Histerectomia com anexectomia uni ou bilateral - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Histerectomia com anexectomia uni ou bilateral

Informação sobre Histerectomia com anexectomia uni ou bilateral

O que é?

A histerectomia é uma cirurgia realizada em mulheres objetivando a remoção do útero. Quando tal procedimento envolve ainda a retirada dos ovários e trompas é chamado de histerectomia com anexectomia uni ou bilateral. Existem três técnicas utilizadas para essa operação. A histerectomia abdominal é feita a partir de um corte na região do abdome. Na histerectomia vaginal os órgãos são retirados a partir da vagina. Essas cirurgias demandam internação durante até três dias e o prazo de recuperação total pode chegar a oito semanas. Na histerectomia videolaparoscópica, a incisão é feita no abdome para entrada dos instrumentos e da câmera que irá guiar o médico, mas a extração do útero e dos demais órgãos, em caso de necessidade, é realizada pela vagina. Esse procedimento exige que a paciente fique hospitalizada por até dois dias e a recuperação ocorre em, no máximo, quatro semanas. O Colégio Norte-americano de Obstetras e Ginecologistas aponta que de um quarto até a metade das pacientes submetidas à histerectomia terão algum tipo de complicação devido à cirurgia. Além da impossibilidade de ter filhos, a cirurgia pode causar lesões no intestino, bexiga ou ureteres, sangramento vaginal, infecção, dor pélvica crônica e diminuição do apetite sexual. São complicações consideradas de pequeno porte e reversíveis.

Qual é a causa?

O câncer é o principal motivador da realização da histerectomia seja ela com anexectomia uni ou bilateral ou não. Todavia, há outras motivações que levam à realização desse procedimento. Alguns anos antes da menopausa, por exemplo, algumas mulheres começam a ter sangramento muito grande na vagina causado por alterações hormonais ou tumores benignos no útero. Nesse caso, a retirada do útero é uma solução. Para reduzir a possibilidade de desenvolvimento de doenças no futuro, por vezes, trompas e ovários são retirados também.

Quais os sintomas?

Em relação ao câncer no útero, causa principal da realização da histerectomia, os sintomas são: desenvolvimento de tumor na região (que pode ser detectado no exame periódico), sangramento vaginal (ocorre esporadicamente), mau cheiro e dor na hora de urinar. Porém, muitas vezes a doença é assintomática.

Como fazer o diagnóstico?

O diagnóstico do câncer no útero é essencialmente clínico. Deve-se realizar periodicamente o exame Papanicolau que é capaz de indicar se a doença foi desenvolvida. Em caso positivo, outros exames como cistoscopia, retossigmoidoscopia, urografia excretora e a ecografia transretal podem ser solicitados para avaliar o grau e a extensão do tumor.

Qual o tratamento?

Em caso de câncer no útero a histerectomia com anexectomia uni ou bilateral é recomendada. Quimioterapia e radioterapia são outras opções.

Possui uma dúvida concreta sobre Histerectomia com anexectomia uni ou bilateral? Pergunte aos nossos especialistas.

Os especialistas falam sobre a Histerectomia com anexectomia uni ou bilateral

É a remoção cirúrgica do útero, que também pode incluir a retirada das trompas adjacentes e do ovário. O procedimento pode ser usado como medida preventiva ou como recurso para amenizar os avanços no câncer de colo de útero. A histerectomia pode ser utilizada no tratamento de problemas como mioma uterino, dor pélvica, sangramento uterino anormal, endometriose e prolapso uterino, que é quando o útero se move para baixo da vagina, por conta da fragilidade dos músculos do assoalho pélvico.
Dr. Fabio Leal
Dr. Fabio Leal Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

|

Vitoria

Tem perguntas sobre Histerectomia com anexectomia uni ou bilateral?

Nossos especialistas responderam 142 perguntas sobre Histerectomia com anexectomia uni ou bilateral.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

A histerectomia pode ser subtotal ou total..A retirada dos anexos ( trompas e/ou ovários) é que será uni ou bilateral. Histerectomia total então, é a retirada por completo do útero, sendo ou não acompanhada de retirada do anexos. Quando se retira o útero de uma mulher ainda em idade fértil, ela não poderá mais engravidar, não mais menstruará. Não significa que entrou na menopausa. Nas pacientes tambem em idade fértil que forem submetidas a histerectomia com a retirada dos ovários , isto implicará na menopausa.. Nas mais velhas que já não menstruam, não haverá nenhum sintoma relacionado.

  • Obrigado 13
  • 12 especialistas de acordo
  • 33
  • 19
  • 138
Dra. Katia Davy Bello Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

Rio de Janeiro

A cúpula deve estar superficialmente cicatrizada com 15 dias, e isto pode ser observado através do exame físico. O período mínimoque indicamos de repouso( longe de atividades como academia e sem prática de relações sexuais) é de 45 dias, para que ocorra uma cicatrização mais firme dos tecidos. A depender do caso, o repouso pode se estender.

  • 516
  • 399
  • 471
Mariana de Sousa Ribeiro de Carvalho Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

Belém

Marcar consulta

Olá. A síndrome do órgão fantasma é uma patologia descrita em que pacientes que sofreram amputação de membros ou retirada de órgãos sentem a presença e o funcionamento do membro ou órgão retirado. Esse é um diagnóstico de exclusão, isto é, as outras causas de dor pélvica, cólicas menstruais e de lombalgia deverão ser descartadas. Na ausência das outras alterações que justifiquem os sintomas, o diagnóstico de síndrome do órgão fantasma poderá ser pensado. Converse com o seu médico. Esclareça suas dúvidas

  • 2490
  • 1382
  • 1573
Dr. Heitor Leandro Paiva Rodrigues Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

Ribeirão Preto

Olá. Alguns alimentos podem aliviar os seus sintomas de calores ou fogachos. A alimentação saudável pode ajudar no controle do peso, na prevenção da diabetes e do colesterol alto e na prevenção de infarto e derrame. Alimentos ricos em cálcio irão evitar que você tenha osteoporose. Mas Você não conseguirá fazer reposição hormonal com alimentos. Ao entrar na menopausa, você não necessariamente precisará de reposição hormonal. O seu médico irá avaliar a sua história clínica, as suas queixas, o seu exame físico e os exames realizados. A partir dessa avaliação você saberá se pode e se precisa repor hormônios. Entrar na menopausa não significa sair da consulta com uma receita de hormônios. Nem todas as mulheres precisam de reposição hormonal e terão benefício com essa medicação. Converse com o seu médico. Uma nutricionista pode lhe ajudar também.

  • 2490
  • 1382
  • 1573
Dr. Heitor Leandro Paiva Rodrigues Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Ginecologista

Ribeirão Preto

Ver as 142 perguntas sobre Histerectomia com anexectomia uni ou bilateral