fazer uma pergunta a um médico em concreto.

Em princípio: não.
O LSD, trata-se de uma substância classificada entre os alucinógenos, que é a di-etil-amida do ácido lisérgico em sua forma levógira.
Durante a experiência alucinógena, que dependendo da dose ingerida pode durar entre cerca de 10 a 12 horas, acontecendo geralmente, após o período acima citado, uma "retenção" da experiência, com certeza relacionada à não eliminação completa do produto. Tal fenômeno é conhecido como "flash back", podendo estar relacionado com experiências agradáveis (good trips) ou a que parece ser o caso de quem formulou a pergunta, com experiências "horríveis", desagradáveis (bad trips), com reviviscências das experiências ocorridas durante a "viajem lisérgica". Caso não haja alguma vulnerabilidade genética para alguma psicose, por exemplo, tipo esquizofrênica, a tendência é com o tempo, tais sentimentos (mais que pensamentos) serem diluídos.

Dr. Sergio Seibel

Dr. Sergio Seibel

Psiquiatra

São Paulo

O Sonin (maleato de pimetixeno) é uma substância anti-histamínica e outras aminas biógenas, ou seja, situada no grupo dos medicamentos antialérgicos. É formulado para uso pediátrico e apresentado em solução-gotas e xarope. Devido a ser uma substância sedativa, tem como efeitos colaterais: possibilidade de ação sedativa e sonolência.
As apresentações em solução-gotas têm uma absorção mais rápida pelo organismo, sendo o resultado esperado surgindo cerca de 20 a 30 minutos após ingestão.
Fica a ressalva que o pediatra deverá sempre ser consultado antes de qualquer administração de qualquer medicamento, pois é ele quem conhece a história clínica do paciente, sendo portanto o mais capacitado para prescrição e orientações a respeito.

Dr. Sergio Seibel

Dr. Sergio Seibel

Psiquiatra

São Paulo

Sinto discordar, em parte, dos colegas acima. Se a senhora caracteriza as "alterações de estados de humor' de seu marido, creio ser importante um diagnóstico clínico. E o profissional especialista mais adequado para esse primeiro momento é, sem dúvida um psiquiatra. O psiquiatra pode afastar ou afirmar quaisquer diagnóstico(s) psicopatológico(s) que, porventura esteja(m) provocando tais "alterações" de humor e avaliar o que sejam tais "acessos de ira", para aí então, em caso de diagnóstico estabelecido, propor uma estratégia de tratamento. No mais, concordo com os caros colegas que se manifestaram antes de mim, que uma abordagem multi-disciplinar seria sempre mais conveniente.

Dr. Sergio Seibel

Dr. Sergio Seibel

Psiquiatra

São Paulo

Ver as 53 perguntas respondidas por Dr. Sergio Seibel

{0}{1}