Colecistectomia Videolaparoscopica - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Colecistectomia Videolaparoscopica

Informação sobre Colecistectomia Videolaparoscopica

O que é?

Colecistectomia é a retirada da vesícula biliar. A colecistectomia videolaparoscópica é uma técnica relativamente recente para realização desse procedimento. Foi realizada pela primeira vez em 1987 na França e desde então se tornou o procedimento padrão para esse tipo de operação. Essa nova técnica cirúrgica faz a retirada da vesícula biliar a partir de três a cinco pequenos furos no abdome. Através desses orifícios são introduzidos instrumentos que permitem a realização do procedimento. Um deles carrega uma minúscula câmera que envia imagem para um aparelho de TV que ajuda a guiar o cirurgião. A colecistectomia videolaparoscópica reduziu significativamente a dor após a cirurgia além de permitir que os pacientes recebessem alta 24h após o procedimento e pudessem voltar às atividades normais uma semana após a operação. A vesícula biliar ou bexiga biliar é um órgão localizado na face inferior do fígado. A bile, substância fundamental na digestão e produzida pelo fígado, também enche a vesícula biliar em determinados momentos. No entanto, a vesícula não é essencial para o organismo, que funciona normalmente mesmo com sua retirada.

Qual é a causa?

A retirada da vesícula biliar pode ser necessária devido ao aparecimento de doenças. Entre elas estão: - Litíase biliar: formação de cálculos (pedras) no órgão. Eles aumentam em número e tamanho. Essas pedras podem, por exemplo, obstruir o canal cístico produzindo cólicas. Quando o cálculo não se desloca, pode propiciar o crescimento de bactérias levando ao quadro de colecistite aguda. - Colecistite aguda alitiásica: é um quadro de infecção desenvolvido sem a presença de pedras. Pode regredir ou causar um quadro grave de peritonite. -Câncer: pode aparecer devido à presença de cálculos biliares ou de pólipos presentes há anos na vesícula biliar. Quais os sintomas? Alguns sintomas indicam o desenvolvimento de doenças na vesícula: - dor ou sensibilidade nas costelas do lado direito- distensão abdominal - gosto amargo na boca após a alimentação- arrotos- constipação- diarreia - tontura- sensação de plenitude- gases - dor de cabeça localizada em cima dos olhos, especialmente o direito- azia - dor no peito- icterícia- náusea- vômitos- dor entre as omoplatas - dor que aumenta ao respirar profundamente - cólicas no abdome superior que podem durar até duas horas

Como fazer o diagnóstico?

A entrevista com o paciente é essencial para levantar a possibilidade de problemas na vesícula. A realização de exames laboratoriais (sangue) e imagens (ecografia ou ressonância magnética) podem confirmar o diagnóstico.

Qual o tratamento?

Nos casos de câncer, a cirurgia é o único tratamento indicado. Nos demais há a possibilidade de realizar o tratamento com medicamentos, porém, como a vesícula não é um órgão vital para o corpo humano, a cirurgia é uma opção muito utilizada.

Possui uma dúvida concreta sobre Colecistectomia Videolaparoscopica? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Colecistectomia Videolaparoscopica

Consiste na retirada da vesícula doente por cálculos ("pedras") ou pólipos ("verrugas") por pequenos furos onde são introduzidos uma microcâmera e aparelhos, assim o abdome é insuflado com gás para realização desse procedimento.O pós-operatório é bem melhor com pouca dor, reabilitação precoce e de ordem estética. Hoje em dia praticamente não há contra indicações para esse método exceto indivíduos com problemas graves cardíacos ou pulmonares. Tenho realizado essa técnica com sucesso desde 1996 com mais de 1000 procedimentos com sucesso.
Prof. Dr. Sergio Renato Pais-Costa
Prof. Dr. Sergio Renato Pais-Costa Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral, Oncologista

|

Brasília

Cirurgia por vídeolaparoscopia para ressecção da vesícula biliar, geralmente contendo cálculos biliares.
Dr. Joao Batista Aguiar Ribeiro
Dr. Joao Batista Aguiar Ribeiro Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião geral

|

Fortaleza

Colecistectomia videolaparoscópica é a retirada cirúrgica da vesícula biliar através de um procedimento cirúrgico que consiste em quatro pequenas incisões cirúrgicas. Pelo fato das incisões serem pequenas a recuperação e o retorno do paciente as suas atividades normais se dá de forma muito mais rápida
Thiago Guimaraes Mattos de Souza
Thiago Guimaraes Mattos de Souza Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião geral

|

Manaus

A cirurgia consiste na retirada da vesícula biliar através de pequenos cortes (1 no umbigo e 3 na parte superior direita do abdome), sendo realizada por vídeo. É possivel realizar somente com um pequeno corte no umbigo (Single-Port) ou com cortes de 3mm, mas não pode ser realizado em todos os pacientes
Prof. Henrique Neubarth Phillips
Prof. Henrique Neubarth Phillips Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião geral

|

Rio de Janeiro

Quando a colelitíase é sintomática o tratamento é cirúrgico. Realiza-se a retirada de toda a vesícula biliar conjuntamente com os cálculos biliares. A operação é realizada por laparoscopia, método cirúrgico moderno que causa mínimo trauma tecidual permitindo rápida recuperação pós-operatória. Sao realizados 4 pequenas incisões e a vesicula é retirada por um destes portais. dura em torno de 60 min. Na grande maioria das vezes os pacientes operados não observam quaisquer alterações pós-operatórias.
Dr. Luiz Gonzaga Torres Junior
Dr. Luiz Gonzaga Torres Junior Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

|

Belo Horizonte

Ver mais

Tem perguntas sobre Colecistectomia Videolaparoscopica?

Nossos especialistas responderam 99 perguntas sobre Colecistectomia Videolaparoscopica.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Recomendo repouso de 15 dias após a cirurgia da vesícula por vídeo. Abs

  • Obrigado 0
  • 1 especialista está de acordo
  • 51
  • 9
  • 29
Dr. Fabio Faleiro Vieira Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

Goiânia

Marcar consulta

É possível realizar esses procedimentos juntos. Os cortes realizados em cirurgias por video são pequenos, geralmente 1 cm, no máximo. Para uma cirurgia de vesícula utilizados 4 pequenos cortes, para a cirurgia de hérnia 3. Mas para esse procedimento combinado, é possível realizar com 5 pequenos cortes. Com uso de técnicas de videocirurgia, a recuperação do paciente se tornou algo mais rápido e as recomendações atuais são para que o paciente retorne as suas atividades conforme for conseguindo executa-las.

  • 36
  • 7
  • 44
Dr. Vitor Neves Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

Rio de Janeiro

Marcar consulta

As vezes essas sencaçoes podem ocorrer e tendem a desaparecer com o tempo; se nao ocorrer, deve retornar ao seu medico

  • 168
  • 14
  • 51
Dr. Felipe Lima Monteiro Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião geral, Oncologista

Fortaleza

Marcar consulta

Alguns pontos podem ficar mais para dentro da ferida, e algumas vezes até mais vermelho, devido a reação de corpo estranho (reação do organismo ao fio). O problema que ocorrer é um incômodo maior quando for retirar o fio. Para melhor avaliação, recomendo que retorne ao cirurgião que fez a cirurgia.

  • 33
  • 4
  • 14
Ivan Matavelli Santos Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral

Vitoria

Marcar consulta

Ver as 99 perguntas sobre Colecistectomia Videolaparoscopica