Hipofisectomia Cirurgica - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Hipofisectomia Cirurgica

Tem perguntas sobre Hipofisectomia Cirurgica?

Nossos especialistas responderam 6 perguntas sobre Hipofisectomia Cirurgica.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Alguns fatores devem ser considerados antes da cirurgia como: tipo de lesão que vai ser ressecada, tamanho da lesão a ser removida e função da glândula no pré-operatório e experiência do cirurgião. Por exemplo; lesões pequenas com função hipofisária normal podem ser ressecadas sem prejuízo para a função da glândula.

  • 1
  • 5
  • 5
Dr. Manoel Antonio de Paiva Neto

Neurocirurgião

nos casos de adenoma hipofisário não produtor, ou algum secretor que não esteja respondendo ao tratamento medicamentoso ou ainda nos macroadenomas hipofisáriso que estejam comprometendo a visão ou provocando sintomas mais graves

  • 190
  • 87
  • 335
Dr. Rodrigo Teixeira Marcelos Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Neurocirurgião

Rio de Janeiro

O retorno da função hipofisária após a cirurgia dependerá de como está essa função antes da operação. Se a hipofise já produzia menos hormônios do que deveria, a chance de começar a produzir após não é grande, necessitando do uso de hormônios para repor aquele que está em falta. Mas se a função da hipofise está normal ou aumentada antes da cirurgia, com as técnicas cirúrgicas mais modernas atuais, a chance de a hipofise funcionar normalmente após é muito grande. Mas lembre que cada caso pode variar, dependendo do tipo de tumor de hipofise, localização e proximidade com nervos, artérias e veias ao redor. Converse com o seu neurocirurgiao e/ou endocrinologista a respeito dessa dúvida. Eles certamente conseguirão te dar uma resposta mais específica de acordo com o seu caso.

  • 17
  • 10
  • 32
Dra. Danielle de Lara Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Neurocirurgiã

Blumenau

Esta cirurgia é realizada geralmente para se retirar tumores originados da glândula hipófise. A técnica cirúrgica mais moderna para se abordar esse tipo de tumor atualmente é feita com auxílio de endoscopia, por via nasal, sem cortes externos. As complicações cirúrgicas mais temidas são a fístula liquórica ou vazamento de líquido cerebral através da abertura realizada para se retirar o tumor, e consequente infecção que pode levar a meningite pós-operatória. Essas complicações são relativamente raras em mãos experientes, e diversas manobras cirúrgicas são realizadas preventivamente para se evitar essa complicação. Outras complicações inerentes a muitas cirurgias neurológicas são sangramento, lesão de estruturas nervosas (neste caso o nervo óptico) e infecção da cavidade nasal. Complicações endocrinológicas decorrentes do desequilíbrio hormonal gerado pela retirada de parte ou toda a glândula hipófise podem também ocorrer, sendo mais frequentes, porém geralmente transitórias.

  • 23
  • 19
  • 30
Dr. Carlos Eduardo Romeu Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Neurocirurgião

Salvador

Marcar consulta

Ver as 6 perguntas sobre Hipofisectomia Cirurgica