Como proceder em caso de depressão por ofensas racistas (pessoas negras)?
22 respostas
Como proceder em caso de depressão por ofensas racistas (pessoas negras)?
Estamos diante de um caso muito sério e infelimente frequente em na sociedade. Qualquer tipo de ofensa ou segregação seja por bullying na infância, por raça, escolaridade, peso etc é um fator estressor suficiente que pode causar depressão mesmo.
O procedimento a ser tomado é em primeiro lugar avaliar se estamos diante de um quadro clínico de depressão e se vale a pena ser introduzido uma medicação para auxiliar a pessoa, mas esse tratamento precisa ser feito em conjunto com um tratamento psicoterápico para que possa auxiliar a pessoa a se fortalecer, melhora de auto-estima, se colocar e como se defender destas situações repugnantes que existem em todas as sociedades.
Espero ter ajudado.
Procure ajuda sim, temos que conseguir mudar o que podemos mudar, nós mesmos, para podermos enfrentar o ambiente estressor.
Grande abraço

Tire todas as dúvidas durante a consulta online

Se precisar de aconselhamento de um especialista, marque uma consulta online. Você terá todas as respostas sem sair de casa.

Mostrar especialistas Como funciona?
Para uma melhor avaliação do seu caso, seria necessário realizar uma consulta com o Psicólogo, profissional esse que poderá identificar o contexto no qual esse fato ocorreu e avaliar o quanto isso está influenciando na sua saúde emocional! Procure um profissional da psicologia mais próximo de você! Estou à disposição para esclarecer novas dúvidas! Atenciosamente, Claudia Grass

Sua pergunta é complexa e envolve a avaliação de várias questões. Somos seres multifacetados, influenciando e sendo influenciados pelo contexto. Um conhecimento mais amplo e aprofundado sobre você se faz necessário, antes de qualquer opinião.

Antes de mais nada é preciso que a situação seja enfrentada na esfera judicial, visto que o racismo está previsto na Lei e as pessoas devem ser enquadradas para que não cometam mais esse crime. Procure o Ministério Público, denuncie!
Ao mesmo tempo procure auxilio e faça uma avaliação psicológica para que seja estabelecido o nível de depressão, muitas vezes é possível reverter a situação sem a necessidade de medicamentos.

A coisa não é assim tão simples. Não se trata de obter uma fórmula. Recomendo a procura de um(a) psicólogo(a). Um abraço!

Nossa sociedade apesar de tantos avanços, guarda em seu seio muito preconceito infelizmente. Porém, não deixamos de sermos autores do que nos acontece. O mal existe é fato, e pessoas que a cometem também, mas esse mal alcançara aquele que é o alvo somente se esse permitir. Posso estar lhe causando estranheza. Mas você buscando por ajuda profissional de um psicólogo, aprenderá a reconhecer em si os recursos necessários para defender-se de forma objetiva e subjetiva das agressões que possa sofrer. Espero ter-lhe ajudado.

O primeiro passo consiste em uma avaliação clinica da paciente, e os fatores ambientais que estão interferindo nos comportamentos da mesma. E a partir daí estabelecer uma terapêutica de tratamento para o referido caso.

Sinto muito por você ter que passar por isso. Racismo é uma triste realidade no Brasil e em muitos lugares do mundo.

Sobre sua pergunta, há duas questões importantes que devem ser pontuadas. A primeira delas é a emocional. É preciso que você avalie se está com depressão, ou se está deprimido(a). Há grande diferença. A depressão é caracterizada por uma contínua ausência de estímulo para viver, persistente por pelo menos duas semanas. Estar deprimido(a) tem algumas semelhanças, mas melhora em poucos dias.

A depressão precisa de tratamento. Mas não se preocupe. Os tratamentos são muito eficazes. Procure um psicólogo perto de onde mora. O tratamento consistirá em ajudar você a lidar com a questão-eixo, que está latente e resulta no sintoma da depressão, disparado pela ocorrência que você apontou.

A segunda questão é social. Você precisa denunciar o agressor. O país só será livre desse mal, quando os agressores forem punidos.

