Cirurgia de Alta Frequência (CAF) - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Cirurgia de Alta Frequência (CAF)

Os especialistas falam sobre a Cirurgia de Alta Frequência (CAF)

A mesma coisa que a Traquelectomia, mas se usa um aparelho de alta frequência que veio revolucionar a técnica cirúrgica e preservar o colo uterino. Veio substituir a Conização clássica em muitos dos casos.
Dra. Natalia Gama
Dra. Natalia Gama Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

|

Rio de Janeiro

É um procedimento que retira cirurgicamente uma área anormal no colo uterino, que tem o potencial de se tornar um câncer - essas lesões são chamadas de NIC 2 ou 3, HSIL (lesão intra-epitelial de alto grau) ou carcinoma/adenocarcinoma in situ . Preferencialmente deve ser feita em bloco cirúrgico, com anestesia local e sedação, em regime de hospital-dia (sem dormir no hospital). Antes de sua realização, é importante uma consulta completa com colposcopia e biópsia de colo uterino e orientações extensas sobre o procedimento, riscos e benefícios e recuperação pós-operatória.
Dra. Paula Guastaferro Magalhães
Dra. Paula Guastaferro Magalhães Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

|

Belo Horizonte

A cirurgia de alta frequência( caf), também conhecida como LEEP, traquelectomia é um procedimento cirúrgico que tem por objetivo retirar as lesões do colo do útero causadas pelo vírus HPV. É indicado nos quadros de lesão intraepiteial de alto risco, podendo ser realizado em consultório ou em centro cirúrgico a depender do tamanho da lesão condições de saúde da paciente! o material retirada nessa cirurgia é então enviado para anatomia patológica para avaliação de comprometimento da lesão e das margens cirúrgicas. Ele pode ser classificado como propedêutico ou terapêutico.
Ludmila Andrade Seoane Vitorino
Ludmila Andrade Seoane Vitorino Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

|

Salvador

Conização por alta frequência é o procedimento utilizado para a retirada de uma porção do colo do útero que apresente lesão de alto grau causada pelo vírus do HPV. Esse diagnóstico é oferecido por exame de colposcopia. É um procedimento que pode ser realizado ambulatorialmente mas prefiro que seja feito internada sob algum tipo de anestesia, pois geralmente pode causar desconforto durante sua realização. Logo antes de sua realização, o ideal é que seja feito um exame de colposcopia na sala de cirurgia para que a lesão seja identificada com precisão. Realizo esse procedimento com minha anestesista por método de reembolso ou particular, em alguns dos melhores hospitais de São Paulo.
Dra. Débora Hidalgo Magalhães Teixeira
Dra. Débora Hidalgo Magalhães Teixeira Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

|

São Paulo

CAF, ou cirurgia de alta frequência, se tornou um sinônimo para traquelectomia (antigamente chamada de conização), onde um fragmento do colo uterino é removido para avaliação anátomo-patológica de uma amostra mais representativa de tecido, em relação às obtidas através das biópsias realizadas no exame de colposcopia. Costuma ser necessária nas alterações provocadas pelo papilomavírus humano (o HPV), doença sexualmente transmissível que pode cursar com câncer do colo uterino. É uma cirurgia relativamente simples e que pode ser realizada em âmbito ambulatorial ou hospitalar. Sempre que houverem alterações no exame de Papanicolaou, procure seu médico para avaliar a necessidade de biópsia.
Diogo Crevatin Sheldon
Diogo Crevatin Sheldon Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

|

São Paulo

Ver mais

Tem perguntas sobre Cirurgia de Alta Frequência (CAF)?

Nossos especialistas responderam 100 perguntas sobre Cirurgia de Alta Frequência (CAF).

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Olá. O DIU hormonal ou de cobre não contra-indica a realização da cirurgia de alta frequência. A cirurgia de alta frequência não altera o posicionamento do DIU e não aumenta o risco de gravidez. Você poderá fazer o procedimento sem retirar o DIU. O procedimentos de cirurgia de alta frequência podem seccionar o fio do DIU. Isso não altera o efeito de anticoncepcao do DIU mas pode dificultar a sua retirada.

  • 8215
  • 3054
  • 8230
Dr. Heitor Leandro Paiva Rodrigues Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

Ribeirão Preto

Marcar consulta

O corrimento amarelado é normal sim, é devido a cicatrizacao do procedimento que realizou, porém geralmente não são fétidos! Oriento procurar seu médico para um exame físico adequado para o diagnóstico adequado e conduta.

  • 6
  • 11
  • 17
Priscilla Da Quinta Morgado

Ginecologista

Oi. São procedimentos que visam a eliminação do HPV do colo uterino. As indicações são individualizadas. Sobre a conização, o material retirado tem boa margem de segurança. pois é um procedimento que abrange todo o colo uterino,incluindo canal cervical, onde existe maior possibilidade de se encontrar lesões pré neoplasicas ou neoplasicas, pois são lesões multicentricas.Ambos são seguros e se o material retirado for suficientemente amplo, com margens livres O controle é clinico com colposcopias seriadas a cada 12/16 semanas..O epitelio vaginal recobrirá todo o colo residual, sem sequelas;o colo fica mais curto e , no evento gestacional, deve-se ter controle sobre sua dilatação para prevenir abortamentos. Não há prejuizo da vida sexual. Atividade fisica em 4 a 6 semanas. O sangramento dep dp proc realizado. é maior no cone.

  • 9
  • 0
  • 1
Dra. Regina Paula Ares Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

São Paulo

Marcar consulta

Olá. Sempre siga as orientações do seu médico. Agende a sua consulta e esclareça suas dúvidas. A conização e o CAF são procedimentos utilizados para tratamento de lesões de alto grau no colo uterino provocadas pelo HPV. A conização é realizada em centro cirurgico com bloqueio locorregional (raquianestesia ou peridural) e o CAF pode ser feito em consultório médico com anestesia local. Ambos os procedimentos conseguem tratar igualmente as duas lesões. As lesões no interior do canal endocervical somente podem ser tratadas pela conização. A conização tem um risco maior de incompetência istmo-cervical em uma futura gravidez do que o CAF. O tecido retirado não irá se regenerar. Os seus parceiros sexuais devem procurar atendimento médico. Eles podem ter o HPV e lesões pelo vírus. Solicite ao seu médico exames para descartar as outras infecções sexualmente transmissíveis como HIV, hepatite B e C e sífilis. A vacina para o HPV pode evitar a recidiva da lesão de alto grau no colo uterino.

  • 8215
  • 3054
  • 8230
Dr. Heitor Leandro Paiva Rodrigues Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

Ribeirão Preto

Marcar consulta

Ver as 100 perguntas sobre Cirurgia de Alta Frequência (CAF)