Um forte abraço e espero que tudo dê certo.

Racismo e outras formas de discriminação podem sim nos adoecer, especialmente quando não há pessoas pessoas que vão acreditar em nossos sentimentos e na realidade do que estamos vivendo ou quando a exposição é muito intensa ou constante. Pode ser bacana procurar um psicólogo para expor a questão - se sentir que o psicólogo não entende de fato o que você está vivendo, procure outro. O psicólogo ira te ajudar a trabalhar as questões que você vive e ira avaliar contigo a necessidade ou não de um psiquiatra. Boa sorte no seu caminho!

Olá, infelizmente o racismo ainda é presente na sociedade. As pesquisas mostram que é um aspecto que pode influenciar na depresssão ou estresse emocional do indivíduo. Muitas pessoas sofrem por isso, porém muitas vezes esse sentimento não é validado e não é reconhecido como tal, pois há diversas formas sutis de racismo que passam despercebidas. Sugiro que busque terapia para te auxiliar a melhorar sua autoestima e tornar-se mais empoderada para lidar com as ofensas. Na terapia, você poderá falar sobre essas queixas e aprender estratégias para lidar com essas situações, reduzindo o impacto emocional negativo. Caso seja necessário, talvez fosse importante uma avaliação psiquiátrica, com intervenção medicamentosa. Abraços

Em primeiro lugar, buscar a justiça para que o causador do bullying seja penalizado pelo sofrimento que causou. A depressão deve ser tratada com psicoterapia para o fortalecimento da autoestma, da autoimagem, da aceitação pela cor de sua pele, para ajudar a pessoa perceber o seu valor e entender que o a opinião do ofensor não deve ser levada em consideração, pois é ele que não sabe considerar o valor de cada pessoa e não sabe respeitaas diferenças, seja elas quais forem. Caso a pessoa esteja com depressão mais acentuada é importante também passar numa avaliação psiquiátrica e se for necessário fazer uso de medicação psicotrópica.

Primeiramente Denunciar! Racismo é crime e inaceitável..
A ajuda profissional de psiquiatra e psicólogo se faz necessária para avaliar a gravidade da situação e a necessidade de condutas adequadas.
Estimo melhoras!

Racismo é crime! Denuncie!!!
A depressão é uma doença e deve ser tratada. Procure ajuda profissional, este vai avaliar se você necessita medicamentos ou não. A terapia ajuda muito e também a meditação, mas é importante ser acompanhado por um profissional que faça uma avaliação. Espero ter ajudado!

Situação bastante complexa e difícil de escrever, precisaria ouvir mais sobre o que ocorreu, como ocorreu, em qual contexto, para ajudar no fortalecimento das emoções e criar um espaço para se falar dos sentimentos ( o mais importante).
Muitos profissionais escreveram e se colocaram muito bem.
Espero que tenha ajudado.

Inicialmente é preciso avaliar o seu caso clínico e encontrar as relações entre a depressão e o preconceito que tem sofrido socialmente. É importante e necessário que procure por um psicólogo para que, juntos, possam encontrar o que, de fato, possa estar acontecendo.
Espero ter ajudado.
Abraço.

Olá. Creio que aqui há várias instâncias que podem ser acionadas. Uma delas é a jurídica, já que racismo é crime. Por outro lado, muitas vezes as pessoas que sofrem com isso não se sentem capazes de ir adiante com a denúncia e começam a arrumar justificativas para diminuir a gravidade da questão. Para lidar com isso sugiro que busque apoio em grupos na internet ou participe de grupos que trabalham com a questão do empoderamento racial. Essa não é apenas uma questão individual, envolve a sociedade como um todo e um aprendizado de como lidar com ela. Além disso, a terapia individual pode também ser útil para te ajudar a separar o que é seu e o que é do outro, em outras palavras, para que consiga se defender e não se deixar ofender por ofensas que dizem mais do outro do que de você.

Primeiramente devemos avaliar o seu quadro clínico e após isso podemos ter uma visão do que realmente está acontecendo com você. Procure ajuda para enfrentar e se fortalecer. Fico à disposição... Bjs

O racismo é algo tão arcaico na humanidade! é lamentável que no século 21 ainda tenhamos pessoas que sofrem desse mal. Assim como o bullying, os atos de violência física e psicológica, causam dor e angústia. Quando recebemos uma educação que fortalece a autoestima, essas questões são passadas desapercebidas, são vistas como algo que não atinge. Portanto, o tratamento seria voltado para os valores pessoais, suas crenças e aprender a ter mais autoestima. Não há como mudar o mundo que, lamentavelmente, continua cruel, mas dá para mudar os valores para uma visão melhor de si e da vida. Paz e Bem!

O adoecimento e o sofrimento provocados por segregações e formações de nichos sociais tem se agravado cada vez mais em nosso pais. Há articulações coletivas que potencializam o empoderamento. A psicologia contribui, no trabalho individual, aproximando o indivíduo de si mesmo, distinguindo eu-outro, e auxiliando-o na seleção de melhores maneiras de se por no mundo fora do adoecimento. Atenciosamente, Aline M.S. De Coster.

Olá! Infelizmente ainda existem muitos preconceitos. O ideal é não se deixar abater por eles, mas nem sempre isso é possível. Neste caso uma ajuda profissional é indicado para uma avalição mais criteriosa. E hoje em dia existem meios legais para resolver isso. Mas o melhor mesmo é que fique bem psicologicamente. Espero ter ajudado. Um grande abraço!

Avaliar o caso clínico é a primeira coisa a ser feita. A psicoterapia vai lhe auxiliar nessas questões. Mas é de suma importância que vc busque ajuda pq depressão sem tratamento pode evoluir. Não espere, busque ajuda.

Olá, o primeiro passo é buscar um psicólogo para avaliar se você está mesmo com um caso clínico de depressão. Muitas pessoas confundem tristeza com depressão. A Tristeza é um sentimento básico do ser humano, que vem como uma reação comum diante de algum problema da vida, é passageira, considerada saudável e importante. Já a depressão é quando essa tristeza se torna profunda e não passa, começando a surgir outros sintomas. A pessoa deprimida apresenta apatia, indiferença, desesperança, falta de perspectiva ou prazer pela vida. Além de se mostrar com energia reduzida, distúrbios de sono, alterações de apetite, falta de concentração, ansiedade, baixa autoestima, sentimentos de culpa e dificuldades nas relações pessoais, sociais, familiares ou de trabalho. Esses sintomas aparecem e desaparecem de maneira sutil. O diagnóstico da depressão é caracterizado pelo conjunto de alguns desses sintomas. Uma vez diagnosticada, é necessário recorrer à ajuda psicológica e psiquiátrica para que a resposta ao tratamento seja positiva. Sendo assim, se você se encontrou nesse quadro de sintomas, procure ajuda já!

Especialistas

Letícia Ayres do Nascimento Leibel

Letícia Ayres do Nascimento Leibel

Psicólogo

Rio de Janeiro

Liana Beatriz Almeida

Liana Beatriz Almeida

Psicólogo

São Bernardo do Campo

Vanessa T. Calderelli Winkler

Vanessa T. Calderelli Winkler

Psicanalista, Psicólogo

Campinas

Isis Nicolace de Campos Bueno

Isis Nicolace de Campos Bueno

Psicólogo

Campinas

Marcelo Emílio Santos

Marcelo Emílio Santos

Psicólogo

Bento Gonçalves

Suely Kosiak Poitevin

Suely Kosiak Poitevin

Psicanalista

Curitiba

Perguntas relacionadas

Você quer enviar sua pergunta?

Nossos especialistas responderam a 740 perguntas sobre Depressão

Este valor é muito curto. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.

  • A sua pergunta será publicada de forma anônima.
  • Faça uma pergunta de saúde clara, objetiva seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um profissional de saúde específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico/especialista ou provedor de saúde da sua região.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos, nem pedidos de segunda opinião.

Escolha a especialidade dos profissionais que podem responder sua dúvida
Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no doctoralia.com.br, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.